Arancini…e as experiências italianas continuam cá por casa

Os arancini são um produto tradicional da culinária da ilha da Sicília, na Itália. Consistem num pastel de arroz frito recheado com um molho de carne picada. Por vezes, é também preenchido com molho de tomate, queijo, ervilhas ou outros ingredientes como frutos secos: tomate, pistácios, etc. O nome arancino é derivado da palavra italiana arancia, que significa laranja, devido à sua semelhança com este fruto.

O arancino foi inspirado pelos árabes, que habitaram a região e consumiam arroz e açafrão, com ervas e carne. A parte panada foi introduzida na corte de Frederico II, como forma de conservar durante mais tempo o alimento, quando fosse necessário transportá-lo, em viagem, na caça ou no trabalho no campo.

Em Palermo, celebra-se anualmente o dia de Santa Luzia, em 13 de dezembro, sendo tradicional o consumo de arancini com vários recheios e formas.

Tradicionalmente, o arroz é cozido e depois misturado com manteiga e queijo pecorino, devendo em seguida ser arrefecido numa tábua de mármore. Depois, os pastéis são moldados com a forma desejada, colocando-se no meio uma porção do recheio a gosto. Por fim, são passados por farinha (facultativo), ovo batido e pão ralado, ficando assim prontos para serem fritos. Em Palermo, é comum usar-se açafrão para conferir uma tonalidade dourada ao arroz.

Muitas vezes, os arancinis são feitos com sobras de risotto, como foi o caso deste, que foi confecionado de acordo com  a receita de risotto de chouriço publicada recentemente.

1

Retirei do frigorífico as sobras de risotto e moldei bolas com o tamanho de brigadeiros. Se a massa estiver a agarrar muito nas mãos, o que normalmente não acontece se o arroz estiver frio ou refrigerado, pode molhar as mãos com água para facilitar.

Depois de feitas as bolinhas, bata um ovo inteiro com um garfo e passeos aracini pelo ovo e de seguida por pão ralado. Se o arroz não estiver muito consistente, convém passar as bolas por farinha, antes de passar pelo ovo.

Frite em óleo bem quente e abundante, para que as bolinhas fiquem cobertas e não em contacto com o fundo do tacho. Passado poucos segundos depois de serem mergulhadas no óleo, ficam a boiar e rapidamente douradas.

Retire-as com uma escumadeira e coloque-as a escorrer em papel de cozinha.

Sirva os arancini com molho de tomate, aioli ou molho de iogurte.

Acompanhei com aioli e com rodelas finas de kumquat. Este citrino casou muito bem com o risotto de chouriço, conferindo frescura.

Para fazer o  molho aioli,  separe as gemas das claras dos ovos.

Assim que tiver as gemas separadas, acrescente os alhos picados e o sal a seu gosto.

Assim que tiver todos os ingredientes no mesmo recipiente, tem que mexê-los até que consiga uma massa uniforme.
Adicione o azeite. Para isso, primeiro tem que deixar cair gota a gota e ir aumentando a quantidade de azeite até que por fim consiga a consistência desejada.
4
3
5

Um mega post…Em jeito afrodisíaco…

Faz hoje uma semana desde o último workshop DeBorla. O tema, Receitas Afrodisíacas para o Dia dos Namorados, caracterizou-se por ser um grande desafio. De entre os workshops que realizei na loja da Terceira, este excedeu sobremaneira todas as expetativas em muitos aspetos.  As receitas foram sendo confecionadas ao longo da tarde entre  sabores, aromas, explicações e boa-disposição. A loiça da loja concorreu, sem dúvida, para o embelezamento das sugestões apresentadas.

Venham então comigo nesta viagem!

food blogger Patrícia Cheio

Diapositivo21

foodwithameaning

foodwithameaning

 

menu afrodisíaco_foodwithameaning

 

 

 

Entradas

Paté de Veado 

paté de veado

Inicialmente, iria servir o paté de veado como topping de crostini (fatias de baguete fininhas torradas no forno, pinceladas com azeite e salpicadas de pimenta). Resolvi simplificar a entrada e utilizei breadsticks (gressinos) de pão, de compra,  para acompanhar com o paté.

Para o paté irão necessitar de uma embalagem de paté de veado Quinta dos Jugais, com 100 g, de mini-tostas, de 100 g de queijo creme, uma colher de chá de sumo de limão ou um toque de raspa de limão. Misturem todos os ingredientes até se obter a consistência desejada. Decorem com germinados de alho-francês, da Verde Vivo.

