O meu Bûche de Noël… Boas Festas

Todas as regiões do mundo que celebram o Natal são, nesta altura do ano, ricas em iguarias doces e salgadas, umas mais específicas e outras mais internacionais. O Tronco de Natal é uma sobremesa típica, servida no fim do ano na França, Bélgica, Canadá, Líbano, Vietname e muitos outros países francófonos. Como o próprio nome indica, o bolo é preparado, presenteado e guarnecido para que aparente um pedaço genuíno de lenha prestes a ser queimada, como se usava nos antigos festivais de fogos do solstício de inverno.
A torta tradicional é confecionada em pão-de-ló, geralmente cozida numa assadeira grande e rasa (de brioche), congelada, enrolada na forma de cilindro e congelada novamente do lado de fora. A combinação mais comum é um básico bolo-esponja amarelo, congelado e recheado com chocolate e creme de manteiga; contudo, existem muitas variações da receita original, podendo incluir massas de bolo de chocolate, ganache e café ou sabores diversos, glacês e recheios. As tortas são servidas frequentemente com a porção final fatiada e fixada no topo do bolo ou saltada para o lado para se assemelhar a um tronco serrado, e a textura da casca-de-árvore é produzida com creme de manteiga ou ganache de chocolate para ressaltar o realismo. Este efeito é obtido invariavelmente arrastando um garfo sobre a cobertura. Com a ponta de uma colher de chá desenham-se os nós da madeira.

Esta receita que vos trago advém do facto de eu adorar bolos com frutos secos na massa. Resolvi colocar a mesma quantidade de noz picada e de farinha, numa tentativa de equilibrar forças que, no meu entender, resultou muito bem. Para o recheio elegi o queijo mascarpone, batido com açúcar em pó e aromatizado por licor Cafetino (de capuccino). A cobertura do tronco foi feita com recurso a uma ganache de chocolate. Confesso que gostei tanto do resultado que vou repetir a receita para a mesa do Natal.

tronco de natal_foodwithameaningtronco de natal_foodwithameaning

Tronco de Natal
Para a torta
• 100 g de nozes picadas
• 6 ovos
• 100gr de açúcar em pó
• 100gr de manteiga
• 100gr de farinha
• 1 colher de café de fermento

Para o recheio (creme de café)
• 200 g de açúcar em pó
• 200 g de queijo mascarpone
• licor cafetino (de capuccino)

Para a cobertura
• 1 tablete de chocolate negro
• 1 colher de sopa de natas
• 1 cálice de moscatel

1. Unte um tabuleiro com manteiga e forre com papel vegetal. Utilizei o tabuleiro do forno.

2. Coloque as nozes na picadora e triture-as o mais possível.
3. Numa tigela, bata o açúcar com a manteiga, que deve estar à temperatura ambiente, até obter um creme esbranquiçado.

4. Adicione as gemas e bata muito bem.

5. Junte as nozes trituradas (quase em farinha).

6. Bata as claras em castelo.

7. Aos poucos, vá adicionando a farinha (previamente misturada com o fermento) e envolva as claras cuidadosamente, sem bater.

8. Verta o preparado no tabuleiro e leve ao forno pré aquecido a 180ºC, aproximadamente 20 minutos. Usei ambas as resistências do forno conjuntamente com a ventilação.

9. Desenforme a torta sobre um pano polvilhado com açúcar ou utilize o próprio papel vegetal da cozedura para enrolar a torta (achei mais facilitador)
Obs. Deixe arrefecer a torta antes de colocar o recheio, para evitar que este derreta.
Obs. Após 15 minutos de cozedura, convém espreitar a torta e fazer o teste do palito no centro. Se a torta ficar demasiado cozida poderá tornar-se quebradiça, o que é de evitar.
Obs. Enrole a torta ainda quente, deixando-a enrolada até arrefecer e estar pronta para rechear.

10. Barre a torta com o creme de café. Para se obter este creme, bata o açúcar com o queijo mascarpone até ficar homogéneo. Ir acrescentando o licor para facilitar a consistência. Se preferir pode adicionar mais açúcar em pó. Bater bem até obter um creme pronto a barrar.

11. Para a cobertura, partir o chocolate negro em pedaços e derreter em banho-maria com a manteiga. Se preferir utilizar o micro-ondas, derreta o chocolate marcando um período inicial de 30 segundos, mexa com uma colher e volte mais uns segundos. Convém ir observando o evoluir pelo vidro do micro-ondas. O chocolate nunca deve ferver ou fica inutilizado. Depois junte a manteiga amolecida ou se preferir natas.

12. Barre a torta com a ganache de chocolate e com as costas da colher faça movimentos com o chocolate por forma a imitar os sulcos da casca de um tronco de árvore. Poderá também fazer os sulcos com um garfo em todo o comprimento do tronco.

