Frango, legumes e ananás combinam

Chegámos a sexta-feira. Para muitos esta semana já foi de trabalho. Para a maioria das crianças e jovens em idade escolar, as aulas iniciam na próxima semana. Por isso, há que começar a retomar os horários de sono e a pensar em receitas adequadas às lancheiras de pequenos e grandes.
Esta é uma sugestão que pode ser aquecida no micro-ondas e que pode ser acompanhada com arroz branco ou como recheio de tortilha ou de pão integral, como sugerem as fotos. Fica a vosso critério.

Diapositivo2
Diapositivo1

11935075_10156032739220504_5855291345857174850_n

Fica então completa a partilha das receitas confecionadas por mim no último workshop DeBORLA-Terceira.

Votos de um excelente fim de semana!

Patrícia

Convidei para jantar….Morten Harket

Aos 10 anos comecei a ter cantores favoritos. Estávamos em 1984/85. A década de oitenta estava repleta de artistas com guarda-roupa piroso, de onde destaco os casacos com ombreiras elevadas ao infinito por chumaços de espuma que alargavam o tórax e as costas ao artista mais franzino. Era também a época das popas descoloradas e seguradas por gel, das permanentes e de outfits coloridos. Tudo uma verdadeira desgraça, vistas bem as coisas agora à distância. Madonna dava os primeiros passos e o filme Top Gun, protagonizado por Tom Cruise, um verdadeiro destruidor de corações, esgotava todas as bilheteiras . No meio de tanta banda que eu seguia religiosamente através do programa Top +,  que passava na RTP 1 aos sábados, eu tinha um alaviu secreto: Morten Harket, o ex-vocalista dos A-ha, que cantava o ícone “Take on me”. Foram poucos os cantores noruegueses que alguma vez alcançaram tanto sucesso. Morten Harket tinha uma voz diferente das habituais e, para além disso, era lindo, de acordo com os meus questionáveis padrões de beleza da altura. Ao lado de Magne Furuholmen e Paul Waaktaar-Savoy, fez sucesso com canções como “Hunting high and low”, “You are the one”, “Cry wolf”, “Crying in the rain” e “Take on me”. Ei-lo aqui na revista Bravo, da qual eu era assinante compulsiva quase apenas pelo poster que continha no interior e que contribuia para o colorido das paredes do meu quarto e para o desespero da minha mãe, admiradora desde sempre do estilo minimalista, para não dizer impessoal, nos quartos de cama.

1533-1

Era ponto assente: amanhã nós teríamos cá em casa os A-hás todos . Quando confirmaram o jantar, os rapazes fizeram uma única exigência. O prato principal teria de ser carne. Desafio aceite.

O grupo A-ha em foto de divulgação dos últimos anos da banda, quando vieram ao Brasil (Foto: Divulgação)

Foram pontuais. Oito horas e cá estavam. O taxista que os trouxe pareceu muito surpreendido com a existência de uma casa neste sítio. Nunca tinha feito uma volta até aqui. Há sempre uma primeira vez para tudo e, no meu caso, aquele momento em que Morten Harket  saiu do carro foi uma primeira vez arrepiantemente estranha. Nem reparei que Magne e Paul saíam atrás dele. Só tinha olhos para esse meu ailaviu dos anos oitenta. Confesso que o meu marido demonstrava algum nervosismo. Também ele tinha sido fã dos A-ha. Morten mostrou-se muito tímido e acanhado e coube-me a mim fazer a primeira tentativa para quebrar o gelo. Quando me abeirei para cumprimentá-los surgiu uma nuvem de movimento por detrás de Morten que o deitou imediatamente por terra. Era o Stitch, um dos nossos cães cujo maior desejo na vida seria o deixar de ser trapalhão. Dificilmente o génio da lâmpada o concederá.

Deitado no chão de paralelos, Morten só dizia: What a clumsy dog!, e tentava levantar-se, ainda abafado pela energia do canídeo.

Que vergonha! – pensei eu. Que terrível comissão de boas-vindas.

Entrámos em casa. Morten perguntou onde ficava a casa de banho. Indiquei-lhe a porta e voltei à sala onde se encontrava o meu marido a desenferrujar o seu Inglês com os dois restantes noruegueses. Morten juntou-se ao grupo e enquanto o meu marido fazia de anfitrião, oferecendo-lhes um Porto, eu dirigia-me até à cozinha para ultimar o jantar. A mesa da sala de jantar estava posta e a conversa entre os homens fluía. Do lado de fora do grande vidro da porta da sala de jantar estava o Stitch já acompanhado pelo Wolf e pela Maxine, todos atentos ao que era dito cá dentro como se entendessem leitura labial e língua gestual. Sem que eu me apercebesse, Morten surge na cozinha no preciso momento em que eu retirava o tabuleiro do forno.