(Poderão encontrar o paté de veado na loja Raminho de Salsa, no Mercado Duque de Bragança)

 

Figos Secos com Queijo de Cabra Curado, Mel e Nozes

figos

Diapositivo15

 

Prato de Peixe

Camarão com Algas, Leite de Côco e Caril

Diapositivo25

Camarão com Algas

Ingredientes

  • 1 caixa de camarão ou de gambas
  • 1 lata de leite de côco
  • caril
  • algas (Tok de mar)
  • manteiga
  • azeite
  • 1 cabeça de alho
  • Piri-piri
  • Sumo de meio limão
  • sal

Preparação

Retira-se o camarão do congelador e deixa-se descongelar num recipiente com água. Escorre-se muito bem. Numa tigela, colocam-se as algas, que se tapam com água para que hidratem. Numa frigideira grande, de paella, colocam-se dentes de alho esmagados, pedaços de manteiga, um pouco de azeite e piri-piri fresco. Quando a manteiga começar a derreter, vai-se adicionando o camarão até cobrir o fundo da frigideira. Deixa-se fritar de um lado e do outro. Reservam-se os camarões numa travessa. Verte-se por cima destes o sumo de meio limão. Na mesma frigideira, verte-se o leite de côco, tempera-se com sal e juntam-se as algas hidratadas e todos os camarões, envolvendo-os no molho. Deixa-se o molho apurar e serve-se de imediato com arroz branco ou marroquino (ver receita – acompanhamentos)

(Poderão encontrar as algas à venda na loja Raminho de Salsa, no Mercado Duque de Bragança)

(Decoração com germinados de alho-francês Verde Vivo)

Acompanhamento do Prato de Peixe

Arroz Marroquino

Arroz Marroquino

Ingredientes

  • 1 chávena de arroz (vaporizado ou basmati)
  • 2 chávenas de água
  • 2 dentes de alho
  • 1 pau de canela (que retirei após cozinhado)
  • 1 cravinho
  • 2 folhas de hortelã (que retirei posteriormente)
  • 1 punhado de sultanas
  • 1 punhado de cajus (não coloquei)
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • sal

Preparação

Faz-se um refogado com o alho em manteiga. Colocam-se as sultanas até ficarem inchadas e luzidias. Adiciona-se o arroz e os restantes ingredientes. Envolve-se com a colher de pau por instantes. Junta-se a água e deixa-se cozinhar.

Prato de Carne

Rolinhos de Porco com Morcela com Torre de Batata-Doce e Ananás caramelizado

Rolinhos de Porco com Morcela

Diapositivo6

Ingredientes

  • Bifanas de porco
  • Morcela
  • Bacon laminado
  • Azeite
  • Chutney de damasco e tâmaras
  • Germinados para decorar

Preparação

Pré-aqueça o seu forno a 160ºC de temperatura. Tempere as bifanas com sal, alho em pó e pimenta. Recheie-as com morcela sem pele. Envolva-as em tiras de bacon e ate-as com fio de cozinha, para não perderem a forma. Numa frigideira de fundo anti-aderente, aqueça um fio de azeite e junte ainda algumas tiras de bacon, para largarem gordura. Nessa gordura, junte os rolinhos e deixe-os dourar bem, de ambos os lados, antes de os levar ao forno para acabarem de cozinhar por uns vinte minutos. Poderá optar por fazer um rolo maior e levar diretamente ao forno, sem passar na frigideira. Sendo assim, terá de aumentar o tempo de cozedura para 45 a 60 minutos. Retire os fios e fatie os rolinhos. Acompanhe com batata-doce e ananás caramelizado e chutney de damasco e tâmaras.

Batata-Doce com Ananás Caramelizado

batata-doce com ananás caramelizado

Ingredientes

  • 4 ou 5 batatas-doces pequenas
  • 1 lata de ananás em calda
  • Calda do ananás
  • Açúcar mascavado

Coze-se a batata-doce com casca em água e sal. Retira-se a pele e corta-se às rodelas. Cortam-se em pedaços as rodelas de ananás. Numa assadeira, dispõem-se as rodelas de batata, intercaladas com pedaços de ananás. Verte-se a calda do ananás e polvilha-se com açúcar mascavado a gosto. Leva-se ao forno até que a batata absorva o molho.

Chutney de damasco e tâmaras (canto inferior direito)

Chutney de damasco com tâmaras

1.Pique dois dentes de alhos, 10 g de gengibre e 1 cebola.

