Tarte merengada de limão

Podem não acreditar, mas desde que o verão começou eu já fiz esta receita seis vezes, e nem um mês e meio passou ainda.  A receita foi-me transmitida pela cunhada da minha irmã, depois de eu ter experimentado a tarte feita por ela por altura do aniversário do meu afilhado. Fiquei-lhe muito grata quando partilhou a receita comigo. Ambas pensamos que as coisas boas só fazem sentido se forem partilhadas. E lá seguiu esta tarte para um almoço de churrasco, onde foi muito apreciada.

Tarte Merengada de limão

tarte merengada de limão

Base:

  • 1 pacote e meio de bolacha Maria (triturada) – 225gr
  • 3 colheres (de sopa) de manteiga amolecida
  • 2 colheres de sopa de licor de amora (adaptação minha)
  • Leite q.b. (1 colher ou duas de leite- quantidade que costumo pôr)

Misturam-se estes ingredientes e forra-se uma tarteira, preferencialmente de base amovível e com tamanho convencional, previamente untada com manteiga. Pica-se o fundo cá e lá com um garfo para evitar que ao cozer a base de bolacha empole.

 

Recheio:

  • 6 gemas de ovos
  • 2 latas de leite condensado (normal)
  • Raspa de 1 limão grande (coloco raspa de 2 limões se estes forem pequenos e ainda o sumo de meio limão)

Batem-se as gemas e mistura-se o leite condensado, a raspa e o sumo de limão.

Coloca-se por cima da base e vai ao forno, pré-aquecido a 200 ºC – apenas com resistência inferior- até ficar consistente (cozido).  Faça o teste do palito até ele sair seco. Retira-se do forno.

Batem-se 6 claras em castelo e adicionam-se com 4 colheres de açúcar até formar um merengue. Encha um saco de pasteleiro com o merengue e desenhe a terceira camada da tarte.

Vai ao forno novamente a alourar o merengue, apenas com a resistência superior. Vigie constantemente para que não queime. Não necessitará mais do que 5 minutos.

Deixe arrefecer a tarte merengada e sirva-a ainda morna ou à temperatura ambiente. Ligeiramente refrigerada também é uma delícia.

tarte merengada de limão

Pão-de-ló de Chocolate a 4 mãos

Fico sempre muito feliz quando recebo visitas em casa, especialmente em tratando-se de família e em alturas de festas. Foi também este um dos motivos que me tem mantido um pouco mais afastada do blogue. Há que saber estabelecer prioridades e, neste caso, a família e compromissos vários assim obrigaram, mas, confesso, que foi uma pausa que me soube muito bem.

Esta sobremesa do post de hoje foi confecionada pela minha cunhada, restando para mim o papel de sous-chef e food-stylist, para apaziguar o desejo do pão-de-ló de chocolate que comi em Sintra, após o workshop que dinamizei na Loja DeBorla em maio passado. O resultado não poderia ser o mesmo, já que a receita do que comi se encontra nos segredos recônditos da pastelaria onde foi comprado. Contrariamente ao outro, resolvemos não colocar neste uma cobertura de ganache, para diminuir as calorias, mas ficou fofinho e delicioso.

(O cake stand tem a assinatura das lojas DeBORLA)

Pão-de-ló de Chocolate

pão de ló de chocolate_foodwithameaning

Ingredientes

  • 7 ovos
  • 2 chávenas de açúcar
  • 300 g de chocolate de culinária
  • 200 g de manteiga
  • 1  1/2 colheres de sopa de farinha com fermento
  • 1 colher de sopa de vinho do Porto
  • manteiga para untar a forma
  • gotas de limão

Preparação

  1. Bate-se a manteiga com o açúcar durante três minutos.
  2. Junta-se cada gema por sua vez, batendo entre adições.
  3. Derrete-se o chocolate em banho-maria ou no micro-ondas e adiciona-se ao preparado anterior.
  4. Junta-se o vinho do Porto.
  5. À parte, batem-se as claras em castelo com umas gotas de sumo de limão.
  6. Adiciona-se parte das claras e envolve-se com a farinha.
  7. Misturam-se as restantes claras.
  8. Unta-se  com manteiga uma forma de aro amovível. Forra-se  com papel vegetal, untando-se também o papel.
  9. Vai a cozer durante 20 minutos em forno previamente aquecido a 180ºC.

pão de ló de chocolate_foodwithameaning

Croque Madame? Croque Monsieur?

