Em Dia Internacional do Celíaco…

1

Confecionei recentemente esta sobremesa num workshop dedicado a sobremesas sem glúten e sem lactose. Sabia que era uma receita garantida por vários fatores: pelo grau de facilidade, pelo sabor, e por ser apelativa.  Decidi fazê-la com morangos, mas estes podem ser facilmente substituídos por outros frutos, desde que se proceda à correspondência com as respetivas gelatinas. Com frutos do bosque, pêssego e frutos tropicais, como a manga, resulta também muito bem. Se optarem por utilizar kiwi ou ananás terão de dar uma fervura aos frutos com uma colher ou duas de açúcar, e deixá-los arrefecer, antes de os adicionarem ao leite de coco. Se não pretenderem fazer esta sobremesa com o copo inclinado, poderão verter a gelatina para um recipiente refratário quadrado ou retangular, cortá-la em cubos, depois de solidificada, e misturá-a no preparado de mousse de leite de coco, fruta e chia.

Sobremesa de Morango e Gelatina com Leite de Coco e Sementes de Chia

  • 1 pacote de gelatina de morango
  • 1 lata de leite de coco
  • 1 chávena de morangos
  • Morangos para a decoração
  • Aroma de baunilha
  • Mel ou açúcar a gosto
  • 1/4 chávena de sementes de chia
  • Amêndoa aos pedacinhos torrada

 

Faz-se a gelatina de morango de acordo com as instruções da embalagem. Coloca-se em copos que se guardam inclinados no frigorífico até que a gelatina solidifique (num tabuleiro com arroz ou leguminosas secas para que segurem o copo na posição pretendida).

Começam-se por triturar os morangos com o leite de coco. Adoça-se com açúcar ou mel a gosto. Aromatiza-se com aroma de baunilha. Mistura-se as sementes de chia e mexe-se.

Depois de solidificada a gelatina, despejam-se colheradas desta mousse na parte vazia do copo. Leva-se ao frigorífico um mínimo de 4 horas. Decora-se com pedaços de morango na hora de servir e frutos secos torrados e aos pedacinhos.

 

Barquinhas de curgete recheada

Ainda na linha de uma alimentação saudável (presunto e queijo à parte), chegam estas barquinhas de curgete. Como acompanhamento ou como prato principal, elas trazem muito sabor e cor à nossa mesa. Por cá, foram muito apreciadas, até pelos mais pequenos. Se estão a questionar se devem ou não comer as barquinhas, estejam à vontade e levem barco e recheio juntos em cada garfada.

Experimentem e depois digam da vossa justiça!

foodwithameaning

foodwithameaning

Ingredientes

  • Courgettes pequenas
  • Azeite 
  • 1 Cebola 
  • 2 dentes de alho
  • Queijo parmesão
  • cogumelos frescos
  • presunto para saladas (marca Continente)
  • salsa
  • Oregãos
  • pimenta preta

Preparação

  1. Encha um tacho com água e deixe ferver. Tempere com sal.
  2. Corte as extremidades das curgetes e insira-as na água a ferver durante 3 minutos, escorra e passe por água fria. Reserve até arrefecerem.
  3. Corte cada curgete a meio no sentido do comprimento.
  4. Retire o miolo com uma colher de chá, formando barquinhas. Reserve.
  5. Pré aqueça o forno a 180ºC.
  6. Aqueça 2 colheres de azeite num tacho e adicione a cebola e o alho picados. Deixe refogar. Adicione o presunto e os cogumelos frescos picadinhos. Envolva-os no refogado.
  7. Junte o interior das curgetes e refogue mais um pouco. Tempere com sal, pimenta, salsa, orégãos e polvilhe com queijo parmesão ralado. Retire do lume e deixe arrefecer ligeiramente.
  8.  Recheie as curgetes com esta mistura, regue com azeite e coloque no forno.
  9. Tape a travessa com papel de alumínio e leve ao forno durante 30 minutos. Para alourar retire o papel de alumínio e deixe ficar no forno mais cerca 10 a 15 minutos.
  10. Sirva de imediato com lascas de queijo parmesão.

foodwithameaning

A travessa vem com a assinatura DeBORLA.

Barritas Saudáveis no Regresso às Aulas

Hoje foi o dia do regresso às aulas, depois de duas semanas sem rotinas precisas em que a criança e o jovem cá de casa viveram felizes porque sem horários. Foi tempo de brincar à vontade, de celebrar a festa do Natal à volta da árvore, do presépio e da mesa da sala de jantar, de receber amigos e fazer visitas, de ler livros novos, trazidos pelo Menino Jesus, de fazer bolachas e decorar a casa de gengibre, de brincar fora de casa, no jardim, com os cães, de atazanar o gato cá de casa, que procurava conforto em esconderijos solarengos e de jogar vídeo-jogos sem pensar em trabalhos de casa e testes, no caso do filho mais velho.

IMG_3217

31821

12

O que é certo é que depois de tanta brincadeira, de dias e de refeições sem hora marcada, está na altura de voltarmos às ementas equilibradas.

