Barquinhas de curgete recheada

Ainda na linha de uma alimentação saudável (presunto e queijo à parte), chegam estas barquinhas de curgete. Como acompanhamento ou como prato principal, elas trazem muito sabor e cor à nossa mesa. Por cá, foram muito apreciadas, até pelos mais pequenos. Se estão a questionar se devem ou não comer as barquinhas, estejam à vontade e levem barco e recheio juntos em cada garfada.

Experimentem e depois digam da vossa justiça!

foodwithameaning

foodwithameaning

Ingredientes

  • Courgettes pequenas
  • Azeite 
  • 1 Cebola 
  • 2 dentes de alho
  • Queijo parmesão
  • cogumelos frescos
  • presunto para saladas (marca Continente)
  • salsa
  • Oregãos
  • pimenta preta

Preparação

  1. Encha um tacho com água e deixe ferver. Tempere com sal.
  2. Corte as extremidades das curgetes e insira-as na água a ferver durante 3 minutos, escorra e passe por água fria. Reserve até arrefecerem.
  3. Corte cada curgete a meio no sentido do comprimento.
  4. Retire o miolo com uma colher de chá, formando barquinhas. Reserve.
  5. Pré aqueça o forno a 180ºC.
  6. Aqueça 2 colheres de azeite num tacho e adicione a cebola e o alho picados. Deixe refogar. Adicione o presunto e os cogumelos frescos picadinhos. Envolva-os no refogado.
  7. Junte o interior das curgetes e refogue mais um pouco. Tempere com sal, pimenta, salsa, orégãos e polvilhe com queijo parmesão ralado. Retire do lume e deixe arrefecer ligeiramente.
  8.  Recheie as curgetes com esta mistura, regue com azeite e coloque no forno.
  9. Tape a travessa com papel de alumínio e leve ao forno durante 30 minutos. Para alourar retire o papel de alumínio e deixe ficar no forno mais cerca 10 a 15 minutos.
  10. Sirva de imediato com lascas de queijo parmesão.

foodwithameaning

A travessa vem com a assinatura DeBORLA.

Barritas Saudáveis no Regresso às Aulas

Hoje foi o dia do regresso às aulas, depois de duas semanas sem rotinas precisas em que a criança e o jovem cá de casa viveram felizes porque sem horários. Foi tempo de brincar à vontade, de celebrar a festa do Natal à volta da árvore, do presépio e da mesa da sala de jantar, de receber amigos e fazer visitas, de ler livros novos, trazidos pelo Menino Jesus, de fazer bolachas e decorar a casa de gengibre, de brincar fora de casa, no jardim, com os cães, de atazanar o gato cá de casa, que procurava conforto em esconderijos solarengos e de jogar vídeo-jogos sem pensar em trabalhos de casa e testes, no caso do filho mais velho.

IMG_3217

31821

12

O que é certo é que depois de tanta brincadeira, de dias e de refeições sem hora marcada, está na altura de voltarmos às ementas equilibradas.

E por que não começar com barritas saudáveis para as lancheiras dos filhos e dos pais?

IMG_1242

Barritas (e Bolachas ) de Aveia e Banana

Ingredientes

Para barritas totalmente saudáveis

  • 2 bananas grandes esmagadas
  • 2 chávenas de flocos de aveia sem glúten
  • Extrato de baunilha

Para barritas menos saudáveis acrescente:

  • pepitas de chocolate
  • pepitas  de manteiga de amendoim
  • Passas, tâmaras, alperces
  • amendoins, nozes, amêndoas, pistácios, cajus…

 Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 180º C.
  2. Coloque os flocos de aveia num robô de cozinha ou no tradicional 1,2,3 e misture bem até a aveia ficar com a consistência de uma farinha.
  3. Numa taça, acrescente a banana esmagada até obter uma massa homogénea e macia.
  4. Depois, se desejar, adicione 1/2 chávena de um dos ingredientes extra a seu gosto.  Utilizei  chips de chocolate e de manteiga de amendoim.
  5. Unte as mãos com um pouco de óleo ou de azeite e forme as barritas. Se preferir, Coloque a massa num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal com a ajuda de uma colher de sopa. Esmague para a massa ficar toda da mesma altura.
  6.  Deixe no forno durante 9 a 12 minutos ou até as bolachas estarem prontas. Retire-as do forno e corte a massa em barritas.  Deixe arrefecer e guarde-as num recipiente bem fechado.

