Espuma de cereja para o fim de semana

Estamos no tempo delas: das cerejas. Cá em casa,  nós apreciamo-las imenso, especialmente ao natural , mas também em gelado. Desta vez, decidi adaptar uma receita muito conhecida da Bimby, normalmente confecionada com morangos. Surgiu-me a ideia de preparar a espuma com cereja e o resultado foi muito bom. Os frutos vermelhos são deliciosos, especialmente se forem frescos. Sendo assim, lavei as cerejas, descarocei-as e congelei-as durante seis horas. Depois, segui as instruções abaixo. Esta receita é surpreendente por vários motivos: é deliciosa e rápida de fazer; é light (apesar de saber a natas, não leva natas); é económica e rende imenso. As quantidades referidas servem 6 a 8 pessoas. Que mais se pode pedir de uma sobremesa?

Deliciem-se!

espuma de cereja_foodwithameaning

espuma de cereja_foodwithameaning

Ingredientes

300 g cerejas congeladas

190 g de açúcar em pó

2 colheres de sopa de sumo de limão

2 claras

Acessórios

Borboleta

Preparação na Bimby

1. Pulverizar o açúcar iniciando na vel 5 até à 9

2. Adicionar as cerejas congeladas e triturar 30seg. na vel. 5

3. Sem retirar o preparado do copo, colocar a borboleta e bater as claras  com o sumo de limão  durante 3 minutos na velocidade 3 1/2, até que obtenha uma espuma tipo merengue.

Servir de imediato.

Se sobrar, guardar no congelador e servir como gelado.

Diapositivo1espuma de cereja_foodwithameaning

 Receita adaptada deste link
Anúncios

Pavlova de ananás e romã para a mesa da passagem de ano

Desde que fiz a minha primeira pavlova, considero-me uma pessoa verdadeiramente apreciadora desta sobremesa. O leve crocante da camada exterior de suspiro conjugado com o seu interior espumoso com sabor a marshmellow contrasta muito bem com a cobertura de natas, levemente adocicadas, e com o topping ácido do ananás e fresco da romã.

Deixo-vos então aqui esta sugestão de sobremesa para a mesa da passagem de ano.
pavlova de ananás e romã_foodwithameaning

pavlova de ananás e romã_foodwithame

Ingredientes para o merengue

6 claras

350 g de açúcar confeiteiro

1 pitada de sal

1 colher de sopa de amido de milho

1 colher de sopa de vinagre de vinho branco

papel vegetal

Ingredientes para o creme

200 ml de natas

4 colheres de açúcar confeiteiro

1 colher de chá de extrato de baunilha

Ingredientes para a cobertura

3 rodelas de ananás

bagos de 1 romã grande

Modo de Preparação

1. Bater as claras com uma pitada de sal durante um minuto.

2. Adicionar o açúcar e continuar a bater com a batedeira até engrossar.

3. Juntar o amido de milho e o vinagre. Bater novamente durante mais um minuto.

4. Colocar papel vegetal num tabuleiro. Verter para o centro do tabuleiro o merengue e alisar de modo a não ficar um alto no meio.

5. Pré-aquecer o forno a 150ºC e levar ao forno durante 10 minutos a 130ºC e depois mais 65 minutos a 100ºC. Nunca abrir o forno durante este tempo.

6. Deixar que a pavlova arrefeça dentro do forno.

7. Bater as natas, que deverão estar frescas, até estarem aguentadas. Adicionar as 4 colheres de sopa de açúcar confeiteiro e a essência de baunilha e continuar a bater até o creme estar homogéneo.

8. Com ou sem recurso a um saco de pasteleiro, colocar as natas em cima da pavlova,  já fria, e decorar com o ananás picado e com os bagos de romã.

9. Levar a pavlova ao frigorífico até à hora de servir.
pavlova de ananás e romã_foodwithame

O ananás e a romã combinaram na perfeição com o suspiro e com as natas, equilibrando o doce. A repetir, sem dúvida.

2 anos… Happy Birthday Foodwithameaning

Pavlova de chocolate de menta e pistácios

Faz exatamente hoje dois anos que iniciei esta aventura a solo. O gosto pelos cozinhados não é todavia novo. Começou a ser ampliado com a criação e colaboração no Receitas ao Desafio, espaço compartilhado por várias cozinheiras locais, e onde tenho imenso prazer de periodicamente continuar a publicar as minhas receitas. Este espaço coletivo despoletou em mim a necessidade de criar outro blogue, desta vez mais pessoal e intimista, o foodwithameaning.

Neste meu cantinho da blogosfera, destaco o significado que as receitas têm para mim. São assim sinónimo de momentos especiais vivenciados com a família e com os amigos. Estas falam também dos locais que visito, de pessoas com quem interajo e que transformam a convivência em algo significativo. Trazem, também, estórias com personagens, tempos e espaços diversos, muitas vezes associadas a passatempos ou desafios culinários criados por outros blogues. Envolvem-se, algumas vezes, em livros ou na sétima arte, outros hobbies para além deste dos cozinhados. Revelam-se pelas palavras e pelas fotografias, sendo estas últimas sempre uma tentativa de superar as anteriores, apesar do tempo para as reportagem fotográfica ser bastante condicionado pelas prioridades familiares e profissionais e pela câmara que atualmente possuo.