13. Decore a gosto com montinhos de côco e cerejas em calda ou com símbolos do natal. Eu optei por decorar com bolinhas prateadas, com um raminho  e uma rena saltitante.

tronco de natal_foodwithameaning

A receita dos Sonhos de Abóbora e Laranja encontra-se neste link.

A receita do Bolo D. Amélia encontra-se neste link.

Votos de Festas Felizes!

8 da manhã. Café e torta de amora

Acordei. Levantei-me. Dirigi-me até à máquina de café, quase de olhos fechados. Liguei-a. Escolhi a cápsula e deixei que o café escorresse lentamente para a chávena, difundindo pela cozinha um lento despertar. Pensei que estava em agosto e que possivelmente já houvessem amoras nas silvas. Pensei também que em breve iria apanhar uva-da-serra. Abri o frigorífico e retirei um frasco de compota de uva-da-serra para barrar na torrada. Enganei-me. Era efetivamente doce de amora. Devia rotular as compotas, mas nem sempre o faço. Confio na memória e limito-me a decifrar pelo exterior do frasco o conteúdo. Desta vez a estratégia não deu certo. Não fazia mal. Estamos no tempo das amoras. Iria apanhá-las para guardar este fruto de fim de verão e poder disfrutá-lo sempre que quisesse. De repente, pensei que aquele doce ficaria muito bem como recheio de uma torta. E, assim, tudo se concretizou em meia hora, ainda a tempo do café da manhã cá de casa. Para mim, toda a altura do dia podia ser o momento certo para se saborear um docinho. Cortei a torta em fatias generosas e acondicionei-as numa marmita para oferecer a amigos. A comida sabe sempre melhor quando é partilhada.

torta de amora_foodwithameaning

 

Torta de Amora Silvestre

Ingredientes

6 ovos

150 g de açúcar (a receita dizia 200)

200 g de farinha (a receita dizia 250g)

1 colher de café de aroma de baunilha ( não incluído na receita original)

2 colheres de chá rasas de fermento para bolos

1 frasco de compota (usei de amora silvestre)

 

Preparação

Ligar o forno a 180ºC.

Bater os 6 ovos inteiros com 150 g de açúcar  durante dois minutos.

Juntar a farinha, 200 g,  o aroma de baunilha e duas colheres de chá rasas de fermento para bolos. Bater tudo.

Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal. Untar o papel vegetal com manteiga e polvilhar com farinha.

Verter o preparado para o tabuleiro.

Cozer durante 15 minutos.

Desenformar de imediato para cima de uma toalha polvilhada com açúcar. Deixar arrefecer 10 minutos e rechear com o doce que se desejar.

Usar a toalha para ajudar a enrolar a torta.

Dicas:

  1. Não deixar que a torta coza demasiado. Poderá ter tendência para quebrar ao desenrolar; Quinze minutos serão aqui suficientes.
  2. Desenrolar com cuidado, apertando a torta uniformemente contra a toalha polvilhada de açúcar.

torta de amora_foodwithameaningtorta de amora_foodwithameaning

 

receita adaptada do livro básico da Bimby

Torta de Limão e Côco

Há qualquer coisa de imprevisível na confeção das tortas. Começar a preparação de uma torta e concluí-la com êxito depende de muitos fatores: do tempo que se leva a bater os ovos com o açúcar, do tempo de cozedura, que tem de ser vigiado para que a torta não seque demasiado e da habilidade ao enrolá-la, para evitar que quebre. Por isso, fazer uma torta requer mais engenho do que o necessário para preparar um simples bolo. Talvez são estas as razões que concorrem para que as tortas nem sempre acertem. Fiz esta de limão e côco pela primeira vez. Segui uma receita de torta que constava do livro básico da Bimby. Adicionei a raspa de limão à massa, contrariamente ao que constava na receita, recheei-a com lemon curd e polvilhei-a com côco ralado. Garanto-vos que esta torta é uma delícia. Acompanhem-na com um café quentinho e desfrutem do momento. torta de limão e côco

Ingredientes para a torta

3 ovos

100 g de açúcar

125 g de farinha

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

raspa de um limão (não consta da receita original)

côco para envolver a torta

Preparação na Bimby

Pré aqueça o forno a 180ºC. Coloque a “borboleta”, os ovos, o açúcar e programe 2 minutos/37ºC/Vel. 3. Programe mais 2 minutos, para que fique um creme fofo. Incorpore a farinha, o fermento, o sal e programe 15 Segundos (marquei 30)/vel.3. Deite a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal. Unte o papel vegetal e certifique-se que a massa ficou bem espalhada. Coloque no forno cerca de 10 minutos. Desenforme quente sobre um pano polvilhado com açúcar e recheie a gosto   receita adaptada do livro básico da Bimby, página 151.

