E do velho se fez novo… Falafel com Atum


Os Falafel são bolinhos vegetarianos originários do Medio Oriente, cujo ingrediente principal é o grão-de-bico. Fi-los para o workshop ‘Tapas Gourmet’, que dinamizei este mês de agosto na Loja DEBORLA da ilha Terceira, como poderão ver aqui. Hoje, trago uma versão diferente, com atum, como aproveitamento de dois lombos de atum que assei no forno, cujo tempero seguiu esta receita de cavala, que se encontra sempre no top ten das receitas mais visualizadas do blogue. No frigorífico havia também sobras de grão e de batata, de uma refeição de bacalhau-com-todos. E porque sou totalmente contra o desperdício, do velho se fez novo!

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Poderão encontrar esta e outras ardósias de servir nas lojas DeBORLA.

Micro pepinos originários da Quinta Biológica do TiCanoa

 

Falafel de Atum com Cuca Melon

Ingredientes

  • 2 lombos de atum assado no forno (300 g aprox.)
  • 200 g de grão de bico cozido
  • 200 g de batata cozida
  • 150 g de farinha T65 + para polvilhar as mãos
  • 1 colher de chá de fermento Royal
  • 1 cenoura raspada
  • 1 ovo
  • 1 cebola média
  • moinho de 5 pimentas
  • sal
  • salsa picada
  • cebolinho picado
  • óleo ou azeite para fritar

Preparação

  1. Coloque a cebola num robot de cozinha e triture finamente.
  2. Junte as postas de atum, o grão e a batata cozida e triture bem.
  3. Adicione o ovo, a cenoura raspada, a farinha, o fermento e misture bem.
  4. Termine com a salsa, o cebolinho, o sal e a pimenta. Envolva bem.
  5. Polvilhe as mãos com farinha e faça os falafel de atum do tamanho que entender.
  6. Leve a fritar em óleo quente.
  7. Sirva com maionese e com salada. (Servi com pequenos pepinos crocantes, denominados Cuca Melon).

Falafel com Atum

Falafel com Atum

 

 

 

Anúncios

Comida com cor e sabor

esparguete de ameijoa e legumes chineses

Adoro fotografar alimentos coloridos, tais como a fruta e os legumes. Quando frescos são vibrantes e apelativos. Sabiam que a cor do alimento está relacionada com o nutriente que contém, sendo fundamental ingerir diariamente no mínimo um alimento de cada cor? Assim, quanto mais colorida estiver a alimentação, maior será a quantidade de nutrientes que serão oferecidos ao organismo. Consumir diariamente frutas, legumes e hortaliças de cores diferentes é garantia de ingestão de alimentos de baixas calorias e grandes quantidades de vitaminas e minerais, o que reduz significativamente o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes, alguns tipos de cancro e outras doenças, que afetam em maior escala os países desenvolvidos.

Como sou adepta de refeições equilibradas, pois delas depende o bom funcionamento do nosso corpo, é também importante a ingestão de proteína animal, presente no leite e derivados, ovos e carnes (bovina, suína, aves, peixe), que é responsável pela síntese muscular e fornecimento de aminoácidos essenciais; dos cereais (massas, pães), responsáveis pela energia no nosso organismo e também as gorduras, cuja função é transportar vitaminas lipossolúveis e produzir certos hormónios. Como resultado destas preocupações surgiu este prato que devido à sua constituição é colorido, saudável e completo.

esparguete de ameijoa e legumes chineses

Curiosidades sobre a cor dos alimentos:

Amarelos ou alaranjados que contém carotenoides presentes nos alimentos como o mamão, melão, cenoura, manga, laranja, damasco, pêssego e abóbora que tem atividade antioxidante e anticancerígena. Também possuem vitaminas A e C, que ajudam a manter o sistema nervoso saudável, protegem o coração e a visão.

Azulados e arroxeados, tais como uva, ameixa, framboesa, beterraba, berinjela e repolho roxo possuem atividade antioxidante, retardando o envelhecimento. Também protegem o coração e previnem alguns tipos de cancro.

Brancos, como a couve-flor, batata, arroz, nabo, repolho, cebola e a banana constituem fonte de cálcio e potássio e são imprescindíveis para a formação e manutenção dos ossos e funcionamento do sistema nervoso e dos músculos.