2. Coloque 20 ml de água quente numa panela e junte 200 g de açúcar. 3. Adicione 100 ml de vinagre, os damascos- 300 g -, previamente hidratados durante 30 minutos em vinho do porto, e as tâmaras – 300 g – cortados em cubinhos.
4. Tempere com uma colher de chá de sal, pimenta preta e ½ colher de chá de açafrão das índias. Cozinhe em lume brando durante 1 hora ou até fazer ponto de estrada.
5. Deite o chutney em frascos esterilizados e guarde num local escuro e seco 1 a 2 meses antes de consumir.

 

Salada Baby-Leaf com tangerina, sementes de girassol e de abóbora tostadas e amêndoa laminada

Salada Baby-Leaf com clementina, sementes de sésamo e amêndoa laminada

Salada Baby-Leaf com clementina, sementes de sésamo e amêndoa laminada

Ingredientes

  • Mistura de folhas para saladas (alface, rúcula, agrião, acelga…)
  • Gomos de tangerina
  • Amêndoa laminada tostada
  • Sementes de girassol e de abóbora tostadas
  • Orégãos secos
  • Azeite
  • Sumo de limão
  • mel

Disponha numa saladeira a mistura de folhas para saladas Descasque gomos de tangerina e adicione. Termine com amêndoas torradas e as sementes tostadas e  regue com um molho de azeite, sumo de limão e mel. Polvilhe a salada com orégãos secos.

 

Trio de chocolate, morangos e marshmallows

Diapositivo11

Ingredientes

  • Morangos
  • Marshmallows
  • Chocolate de culinária

Lavam-se os morangos sem retirar o pé. Secam-se. Num pau de espetada, enfia-se primeiro um morango, depois um marshmallow, novamente um morango, um marshmallow e termina-se com um morango. Leva-se o chocolate a derreter (em banho-maria ou no micro-ondas desenham-se fios de chocolate por cima das espetadas.

Corações de chocolate e rebuçado de menta

Corações de chocolate e rebuçado de menta

Ingredientes

  • Mini-guarda-chuvas de menta
  • Chocolate branco, de leite ou negro
  • Pau de espetada
  • Papel vegetal

Preparação

Partir o chocolate aos pedaços e coloca-lo numa taça de vidro. Derreter em banho-maria ou no micro-ondas em sessões de 30 segundos, mexendo sempre entre cada sessão.

Dispor dois guarda-chuvas de rebuçado de menta em cima de uma folha de papel vegetal em formato de coração. Colocar no meio o pau de espetada e encher o centro com o chocolate derretido. Levar ao frigorífico até solidificar

 

Sobremesas

Flores de massa filo com morangos, creme inglês e topping de chocolate

Flores de massa filo com morangos, creme inglês e topping de chocolate

Ingredientes

  • 1 embalagem de massa filo com 4 folhas
  • Morangos
  • 500 ml de leite
  • 2 ovos
  • 50 g de açúcar (coloquei 80 g)
  • 15 g de amido de milho (maizena)
  • manteiga derretida para pincelar

Preparação

Cortei quadradinhos de massa filo com tamanho suficiente para caberem em forminhas de alumínio, ficando as pontinhas levantadas. Pincelei as forminhas e cada quadradinho de massa filo com manteiga. Coloquei em cada forminha 3 folhas alternadas, tendo o cuidado de desencontrar as respetivas pontas para conferir o efeito de flor. Levei ao forno as forminhas com a massa cerca de 5 minutos em forno previamente aquecido. É importante não deixar tostar muito.Aroma de baunilha ou vagem de baunilha.

Retirei as flores do forno e deixei arrefecer. Fiz o creme inglês, colocandotodos os ingredientes no copo da Bimby e programei 6 Min/90º/Vel.4

Creme Inglês Tradicional
Verte-se o leite num tacho, deixando de reserva ½ copo. Deita-se o açúcar no tacho e a vagem de baunilha. Fica a levantar fervura. Sai do lume e elimina-se a vagem de baunilha. Coloca-se as gemas num recipiente, mistura-se a maizena e dissolve-se o creme resultante com o leite frio reservado. Passa-se por um coador o leite fervido e verte-se, gradualmente, sobre o creme obtido, batendo energicamente. Leva-se o creme ao lume no mesmo tacho onde se ferveu o leite e cozinha-se, mexendo continuamente, até o creme chegar ao ponto de ebulição. O creme não deve levantar fervura. Fica pronto ao espessar.