Do you need a hand?– perguntou-me. Como adoraria ter tido essa “hand” nos anos 80. Aceitei a ajuda e vi-o, pelo canto do olho, a transportar a assadeira até à sala de jantar. Pareceu-me, de repente, ainda mais sexy do que nos tempos da sua juventude. Meu Deus, não conseguia acreditar. O Morten estava ali, em carne e osso.

Morten+Harket+Red+Carpet+Arrivals+BMI+Awards+a0p_72UiJgAl

O jantar foi bastante animado. Gostaram do vinho Terras de Lava que lhes servi com os rolos de frango com bacon. Falei-lhes no meu video clip favorito, o da música “Take on Me”. Elogiei-lhes a criatividade em conjugar a banda desenhada com uma história de amor, onde a rapariga é convidada a entrar na história como personagem, ideias inovadoras para a época. O vídeo retrata a banda numa animação de banda desenhada denominada de rotoscoping– explicou-me Morten- que combinava o desenho com a ação de personagens reais. Disse-me também que o vídeo fora premiado seis vezes e nomeado outras duas para a edição de MTV Video Music Awards quando decorria o ano de 1986.

Fizeram-me muitas perguntas sobre os Açores, por cujas ilhas estavam fascinados. E prometeram voltar, mas por mais tempo.

Os cães ladravam. O táxi estava de volta para os vir buscar. Partiram quando a noite já ia muito escura. E nós ficámos a dizer-lhes adeus até que o táxi desaparecesse na curva da estrada.

Com Morten Harken, um dos meus ailavius de adolescente, participo no desafio Convidei para Jantar do blogue Anasbageri.

Rolinhos de Frango e Bacon e Arroz de Cogumelos

rolinhos de frango e bacon

Diapositivo3

Ingredientes para o frango

15 bifinhos pequenos de frango

15 fatias de bacon laminado (usei marca Continente)

1 pacote de sopa de cebola

3 colheres de sopa de molho de soja

1 pacote de natas light (200 ml)

queijo de São Jorge ralado q.b. (uns fios por cima de cada rolo)

orégãos secos ou frescos

azeite

1 cerveja mini

Preparação 

1. Cortam-se tiras de peito de frango praticamente do mesmo comprimento da fatia de bacon.

2. Envolvem-se de ambos os lados na mistura seca da sopa de cebola.

3. Dispõem-se as tiras de bacon e colocam-se por cima os bifinhos de bacon. Enrolam-se e espetam-se em palitos de madeira. Colocam-se no fundo da assadeira até perfazerem 15 rolinhos.

4. Em cima de cada rolo coloca-se um pouco de queijo de São Jorge ralado e risca-se toda a assadeira com fios de natas. Faz-se o mesmo com o molho de soja.

5. Rega-se tudo com a cerveja e com um generoso fio de azeite e polvilha-se com orégãos.

6. Leva-se ao forno pré-aquecido durante 30 minutos.

Diapositivo2

Ingredientes para o Arroz de Cogumelos

1 chávena de arroz (usei basmati)

2 chávenas de água

azeite q.b.

2 dentes de alho

cogumelos (usei uma mistura de cogumelos congelados- marca Continente)

sal

Preparação

1. Faz-se um leve refogado com o alho (cuidado, para não deixar queimar)

2. Junta-se o arroz e deixa-se o arroz fritar um pouco mexendo sempre com a colher de pau.

3. Adicionam-se os cogumelos e mexe-se.

4. Junta-se a água a ferver e tempera-se de sal. Mexe-se. Deixa-se cozinhar com o tacho destapado.

Quando a água desaparecer da superfície do arroz, tapa-se o tacho e desliga-se o lume.
Diapositivo4

Só para quem gosta de comida chinesa

Diapositivo2

Com certeza o mesmo acontece convosco. Há dias em que apetece comida de outras paragens. Estes surtos repentinos acontecem-me muito com a comida japonesa, chinesa e indiana. Infelizmente, como nesta ilha pequena em que vivemos não existem restaurantes com especialidades destes países, resta-me recriar em casa a materialização dos apetites. Isto aconteceu com este frango com legumes chineses e amendoim.

