Lollipops que fizeram sucesso

Lollipops de Chocolate Negro
lollipops de chocolate negro e frutos secos

lollipops de chocolate negro e frutos secos

lollipops de chocolate negro e frutos secos
• 500g de chocolate negro
• Amêndoas, cajus, avelãs caramelizadas
• Bagas goji; sultanas; sementes de girassol
• paus de madeira
• folhas de papel vegetal

1.Forrar tabuleiros com papel vegetal;

2.Colocar em duas taças o chocolate partido em pedaços;

3. Colocar as taças no microondas, na potência máxima, por períodos de 30 segundos, até o chocolate estar completamente derretido e com um aspecto brilhante, mexendo sempre entre cada rotação (nunca fazer de uma só vez pois podemos alterar a consistência do chocolate); quem preferir. Em vez do microondas poderão derretê-lo em banho-maria;

4. Dispor os paus de madeira nos tabuleiros e, com uma colher de sopa, espalhar por cima, tentando desenhar um círculo;

5. Decorar com frutos secos tostados ou caramelizados inteiros ou picados, com missangas de açúcar coloridas ou com fios de chocolate branco ou negro.

6. Levar ao frigorífico cerca de 60 minutos para solidificar.

E as sugestões de prendas para o Natal continuam…

Estas sugestões natalícias desfilaram no workshop realizado na Loja DeBORLA no dia 5 de dezembro. São, sem dúvida, algumas ideias para prendinhas personalizadas e económicas.

Bombons de Chocolate Branco
Bombons de Chocolate Branco

200 g de chocolate branco
folhas de papel vegetal
formas de bombons em silicone

1.Forrar tabuleiros com papel vegetal;

2.Colocar numa taça o chocolate partido em pedaços;

3. Colocar a taça no microondas, na potência máxima, por períodos de 30 segundos, até o chocolate estar completamente derretido e com um aspecto brilhante, mexendo sempre entre cada rotação (nunca fazer de uma só vez pois podemos alterar a consistência do chocolate); quem preferir. Em vez do microondas poderão derretê-lo em banho-maria;

4. Verter o chocolate derretido em cada forminha. Bater com a forma em cima de uma superfície lisa para eliminar bolhas de ar e evitar que o bombom fique com buraquinhos.

5. Levar ao frigorífico cerca de 60 minutos para solidificar.

Chá de Frutos Silvestres
Chá de Frutos Silvestres

Compota de Morango
Doce de Morango

• 750 g de morango
• 2 colheres (sopa) de sumo de limão
• 750 g de açúcar

1. Corte os morangos ao meio. Lave-os, retire-lhes os pés, e coloque-os numa panela.

2. Junte o sumo de limão e o açúcar, misture e leve ao lume brando, mexendo de vez em quando, ou até o morango soltar líquido.

3. Aumente depois o fogo e, quando começar a ferver, deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, por mais 15 minutos.

4. Durante o cozimento, retire a espuma que se formar na superfície com uma escumadeira.

5. Verifique o ponto mergulhando uma espátula na compota, que deverá estar consistente, demorando a escorrer.

6. Retire do fogo, transfira para uma tigela e deixe arrefecer.

Doce de Uva, Canela e Cardamomo

Doce de Uva

• 3 kg de uva-de-cheiro sem grainhas
• 2 kg de açúcar branco
• 2 paus de canela
• 4 sementes de cardamomo esmagadas no almofariz

1. Lavar as uvas em várias águas até sair o pó ou alguma sujidade. Escorrer muito bem.

2. Cortar cada bago a meio e retirar as grainhas. Reservar.

3. Num tacho largo e alto colocar o açúcar, a uva e os paus de canela.
4. Deixar que levante novamente fervura. Baixar o lume para o mínimo.

5. Ao fim de cerca de hora e meia, juntar o cardamomo.

6. Deixar apurar até fazer ponto de estrada*

* atinge-se o ponto de estrada quando ao passar uma colher de pau no fundo da panela, ou na porção de doce que colocarmos num prato, se formar uma estrada que não se une de imediato.

7. Retirar os paus de canela.

8. Verter o doce ainda quente para frascos esterilizados. Fechar de imediato e virar os frascos ao contrário para que criem vácuo.

Licor de Amora e Uva-da-serra

Licor de amora e uva-da-serra

• 1/2 kg de amoras
• ½ kg de uva-da-serra/mirtilo
• 1 litro de aguardente
• 500 g de açúcar
• 1 litro de água

1. Coloca-se as amoras  e a uva-da-serra dentro de um frasco de vidro com a aguardente e deixa-se repousar num local escuro, durante 2 semanas.