Deixei arrefecer e depois coloquei o creme no frigorífico.

Na hora de servir, retirei o creme do frigorífico e coloquei duas colheres de sopa de creme bem cheias em cada flor de massa filo. Decorei com morangos cortados aos pedacinhos. Poderá ainda adicionar um coulis de morango ou compota de morango antes de decorar com os morangos e com os germinados de alfafa Verde Vivo.

Sobremesas Flores de massa filo com morangos, creme inglês e topping de chocolate

Se desejarem ver o álbum de fotografias completo, cliquem no link abaixo.

https://www.facebook.com/patricia.foodwithameaning/media_set?set=a.775761755889221.1073741851.100003662128130&type=3&pnref=story

 

Brasa, Prata e Verde combinam!

Eu sei que o título deste post pode dar azo a muitíssimas interpretações, mas de facto refere-se a uma refeição saudável e cheia de sabor. O congro, previamente salgado e escalado ao sol foi demolhado e atirado para a brasa. As batatas foram lavadas com a casca, vestidas com papel de alumínio e colocadas para desfilar na grelha. As couves-de-bruxelas saltaram para o tacho já com a água a ferver (mas não se queixaram!). Passada uma hora, o peixe, as batatas e a verdura aconchegaram-se numa linda travessa da loja DeBORLA e viveram para sempre felizes dentro das barriguinhas cá de casa.

Em jeito de história, esta introdução talvez servisse, mas vamos agora ter de falar de uma receita a sério, entrando em pormenores de ingredientes e temperos.

Congro na Brasa com Batata na Prata e Couve-de-Bruxelas Salteada

congro_foodwithameaning

Ingredientes para o Peixe

4 postas abertas salgadas de congro
sumo de e raspa de meio limão
3 dentes de alho esmagados
1 colher de sopa de manteiga
tomilho fresco
azeite
sal

1. Levam-se todos os ingredientes numa tigela ao micro-ondas e deixa-se que ferva, vigiando para que o molho não seque nem queime.

Preparação do peixe

1. Quando a grelha estiver bem quente, seca-se o peixe em papel de cozinha e coloca-se com a pele virada para baixo.
2. Pincela-se com o molho e deixa-se grelhar. Vira-se o peixe e torna-se a pincelar com o molho.

Ingredientes para os acompanhamento de batata e couve-de-bruxelas

batata branca
sal

1. Lavam-se as batatas, mas não se descascam.
2. Temperam-se com sal grosso e embrulham-se em papel de alumínio. Colocam-se em cima das brasas e vão-se virando até estarem ligeiramente moles ao toque. A meio da cozedura, pressiona-se cada embrulho, achatando-o ligeiramente.
3. Cozem-se as couve-de-bruxelas num tacho com água e sal.

Ingredientes e para o molho de cebola

3 cebolas médias
azeite
2 colheres de sopa de molho de soja
1 colher de sopa de molho inglês
pimenta preta
1 folha de louro

1. Descascam-se as cebolas e cortam-se às rodelas muito fininhas. Refogam-se com a folha de louro em azeite e temperam-se com pimenta. Adicionam-se os molhos e deixa-se ferver. Verte-se o molho por cima das batatas e das couves na hora de servir.

congro_foodwithameaning

congro_foodwithameaning

Esta travessa encantadora encontra-se à venda nas lojas DeBORLA.

As especiarias em espiral…Dia Um…Na Cozinha

Os orégãos e os cominhos foram as minhas especiarias eleitas para a participação no desfile de dezembro de Dia Um…Na Cozinha, subordinado ao tema A Minha Especiaria. Com certeza, devem estar a estranhar uma receita de caracóis em pleno mês dezembro. Que coisa tão inusitada de facto, mas uma espiral de sabor.
Apesar de já ter publicado a receita no blogue Receitas ao Desafio, em 2013, todos os anos faço caracóis sempre que eles aparecem na peixaria do hipermercado. Cá em casa, nós somos todos muito apreciadores deste petisco, o que se deve essencialmente à Tasca do Rei dos caracóis, do meu amigo e colega de trabalho Helder, presença habitual nas festas da cidade de Angra do Heroísmo. O Helder viciou-nos nos caracóis e agora “obrigo-me” a confecioná-los quando o petisco apetece.
Caracóis_foodwithameaning
Tigela branca da Loja DeBorla
Prato cinza da Loja DeBorla
Esta é uma receita muito aromática, devido à presença dos cominhos, dos orégãos e dos coentros, que deve ser servida quente e com umas fatias de pão de água ou de milho. Uma sangria branca complementa exemplarmente este prato.
Ingredientes e Preparação
1. Compre um saco de caracóis. Lave-os muito bem em água corrente até ver que a água estava a sair limpa.
2. Verta um pouco de vinagre por cima dos caracóis  para ficarem entorpecidos e depois volte a passar por várias águas.
3. Deite os caracóis dentro de um tacho e cubra-os com água. Tape-os e deixe repousar durante 15 minutos.
4. Ligue o fogão no mínimo e espere que os caracóis  espreitem para fora da carcaça.
5. Coloque uma cebola partida a meio, 4 dentes de alho, um caldo de carne, orégãos secos, 1 folha de louro, uma colher de café de cominhos, um ramo grande de coentros, azeite e  sal.
6. Aumente o “lume” e deixe cozinhar meia hora.