O foodwithameaning é, assim, apenas um hobby contextualizado em blogue. Pretende ser uma arquivo das reações alquímicas que acontecem nesse local mágico que é a cozinha e um espaço de partilha de aromas e sabores dinamizado pelo gosto de querer aprender, inovar e registar.

O foodwithameaning existe para o mundo mas é também o papel químico das minhas vivências e um legado para os meus filhos.

Celebremos então este segundo ano de existência com esta pavlola deliciosa.

Pavlova de Chocolate de Menta e Pistácios

Pavlova de chocolate de menta e pistácios

Ingredientes para o merengue

6 claras

350 g de açúcar confeiteiro

1 pitada de sal

1 colher de sopa de amido de milho

1 colher de sopa de vinagre de vinho branco

papel vegetal

Ingredientes para o creme

200 ml de natas

4 colheres de açúcar confeiteiro

1 colher de chá de extrato de baunilha

Ingredientes para a cobertura

10 a 15 chocolates After-Eight

meia chávena de pistácios sem casa

pistácios e chocolates after-eight

hortelã

Modo de Preparação

1. Bater as claras com uma pitada de sal durante um minuto.

2. Adicionar  o açúcar e continuar a bater com a batedeira até engrossar.

3. Juntar o amido de milho e o vinagre. Bater novamente durante mais um minuto.

4. Colocar papel vegetal num tabuleiro. Verter para o centro do tabuleiro o merengue e alisar de modo a não ficar um alto no meio.

5. Pré-aquecer o forno a 150ºC e levar ao forno durante 10 minutos a 130ºC e depois mais 65 minutos a 100ºC. Nunca abrir o forno durante este tempo.

6. Deixar que a pavlova arrefeça dentro do forno.

7. Depois de fria, dispor os chocolates à volta do centro da pavlova.
8. Bater as natas, que deverão estar frescas, até estarem aguentadas. Adicionar as 4 colheres de sopa de açúcar confeiteiro e a essência de baunilha e continuar a bater até o creme estar homogéneo.
9. Com ou sem recurso a um saco de pasteleiro, colocar as natas em cima dos chocolates, deixando as pontas destes visíveis. Decorar com pistácios triturados.
10. Levar a pavlova ao frigorífico até à hora de servir.
PAVLOVA DE CHOCOLATE DE MENTA E PISTACIOS

Suspiros cor-de-rosa para um Baby-shower

O telefone tocou. Ouvi do outro lado: É uma menina!
Fiquei radiante com a alegria contagiante da minha amiga.
Uns dias depois, e sem que ela soubesse, eu e um grupo de amigas em comum começámos a preparar uma festa, para a chegada do bebé, a tradicional baby-shower. Este é um evento de origem americana cuja tradição se enraizou aqui na ilha por influência da base americana e que se espalhou às outras ilhas. Este costume está, no entanto, a cair em desuso no meio citadino, mas em algumas freguesias rurais ainda perdura. Consiste em reunir  as amigas da futura-mamã  num lanche no qual são oferecidas  prendas para o enxoval do bebé.

Lembrei-me de fazer estes suspiros para o convívio. Neles conciliei  a ternura do rosa e a fragilidade da sua consistência. Metáforas?

Ingredientes

150 g de açúcar

3 claras de ovo

1 pitada de sal

aroma de morango

corante alimentar vermelho

raspa de limão

Preparação na Bimby

Pré-aqueça o forno a 120ºC.

Com o copo bem limpo e seco coloque o açúcar e pulverize 15 seg/ Vel.9. Reserve.

Coloque a borboleta, as claras, o sal e programe 5 min/ vel 3.

Com a Bimby em funcionamento na Vel.3, incorpore pelo bocal da tampa, uma a duas colheres de cada vez, do açúcar reservado, a raspa de limão, o aroma de morango e o corante alimentar até a massa ficar com o tom rosa desejado.

Num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal faça pequenos montes com a ajuda de um saco de pasteleiro.

Leve os suspiros ao forno durante 1 hora. Depois reduza a temperatura para 60ºC durante mais uma hora.

Desligue o forno e, sem abrir, deixe arrefecer por completo.

Modo de preparação Tradicional

Adicione às claras uma pitada de sal e bata-as em castelo com recurso a uma batedeira elétrica.

Adicione o açúcar confeiteiro e bata até a massa ficar com a consistência de suspiro, isto é, aguentada.

Junte o aroma de morango e o corante alimentar a gosto até obter a cor rosa desejada.

Num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal faça pequenos montes com a ajuda de um saco de pasteleiro.

Leve os suspiros ao forno durante 1 hora. Depois reduza a temperatura para 60ºC durante mais uma hora.

Desligue o forno e, sem abrir, deixe arrefecer por completo.

Se quiserem espreitar outra sugestão de suspiros, mas em azul, poderão visitar o blogue Belina da Ilha, de onde devo ter recebido inspiração inconsciente.