2. Depois desse período de tempo, derrete-se o açúcar na água quente até fazer uma calda. Está pronto quando colocada um pouco de calda entre o polegar e o indicador faz uma espécie de fio.

3. Deixa-se arrefecer a calda e junta-se à mistura da aguardente e frutos silvestres.

4. Deixa-se repousar entre 1 a 3 meses antes de consumir.

5. Ao fim desse tempo, filtra-se tudo com a ajuda de um pano e verte-se para a garrafa definitiva.

Poderão encontrar esta garrafa na Loja DeBORLA mais perto de si.

Vamos Rebuçar neste Natal? Quem aceita o desafio?

Fazer rebuçados em casa é algo quase inimaginável. De facto, devem ser poucas as pessoas que já experimentaram ou que tendo a receita dominam a técnica, porque esta requer pontos de açúcar e alguma perícia. Desde criança que vejo a minha avó fazer rebuçados caseiros e sempre com recurso aos citrinos para aromatizar. Curiosamente, foi sobre rebuçados o tema do meu primeiro conto, denominado de Rebuçados de Tangerina, um texto talvez demasiado triste e lamechas, mas foi o que, na altura, o ritual dos rebuçados me inspirou a escrever. Deixar a imaginação fluir e conduzir as linhas orientadoras da escrita é sempre uma aventura, tal como é a confeção de qualquer receita de rebuçados.
Escrever é sempre um risco quando não o fazemos só para nós mesmos. Fazer rebuçados na privacidade da nossa cozinha é uma coisa. Reproduzir a receita em público acarreta sempre o fator risco. Resolvi arriscar com cautela e introduzi a confeção dos rebuçados num dos workshops que fiz este mês na loja DeBORLA-Terceira. Posso agora afirmar que a receita foi um sucesso. Das 34 participantes presentes, apenas uma já tinha visto fazer rebuçados caseiros. Na realidade, existem imensas receitas que têm caindo em desuso devido à grande oferta de produtos prontos a consumir nos nossos supermercados. Muitos avós dos dias de hoje já não partilham estas experiências com os netos, umas vezes por falta de tempo, outras de iniciativa ou por simplesmente já não se lembrarem dos procedimentos de alguns costumes transmitidos pelas gerações anteriores. Assim se perde muito património.

Os rebuçados que veem nas fotos são ambos de morango. Os primeiros apenas levaram aroma. Aos últimos, os realizados no workshop do qual falei acima, juntei para além do aroma de morango, corante em gel. Quando estávamos a esticar os rebuçados, já na parte final da receita, resolvemos desenhar algumas bengalas que até ficaram engraçadinhas.

Fica aqui então o desafio para quem se achar capaz de aceitar. É uma excelente ideia para prenda de natal, se os colocarmos dentro de uma caixa ou bomboneira bonita. E por que não personalizarmos a nossa mesa de Natal com esta iguaria feita por nós?

Vamos rebuçar neste Natal?

rebuçados de morango_foodwithameaning

rebuçados de morango_foodwithameaning

 

Bomboneira com Anjo disponível nas lojas DeBORLA.
rebuçados de morango_foodwithameaning

rebuçados de morango_foodwithameaningrebuçados de morango_foodwithameaning

Rebuçados e Bengalas Natalícios

 Ingredientes

  • 500 g de açúcar
  • 1 dedo acima do açúcar de água
  • 4 colheres de sopa de vinagre branco
  • 1 colher de sobremesa de aroma de morango
  • corante em gel
  • manteiga ou óleo para untar o prato
  1. Coloca-se o açúcar num tacho, nivelando-o. Vai-se acrescentando água até um dedo acima do açúcar. Adiciona-se o vinagre  e mexe-se com uma colher de pau.

 

  1. Leva-se a lume médio até estar a ferver de uma forma lenta e a fazer a chamada “bolha morta”, que rebenta lentamente. Não se assustem com o cheiro intenso a vinagre. Não passará para o rebuçado.

 

  1. Enche-se com um dedo de água uma taça pequena. Retira-se um pouco do preparado e coloca-se na taça. Aperta-se com o polegar e o indicador para certificar que o preparado se está a unir, levanta-se ao ar e deixa-se cair novamente na água. Se se ouvir um tinido forte está pronto a apagar o lume. Outra forma é na própria tampa da panela colocar um pouco do preparado e verificar se ao puxar já faz fios de seda.

