Diospirochiando

Como é sabido, os melhores frutos são sempre os da época. Estamos no outono e, por esse motivo, os dióspiros ganham destaque nas bancas dos mercados. Felizmente, e como temos no nosso pomar um diospireiro, têm havido bastantes diospiros cá por casa. Sem dúvida que a melhor forma de apreciá-los é mesmo saboreá-los ao natural ou assados com um pouco de canela. Contudo, desta vez resolvi combinar o diospiro com sementes de chia com leite de amêndoa e, assim, criar uma sobremesa, um pequeno-almoço ou um lanche bastante saudável. Esta é de facto uma receita de elaboração muito rápida, repleta de sabor e que, acima de tudo, transpira saúde.

Nas últimas décadas, a semente de chia tem-se tornado um importante alimento na nutrição humana devido às suas características nutricionais. Esta semente destaca-se pelo grande teor de ómega 3, de fibras alimentares e de proteínas. Estes aspetos concorrem para que o consumo da Chia esteja associado a vários benefícios na saúde humana. Podemos utilizar a chia na forma de semente, de farinha e de óleo, mas devido as características mencionadas anteriormente, as sementes têm sido utilizadas como matéria-prima na elaboração de alimentos do dia-a-dia. Algumas das principais aplicações das sementes incluem o seu uso como complemento dietético e como ingrediente em barras de cereais, biscoitos, massas, pães, lanches, iogurte, entre outros.

Copos de Dióspiro com Chia e leite de Amêndoa (sem glúten e sem lactose)

Copos de Diospiro com Chia e Leite de Amêndoa

diospiro

diospiro

chia

fonte desta foto

Copos de Diospiro com Chia e Leite de Amêndoa

Copos de Diospiro com Chia e Leite de Amêndoa

Ingredientes para 4 copos

  • 6 dióspiros maduros e refrigerados
  • 5 colheres de sopa de sementes de chia
  • 400-450 ml de leite de amêndoa refrigerado
  •  1 colher de sobremesa de aroma de baunilha q.b.
  • canela em pó q.b.
  • granola para decorar

Preparação

  1. Numa taça, junte as sementes de chia, o leite de amêndoa e o aroma de baunilha. Envolva e deixe repousar, fora ou dentro do frigorífico, cerca de trinta minutos.
  2. Descasque os dióspiros e passe-os ligeiramente pela varinha mágica. Não triture muito.
  3. Faça camadas com o preparado com a chia e com a polpa do dióspiro reservada.
  4. Termine com granola e pozinhos de canela. (Poderá também optar por adicionar a canela ao preparado de chia)
  5. Saboreie de imediato ou no próprio dia, refrigerado.

Copos de diospiro com chia e leite de amêndoa

Copos de diospiro com chia e leite de amêndoa

Tarte merengada de limão

Podem não acreditar, mas desde que o verão começou eu já fiz esta receita seis vezes, e nem um mês e meio passou ainda.  A receita foi-me transmitida pela cunhada da minha irmã, depois de eu ter experimentado a tarte feita por ela por altura do aniversário do meu afilhado. Fiquei-lhe muito grata quando partilhou a receita comigo. Ambas pensamos que as coisas boas só fazem sentido se forem partilhadas. E lá seguiu esta tarte para um almoço de churrasco, onde foi muito apreciada.

Tarte Merengada de limão

tarte merengada de limão

Base:

  • 1 pacote e meio de bolacha Maria (triturada) – 225gr
  • 3 colheres (de sopa) de manteiga amolecida
  • 2 colheres de sopa de licor de amora (adaptação minha)
  • Leite q.b. (1 colher ou duas de leite- quantidade que costumo pôr)

Misturam-se estes ingredientes e forra-se uma tarteira, preferencialmente de base amovível e com tamanho convencional, previamente untada com manteiga. Pica-se o fundo cá e lá com um garfo para evitar que ao cozer a base de bolacha empole.

 

Recheio:

  • 6 gemas de ovos
  • 2 latas de leite condensado (normal)
  • Raspa de 1 limão grande (coloco raspa de 2 limões se estes forem pequenos e ainda o sumo de meio limão)

Batem-se as gemas e mistura-se o leite condensado, a raspa e o sumo de limão.

Coloca-se por cima da base e vai ao forno, pré-aquecido a 200 ºC – apenas com resistência inferior- até ficar consistente (cozido).  Faça o teste do palito até ele sair seco. Retira-se do forno.

Batem-se 6 claras em castelo e adicionam-se com 4 colheres de açúcar até formar um merengue. Encha um saco de pasteleiro com o merengue e desenhe a terceira camada da tarte.