Verdes, como abacate, brócolos, chuchu, kiwi, limão, pepino, vagem e os folhosos em geral, contém clorofila, ferro e vitamina A agindo na desintoxicação das células, protegendo contra anemia, anticancerígeno, inibindo o envelhecimento e protegendo a visão, coração, cabelo e pele.

Vermelhos, como morango, tomate, melancia, beterraba, framboesa, cereja e pimentão vermelho contêm licopeno que atuam como antioxidante, neutralizando os radicais livres e protegendo o coração. Também são fontes de vitamina C.

Castanhos, tais como aveia, nozes, castanhas, feijão, lentilha são ricos em fibras e vitaminas do complexo B e vitamina E, auxiliando no funcionamento do intestino e prevenindo doenças cardiovasculares.

Esparguete de ameijoa e legumes chineses

esparguete de ameijoa e legumes chineses

Ingredientes

– 1 pacote de 500 g de spaghettini
– 1/2 embalagem de legumes chineses congelados
– cogumelos frescos
– 1 embalagem de miolo de ameijoa
– 3 colheres sopa de soja
– 1 lata pequena de tomate triturado
– 1 cebola
– 3 dentes de alho
– sal e pimenta q.b.
– alho em pó
– sumo de 1/2 limão
– 1 colher de café de caril
– azeite q.b.

Preparação

1. Começar por cortar a cebola e o alho finamente e fazer um refogado em azeite. Juntar o miolo de ameijoa e os cogumelos frescos laminados. Deixar que destilem e cozinhem.  Juntar o tomate triturado, o molho de soja e o caril. Temperar com sal, alho em pó, pimenta e sumo de 1/2 limão. Deixar levantar fervura. Reservar.

2. Cozer os vegetais num tacho com água e sal durante 7/8 minutos. Escorrer bem após a cozedura. Aproveitar água da cozedura dos vegetais para cozer o esparguete. Escorrer o esparguete.

3. Juntar os legumes ao preparado  inicial, com o miolo de ameijoa, e deixar apurar um pouco.

4. Envolver o spaghettini neste preparado e servir.

 

 

Salada de lentilhas com bacalhau

Comer lentilhas faz bem à saúde porque é um alimento muito rico em vitaminas e minerais e possui apenas 127 calorias em cada porção de 100 gramas. Esta leguminosa pode ser usada como substituto do feijão. Porém, deve ser evitada por quem tem ácido úrico elevado, sendo um alimento que faz aumentar as purinas, que podem provocar as crises de gota.

Razões para o consumo de lentilhas

Apesar de serem ricas em carboidratos, as lentilhas podem ser preparadas sem adição de gorduras, tornando-se assim uma ótima refeição para uma dieta de emagrecimento. Os 7 principais benefícios de comer lentilhas são os seguintes:

  • Ajudar a diminuir o colesterol – porque têm fibras insolúveis que diminuem a absorção de gorduras.
  • Desintoxicar o organismo – regulando o intestino e, por isso, limpam os intestinos absorvendo as toxinas.
  • Diminuir a Tensão Pré-Menstrual
  • Combater a diabetes – porque apesar de ter muitos carboidratos, têm muitas fibras e fazem com que o açúcar não aumente muito sangue.
  • Prevenir e tratar a anemia – alimento muito rico em ferro, recomendado especialmente para vegetarianos com tendência a desenvolver anemia.
  • Ajudar a prevenir doenças oncológicas – porque além de serem ricas em fibras que diminuem o risco de cancro no cólon, têm antioxidantes que protegem as células do corpo.
  • Melhorar a saúde dos ossos – além de ter cálcio, contém isoflavonas que ajudam a produzir hormônios importantes para fortalecer os ossos.
  • Ajudar a fortalecer o sistema imunitário – as lentilhas são ricas em zinco.
  • Melhorar o trânsito intestinal- a sua alta quantidade de fibras  alivia a prisão de ventre e o inchaço da barriga.

texto adaptado desta fonte

salada de lentilhas com bacalhau

Salada de lentilhas com bacalhau

  • 400 g bacalhau demolhado
  • 500 g lentilhas
  • 1  cebola
  • 100 g cenouras
  • 100 g arroz
  • 2 pimentos encarnados
  • 4 colher de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de vinagre
  • 2 dentes alho
  • sal, pimenta e salsa

Coloque as lentilhas de molho durante 15 minutos e depois coza-as juntamente com a cebola. Tempere-as com sal perto do fim da cozedura. Escorra-as e reserve.