E por que não começar com barritas saudáveis para as lancheiras dos filhos e dos pais?

IMG_1242

Barritas (e Bolachas ) de Aveia e Banana

Ingredientes

Para barritas totalmente saudáveis

  • 2 bananas grandes esmagadas
  • 2 chávenas de flocos de aveia sem glúten
  • Extrato de baunilha

Para barritas menos saudáveis acrescente:

  • pepitas de chocolate
  • pepitas  de manteiga de amendoim
  • Passas, tâmaras, alperces
  • amendoins, nozes, amêndoas, pistácios, cajus…

 Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 180º C.
  2. Coloque os flocos de aveia num robô de cozinha ou no tradicional 1,2,3 e misture bem até a aveia ficar com a consistência de uma farinha.
  3. Numa taça, acrescente a banana esmagada até obter uma massa homogénea e macia.
  4. Depois, se desejar, adicione 1/2 chávena de um dos ingredientes extra a seu gosto.  Utilizei  chips de chocolate e de manteiga de amendoim.
  5. Unte as mãos com um pouco de óleo ou de azeite e forme as barritas. Se preferir, Coloque a massa num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal com a ajuda de uma colher de sopa. Esmague para a massa ficar toda da mesma altura.
  6.  Deixe no forno durante 9 a 12 minutos ou até as bolachas estarem prontas. Retire-as do forno e corte a massa em barritas.  Deixe arrefecer e guarde-as num recipiente bem fechado.

IMG_1253barritas_bolachas de aveia e banana_foodwithameaning

Smoothies…a saúde no copo

Um smoothie é uma bebida saudável, saborosa e muito refrescante. É feito com frutas, iogurtes e outros ingredientes naturais. É uma ótima fonte de energia, pois contém pouquíssima gordura e é rico em vitaminas e minerais. Um smoothie é mais do que uma bebida, é uma escolha de vida saudável ideal para quem se preocupa com o bem-estar do corpo, mas não abre mão de uma combinação deliciosa.

smoothies

Relativamente às quantidades dos ingredientes, decidi não descriminá-las nas receitas porque à medida que faço os smoothies vou observando a consistência- o smoothie é por natureza uma bebida pouco líquida- e vou provando para regular a quantidade de fruta, o leite ou os derivados deste, e o adoçante. Por norma utilizo mel para adoçar os batidos. O estado de maturação da fruta também condiciona a utilização de menor ou maior quantidade de adoçante. Por vezes, opto mesmo por não incluir açúcares nos batidos, uma vez que a frutose já lá está.

Estes foram os 4 smoothies confecionados para a comemoração do Dia Mundial da Saúde.

smoothies

(smoothies representados na foto da esquerda para a direita)


 

Smoothie de uva-da-serra (mirtilo)

uva-da-serra congelada

maçã congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Smoothie Caribenho

Ananás ou abacaxi congelado

melão congelado

Iogurte natural ou grego

Leite de côco (ou normal)

Côco ralado

Bananas

Mel

Hortelã


 

Smoothie de banana, chocolate e manteiga de amendoim

Bananas maduras congeladas

pera congelada

Leite achocolatado (ou leite simples +nesquik ou cacau)

Mel

Manteiga de amendoim a gosto

Opcional: polvilhar com canela


 

Smoothie de framboesa

framboesas congeladas

pera congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Preparação

Colocar no copo liquidificador ou no copo do robô de cozinha leite ou os derivados de leite (iogurte natural/iogurte grego).

Adicionar metade da fruta cortada aos pedaços e previamente congelada em saquinhos e triturar.

Juntar o leite, o resto da fruta e os ingredientes em falta.

Verificar a consistência e se o batido necessita de adoçante.

 

Notas:

  • Para qualquer smoothie a fruta deve estar preferencialmente congelada, apesar de haver a possibilidade de se acrescentar gelo ao preparado final.
  • Os smoothies são uma excelente ideia para aproveitamento de peças de fruta esquecidas na fruteira, mais maduras e menos apelativas, tal como acontece com a banana.
  • Os smoothies não devem ser por norma substitutos de uma refeição, mas poderão ser pequenos-almoços e lanches já que são importantes fontes de fibra, vitaminas e minerais.

Mais fotos da iniciativa  aqui

Maracujá-banana…uma sobremesa light e deliciosa

Dedico este post a quem ainda não conhece este fruto, que pertence à família do maracujá. A variante mais conhecida é a do maracujá-roxo, como poderão ver aqui, por intermédio desta receita de sorvete. Existem, contudo, outras variedades deste fruto, como por exemplo o maracujá-granadilha, presente numa receita de mousse que confecionei . Na nossa horta, temos algumas plantas de maracujá-roxo e outras de maracujá-banana, que têm convivido no mesmo espaço da latada. Este último prolifera com mais facilidade, sendo mais resistente do que o primeiro e mais abundante em fruto. A flor do maracujá-banana difere da do maracujá-roxo, mas são igualmente exóticas e belas.