 

  1. Junta-se o aroma e o corante. Deixa-se ferver e verifica-se novamente a consistência acima descrita. Unta-se um prato raso com manteiga ou óleo (certifiquem-se que o prato irá aguentar o calor).  Depois de estar nos pratos, o rebuçado deve arrefecer até ficar mais consistente. Unta-se uma faca em óleo e vai-se tentando mexer o rebuçado para arrefecer, sempre dos bordos para o centro, tentando aglomerar o preparado no meio do prato.

 

  1. Unta-se as mãos com óleo e tenta-se retirar o rebuçado do prato e esticá-lo com as mãos. Convém fazer este passo com outra pessoa, também com as mãos untadas, para se irem revezando no esticar, pois o rebuçado ainda está quente e queima ligeiramente.

 

  1. O rebuçado deve ser puxado com alguma insistência até ficar com a cor e a espessura desejadas. Poderão ser lisos ou torcidos.

 

  1.  O rebuçado deve ser cortado de imediato antes que arrefeça totalmente. Utiliza-se a tesoura de cozinha.

 

  1. Os rebuçados são embrulhados em papel vegetal ou em papel celofane cortado a gosto.ni

Bolachas de especiarias para a mesa do Natal

As bolachas de especiarias são um dos clássicos do Natal. Fazê-las com as crianças é diversão garantida. Foi o que aconteceu cá em casa e no workshop de dia 5 de dezembro na loja DeBORLA, onde as decorámos com glacê real e pérolas prateadas.

Bolachas de Especiarias

Bolachas de especiarias_foodwithameaning

Bolachas de especiarias_foodwithameaningBolachas de especiarias_foodwithameaning     Bolachas de especiarias_foodwithameaning

Ingredientes

• 1 ovo batido
• 125 g de manteiga com sal ou 3 colheres de sopa
• 50 g de açúcar branco
• 40 g de açúcar mascavado
• 4 colheres de sopa de mel
• 500 g de farinha de trigo com fermento
• 1 colher de chá de canela
• 2 colheres de café de gengibre
• 1 colher de café de cardamomo em pó
• 1 colher de café de noz moscada em pó
• 1 colher de chá de aroma de baunilha
• 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1.Numa panela, derreta a manteiga, o açúcar, o mel, e as especiarias em lume brando, sem deixar ferver. Deixe arrefecer, junte o ovo e mexa.

2.Ao preparado anterior junte a farinha e o bicarbonato de sódio e misture, formando uma bola homogénea. Coloque a massa num saco de plástico e leve ao frigorífico pelo menos 1 hora.

3. Depois numa mesa polvilhada com farinha, divida a bola de massa em dois, e com a ajuda do rolo da massa estique uma metade de cada vez, não deixando a massa demasiado fina. Depois corte a massa com os moldes e disponha as bolachinhas num tabuleiro forrado com papel vegetal.

4. Leve a forno aquecido a 160ºC durante uns 15 a 20 minutos.

Observação: As bolachas estão prontas quando ainda estão moles ao toque. Devem-se retirar do forno e deixar que arrefeçam no próprio tabuleiro. O calor do tabuleiro ajudá-las-á a acabar de cozer. É preferível retirá-las mais cedo do que o previsto e depois voltar a colocá-las no forno, se necessário, do que deixá-las secar demasiado, pois podem tornar-se demasiado duras e difíceis de comer. O tempo de cozedura também está relacionado com a altura das bolachas, logo as mais baixinhas cozerão mais rápido.

Cobertura e decoração das bolachas

Decorar as bolachinhas de especiarias com glacê real (açúcar em pó, 1 colher de chá de sumo de limão e uma clara) e missangas prateadas. Misturar no sumo de limão e na clara açúcar em pó necessário até se obter a consistência desejada para riscar as bolachas. Colocar a mistura numa seringa de pasteleiro e decorar a gosto.

Bolachas de especiarias_foodwithameaning

A lata de bolachas da imagem está disponível neste formato retangular e em tamanhos redondos na loja DeBorla.

Visitem o site www.deborla.pt e espreitem os catálogos com os produtos disponíveis nas 24 lojas DeBORLA.