Coza o arroz em bastante água temperada com sal durante 10 minutos. Ao fim, passe-o por água fria e escorra bem. Coza também as cenouras aos cubinhos depois de peladas e lavadas.

Entretanto, escalde o bacalhau de 2 a 3 minutos e de seguida retire-lhe as peles e espinhas e parta-o em lascas. Escolha e lave a salsa; pique alguma, de maneira a ter 3 ou 4 colheres de sopa. Prepare um molho com os alhos picados, o azeite, o vinagre, sal, e pimenta.

Envolva as lentilhas com o bacalhau, o arroz, as cenouras, os pimentos encarnados, e a salsa picada. Coloque numa travessa, regue com o molho e sirva.

salada de lentilhas com bacalhau

 

Salada de favas com açafroa

Diapositivo2

Estamos na época de uma das minhas leguminosas favoritas: as favas.

Esta é, no meu entender, uma das melhores maneiras de confecioná-las: em jeito de petisco e à boa maneira açoriana, isto é, cozidas e marinadas em molho cru. Nesta salada, a açafroa acrescentou cor e sabor.

Resta-nos, então, pegar no palito, picar a fava e deliciarmo-nos com este molho. Uma boa fatia de pão caseiro e um copo de cerveja ou de vinho branco seriam o complemento perfeito para esta salada.

Diapositivo1

Preparação

1. Colocam-se as favas a cozer em água a ferver, sem sal. Depois de cozidas, escorrem-se.
2. Envolvem-se as favas, ainda quentes, no molho abaixo indicado. Tapa-se o recipiente e deixa-se marinar pelo menos três horas antes de servir. Durante este período de tempo, deve-se envolver por duas ou três vezes as favas no molho para que absorvam bem os temperos.

Molho Cru

1 cebola roxa pequena

1 cebola  branca

um ramo de salsa picada

2 dentes de alho picado

2 colheres de sopa de massa malagueta 

1 copo de azeite  

1/2 copo vinagre de vinho

1 colher de chá de sal

paprica (colorau)

mistura de cinco pimentas

1 colher de café de açafroa

&

Bom apetite!

Diapositivo1

Torta de legumes

Diapositivo3

Os dias vão ficando mais quentes e, muitas vezes, já vão apetecendo pratos mais leves. Esta torta de legumes é muito saborosa, saudável e de fácil confeção. O único momento mais delicado prende-se com o enrolar a torta evitando que se quebre, mas isso acontece com todas as tortas quer sejam doces ou salgadas. Para que tal não aconteça, deve-se respeitar o tempo de cozedura, não deixando que esta seque demasiado no forno.

Como os olhos são os primeiros a comer, o interior colorido da torta torna-a muito apelativa, especialmente para as crianças que oferecem alguma rejeição ao legumes. Cor e sabor num só prato.

Diapositivo1

 

Ingredientes

1 embalagem de quilo de legumes (feijão rolo, ervilha, pimento encarnado, milho e cenoura) – depois de cozido e escorrido rende 800 g

1 cebola

3 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de farinha

6 ovos

sal e pimenta q.b.

 

Preparação

1. Cozem-se os legumes em água a ferver com sal. Escorrem-se bem e deixam-se arrefecer.

2. Aquece-se o azeite num tacho e junta-se a cebola picada finamente. Deixa-se alourar levemente.

3. Junta-se a farinha e mexe-se bem. Deixa-se arrefecer um pouco.

4. Adicionam-se  as gemas uma a uma e tempera-se com sal e pimenta.

5. Batem-se as claras em castelo bem firme com uma colher de café de sal.

6. Envolvem-se as claras com cuidado no preparado anterior e juntam-se os legumes cozidos, incorporando bem com a colher de pau.

7. Unta-se o tabuleiro do forno com manteiga, forra-se com papel vegetal, o qual também é untado.

8. Verte-se o preparado para o tabuleiro, nivelando-o.

9. Leva-se a cozer em forno bem quente (pré-aquecido a 200 ºC) durante 15 a 20 minutos.

10. Retira-se do forno e coloca-se por cima de uma toalha húmida, retirando o papel vegetal com cuidado.

11. Enrola-se a torta com a ajuda da toalha, apertando moderadamente.

Coloque numa torteira e sirva a torta de legumes quente ou fria acompanhada de peixe ou de salada.

