Caracóis doces de alfarroba e frutos secos… Dia Um…Na Cozinha

Tal como a Isabel Fernandes, uma das dinamizadoras do desafio Dia Um Na Cozinha, afirma o “outono é mesmo uma estação especial” porque se encontra associada  a ” tardes em casa ao som da chuva”, a “chocolate quente ou chá”, a “maratonas de filmes, a manta no sofá”, e a “forno ligado”, do qual ” exaltam odores inebriantes que inundam as cozinhas”. Por estes motivos todos, e mais alguns, a Isabel, autora do blogue Brisa Marítima, lançou, conjuntamente com a Aida e com o Paulo Herculano o tema “Pães Doces” para o desfile da 42ª edição do “Dia Um… Na Cozinha”. Foi com muito gosto de aceitei este desafio, após alguns meses sem conseguir participar.

Caracóis Doces de Alfarroba e Frutos Secos

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

Ingredientes

  • 1/2 chávena de margarina ou de manteiga sem sal (amolecida)
  • 100 ml de leite à temperatura ambiente
  • 150 ml de água morna
  • 1 saqueta de fermento Fermipan
  • 600 g de farinha T55
  • 60 g de farinha de alfarroba
  • 100 g de açúcar
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de sal

Preparação

Aqueça a água a 37ºC  e junte-lhe o fermento. Misture. Deixe repousar 10 minutos.

Coloque as farinhas, o açúcar e o sal numa taça grande e faça um buraco no centro.

Junte o ovo e a manteiga e amasse. Vá juntando a água morna com o fermento reservada, amassando sempre. Termine com o leite e volte a amassar até que a massa fique uniforme e não se agarre à tigela.

Divida a massa em 12 pedaços iguais. Recorra à balança para ser mais preciso(a).

Enfarinhe uma superfície  e estique cada pedaço de massa fazendo uma tira que depois será achatada e enrolada com o formato de caracol.

Disponha os caracóis juntos num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixe levedar cerca de 1 hora e meia a duas horas.

Pré-aqueça o forno a 200 ºC e leve os caracóis a cozer durante 25 minutos.

Ingredientes para a cobertura

  • açúcar em pó
  • água ou sumo de limão
  • 150 g de frutos secos (mix avelãs, caju, amêndoa, castanha do Brasil)

Preparação

Quando os caracóis tiverem arrefecido, disponha por cima destes os frutos secos, grosseiramente triturados na picadora. Poderá envolvê-los numa calda de açúcar idêntica à abaixo descrita e só depois dispô-los sobre os caracóis.

Numa taça, coloque algumas colheres de sopa de açúcar em pó e um pouco de água ou de sumo de limão. Misture muito bem até formar uma glace que corra em fio. Decore os caracóis com fios de glace. Espere que a glace seque ou delicie-se de imediato.

logotipo-dia-um-na-cozinha-novembro-2016

 

Marmelos assados com vinho do Porto e especiarias

Já há imenso tempo que pretendia fazer uma receita com marmelos. Queria que fosse algo que não a simples marmelada, apesar de gostar imenso dela. Lembrei-me do blogue da Isabel Rafael, o inspirador  Cinco Quartos de Laranja, pois tinha a ideia de por lá já ter visto publicadas algumas receitas com este fruto. A pesquisa conduziu-me até a um post que compilava vinte receitas onde o marmelo estava presente. Comecei a clicar nos links e a desfolhar as receitas: umas mais simples e outras mais desafiantes. Depois, pensei que o melhor mesmo seria começar a aventura com este fruto através de uma receita descomplicada: a de marmelos assados com vinho do Porto e especiarias.

Aprovadíssima!

E viva o outono e os seus frutos!

marmelos assados com vinho do porto e especiarias

marmelos assados com vinho do porto e especiarias

Ingredientes

  • 3 marmelos
  • sumo de 1 limão
  • 2 dl de água
  • 4 colheres de sopa de açúcar mascado escuro (usei claro)
  • 1 dl de vinho do Porto
  • 1 pau de canela (substitui por uma colher de café de canela em pó)
  • 1 estrela de anis (coloquei duas)

Preparação

1. Colocar o sumo de limão, a água, o açúcar, o vinho do Porto, a canela e o anis num tacho. Levar ao lume e deixar ferver uns minutos.