Vai ao forno novamente a alourar o merengue, apenas com a resistência superior. Vigie constantemente para que não queime. Não necessitará mais do que 5 minutos.

Deixe arrefecer a tarte merengada e sirva-a ainda morna ou à temperatura ambiente. Ligeiramente refrigerada também é uma delícia.

tarte merengada de limão

Frozen de Piña Colada…uma receita para dias quentes

Para a edição do passado mês de julho, a revista Segredos de Cozinha pediu-me que desenvolvesse uma receita bem fresca, ideal para dias quentes e momentos de descontração. Surgiu, assim, a ideia deste frozen, um género de quase granizado, mas para adultos, devido à presença de rum. Há sempre a hipótese de eliminar a bebida alcoólica, transformando-a num cocktail sem álcool, para quem assim o preferir ou até mesmo para incluir as crianças na celebração do verão.

frozen de pina colada

frozen de pina colada

 

Ingredientes

  • sumo de abacaxi natural ou de compra
  • 1 medida* de sumo de abacaxi
  • 1/2 medida* de rum
  • 1/4 medida* de leite de côco
  • 1/4 medida* de leite condensado
  • raminhos de hortelã-pimenta para guarnecer 

*A medida pode ser uma chávena de chá

Preparação

1. Descasque o abacaxi, retire o centro e corte-o aos pedaços.
2. Triture o abacaxi num copo liquidificador ou num robô de cozinha até que se transforme em sumo com polpa ou utilize sumo de abacaxi de compra
3. Coloque a medida de sumo, a 1/2 medida de rum, 1/4 da medida de leite de côco e 1/4 da medida de leite condensado.
4. Repita esta receita as vezes que necessitar para obter a quantidade desejada.
5. Coloque a piña colada num marmita de vidro e leve ao congelador cerca de duas horas, até que comece a transformar-se em granizado.
6. Sirva em copos de cocktail ou em copinhos de shot, guarnecidos com pedaços de abacaxi com casca ou raminhos de hortelã-pimenta.
 frozen pina colada
frozen pina colada

Smoothies…a saúde no copo

Um smoothie é uma bebida saudável, saborosa e muito refrescante. É feito com frutas, iogurtes e outros ingredientes naturais. É uma ótima fonte de energia, pois contém pouquíssima gordura e é rico em vitaminas e minerais. Um smoothie é mais do que uma bebida, é uma escolha de vida saudável ideal para quem se preocupa com o bem-estar do corpo, mas não abre mão de uma combinação deliciosa.

smoothies

Relativamente às quantidades dos ingredientes, decidi não descriminá-las nas receitas porque à medida que faço os smoothies vou observando a consistência- o smoothie é por natureza uma bebida pouco líquida- e vou provando para regular a quantidade de fruta, o leite ou os derivados deste, e o adoçante. Por norma utilizo mel para adoçar os batidos. O estado de maturação da fruta também condiciona a utilização de menor ou maior quantidade de adoçante. Por vezes, opto mesmo por não incluir açúcares nos batidos, uma vez que a frutose já lá está.

Estes foram os 4 smoothies confecionados para a comemoração do Dia Mundial da Saúde.

smoothies

(smoothies representados na foto da esquerda para a direita)


 

Smoothie de uva-da-serra (mirtilo)

uva-da-serra congelada

maçã congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Smoothie Caribenho

Ananás ou abacaxi congelado

melão congelado

Iogurte natural ou grego

Leite de côco (ou normal)

Côco ralado

Bananas

Mel

Hortelã


 

Smoothie de banana, chocolate e manteiga de amendoim

Bananas maduras congeladas

pera congelada

Leite achocolatado (ou leite simples +nesquik ou cacau)

Mel

Manteiga de amendoim a gosto

Opcional: polvilhar com canela


 

Smoothie de framboesa

framboesas congeladas

pera congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Preparação

Colocar no copo liquidificador ou no copo do robô de cozinha leite ou os derivados de leite (iogurte natural/iogurte grego).

Adicionar metade da fruta cortada aos pedaços e previamente congelada em saquinhos e triturar.

Juntar o leite, o resto da fruta e os ingredientes em falta.

Verificar a consistência e se o batido necessita de adoçante.

 

Notas:

  • Para qualquer smoothie a fruta deve estar preferencialmente congelada, apesar de haver a possibilidade de se acrescentar gelo ao preparado final.
  • Os smoothies são uma excelente ideia para aproveitamento de peças de fruta esquecidas na fruteira, mais maduras e menos apelativas, tal como acontece com a banana.
  • Os smoothies não devem ser por norma substitutos de uma refeição, mas poderão ser pequenos-almoços e lanches já que são importantes fontes de fibra, vitaminas e minerais.