Diapositivo2Diapositivo3

Açorda de ervilhas com ovo a cavalo

Quando penso numa receita de conforto, o pão tem de estar presente. Em vez das tradicionais ervilhas guisadas com chouriço ou linguiça, decidi introduzir nesta receita uma base de pão, transformando um mero estufado numa açorda suculenta que aglomerou todos os sabores. As fatias de pão caseiro foram previamente barradas com manteiga, decoradas com folhas de hortelã e dispostas no prato ou na terrina. O estufado de ervilhas foi vertido sobre o pão, deixando um ovo escalfado no cimo do pódio, heróico, à espera da primeira garfada.

Diapositivo2

Ingredientes para 4 pessoas

1 kg de ervilha (fresca ou congelada)
½ linguiça da terra
4 ovos
1 cebola grande
5 dentes de alho
1 lata de tomate triturado
1 caldo de carne
1 copo de vinho branco bem cheio
Especiarias (pimenta da Jamaica em grão; pimenta preta; piri-piri)
Azeite q.b.
2 copos cheios de água
Sal q.b. e uma folha de louro

Modo de Preparação

1. Faz-se um refogado em azeite com a cebola, o louro e o alho picado.

2. Tira-se a pele à linguiça e corta-se às rodelas. Junta-se ao refogado e vai-se mexendo durante dois minutos até a linguiça ficar ligeiramente tostada.

3. Junta-se o vinho, a água e a polpa de tomate e deixa-se ferver.

4. Adicionam-se as ervilhas, o caldo de carne e os temperos. Deixa-se cozinhar até a ervilha estar quase cozida.

5. Partem-se os ovos, um a um, e vão se colocando por cima das ervilhas, mas separados uns dos outros. Tapa-se o tacho e deixa-se cozer os ovos.

6. Depois, dispõe-se numa terrina pão caseiro fatiado, barrado com manteiga, e folhas de hortelã. Coloca-se por cima deste pão o guisado, com bastante molho para ser absorvido pelo pão.

Diapositivo1

Delicioso!

Poderão encontrar a mesma receita, mas confecionada com favas no Receitas ao Desafio.

http://receitasaodesafio.blogspot.pt/2011/04/favas-guisadas-com-ovos-

Salada de goraz com courgettes salteadas

A primavera aproxima-se a passos largos. Os dias já vão ficando mais solarengos, quentes e bonitos. Sendo assim, nas nossas mesas também vão surgindo refeições mais leves e frescas.

Diapositivo1Diapositivo2Diapositivo3

Ingredientes para a cozedura do peixe e para a salada

2 gorazes médios

10 batatas médias

3 cenouras pequenas

2 courgettes médias

12 couves-de-bruxelas

1 lata de feijão verde cozido (marca Libby’s)

maionese de cebola caramelizada e ervas (marca Heinz)

azeitonas galegas

picles

1 cebola pequena (facultativo)

4 dentes de alho

1 folha de louro

orégãos

piri-piri ( 1 malaguetinha)

azeite

salsa

Diapositivo2

1. Numa panela, coloco a cebola cortada em quartos, os dentes de alho descascados, a folha de louro, sal e o piri-piri. Encho com água e deixo que esta ferva.

2. Coloco o peixe na panela, já escamado, limpo de entranhas e cortado ao meio,  e certifico-me que fica coberto com água. Se isso não acontecer, verto mais água quente. Deixo cozer cerca de 10 minutos. Como se destina a salada, interessa que mantenha a consistência.  Depois de cozido, separo o peixe das espinhas, sem desfiar muito.

3. Escorro o feijão. Reservo.

4. Cozo as batatas aos cubos com as cenouras cortadas aos pedacinhos. Escorro. Reservo.

Dica de sabor: Podem aproveitar a água da cozedura do peixe para, depois de coada, cozer as batatas.

5. Lavo as courgettes e corto-as aos quadradinhos pequenos, semelhantes ao tamanho dos cubos de batata. Salteio-as em azeite e tempero com sal e orégãos secos. Quando se encontrarem cozinhadas mas consistentes, adiciono-as à salada. Quem preferir poderá saltear a courgette sem a pele.

6. Depois de todos os ingredientes estarem cozidos, disponho-os numa travessa grande e envolvo-os com uma colher. Pico aos pedacinhos os picles e junto as azeitonas. Polvilho tudo com salsa picada.

7. Poderão misturar a maionese em toda a salada ou apenas em cada prato. Numa versão ainda mais saudável, em vez da maionese tempera-se a salada com azeite e vinagre balsâmico.