2. Cortar os marmelos ao meio. Deixar a casca. Retirar as sementes.

3. Numa assadeira, dispor os marmelo com os cortes para cima e regar os marmelos com a calda de açúcar, vinho do Porto e especiarias.

4. Levar a assar em forno pré-aquecido a 200 ºC durante 60 minutos. Durante a assadura virar os marmelos e regá-los com o molho.

Sugestão de acompanhamento:

Servir os marmelos assados com uma bola de gelado de baunilha.

marmelos

marmelos

marmelos assados com vinho do porto e especiarias

Em modo aniversário…

Ao contrário de muitos adultos, eu adoro comemorar o meu aniversário. Há melhor razão para celebrar a vida, a família, os amigos, a saúde e o trabalho do que fazer e partilhar uma fatia de bolo? Apesar de a idade não ser apenas um estado psicológico, ao contrario do que muitas pessoas advogam, temos que saber aceitar a passagem dos anos com confiança e alegria. Com este intuito, pretendi que o bolo de aniversário fosse composto por alguns dos meus ingredientes favoritos. De imediato pensei que teria de ser um bolo de chocolate. Não havia volta a dar. E também teria ganache, de chocolate negro, claro. Onde incluiria o amendoim, já que sou fã deste fruto seco e da sua manteiga? E o leite condensado cozido? E o caramelo salgado? Cheguei a duvidar de tanta conjugação diferente, mas aos poucos o bolo foi ganhando forma, acabando por ser bastante representativo dos meus gostos.

Happy Birthday to Me!

 

Naked Cake de Chocolate e Manteiga de Amendoim com Caramelo Salgado

naked cake de chocolate e manteiga de amendoim com caramelo salgado

naked cake de chocolate e manteiga de amendoim com caramelo salgado

Ingredientes (para um bolo com duas camadas)

  • 140 g manteiga amolecida
  • 100 g  de cacau em pó
  • 300 g açúcar
  • 200 ml de leite
  • 250 g farinha
  • 1 ½ colher de chá fermento em pó
  • ½ colher de chá de bicarbonato
  • ½ colher de chá de sal
  • 4 ovos à temperatura ambiente
  • 1 colher de sopa de essência de baunilha

 

  1. Pré aqueça o forno a 180 ºC.
  2. Unte uma forma de 18 cm com manteiga. Forre o fundo com papel vegetal. Unte e enfarinhe.
  3. Numa tigela, bata o açúcar com a manteiga.
  4. Adicione os ovos. Bata novamente.
  5. Junte o cacau, a baunilha e o leite. Misture.
  6. Peneire juntos, e sobre a massa a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal. Vá envolvendo com uma espátula.
  7. Coloque na forma, untada e enfarinhada, e leve ao forno, a 180ºC, em forno previamente aquecido, entre 40-45 minutos. Não deixe cozer demais. Teste com um palito que ainda deve ter algumas migalhas agarradas.
  8. Deixe arrefecer e desenforme.

Notas:

  • Se pretender fazer um bolo de quatro camadas, como o da fotografia, repita esta receita.
  • Leve os dois bolos a cozer ao mesmo tempo, já que um forno convencional contempla duas formas lado a lado.

naked cake de chocolate e manteiga de amendoim com caramelo salgado

Recheio (para um bolo com duas camadas)

  • 1 lata de leite condensado cozido
  • 3 colheres de manteiga de amendoim

Numa tigela, bata o leite condensado cozido com a manteiga de amendoim até ficar um creme pronto a barrar. Barre cada camada.

 

Cobertura e decoração

  • 1 embalagem de Creamy-Home Style ( Classic Vanilla)- Poderá também utilizar a versão Buttercream desta marca
  • amendoins torrados salgados
  • caramelo salgado (ver a receita aqui)
  • pepitas de chocolate
  • pepitas de  manteiga de amendoim (marca Reese)
  • cones de gelado
  • ganache de chocolate (para os cones)- ver receita aqui
  •  licor de amora para pincelar as laterais do bolo, impedindo algumas migalhas de se misturem com o creme da cobertura.

 

Pincele o bolo com licor.

Bata o creme de baunilha dentro da própria embalagem.

Comece a barrar o bolo com recurso a uma espátula. Retire o excesso. Alise.