IMG_1253barritas_bolachas de aveia e banana_foodwithameaning

Smoothies…a saúde no copo

Um smoothie é uma bebida saudável, saborosa e muito refrescante. É feito com frutas, iogurtes e outros ingredientes naturais. É uma ótima fonte de energia, pois contém pouquíssima gordura e é rico em vitaminas e minerais. Um smoothie é mais do que uma bebida, é uma escolha de vida saudável ideal para quem se preocupa com o bem-estar do corpo, mas não abre mão de uma combinação deliciosa.

smoothies

Relativamente às quantidades dos ingredientes, decidi não descriminá-las nas receitas porque à medida que faço os smoothies vou observando a consistência- o smoothie é por natureza uma bebida pouco líquida- e vou provando para regular a quantidade de fruta, o leite ou os derivados deste, e o adoçante. Por norma utilizo mel para adoçar os batidos. O estado de maturação da fruta também condiciona a utilização de menor ou maior quantidade de adoçante. Por vezes, opto mesmo por não incluir açúcares nos batidos, uma vez que a frutose já lá está.

Estes foram os 4 smoothies confecionados para a comemoração do Dia Mundial da Saúde.

smoothies

(smoothies representados na foto da esquerda para a direita)


 

Smoothie de uva-da-serra (mirtilo)

uva-da-serra congelada

maçã congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Smoothie Caribenho

Ananás ou abacaxi congelado

melão congelado

Iogurte natural ou grego

Leite de côco (ou normal)

Côco ralado

Bananas

Mel

Hortelã


 

Smoothie de banana, chocolate e manteiga de amendoim

Bananas maduras congeladas

pera congelada

Leite achocolatado (ou leite simples +nesquik ou cacau)

Mel

Manteiga de amendoim a gosto

Opcional: polvilhar com canela


 

Smoothie de framboesa

framboesas congeladas

pera congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Preparação

Colocar no copo liquidificador ou no copo do robô de cozinha leite ou os derivados de leite (iogurte natural/iogurte grego).

Adicionar metade da fruta cortada aos pedaços e previamente congelada em saquinhos e triturar.

Juntar o leite, o resto da fruta e os ingredientes em falta.

Verificar a consistência e se o batido necessita de adoçante.

 

Notas:

  • Para qualquer smoothie a fruta deve estar preferencialmente congelada, apesar de haver a possibilidade de se acrescentar gelo ao preparado final.
  • Os smoothies são uma excelente ideia para aproveitamento de peças de fruta esquecidas na fruteira, mais maduras e menos apelativas, tal como acontece com a banana.
  • Os smoothies não devem ser por norma substitutos de uma refeição, mas poderão ser pequenos-almoços e lanches já que são importantes fontes de fibra, vitaminas e minerais.

Mais fotos da iniciativa  aqui

Maracujá-banana…uma sobremesa light e deliciosa

Dedico este post a quem ainda não conhece este fruto, que pertence à família do maracujá. A variante mais conhecida é a do maracujá-roxo, como poderão ver aqui, por intermédio desta receita de sorvete. Existem, contudo, outras variedades deste fruto, como por exemplo o maracujá-granadilha, presente numa receita de mousse que confecionei . Na nossa horta, temos algumas plantas de maracujá-roxo e outras de maracujá-banana, que têm convivido no mesmo espaço da latada. Este último prolifera com mais facilidade, sendo mais resistente do que o primeiro e mais abundante em fruto. A flor do maracujá-banana difere da do maracujá-roxo, mas são igualmente exóticas e belas.

Foram-nos dados alguns frutos a partir dos quais demos início ao processo de germinação e plantio, como poderão ver nas instruções abaixo.

maracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningflor_maracujá-banana_foodwithameaning

Nomes comuns: Maracujá-banana (Banana Passionflower), Curuba (Colômbia e Bolívia), Parcha (Venezuela)
Origem da planta: Venezuela, Colombia, Peru
Família: Passifloraceae

Dificuldade de germinação: Fácil
Tempo de germinação: 7 a 20 dias
Taxa de germinação: 90%

Altura da planta: até 50 cm

Esta incrível variedade de maracujá é originária dos vales e montanhas dos Andes, desde o Peru até a Colômbia.

É uma trepadeira vigorosa, e cresce rapidamente até 6 a 8 metros de altura ou extensão.
Estes maracujás são muito aromáticos e com um sabor muito agradável. Podem conservar-se por vários dias após a colheita. Podem ser consumidos ao natural ou transformados em doces, sumos, sobremesas, etc.

Apesar ser uma planta originária de altitudes elevadas, adapta-se muito bem a altitudes mais baixas. Suporta temperaturas até -5˚C. É possível cultivar-se em Portugal e em diversas zonas do país.