caracóis_foodwithameaning

Tigela branca da Loja DeBorla
Prato cinza da Loja DeBorla

Chicharros Fritos com Molho de Escabeche

Quem me conhece sabe que detesto o cheiro a fritos. Por esse motivo e também porque os alimentos fritos não são saudáveis, raramente frito peixe ou qualquer outra receita que implique fritura. Contudo, existem momentos em que nos apetecem certas receitas e nos quais temos de sacrificar os danos colaterais à vontade de comer uma batatinha frita ou peixinho nas mesmas condições. Foi o caso da receita de hoje: chicharros fritos com molho de escabeche.
Esta é uma receita que deve ser feita de véspera, e guardada no frigorífico, para que o peixe possa adquirir o sabor do molho, ficando assim muito mais saboroso.

chicharros fritos com molho de escabeche

Ingredientes 

  • Chicharros
  • Azeite
  • 6 dentes de alho
  • 4 cebolas médias cortadas às rodelas finas
  • 2 folhas de loureiro aos pedaços
  • 1 pitada de sal
  • moinho de cinco pimenta
  • piri-piri
  • pimento vermelho
  • Vinagre a gosto
  • 2 colheres de chá de pimentão doce
  • óleo para fritar
  • farinha de milho para envolver o peixe

 

Preparação
Limpe o chicharro de tripas e retire o espigo que se encontra no fim do corte da barriga do peixe. Lave o peixe e escorra. Tempere com sal e reserve.
Coloque óleo numa frigideira, envolva o peixe em farinha de milho e frite-o de ambos os lados, sem deixar secar muito. Escorra e reserve.
Deite azeite numa frigideira e deixe que aqueça. Adicione as rodelas de cebola cortadas finamente, a folha de louro e duas bagas de piri piri e deixe refogar. Junte os alhos e deixe alourar. Corte meio pimento encarnado* em tiras finas e leve a refogar também. Junte a água, temperada com pimentão doce, pimenta preta, vinagre e sal.Tape e deixe ferver em lume brando. Deixe apurar por mais 3 minutos, mexendo sempre.

Numa travessa de ir à mesa, disponha o peixe que reservou e verta por cima deste o molho enquanto quente.

Acompanhe com batatas cozidas e perfume com pedacinhos de manjericão fresco.

*Obs. O pimento encarnado não consta do molho de escabeche tradicional.

 

chicharros fritos com molho de escabechechicharros fritos com molho de escabeche

O mote era uma receita vegetariana…

Nesta 21ª edição do “Dia Um… Na Cozinha” todos os cozinheiros foram desafiados a fazerem desfilar na passadeira vermelha “PRATOS VEGETARIANOS” que possam trazer Cor, Sabor, Prazer e Desejo de ir para a cozinha experimentar.

Pessoalmente acho que a receita que trago hoje se enquadra como uma luva nestas categorias todas. Sendo esta a segunda sugestão de entradas que publico esta semana, começo vivamente a acreditar que eu até podia viver só de entradas e tapas o resto da minha vida. O que é certo é que conjugar queijos, azeitonas, enchidos, pão e um bom vinho fazem uma refeição perfeita. Esta entrada não tem nada disto mas também tem tudo de bom.

Surgiu da necessidade de se gastar algumas pêras abacate que amadureceram cedo. Penso que estas deveriam estar com pressa de se transformarem neste guacamole fresco e despretensioso.