O Croque Monsieur é uma espécie de tosta mista de queijo e presunto, entremeada e coberta com molho branco ou béchamel. O Croque Madame é uma versão do Monsieur  mas com a adição de um ovo estrelado no topo da sandes, de preferência com gema mole para verter durante o corte. Ambos são sugestões deliciosas para uma refeição rápida e reconfortante.

Croque Madame

croque-madame

Nesta receita, optei por substituir o presunto por fatias de bacon laminado previamente salteadas na frigideira.

Croque Madame de Bacon

  1. Faça o molho béchamel ou utilize o de compra.
  2. Leve as tiras de bacon a dourar numa frigideira sem adição de gordura. Reserve.
  3. Barre um dos lados de cada fatia de pão de forma com manteiga. Barre um dos lados de outra fatia com mostarda Dijon, disponha em cima da mostarda duas fatias de bacon dobradas e ¼ de chávena de queijo ralado (gruyere ou outro queijo) Coloque em cima a outra fatia de pão com o lado com manteiga virado para cima.
  4. Coloque uma frigideira com grelha ao lume. Disponha as sandes e cozinhe de ambos os lados até dourar (2 minutos de cada lado).
  5. Espalhe duas colheres de sopa de molho béchamel em cima de cada sandes; polvilhe com queijo ralado. Retire da frigideira e leve ao forno, num tabuleiro forrado com papel vegetal, para derreter e dourar o queijo (ligue a resistência superior e vigie).
  6. Numa frigideira com pouco óleo, frite ovos até que a clara fique cozinhada e a gema ainda líquida. Tempere com sal e pimenta e disponha um ovo em cima de cada sandes. Polvilhe com orégãos e sirva de imediato.croque madame

croque madame

Workshop Spring Brunches e Huevos Rancheros

A tarde de sábado passado caracterizou-se por ser mais um momento de partilha, desta vez sobre a temática Spring Brunches! De facto, não faltou colorido à mesa, que se encheu com sugestões doces e salgadas para um Brunch ideal!

O Brunch é uma refeição de origem britânica que combina o pequeno-almoço, breakfast com o almoço, lunch, e é normalmente realizada aos domingos, feriados ou em datas comemorativas, quando toda a família se reúne entre 10 e as 14 horas em torno da mesa. O cardápio é variado e pode apresentar muitas receitas nas quais o ingrediente principal é o ovo, sendo a mais conhecida os ovos mexidos com bacon. O Brunch contempla, também, cereais, salada de frutas e saladas de legumes, panquecas, crepes e gofres, acompanhadas com geleias e gelados, iogurtes, tartes doces e quiches, carnes frias, pães diversos, bolos, biscoitos, sumos de fruta, café e chá.

Obrigada a todas as participantes que colaboraram na confeção das receitas e a todo o grupo que me recebe sempre com um sorriso! Um beijinho muito especial para as estreantes dos workshops DeBORLA. Foi um prazer conhecer-vos! A família DeBORLA está a crescer e isto deve-se ao dinamismo da empresa e à vontade de satisfazer os seus clientes. Gostaria de agradecer também a todos os funcionários da loja da Terceira que são muito dedicados e extremosos comigo.

Irei partilhando as receitas confecionadas ao longo da semana. Neste momento, a dificuldade está em decidir qual será a primeira receita!

 

– Hum…Deixem cá ver… E que tal os Huevos Rancheros?

Huevos Rancheros

Esta mesa DeBORLA é linda, não é? Esqueçam lá os ovos por momentos e olhem bem  para esta mesa deslumbrante!

mesa de Brunch_foodwithameaning

Agora sim, já nos podemos focar na receitinha!

Huevos Rancheros

(ovos rancheiros)

Numa caçarola, faça um refogado com cebola, pimento vermelho  e alho; adicione linguiça às rodelas e deixe refogar. Junte uma lata grande de tomate triturado. Deixe levantar fervura. Junte uma lata de feijão encarnado, meia lata de milho doce cozido e tempere com sal e pimenta. Disponha cubos de queijo (para saladas) e deixe-os derreter sem mexer. Abra vários ovos sobre o preparado com molho de tomate, tempere os ovos com sal, pimenta e orégãos. Tape a caçarola e deixe que a clara cozinhe mas a gema permaneça mole. Decore com salsa ou coentros e acompanhe com chips de tortilha.