Molhe os bordos dos cones na ganache de chocolate. Encha-os com amendoins salgados. Posicione-os no bolo.

Decore com amendoins e pepitas várias.

Faça verter fios de caramelo salgado a gosto.

naked cake de chocolate e manteiga de amendoim com caramelo salgado

naked cake de chocolate e manteiga de amendoim com caramelo salgado

 

 

Trouxas de veja, linguiça e alho francês… e um pano lindo pintado à mão pela minha madrinha

Desde que me iniciei no mundo dos blogues de culinária, comecei a ser fã de props, ou seja, de loiças, talheres, panos de cozinha, toalhas, entre outras coisas para as quais vou encontrando utilidade na preparação do cenário das fotos. Por este motivo, a família, os amigos, e até algumas pessoas que conheço há pouco tempo, me têm presenteado com diversos mimos que para mim estão revestido de grande valor. Esta receita pretende enaltecer o gesto da minha madrinha, e a arte que desde cedo saiu das suas mãos, de uma funcionária pública e costureira dedicada, que criou para mim e para a minha irmã inúmeros conjuntos exclusivos, os quais revemos com carinho através dos álbuns de outros tempos. Para além da costura, a minha madrinha domina também a renda, o ponto cruz, a técnica do guardanapo, a técnica da areia em tela, a pintura em pano,vidro e a óleo. É uma pessoa dedicada à família e com um coração enorme! Obrigada madrinha por este pano lindo, a tua estreia em pintura em pano, que por este motivo encerra ainda mais valor.

A travessa tem a assinatura DeBORLA! É linda, não é?
trouxas de veja com linguiça e alho francês

Trouxas de veja, linguiça e alho francês

Ingredientes

  • 1 quilo filetes de veja
  • 1 limão (sumo)
  • 1 rama de alho francês
  • 2 cenouras
  • 1 linguiça
  • 200 dl de molho de tomate de compra
  • 1 copo de água
  • 1 raminho de salsa
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • sal e pimenta q.b.

Preparação

  1. Coloque os filetes dentro de um recipiente e tempere com o sumo de limão, sal e pimenta. Reserve.
  2. Corte a rama de alho francês e a cenoura em rodelas. Usei uma mandolina para criar um efeito ondulado na cenoura. Leve ambos a saltear em azeite e alho durante três minutos.
  3. Corte a linguiça em fatias e leve a fritar na frigideira ligeiramente sem adicionar gordura.
  4. Ligue o forno a 180° C.
  5. Recheie os filetes com os legumes e a linguiça, fazendo camadas, ate com fio de cozinha e disponha dentro de um tabuleiro.
  6. Verta o molho de tomate e o molho de soja em volta e leve ao forno durante 20 minutos. Retire o fio de cozinha, corte ao meio e sirva de imediato.

Sugestão: Acompanhe com legumes cozidos.

trouxas de veja com linguiça e alho francês

trouxas de veja com linguiça e alho francês

Bom apetite!

Receita adaptada daqui

Tarte merengada de limão

Podem não acreditar, mas desde que o verão começou eu já fiz esta receita seis vezes, e nem um mês e meio passou ainda.  A receita foi-me transmitida pela cunhada da minha irmã, depois de eu ter experimentado a tarte feita por ela por altura do aniversário do meu afilhado. Fiquei-lhe muito grata quando partilhou a receita comigo. Ambas pensamos que as coisas boas só fazem sentido se forem partilhadas. E lá seguiu esta tarte para um almoço de churrasco, onde foi muito apreciada.

Tarte Merengada de limão

tarte merengada de limão

Base:

  • 1 pacote e meio de bolacha Maria (triturada) – 225gr
  • 3 colheres (de sopa) de manteiga amolecida
  • 2 colheres de sopa de licor de amora (adaptação minha)
  • Leite q.b. (1 colher ou duas de leite- quantidade que costumo pôr)

Misturam-se estes ingredientes e forra-se uma tarteira, preferencialmente de base amovível e com tamanho convencional, previamente untada com manteiga. Pica-se o fundo cá e lá com um garfo para evitar que ao cozer a base de bolacha empole.