Mais fotos da iniciativa  aqui

Trifle de Cafetino

I have a sweet tooth. É um facto. Há dias comentava com uma amiga que se me dessem a escolher entre um salgado e um doce, eu não hesitaria na seleção e estenderia a mão ao docinho. E é assim. Podia dar para pior. Salva-me a vida regrada que levo e que me obriga a deixar as guloseimas para ocasiões especiais e para os fins de semana. Foi o caso desta sobremesa. Fi-la já por duas vezes. Uma para levar para um jantar em casa de amigos, outra para oferecer a uma amiga. Consiste numa adaptação de um bolo de bolacha que faço e que resolvi apresentar numa taça funda transparente para se ter a noção da disposição descompassada das bolachas nas diferentes camadas. O licor Cafetino, de capuccino, confere, no meu entender, um twist muito especial. Acho que é mesmo o “ingrediente secreto” desta receita. Espero que gostem. Eu adorei e recomendo.

Trifle de Cafetino

Trifle de cafetino

Ingredientes

3 pacotes de natas (600 ml)- Novaçores

3 pacotes de bolacha Maria

1 lata de leite condensado cozido

4 colheres de açúcar em pó

1 ou 2 cálices de licor Cafetino (vá adicionando e provando)

2 chávenas de chá de café puro (café expresso – Nicola -Bocage)

xarope de chocolate (Vahiné)

pepitas de chocolate (Vahiné)

aroma de baunilha (1 colher de chá)

Preparação

1. Batem-se dois pacotes de natas até estarem consistentes.

2. Junta-se o leite condensado cozido e bate-se novamente.

3. Adiciona-se o licor Cafetino (licor de capuccino). Bate-se.

4. Faz-se o café expresso, uma chávena de chá cheia de cada vez.

5. Molham-se as bolachas de um lado e do outro no café rapidamente para que não fiquem moles. Colocam-se a escorrer num prato.

6. Coloca-se um pouco de creme no fundo de uma taça alta. Em cima do creme dispõem-se as bolachas escorridas e cobre-se com mais uma camada de creme. Faz-se o mesmo até se esgotarem as bolachas e o creme.

7. Bate-se o terceiro pacote de natas até estar consistente. Adiciona-se aroma de baunilha, as quatro colheres de sopa de açúcar em pó e bate-se novamente. Coloca-se este chantilly num saco de pasteleiro e desenha-se a última camada da trifle.

8. Risca-se o chantilly com xarope de chocolate e decora-se com pepitas de chocolate.

9. Vai ao frigorífico um mínimo de 6 horas antes de servir.

Trifle de cafetinoTrifle de cafetino

Uma semana depois… e um gelado…em janeiro?

gelado de leite condensadoDiapositivo3

E, sim, passou uma semana desde a última publicação. Não pensem que a vontade de cozinhar se foi com a passagem de ano, pois a minha cozinha continua a todo o vapor, como acaba por ter de ser em casa de família. As refeições são sempre organizadas, nem que seja através de planificação mental. E no topo da exigência, a presença da sopa. Sempre e a abrir o caminho para o resto da refeição. Esta semana viu o regresso às aulas, depois do interregno do natal. Foi uma semana difícil, porque os soninhos andavam um pouco trocados, as atividades de lazer foram novamente relembradas que o estudo é mais importante nesta fase. Começaram os treinos desportivos do filho e as aulas de conservatório da filha e, conjuntamente com isto tudo, aterraram cá em casa algumas viroses que deixaram três dos quatro prostrados, tendo eu sobrado para desempenhar o cargo de enfermeira. Uma semana depois, e só hoje, domingo, houve tempo para o blogue. Deliciemo-nos então com um gelado que celebrou os primeiros dias de 2015. Afinal, este clima temperado marítimo em que vivemos sempre nos permite  coisas destas em pleno janeiro!

Gelado de Leite Condensado

gelado de leite condensado

gelado de leite condensado

Ingredientes

2 pacotes de natas para bater (400 ml)

2 claras em castelo

2 gemas

1 lata de leite condensado cozido

aroma de baunilha (1 colher de chá)

raspa de meia lima

amêndoa laminada e chantilly para decorar (facultativo)

 

Preparação

1. Bater as gemas com o leite condensado muito bem. Juntar a raspa da lima.

2. Bater as natas até ficarem fofas e volumosas. Adicionar o aroma de baunilha.

3. Bater as claras em castelo. Reservar.

4. Adicionar as natas batidas ao preparado com o leite condensado. Incorporar as claras com a colher de pau.

5. Levar ao congelador numa tigela durante duas horas.

6. Antes do gelado estar congelado, retirá-lo do congelador e misturá-lo com uma colher de pau para quebrar os cristais de gelo.