No caso do sushi, já não me atrevo na reprodução. Deixo esta arte para quem de direito. Aqui na ilha, aconselho contatarem Manuno Sushi. É, sem sombra de dúvida, o melhor sushi de todos os tempos.

Ingredientes

2 peitos de frango cortados aos cubinhos
100 g de amendoim
5 colheres de sopa de molho de soja
óleo de amendoim q.b.
2 dentes de alho
1/2 pimento vermelho
1 embalagem de mistura chinesa (cogumelos, rebentos de soja, algas, bambu, pimento, ervilhas na vagem, cebola…)
sumo de limão
mistura de pimentas
sal

Preparação

1.Torram-se os amendoins sem pele.

2.Tempera-se o frango, com alguma antecedência, com limão, sal, mistura de pimentas e molho de soja.

3.Num wok, aloura-se o alho picado no óleo de amendoim, junta-se o frango com a marinada e frita-se.

4.Juntam-se os legumes, mais umas colheres de molho de soja, temperam-se com sal e tapa-se o wok com uma tampa de um tacho.

5.Quando os legumes já estiverem cozinhados e al dente, apaga-se o lume e salpica-se tudo com os amendoins.

Acompanha-se com massa chinesa.

Diapositivo1

Metida em assados…

Hoje estive literalmente metida em assados. O dia amanheceu chuvoso e frio, demasiado outonal em plena primavera. Vá-se perceber estas estações! Não sei se se deveu à mudança da hora, mas eram as onze e já tinha um tacho de canja ao lume e um tabuleiro de frango assado com batatas no forno. Nada melhor do que um assado aromatizado com alecrim para perfumar a cozinha.

Diapositivo1

Ingredientes

2 frangos cortados em pedaços
meio limão médio
ramos de alecrim
4 colheres de sobremesa de alho em pó
1 cerveja
400 ml de caldo de galinha
meio pacote de sopa de cebola
2 colheres de café de pimentão doce
1 colher de café de pimenta preta
2 bagas de piri-piri
2 folhas de louro
sal

Preparação

1. Coloca-se o frango já lavado e cortado em pedaços numa assadeira e tempera-se com sal, com o louro, com o sumo de limão, com alho em pó, com a sopa de cebola, com as especiarias e com raminhos de alecrim.
2.Verte-se a cerveja.
3.Num tacho, coloca-se 400 m de água e um caldo de galinha. Deixa-se levantar fervura e adiciona-se ao assado.
5. Descascam-se as batatas, temperam-se com sal e envolvem-se no frango. Certifiquem-se que fiquem todos os elementos com molho até meio.
6. Leva-se a assar a 220 C, com a resistência de baixo apenas, até que o frango esteja assado- cerca de uma hora.
7.Por duas ou três vezes, abre-se a porta do forno e rega-se o frango com o caldo e os sucos destilados.
Diapositivo2

Depois do assado estar pronto, é hora de pôr a mesa e de nos deliciarmos com este prato caseiro tão aromático.
Diapositivo3

Enjoy!

Diapositivo4

Um excelente domingo para todos!

Deixo aqui outro assado, ainda mais aromático do que este. Ora vejam!

Conjugação

Diapositivo2

Cozinhar é acima de tudo conjugar; é a arte de combinar ingredientes, mesmo que, por vezes, a estética não faça parte do ato criativo. Nesta conjugação está frequentemente a intenção de aproveitamento, como foi o caso desta receita. Reinventaram-se as sobras e transformou-se o velho em novo. Adoro esta alquimia caseira, especialmente quando se traduz em pratos de fácil preparação e cheios de sabor.

Diapositivo1

Ingredientes

1 embalagem de penne rigate (marca Buitoni)

sobras de frango desfiado (utilizei de churrasco)

alcaparras XL (brigantinas)

tomate seco (conservado em azeite)

orégãos secos

pimenta preta

3 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de óleo

2 dentes de alho

salsa

Modo de Preparação

1. Desfia-se o frango. Reserva-se.

2. Coloca-se duas colheres de azeite numa caçarola e adiciona-se o alho picadinho. Deixa-se alourar, sem queimar.

3. Junta-se o frango e tempera-se com pimenta preta. Envolve-se com uma colher de pau. Junta-se mais uma colher de sopa de azeite.

4. Adicionam-se as alcaparras e os pedaços de tomate seco. Polvilha-se com orégãos.

5. Num tacho, coloca-se água e o óleo e deixa-se ferver. Tempera-se com sal e introduz-se a massa, seguindo as instruções de cozedura presentes na embalagem. Depois de cozida, escorre-se muito bem.