Poderão fritar os ovos e dispô-los na hora de servir regados com um pouco de molho.

Poderá servir este prato como dip ou como recheio de tortilhas ou de tacos.

Fotos das delícias que compuseram a mesa!

Tarte de queijo e de chocolate com avelãs

Há tempos, um empresário local perguntou-me se não gostaria de experimentar os produtos Dulcis, pois tem projetos para implementar esta marca cá na ilha. Esta tarte foi uma das receitas que desenvolvi com o creme de chocolate branco e de avelãs.  O mesmo  aconteceu com estes brigadeiros, publicados em novembro passado.

Tarte de Queijo e de chocolate branco com avelãs

tarte de queijo, chocolate branco e de avelãs Dulcis

Ingredientes para a tarte e recheio

125 g de bolachas digestivas
4 bolachas de chocolate
60 g de manteiga
600 g de queijo creme
50 g de açúcar
2 colheres de sopa de natas
4 ovos
1 pitada de sal
essência de baunilha
1 cálice de vinho do porto
1 embalagem de 200 g de creme de chocolate branco de avelãs Dulcis

  1. Num robô de cozinha, ou numa picadora convencional (tipo 1,2,3), triture as bolachas e misture-as com a manteiga e com o vinho do porto. Amasse até obter a consistência desejada.
  2. Unte uma tarteira de fundo amovível e estenda a massa em toda a superfície e laterais. Pique a massa com um garfo para evitar que empole quando for ao forno. Reserve.
  3. Para o recheio, bata o queijo creme com os ovos, com o açúcar e com as duas colheres de sopa de natas. Junte a essência de baunilha e o creme de chocolate branco de avelâs DULCIS. Verta sobre a massa de bolacha.
  4. Leve ao forno, previamente aquecido a 180ºC, durante 35 a 45 minutos (dependendo do forno).
  5. Deixe arrefecer totalmente e polvilhe com açúcar em pó.

Bruschettas de ovo, tomate e alcaparras

A bruschetta caracteriza-se por ser um tipo de sandes aberta que recebe toppings variados. É normalmente confecionada com fatias de pão escuro, apresentando uma códea rústica dura. O pão deve ser cortado em fatias baixas, tostado na grelha, barrado com alho fresco e azeite e temperado com uns pozinhos de sal e pimenta. A cobertura da fatia pode conter desde os ingredientes mais básicos aos mais sofisticados, mas confere sempre destaque a produtos frescos, de época.

O Foodwithameaning aceitou novamente o desafio de “Dia Um… Na Cozinha” e trouxe a esta 28ª edição deliciosas bruschettas de ovo, tomate e alcaparras, com um leve toque de chili e erva-doce.

Deliciem-se, então, com a minha proposta!

bruschettas de ovo, tomate e alcaparrasbruschettas de ovo, tomate e alcaparras

Logotipo Dia Um... Na Cozinha - Setembro 2015

Ingredientes

6 ovos
6 tomates médios bem maduros
1 cebola pequena ou 1/2 média
2 dentes de alho
1/2 malagueta pequena
alcaparras ( 2 colheres de sopa)
sal q.b.
azeite q.b.
salsa picada
moinho de pimentas
1 colher de café rasa de erva-doce moída
1 dente de alho para o pão

1. Retirei a pele aos tomates e à malagueta e triturei-os ligeiramente com a varinha mágica.
2. Fiz um refogado em azeite com a cebola e alho.
3. Adicionei o tomate e a malagueta, temperei e deixei cozinhar até secar quase completamente os sucos.
4. À parte, bati com um fouet os ovos. Temperei-os com sal, pimenta e erva doce. Adicionei-os ao preparado anterior. Misturei tudo. Fui mexendo até os ovos se encontrarem cozinhados.
5. Adicionei as alcaparras. Envolvi.
6. Coloquei o preparado numa travessa e polvilhei com salsa.Reservei.
7. Cortei o pão às fatias e levei ao forno, torrando-o de ambos os lados.Para ser mais rápido, poderá utilizar a torradeira.
8. Esfreguei o alho em cada fatia e pincelei com azeite.
9. Coloquei as fatias de pão numa travessa e preenchi-as com o preparado de ovos. Servi de imediato.