Foram-nos dados alguns frutos a partir dos quais demos início ao processo de germinação e plantio, como poderão ver nas instruções abaixo.

maracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningflor_maracujá-banana_foodwithameaning

Nomes comuns: Maracujá-banana (Banana Passionflower), Curuba (Colômbia e Bolívia), Parcha (Venezuela)
Origem da planta: Venezuela, Colombia, Peru
Família: Passifloraceae

Dificuldade de germinação: Fácil
Tempo de germinação: 7 a 20 dias
Taxa de germinação: 90%

Altura da planta: até 50 cm

Esta incrível variedade de maracujá é originária dos vales e montanhas dos Andes, desde o Peru até a Colômbia.

É uma trepadeira vigorosa, e cresce rapidamente até 6 a 8 metros de altura ou extensão.
Estes maracujás são muito aromáticos e com um sabor muito agradável. Podem conservar-se por vários dias após a colheita. Podem ser consumidos ao natural ou transformados em doces, sumos, sobremesas, etc.

Apesar ser uma planta originária de altitudes elevadas, adapta-se muito bem a altitudes mais baixas. Suporta temperaturas até -5˚C. É possível cultivar-se em Portugal e em diversas zonas do país.

Como proceder para a Germinação das sementes:
– Deitar água morna sobre as sementes e deixar de molho durante 24 horas em água ou sumo de laranja e depois é só semear.
– Colocar as sementes enterradas a 0,5cm e manter húmido e quente.
– A Germinação pode ocorrer num intervalo de 10 dias ou 2 meses.
fonte

maracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaning

Frango, legumes e ananás combinam

Chegámos a sexta-feira. Para muitos esta semana já foi de trabalho. Para a maioria das crianças e jovens em idade escolar, as aulas iniciam na próxima semana. Por isso, há que começar a retomar os horários de sono e a pensar em receitas adequadas às lancheiras de pequenos e grandes.
Esta é uma sugestão que pode ser aquecida no micro-ondas e que pode ser acompanhada com arroz branco ou como recheio de tortilha ou de pão integral, como sugerem as fotos. Fica a vosso critério.

Diapositivo2
Diapositivo1

11935075_10156032739220504_5855291345857174850_n

Fica então completa a partilha das receitas confecionadas por mim no último workshop DeBORLA-Terceira.

Votos de um excelente fim de semana!

Patrícia

Salada de Millet com Camarão, Atum e Alho-francês

O ingrediente principal desta salada é o millet, também conhecido por milho painço. Este cereal, oriundo das Índias Orientais e do Norte de África, começou a ser utilizado antes do aparecimento do arroz. É altamente nutritivo e contém muita fibra, sendo, por isso, de fácil digestão. É composto por 15% de proteína, vitaminas do complexo B, vitamina E e lecitina. Possui alto teor de ferro, 9 mg em 100g, magnésio, fósforo, potássio e ácido silícico, importante este último para a pele, cabelo e unhas. Não contém glúten, sendo, assim, ideal para celíacos. Caracteriza-se também por ser utilizado quando existem problemas de digestão, de náuseas ou de sono.

Este cereal poderá ser adquirido em hipermercados, na secção dos produtos biológicos, mas encontra-se com maior frequência em ervanárias ou em lojas gourmet. Comprei aqui nos Açores, na loja Pomar do Atlântico, em pleno centro da cidade de Angra do Heroísmo.

Nesta salada, conjuguei o millet com miolo de camarão, delícias-do-mar, atum e alho-francês. Refresquei a salada com um toque de menta fresca.

Diapositivo2

Diapositivo1

Tigela branca da Loja DeBorla

Ingredientes

1 chávena de millet (milho painço)
2 alhos-francês (parte branca apenas)
½ couve branca
1 embalagem de miolo de camarão (80/100)
2 latas de atum em azeite
1 pacote de delícias-do-mar
½ pimento vermelho
Sal q.b.
Azeite
Pimenta
Caril (1 colher de café)
Moinho de sal oriental (do Lidl)

 

Preparação

  1. Coze-se o millet com sal (3 partes de água a ferver para 1 de millet- se demolhar durante uma hora coze em 5/10 minutos; se não demolhar, coze em 30m minutos).
  2. Num wok ou frigideira anti-aderente, coloca-se um fio de azeite, o alho francês cortado em rodelas finas, o pimento e a couve branca, cortados em juliana fina. Deixa-se alourar cerca de 3 a 5 minutos até a couve começar a ficar tenra.
  3. Junta-se o miolo de camarão congelado, sem passar por água, o atum e tempera-se com pimenta, caril e moinho de sal oriental.
  4. Acrescentam-se as delícias do mar desfiadas ou picadas. Apaga-se o lume.
  5. Mistura-se o millet ao preparado do wok e serve-se.

Diapositivo1
Diapositivo1

Tigela branca pequena da Loja DeBorla
Saladeira da Loja DeBorla

Esta receita foi concebida por mim com a intenção de divulgar o cereal millet. Foi apresentada no Workshop “My Healthy Lunchbox”, realizado no passado sábado na loja DeBORLA-Terceira.

Continuação de uma ótima semana, quer seja ela de trabalho ou de férias!

Patrícia