Como proceder para a Germinação das sementes:
– Deitar água morna sobre as sementes e deixar de molho durante 24 horas em água ou sumo de laranja e depois é só semear.
– Colocar as sementes enterradas a 0,5cm e manter húmido e quente.
– A Germinação pode ocorrer num intervalo de 10 dias ou 2 meses.
fonte

maracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaningmaracujá-banana_foodwithameaning

Frango, legumes e ananás combinam

Chegámos a sexta-feira. Para muitos esta semana já foi de trabalho. Para a maioria das crianças e jovens em idade escolar, as aulas iniciam na próxima semana. Por isso, há que começar a retomar os horários de sono e a pensar em receitas adequadas às lancheiras de pequenos e grandes.
Esta é uma sugestão que pode ser aquecida no micro-ondas e que pode ser acompanhada com arroz branco ou como recheio de tortilha ou de pão integral, como sugerem as fotos. Fica a vosso critério.

Diapositivo2
Diapositivo1

11935075_10156032739220504_5855291345857174850_n

Fica então completa a partilha das receitas confecionadas por mim no último workshop DeBORLA-Terceira.

Votos de um excelente fim de semana!

Patrícia

Salada de Millet com Camarão, Atum e Alho-francês

O ingrediente principal desta salada é o millet, também conhecido por milho painço. Este cereal, oriundo das Índias Orientais e do Norte de África, começou a ser utilizado antes do aparecimento do arroz. É altamente nutritivo e contém muita fibra, sendo, por isso, de fácil digestão. É composto por 15% de proteína, vitaminas do complexo B, vitamina E e lecitina. Possui alto teor de ferro, 9 mg em 100g, magnésio, fósforo, potássio e ácido silícico, importante este último para a pele, cabelo e unhas. Não contém glúten, sendo, assim, ideal para celíacos. Caracteriza-se também por ser utilizado quando existem problemas de digestão, de náuseas ou de sono.

Este cereal poderá ser adquirido em hipermercados, na secção dos produtos biológicos, mas encontra-se com maior frequência em ervanárias ou em lojas gourmet. Comprei aqui nos Açores, na loja Pomar do Atlântico, em pleno centro da cidade de Angra do Heroísmo.

Nesta salada, conjuguei o millet com miolo de camarão, delícias-do-mar, atum e alho-francês. Refresquei a salada com um toque de menta fresca.

Diapositivo2

Diapositivo1

Tigela branca da Loja DeBorla

Ingredientes

1 chávena de millet (milho painço)
2 alhos-francês (parte branca apenas)
½ couve branca
1 embalagem de miolo de camarão (80/100)
2 latas de atum em azeite
1 pacote de delícias-do-mar
½ pimento vermelho
Sal q.b.
Azeite
Pimenta
Caril (1 colher de café)
Moinho de sal oriental (do Lidl)

 

Preparação

  1. Coze-se o millet com sal (3 partes de água a ferver para 1 de millet- se demolhar durante uma hora coze em 5/10 minutos; se não demolhar, coze em 30m minutos).
  2. Num wok ou frigideira anti-aderente, coloca-se um fio de azeite, o alho francês cortado em rodelas finas, o pimento e a couve branca, cortados em juliana fina. Deixa-se alourar cerca de 3 a 5 minutos até a couve começar a ficar tenra.
  3. Junta-se o miolo de camarão congelado, sem passar por água, o atum e tempera-se com pimenta, caril e moinho de sal oriental.
  4. Acrescentam-se as delícias do mar desfiadas ou picadas. Apaga-se o lume.
  5. Mistura-se o millet ao preparado do wok e serve-se.

Diapositivo1
Diapositivo1

Tigela branca pequena da Loja DeBorla
Saladeira da Loja DeBorla

Esta receita foi concebida por mim com a intenção de divulgar o cereal millet. Foi apresentada no Workshop “My Healthy Lunchbox”, realizado no passado sábado na loja DeBORLA-Terceira.

Continuação de uma ótima semana, quer seja ela de trabalho ou de férias!

Patrícia

Picolé de morango, lima e manjericão

Os dias quentes são sempre tempos de gelados e refrescos. As limonadas, as águas aromatizadas e os chás têm sido por isso presença habitual nas nossas mesas de almoço e de jantar. O gin também, visto muito mais como uma bebida de fim de tarde e sempre com uma saqueta de infusão de romã, como me serviu a minha amiga Lucília em sua casa no início deste verão. Fiquei fã. Qualquer dia, partilho a receita convosco.

Hoje, a sugestão recai neste picolé de morango e lima para celebrarmos a estação.

picolé de morango_foodwithameaning

sorvete de morango e lima

 

Picolé de Morango, Lima e Manjericão

  • 3 copos de chá de frutos vermelhos
  • ¼ de copo de folhas de manjericão frescas
  • 1 lima sem casca e cortada aos pedaços
  • 4 morangos
  • 4 colheres de sopa de mel ou de agave

Fazer o chá. Deixar arrefecer.

Colocar todos os ingredientes numa misturadora até se obter uma consistência suave. Coar.

Encher os recipientes de sorvete.

Levar ao congelador até solidificar.

 

Servir num dia quente de verão!

sorvete de morango e lima