Preparação Tradicional

Pré aqueça o forno a 180ºC. Coloque o açúcar e os ovos numa taça e bata com a batedeira durante 4 minutos até que fique um creme fofo. Junte a farinha, o fermento e o sal e bata mais meio minuto. Deite a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal. Unte o papel vegetal e certifique-se que a massa ficou bem espalhada. Coloque no forno cerca de 10 minutos. Desenforme quente sobre um pano polvilhado com açúcar. Dica: Enrolo a torta com recurso ao papel vegetal da cozedura desta. Deixo-a arrefecer enrolada e depois de fria desenrolo-a, recheio-a e volto a enrolá-la.

Ingredientes para o Lemon curd (recheio e cobertura)

160 g de açúcar

2 limões (raspa e sumo)

60 g de manteiga

2 ovos

Preparação na Bimby

Coloque no copo o açúcar e pulverize 20 Seg/Vel.9. Junte as cascas de limão sem a parte branca e rale 15 seg/vel.9. Adicione a manteiga, o sumo dos limões e programe 1 Minuto/Vel.2 Junte os ovos e misture 10 Seg/Vel 4 De seguida, programe 7 minutos/80ºC/Vel 2. Retire e deixe arrefecer antes de rechear a torta. Com o restante lemon curd barre toda a torta e polvilhe de imediato com côco.

Dicas. Poderão deixar ainda um pouco de curd para a decoração da torta, já em cima do côco. Por vezes, coloco uma risca de curd em todo o comprimento da torta ou faço riscas diagonais.

receita do livro básico da Bimby, página 140

 

Com esta receita, participo na Edição de Março de Dia Um…Na Cozinha, subordinada ao tema: tortas doces.

torta de limão e côco

Torta de legumes

Diapositivo3

Os dias vão ficando mais quentes e, muitas vezes, já vão apetecendo pratos mais leves. Esta torta de legumes é muito saborosa, saudável e de fácil confeção. O único momento mais delicado prende-se com o enrolar a torta evitando que se quebre, mas isso acontece com todas as tortas quer sejam doces ou salgadas. Para que tal não aconteça, deve-se respeitar o tempo de cozedura, não deixando que esta seque demasiado no forno.

Como os olhos são os primeiros a comer, o interior colorido da torta torna-a muito apelativa, especialmente para as crianças que oferecem alguma rejeição ao legumes. Cor e sabor num só prato.

Diapositivo1

 

Ingredientes

1 embalagem de quilo de legumes (feijão rolo, ervilha, pimento encarnado, milho e cenoura) – depois de cozido e escorrido rende 800 g

1 cebola

3 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de farinha

6 ovos

sal e pimenta q.b.

 

Preparação

1. Cozem-se os legumes em água a ferver com sal. Escorrem-se bem e deixam-se arrefecer.

2. Aquece-se o azeite num tacho e junta-se a cebola picada finamente. Deixa-se alourar levemente.

3. Junta-se a farinha e mexe-se bem. Deixa-se arrefecer um pouco.

4. Adicionam-se  as gemas uma a uma e tempera-se com sal e pimenta.

5. Batem-se as claras em castelo bem firme com uma colher de café de sal.

6. Envolvem-se as claras com cuidado no preparado anterior e juntam-se os legumes cozidos, incorporando bem com a colher de pau.

7. Unta-se o tabuleiro do forno com manteiga, forra-se com papel vegetal, o qual também é untado.

8. Verte-se o preparado para o tabuleiro, nivelando-o.

9. Leva-se a cozer em forno bem quente (pré-aquecido a 200 ºC) durante 15 a 20 minutos.

10. Retira-se do forno e coloca-se por cima de uma toalha húmida, retirando o papel vegetal com cuidado.

11. Enrola-se a torta com a ajuda da toalha, apertando moderadamente.

Coloque numa torteira e sirva a torta de legumes quente ou fria acompanhada de peixe ou de salada.

Diapositivo2Diapositivo3

O nosso Tronco de Natal

Este ano, a prata dava o mote à festa. O tronco de Natal, uma das iguarias escolhidas, embelezava a mesa com pérolas prateadas e um raminho repleto de brilhantes. Os marcadores dos pratos e os anéis dos guardanapos emitiam uma luz metálica quente que se refletia na loiça branca e se prolongava nos copos de cristal. Os apontamentos trazidos pelas velas ampliavam a atmosfera de louvor ao Menino, placidamente deitado na sua alcofa, acolchoada de cetim azul claro, que ocupava o centro da mesa.

tronco de natal_foodwithameaningtronco de natal_foodwithameaning

tronco de natal_foodwithameaning

Ingredientes

Para a torta

200 g de amêndoa com casca
6 ovos
100gr de açúcar em pó
100gr de manteiga
100gr de farinha
1 colher de café de fermento