7. Colocar novamente no congelador. Fazer o mesmo processo duas horas depois.

Servir o gelado no dia seguinte.

Se preferir que o gelado fique com aspeto riscado, reserve algum leite condensado e disponha-o alternadamente com o preparado final do gelado. Evite mexer muito o gelado nos passos 6 e 7.

Diapositivo4

gelado de leite condensado

Zás, trás, pás e temos sobremesa

Tem havido muitas queixas cá em casa por não haver sobremesas com a regularidade que havia, ou seja, duas ou três por semana, contando-se com as fornadas de bolachinhas. É verdade, os hábitos mudaram em prol da saúde. Estou cansada de dizer aos meus filhos que há que reduzir a ingestão de açúcares e os farináceos. O consumo de pão também foi diminuído. Os sumos de compra já não são presença na nossa mesa há muitos meses. Temo-los apenas em dias de festa. O peixe tem sido o escolhido para pratos principais, bem com as carnes brancas. Nas sopas reduzimos a utilização da batata e aumentámos a quantidade de curgete e caiota. À medida que as semanas se foram passando, as sobremesas tornaram-se praticamente inexistentes- tem-me salvado para alimentar o blogue as fotos já tiradas de sobremesas ainda não publicadas- ao ponto de eu  também começar  eu achar que estou a cair no exagero. A minha salvação, ou perdição, é que vem aí o Natal e com ele alguma gulodice obrigatória. O meu filho até já me disse: Mãe, como vai sobreviver assim o teu blogue? Sem sobremesas vai-se tornar “secante”! E, posto isto, para disfarçar estes meus atuais fundamentalismos, recorri a uma base de massa folhada esquecida e à preciosa ajuda da Bimby para confecionar, sem esforço e rapidamente, o recheio de creme inglês. Espreitei o armário despenseiro, vi algumas embalagens de frutos secos e recriei, “às três pancadas”, uma sobremesa que acabou por se transformar em algo surpreendente e viciante.

TARTE DE CREME INGLÊS E FRUTOS SECOS

tarte de creme inglês e frutos secos

tarte de creme inglês e frutos secos

tarte de creme inglês e frutos secos

Ingredientes

1 embalagem de massa folhada circular

500 ml de leite

2 ovos

120 g de açúcar

aroma de baunilha (uma colher de chá)

15 g de maisena

nozes picadas a gosto

amêndoa laminada a gosto

manteiga para untar a tarteira

 

Preparação na Bimby

1. Coloque o leite, o açúcar, os ovos, o aroma de baunilha e a maisena no copo e programe 6 Minutos/90ºC/Velocidade 4.

2. Pincele a tarteira com manteiga e disponha a massa folhada já desenrolada. Pique o fundo, cá e lá, com um garfo.

3. Verta o creme inglês por cima da massa folhada, decore com os frutos secos e leve a cozer a massa e a alourar as nozes e a amêndoa durante 20 a 30 minutos em forno pré-aquecido a 200 ºC. Poderá utilizar primeiro apenas a resistência inferior do forno e quando a tarte estiver cozida, ligue a resistência superior para tostar ligeiramente as amêndoas laminadas.

Preparação Tradicional

Colocam-se os ovos, o aroma de baunilha e o açúcar num tacho e mistura-se bem. Vai-se juntando o leite e a maisena aos poucos e continua-se a mexer até estar tudo dissolvido. Liga-se o fogão em lume médio e, sem nunca deixar de mexer o preparado com uma colher de pau, espera-se pacientemente que o creme coza e engrosse. Quando começar a querer borbulhar, desliga-se o fogão e está pronto.

Pincele uma tarteira com manteiga e disponha a massa folhada já desenrolada. Pique o fundo, cá e lá, com um garfo.

Verta o creme inglês por cima da massa folhada, decore com os frutos secos e leve a cozer a massa e a alourar as nozes e a amêndoa durante 20 a 30 minutos em forno pré-aquecido a 200 ºC. Poderá utilizar primeiro apenas a resistência inferior do forno e quando a tarte estiver cozida, ligue a resistência superior para tostar ligeiramente as amêndoas laminadas.

tarte de creme inglês e frutos secos