 

Recheio:

  • 6 gemas de ovos
  • 2 latas de leite condensado (normal)
  • Raspa de 1 limão grande (coloco raspa de 2 limões se estes forem pequenos e ainda o sumo de meio limão)

Batem-se as gemas e mistura-se o leite condensado, a raspa e o sumo de limão.

Coloca-se por cima da base e vai ao forno, pré-aquecido a 200 ºC – apenas com resistência inferior- até ficar consistente (cozido).  Faça o teste do palito até ele sair seco. Retira-se do forno.

Batem-se 6 claras em castelo e adicionam-se com 4 colheres de açúcar até formar um merengue. Encha um saco de pasteleiro com o merengue e desenhe a terceira camada da tarte.

Vai ao forno novamente a alourar o merengue, apenas com a resistência superior. Vigie constantemente para que não queime. Não necessitará mais do que 5 minutos.

Deixe arrefecer a tarte merengada e sirva-a ainda morna ou à temperatura ambiente. Ligeiramente refrigerada também é uma delícia.

tarte merengada de limão

Carré de borrego com sabores indianos e com laranja (e algumas confissões fotográficas à mistura)

Diapositivo1

 

Carré de borrego com sabores indianos e laranja

Algumas pessoas que seguem o blogue perguntam-me se os pratos que confeciono são apresentados a pensar na reportagem fotográfica. Claro que são. Mas também lhes explico que as loiças que utilizo nas fotos são de facto as que de seguida vão para a mesa do almoço ou do jantar, conforme seja o caso. Quanto menos loiça se sujar tanto melhor. Confesso que esta atividade de foodblogger fez desenvolver em mim o vício da compra de props,  de todas as cores e feitios, recentes e ou com muitas histórias para contar, como as loiças que compro nas lojas de segunda-mão. Relativamente aos atoalhados, aos talheres e às peças decorativas que utilizo nas fotos, estes nem sempre são manipulados diariamente e encontram-se nos armários com gavetas e prateleiras apenas destinados à composição fotográfica. Para além disso, raramente se tornam práticos à mesa, especialmente quando dela fazem parte um adolescente com dificuldades em gerir o espaço  e uma criança com “bicho-carpinteiro”.

Acho que chegou a hora de desmistificar algumas ideias sobre a composição das fotos:

a) as bases onde fotografo não são as nossas mesas, salvo raras exceções (foram expressamente criadas ou recuperadas para o efeito);

b) não possuo um estúdio de fotografia em casa (apenas utilizo luz natural e tento tirar partido dela durante a exposição dos pratos  à mesma);

c) não possuo uma máquina fotográfica topo de gama (fotografo com uma Canon EOS 700D e com a respetiva lente de 18mm/55mm);

d)  nem todas as receitas que faço dão certo (na minha cozinha acontecem alguns desastres culinários, como em tantas outras, presumo);

e) não faço comida especial e fantástica todos os dias (muitas vezes, nas marmitas encontram-se almondegas com esparguete e salada de atum, o que causa por vezes indignação ao dono da marmita ao lado);

f) nem sempre o pessoal de casa gosta das minhas receitas (gosto de experimentar combinações  e temperos diferentes e nem sempre tenho palatos recetivos à estranheza e à novidade);

g) existem vozes descontentes (especialmente quando acontece algum atraso na sessão fotográfica e se encontram três esfomeados à mesa)

h) 90% das vezes fotografo com a comida já fria (o fumo do calor embacia a lente, a menos que se queira o efeito da fumaça, bastante difícil de se conseguir sem se proceder à utilização de layers). Algumas vezes, preparo previamente o prato para a foto  e o restante já está em cima da mesa, para que seja apreciado quentinho.

i) Não demoro uma eternidade na reportagem fotográfica, mas raramente tiro menos de 15 fotos a cada prato (normalmente, para evitar alguma perda de tempo, costumo, à medida que vou confecionando o prato, ir pensando na forma como o vou apresentar: loiça, talheres, atoalhados, peças decorativas, fundos, bases, flores, ervas aromáticas, etc. Vou compondo mentalmente todo o cenário que pretendo transmitir e, confesso, esta parte de food styling é mesmo o que mais prazer me dá neste hobby de foodblogger que abraço há 6 anos);

j) Não perco quase tempo nenhum com a edição das fotos. Um toque na luminosidade e no contraste acaba por ser o que faço na maior parte das vezes, por falta de tempo (tenho imensa pena que assim seja, já que com tempo e com o Lightroom, ou com outro programa de edição, poderia enriquecer as fotos).