Para o recheio (creme de café)

150 g de açúcar em pó
150 g de manteiga (ligeiramente amolecida)
3/4 de chávena de chá com café expresso

Para a cobertura

1 tablete de chocolate negro

1 colher de sopa de manteiga

1 cálice de moscatel

Modo de Preparação

1.  Untar um tabuleiro com manteiga e forrar com papel vegetal. Utilizei o tabuleiro do forno.

2. Colocar as amêndoas na picadora e triturá-las o mais possível.

3. Numa tigela, bater o açúcar com a manteiga, que deve estar à temperatura ambiente, até obter um creme esbranquiçado.

4. Adicionar as gemas e bater muito bem.

5. Juntar a amêndoa triturada (quase em farinha).

6. Bater as claras em castelo.

7. Aos poucos vá adicionando a farinha (previamente misturada com o fermento) e envolva as claras cuidadosamente, sem bater.

8. Verta o preparado no tabuleiro e leve ao forno pré aquecido a 180ºC, aproximadamente 20 minutos. Usei ambas as resistências do forno conjuntamente com a ventilação.

9. Desenformar a torta sobre um pano polvilhado com açúcar ou utilizar o próprio papel vegetal da cozedura para enrolar a torta (achei mais facilitador)

Obs. Quando queremos rechear uma torta, convém deixá-la arrefecer antes de colocar o recheio, para evitar que este derreta.

Obs. Após 15 minutos de cozedura, convém espreitar a torta e fazer o teste do palito no centro. Se a torta ficar demasiado cozida poderá tornar-se quebradiça, o que é de evitar.

 10. Barrar a torta com o creme de café. Para se obter este creme,  bater o açúcar com a manteiga  até ficar homogéneo. Ir acrescentando o café para facilitar a consistência. Se preferir pode adicionar mais açúcar em pó. Bater bem até obter um creme pronto a barrar.

11. Para a cobertura, partir o chocolate negro em pedaços e derreter em banho-maria com a manteiga. Se preferir utilizar o micro-ondas, derreta o chocolate marcando um período inicial de 30 segundos, mexa com uma colher e volte mais uns segundos. Convém ir observando o evoluir pelo vidro do micro-ondas. O chocolate nunca deve ferver ou fica inutilizado.

12. Barrar a torta com a ganache de chocolate e com as costas da colher fazer movimentos com o chocolate por forma a imitar os sulcos da casca  de um tronco de árvore. Poderá também fazer os sulcos com um garfo em todo o comprimento do tronco.

13. Decorar a gosto com montinhos de côco e cerejas em calda ou com símbolos do natal. Eu optei por decorar com missangas e com um raminho prateado.

tronco de natal_foodwithameaningtronco de natal_foodwithameaning

Torta de Côco, um clássico nas mesas açorianas

Conheço muitas pessoas que nem podem ouvir falar na palavra côco. Detestam-no. Não apreciam a tropicalidade (não sei se esta palavra consta do dicionário, mas não achei importante ir confirmar) do seu paladar, mas porventura consideram agradável o sabor da anona, do araçá, da groselha, porque cresceram a apreciar estes frutos. De facto, o côco não pertence à nossa realidade. O coqueiro é uma árvore que “não se dá” no nosso clima (o que não deixa de ser estranho, a avaliar pelo sem número de palmeiras que povoam avenidas e beiras de estrada, estrategicamente plantadas – queria dizer importadas– para embelezamento, como se os nossos loureiros ou as nossas faias não fossem igualmente merecedores de tais pedestais. E o que é o coqueiro se não uma palmeira com côcos?

Esta torta de côco foi retirada do caderninho de receitas da minha mãe. É presença habitual na mesa de Natal e sempre que na casa dos meus pais e na minha há uma comemoração. É uma receita que, apesar de já fazer parte da família, é um clássico açoriano. Quem não se lembra de vê-la em aniversários, mesas de Natal, babyshowers, quintos touros ou nas festas do salão da paróquia habilmente confecionada pelas mãos das nossas avós e vizinhas?

Partilho então convosco esta delícia!

Torta de Côco

500 g de açúcar
125 g de manteiga
250 g de côco (é preciso gostar-se mesmo de côco)
6 ovos

Derrete-se a manteiga e mistura-se com todos os ingredientes, batendo bem.
Unta-se um tabuleiro e forra-se com papel vegetal untado.

Vai a cozer em forno médio durante 20 minutos.
Depois de cozida, e ainda quente, volta-se sobre um pano húmido polvilhado de açúcarem pó e enrola-se.

Segredo da mãe: Não se deve deixar secar muito a torta para evitar que se quebre ao enrolar.