Acrescentem-lhe uns nachos simples ou de queijo e verão que tão rápida e facilmente podem preparar uma entrada.

guacamole

guacamole

Ingredientes

4 abacates maduros descascados

1 colher de café de cominhos

1 tomate médio maduro, sem sementes, em cubos

1/2 chávena de cebola roxa picada

gotas de molho tabasco (mild ou hot, como preferir)

4 colheres de sopa de sumo de limão

mistura de cinco pimentas

sal

Preparação

Descasque o abacate.

Pique o abacate em pedaços grandes e esmague grosseiramente numa tigela grande com um garfo.

Adicione os ingredientes restantes e misture.

Prove e ajuste o tempero com mais molho tabasco, sal e pimenta se desejar.

Logotipo Dia Um... Na Cozinha -  Fevereiro 2015

guacamole

Dica: Deixem um dos caroços do abacate misturado com o preparado. A presença deste evita que o guacamole oxide.

Aviso amarelo e lulas

Ontem estivemos sob aviso amarelo. Ao vento, à chuva e à trovoada veio acrescentar-se o frio. Oito graus marcava o termómetro do carro às seis da tarde. Coisa rara neste clima temperado marítimo. À conta da trovoada foi-se o segundo router deste ano. A oscilação de corrente elétrica da EDA também não ajuda à manutenção dos aparelhos elétricos. Às vezes, penso se a Empresa de Eletricidade dos Açores não terá protocolos com as firmas de electrodomésticos. A Meo que se aguente. Vai ter de voltar a substituir o dito router. A trovoada vai continuar a ser argumento válido. E nós vamos ter de esperar.

Entretanto, já apetece ver toros de madeira a crepitar nas lareiras ou simplesmente pegar no comando do ar condicionado e estabelecer uma temperatura amena pela casa e, de seguida, aninharmo-nos no sofá com uma mantinha e a nossa série favorita. Tudo isto seria perfeito se não existissem outras prioridades, neste caso profissionais. As aulas do décimo e do décimo primeiro ano têm de aparecer preparadas, o interregno entre os primeiros e os segundos testes quase nem existiu e vemo-nos a um mês do natal assim de repente. Foi-se o verão, as belas-donas, o Halloween, o Pão-por-Deus e o São Martinho. Aproxima-se o Thanksgiving, o terceiro aniversário do blogue, segue-se o Natal e as New Year ‘s resolutions. E entra janeiro. E as aloe vera continuarão a contrastar o verde da planta com o laranja avermelhado da sua flor.

E com alerta amarelo os pescadores não vão ao mar. Não há peixe fresco. Abro uma das gavetas da arca e retiro um saco de lulas congeladas. E está decidido. Mesmo com mau tempo continuará a haver mar à mesa.

Lulas grelhadas com molho de azeite e mandarina

lulas grelhadas com molho de azeite e  mandarina

 Ingredientes para as lulas e molho

2 embalagens de lula limpa

2 colheres de sopa de manteiga

3 dentes de alho picados aos pedacinhos muito pequenos

1 colher de café de massa de malagueta

1 mandarina (sumo e raspa)

mistura de cinco pimentas

gengibre fresco a gosto

1 dl de azeite

salsa

sal

lulas grelhadas com molho de azeite e  mandarina

Preparação

1. Deixar que as lulas descongelem completamente mesmo dentro da embalagem. Escorrê-las muito bem. Abri-las no sentido do comprimento.

2. Preparar as brasas ou ligar o grelhador eléctrico.

3. Colocar as lulas e os tentáculos  numa grelha para peixe, apenas temperadas com umas pedrinhas de sal.  Pincelar com o molho abaixo descrito. Reservar um pouco do molho para regar as lulas na travessa.

4. Virar a grelha do outro lado para que a outra face da tira também fique grelhada.  Este é um processo relativamente rápido, já que se a lula ficar demasiado tempo na grelha poderá ficar rija e seca.

5. Preparar um molho com a manteiga, o sumo de mandarina  (2 colheres de sopa), raspa de mandarina (de metade), a massa de malagueta, o alho em pó, o gengibre e uns pozinhos de mistura de cinco pimentas. Levar numa taça ao micro-ondas até começar a ferver. Picar salsa para a taça do molho, mexa e reserve.

6. Dispor as lulas e os tentáculos numa travessa. Verter por cima o restante molho. Regar com o sumo de mandarina sobejante e polvilhar com raspa deste citrino. Finalizar e ou decorar com salsa picada.

lulas grelhadas com molho de azeite e  mandarinalulas grelhadas com molho de azeite e  mandarina