Este carré  de borrego, a receita de hoje, teve de ser submetido a disparos muito rápidos, porque tinha de ser saboreado de imediato, daí eu estar um pouco descontente com as fotos. Contudo, garanto-vos que de sabor estava DELICIOSO!

Confissões e truques de amadora à parte, gostaria ainda de vos dizer que as travessas das fotos acima têm a assinatura DeBORLA e simplesmente não as dispenso porque as acho lindas.

Carré de borrego com sabores indianos e com laranja

Carré de borrego com sabores indianos e com laranja

Ingredientes para o Carré de borrego

  • 1 carré de borrego
  • azeite q.b.
  • 4 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de caril
  • 2 laranjas (sumo)
  • 1 malagueta
  • folhas de hortelã-pimenta
  • paus de canela
  • pimenta rosa
  • sal q.b.

Preparação

  1. Tempere a carne sal, com azeite, os dentes de alho picados, o caril, o sumo das laranjas, a malagueta picada, a pimenta rosa, as folhas de hortelã-pimenta e os paus de canela. Misture bem. Deixe marinar cerca de meia hora.
  2. Sele todos os lados da carne numa frigideira.
  3. Leve a carne ao forno, pré-aquecido a 180 ºC, durante 15 minutos.
  4. Sirva com laranja cortada em gomos ou fatiada.
  5. Acompanhe com as batatas da receita abaixo.

Ingredientes para as Batatas Assadas com Chili e Ervas Aromáticas

  • 1 quilo de batata vermelha (para assar)
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • alho em pó
  • sal
  • manjericão e tomilho fresco
  • flocos de chili

Preparação na Actifry

  1. Lave as batatas muito bem, limpando-as com um esfregão para retirar sujidade da pele.
  2. Corte cada batata no sentido do comprimento por duas vezes até formar 4 partes iguais (ver foto).
  3. Disponha as batatas na cuba da Actifry, tempere com sal, alho em pó, manjericão, tomilho e com flocos de chili.
  4. Marcar 15 minutos.

Servir de imediato.

Barquinhas de curgete recheada

Ainda na linha de uma alimentação saudável (presunto e queijo à parte), chegam estas barquinhas de curgete. Como acompanhamento ou como prato principal, elas trazem muito sabor e cor à nossa mesa. Por cá, foram muito apreciadas, até pelos mais pequenos. Se estão a questionar se devem ou não comer as barquinhas, estejam à vontade e levem barco e recheio juntos em cada garfada.

Experimentem e depois digam da vossa justiça!

foodwithameaning

foodwithameaning

Ingredientes

  • Courgettes pequenas
  • Azeite 
  • 1 Cebola 
  • 2 dentes de alho
  • Queijo parmesão
  • cogumelos frescos
  • presunto para saladas (marca Continente)
  • salsa
  • Oregãos
  • pimenta preta

Preparação

  1. Encha um tacho com água e deixe ferver. Tempere com sal.
  2. Corte as extremidades das curgetes e insira-as na água a ferver durante 3 minutos, escorra e passe por água fria. Reserve até arrefecerem.
  3. Corte cada curgete a meio no sentido do comprimento.
  4. Retire o miolo com uma colher de chá, formando barquinhas. Reserve.
  5. Pré aqueça o forno a 180ºC.
  6. Aqueça 2 colheres de azeite num tacho e adicione a cebola e o alho picados. Deixe refogar. Adicione o presunto e os cogumelos frescos picadinhos. Envolva-os no refogado.
  7. Junte o interior das curgetes e refogue mais um pouco. Tempere com sal, pimenta, salsa, orégãos e polvilhe com queijo parmesão ralado. Retire do lume e deixe arrefecer ligeiramente.
  8.  Recheie as curgetes com esta mistura, regue com azeite e coloque no forno.
  9. Tape a travessa com papel de alumínio e leve ao forno durante 30 minutos. Para alourar retire o papel de alumínio e deixe ficar no forno mais cerca 10 a 15 minutos.
  10. Sirva de imediato com lascas de queijo parmesão.

foodwithameaning

A travessa vem com a assinatura DeBORLA.