6 ovos 6 tomates médios bem maduros 1 cebola pequena ou 1/2 média 2 dentes de alho 1/2 malagueta pequena alcaparras ( 2 colheres de sopa) sal q.b. azeite q.b. salsa picada moinho de pimentas 1 colher de café rasa de erva-doce moída 1 dente de alho para o pão 1. Retirei a pele aos tomates e à malagueta e triturei-os ligeiramente com a varinha mágica. 2. Fiz um refogado em azeite com a cebola e alho. 3. Adicionei o tomate e a malagueta, temperei e deixei cozinhar até secar quase completamente os sucos. 4. À parte, bati com um fouet os ovos. Temperei-os com sal, pimenta e erva doce. Adicionei-os ao preparado anterior. Misturei tudo. Fui mexendo até os ovos se encontrarem cozinhados. 5. Adicionei as alcaparras. Envolvi. 6. Coloquei o preparado numa travessa e polvilhei com salsa.Reservei. 7. Cortei o pão às fatias e levei ao forno, torrando-o de ambos os lados.Para ser mais rápido, poderá utilizar a torradeira. 8. Esfreguei o alho em cada fatia e pincelei com azeite. 9. Coloquei as fatias de pão numa travessa e preenchi-as com o preparado de ovos. Servi de imediatobruschettas de ovo, tomate e alcaparras

8 da manhã. Café e torta de amora

Acordei. Levantei-me. Dirigi-me até à máquina de café, quase de olhos fechados. Liguei-a. Escolhi a cápsula e deixei que o café escorresse lentamente para a chávena, difundindo pela cozinha um lento despertar. Pensei que estava em agosto e que possivelmente já houvessem amoras nas silvas. Pensei também que em breve iria apanhar uva-da-serra. Abri o frigorífico e retirei um frasco de compota de uva-da-serra para barrar na torrada. Enganei-me. Era efetivamente doce de amora. Devia rotular as compotas, mas nem sempre o faço. Confio na memória e limito-me a decifrar pelo exterior do frasco o conteúdo. Desta vez a estratégia não deu certo. Não fazia mal. Estamos no tempo das amoras. Iria apanhá-las para guardar este fruto de fim de verão e poder disfrutá-lo sempre que quisesse. De repente, pensei que aquele doce ficaria muito bem como recheio de uma torta. E, assim, tudo se concretizou em meia hora, ainda a tempo do café da manhã cá de casa. Para mim, toda a altura do dia podia ser o momento certo para se saborear um docinho. Cortei a torta em fatias generosas e acondicionei-as numa marmita para oferecer a amigos. A comida sabe sempre melhor quando é partilhada.

torta de amora_foodwithameaning

 

Torta de Amora Silvestre

Ingredientes

6 ovos

150 g de açúcar (a receita dizia 200)

200 g de farinha (a receita dizia 250g)

1 colher de café de aroma de baunilha ( não incluído na receita original)

2 colheres de chá rasas de fermento para bolos

1 frasco de compota (usei de amora silvestre)

 

Preparação

Ligar o forno a 180ºC.

Bater os 6 ovos inteiros com 150 g de açúcar  durante dois minutos.

Juntar a farinha, 200 g,  o aroma de baunilha e duas colheres de chá rasas de fermento para bolos. Bater tudo.

Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal. Untar o papel vegetal com manteiga e polvilhar com farinha.

Verter o preparado para o tabuleiro.

Cozer durante 15 minutos.

Desenformar de imediato para cima de uma toalha polvilhada com açúcar. Deixar arrefecer 10 minutos e rechear com o doce que se desejar.

Usar a toalha para ajudar a enrolar a torta.

Dicas:

  1. Não deixar que a torta coza demasiado. Poderá ter tendência para quebrar ao desenrolar; Quinze minutos serão aqui suficientes.
  2. Desenrolar com cuidado, apertando a torta uniformemente contra a toalha polvilhada de açúcar.

torta de amora_foodwithameaningtorta de amora_foodwithameaning

 

receita adaptada do livro básico da Bimby