 

Workshop Prendas de Natal Comestíveis…Parte 1

O workshop de sábado passado iniciou-se às 15.00 com casa cheia. Foi uma alegria enorme voltar à loja DeBorla para passar uma tarde interativa e divertida a confecionar e demonstrar prendas de Natal comestíveis. As sugestões de prendas de natal foram bastante variadas, como poderão ver no link abaixo.  Os rebuçados foram definitivamente  os reis do workshop e a tarde decorreu envolta em  morango e de especiarias.

Obrigada pelo vosso olhar atento, pelas mãos que se ofereceram para esticar os rebuçados e decorar bolachinhas de especiarias.

Obrigada pela vossa presença sempre encantadora!

As sugestões confecionadas irão sendo divulgadas no blogue ao longo desta e da próxima semana, uma vez que têm sido muitas as pessoas que me têm contactado a solicitar as receitas. São, sem dúvida, prendas individualizadas e muito económicas.

link

Açúcar aromatizado com limão

(ideal para confecionar bolos, biscoitos ou para aromatizar o chá)

Açúcar aromatizado com limão_foodwithameaningAçúcar aromatizado com limão_foodwithameaning

(Frasco adquirido na Loja DeBorla)

  1. Juntar 10 partes de açúcar para uma do aromatizante (côco, citrinos, baunilha, canela, cardamomo, anis, alfazema, etc.)
  2. Pisar o produto aromatizante num almofariz e peneirar (neste caso a canela e o cardamomo); raspar a casca dos citrinos; misturar; guardar em frascos, em lugar seco, cerca de 10 dias antes da primeira utilização.

Azeite aromatizado 

(para temperar saladas, batata cozida ou assados)

Azeite aromatizado e curtume de perrejil_foodwithameaning

(Recipiente com azeite aromatizado disponível na Loja DeBorla)

Receita 1.

Coloque dentro de cada frasco um dente de alho esmagado, uma folha de louro, uma colher de sopa de pimenta rosa, dois cravinhos e um pé de rosmaninho. Encha os frascos com azeite e deixa repousar umas 2 ou 3 semanas para incorporar melhor os aromas.

 Receita 2.

Coloque dentro de cada frasco um dente de alho esmagado, uma folha de louro, malaguetas (piripiri), pimenta da Jamaica e folhas de manjericão. Encha os frascos com azeite e deixa repousar umas 2 ou 3 semanas para incorporar melhor os aromas.

 

Curtume de perrejil 

(para acompanhar batata cozida em pratos de peixe)

curtume de perrejil_foodwithameaning

Depois da apanha da planta, que deve ser efetuada quando esta estiver verde e viçosa, separa-se a flor da planta, apenas utilizando para o curtume as folhas. Lavam-se as folhas, mergulhando-as numa bacia com água para lhes retirar alguma possível sujidade.

Preparam-se os frascos, esterilizando-os numa panela com água a ferver.

Escorre-se a planta e cortam-se com os dedos pequenos raminhos com duas, três ou quatro folhas cada.

Colocam-se dentro dos frascos com cebolinhas pimento vermelho, malaguetas, dentes de alho, louro e pimenta da Jamaica.

Enchem-se os frascos com vinagre de vinho e fecham-se.

O curtume está pronto a comer quando a planta estiver com um tom verde azeitona.

Curtume de Algas dos Açores 

(autoria Quinta da Vinagreira)

Curtume de Algas

Sal aromatizado 

(para temperar carne ou peixe)

Sal aromatizado_foodwithameaning

(Frasco hermético da Loja DeBorla)

Preparação em robô de cozinha

Receita 1.

No copo de um robô de cozinha, colocar 50gr de sal grosso, 1 colher de chá de piripiri, 1 colher de chá de pimenta preta moída ou em bagas, 2 folhas de louro, sem o veio central, grãos de mostarda, duas colheres de sobremesa de pólen e dois cravinhos. Pressionar o turbo três vezes e retirar do copo. Juntar 250gr de sal grosso e envolver. Colocar em frascos e guardar.

Receita 2.

No copo de um robô de cozinha, colocar 50gr de sal grosso, 1 colher de chá de pimenta rosa, 1 ramo de alecrim e outro de tomilho. Pressionar o turbo três vezes e retirar do copo. Juntar 250gr de sal grosso e envolver. Colocar em frascos e guardar.


Modo tradicional
(em almofariz): esmagar as especiarias no almofariz; reservar; esmagar o sal até que fique com a consistência desejada. Juntar tudo e envolver. Colocar em frascos e guardar.

 

Daqui a alguns dias, publico mais sugestões confecionadas no workshop.