6. Envolve-se  a massa com o preparado do frango. Tapa-se a caçarola durante 5 minutos.

7. Na hora de servir, polvilha-se com salsa fresca.

Este prato pode ser acompanhado com uma salada verde.

Harrief em espetadas de frango e camarão

Um sabor picante condimentado. Viciante.

Uma coloração  aromática. Um Perfume inebriante.

E saber que dentro deste frasquinho está um tempero mexicano que convida à sua utilização em molhos, marinadas, assados e grelhados e que tem o condão de tudo transformar em algo de diferente, como se de uma varinha mágica se tratasse.

Para além do Harrief, outra surpresa: a utilização de cubos de beterraba nas espetadas. Um contraste doce/salgado muito bom. Experimentem!


Diapositivo1

Diapositivo2

Ingredientes para 8 espetadas

3 peitos de frango

16 camarões

cebolas pequenas

16 cubos de beterraba

1 pimento encarnado

4 dentes de alho grandes

1 colher de sopa de harrief

pimenta rosa

sal

Ingredientes para o molho

azeite

1 colher de sopa de harrief

sumo de uma lima

raspa de meia lima

1 colher de sopa rasa de mostarda Dijon

1 colher de sopa de ketchup

1 colher de sopa de buffalo wing sauce

1 colher de café de orégãos secos

Preparação

1. Cortam-se os peitos de frango nos pedaços a colocar no pauzinho de espetada.

2. Colocam-se numa taça de vidro e temperam-se com alho laminado, pimenta rosa e sal.

3. Parte-se o pimento e corta-se aos pedaços.

4. Partem-se as cebolinhas a meio.

5. Descasca-se a beterraba e parte-se em cubos.

6. Lavam-se os camarões.

7. Começam-se a montar as espetadas, de acordo com as fotografias, deixando os cubos de beterraba para o fim, uma vez que prendem bem, em ambos os extremos, todos os ingredientes.

8. Liga-se o grelhador elétrico ou a frigideira grill, colocam-se as espetadas e vão-se pincelando todos os lados com o molho acima até que apresentem um aspeto cozinhado.

Imediatamente antes de servir regam-se as espetadas com mais um pouco de sumo de lima.

Diapositivo3

Chicken Buffalo Dip… uma surpresa

Chicken Buffalo Dip_foodwithameaning

Chicken Buffalo Dip_foodwithameaning

Este é um dos mais saborosos patés que comi até hoje. Deu-mo a conhecer a Norberta, uma amiga, aquando de um jantar em casa de amigos comuns. Carateriza-se por ser uma entrada que chega a ser viciante, especialmente se apreciamos um toque de picante.

Um dia, enquanto tomava café com os nossos amigos comuns, estes entregaram-me um saco  com um frasco e um envelope lá dentro. Era da Norberta.

Nunca pensei ficar feliz com um frasco de molho de tomate picante, mas sem este ingrediente especial, vendido apenas na base americana, a reprodução da receita nunca teria o mesmo produto final.

Chicken Buffalo Dip_foodwithameaning

Com o molho vinha um envelope lilás. No seu interior, numa folha estampada e primaveril, estava a receita. Que lindo gesto! Que valor imenso tem o poder da letra manuscrita.

Partilho então a receita convosco.

Chicken Buffalo Dip_foodwithameaning

Chicken Buffalo Dip_foodwithameaning

Tradução da receita

Ingredientes

1 embalagem de creme de queijo (200 g) – utilizei da marca continente

meia chávena de sour cream (natas azedas) ou de iogurte natural

duas chávenas de frango cozinhado e triturado (utilizei um peito de frango de churrasco)

1/4 de chávena do molho acima

Preparação

1. Pré- aqueça o forno a 250 ºC (a potência máxima do meu forno elétrico)

2. Numa tigela, misture o creme de queijo com o sour cream.

3. Adicione o frango triturado e misture bem.

4. Junte aos pouco o molho e vá provando até atingir o sabor e o picante desejados.

5. Coloque a mistura numa pequena assadeira e leve ao forno cerca de 20 minutos ou até que fique uniformemente aquecida e ligeiramente gratinada.

6. Sirva o paté ainda quente com tostas ou bolachas de água e sal.

 Enjoy!

 

Outra sugestão:

http://receitasaodesafio.blogspot.pt/2011/05/pate-de-camembert-alho-ervas-aromaticas.html