Pão de Chouriço na cesta do piquenique

Todos os anos realizamos piqueniques no verão. Os dias são grandes, a luz prolonga-se e os fins de tarde enchem-me de lânguida preguiça. Há tempo para tudo. Deste tudo fazem parte os banhos de mar, as pescarias, os churrascos, os jantares tardios e os piqueniques, quase sempre em parques florestais.

Este pãozinho com chouriço é, sem dúvida, uma excelente opção para incorporar a cesta do vosso próximo piquenique. Não acham?

 

23

Ingredientes
600 g de água
11 g de fermento seco
1kg de farinha tipo 65
2 colheres de chá de sal
rodelas de chourição

Preparação

1.  Coloque a água e o sal num tacho e  misture até a água estar morna e o sal completamente dissolvido.
2. Coloque a farinha num monte sobre a bancada, e faça um buraco no centro e coloque lá dentro o fermento em pó.
3. Adicione um pouco de água e, com a ajuda de um garfo, misture puxando a farinha das laterais para o centro, de modo a dissolver o fermento. Adicione a restante água e misture com a farinha, amassando durante 5 minutos, até que a massa despegue das mãos e esteja homogénea e elástica. Se necessário adicione mais um pouco de farinha.
4. Coloque a massa numa taça grande e tape-a com um pano, e deixe repousar durante 2 horas, ou até dobrar de volume, em local seco e sem correntes de ar (costumo colocar a taça no micro-ondas fechado e desligado).
5. Polvilhe a bancada com um pouco de farinha e divida a massa em 6 partes iguais.
7. Estique cada pedaço de massa com as mãos, formando um retângulo. Coloque algumas fatias de chourição  sobre a massa e enrole, unindo depois as extremidades.
8. Forre um tabuleiro com papel vegetal e coloque sobre ele os pães com chouriço, tape com um pano e deixe descansar durante 1 hora.
9. Polvilhe-os com um pouco de farinha e leve-os ao forno pré-aquecido nos 200 ºC durante, aproximadamente, 30 minutos.

4

Arancini…e as experiências italianas continuam cá por casa

Os arancini são um produto tradicional da culinária da ilha da Sicília, na Itália. Consistem num pastel de arroz frito recheado com um molho de carne picada. Por vezes, é também preenchido com molho de tomate, queijo, ervilhas ou outros ingredientes como frutos secos: tomate, pistácios, etc. O nome arancino é derivado da palavra italiana arancia, que significa laranja, devido à sua semelhança com este fruto.

O arancino foi inspirado pelos árabes, que habitaram a região e consumiam arroz e açafrão, com ervas e carne. A parte panada foi introduzida na corte de Frederico II, como forma de conservar durante mais tempo o alimento, quando fosse necessário transportá-lo, em viagem, na caça ou no trabalho no campo.

Em Palermo, celebra-se anualmente o dia de Santa Luzia, em 13 de dezembro, sendo tradicional o consumo de arancini com vários recheios e formas.

Tradicionalmente, o arroz é cozido e depois misturado com manteiga e queijo pecorino, devendo em seguida ser arrefecido numa tábua de mármore. Depois, os pastéis são moldados com a forma desejada, colocando-se no meio uma porção do recheio a gosto. Por fim, são passados por farinha (facultativo), ovo batido e pão ralado, ficando assim prontos para serem fritos. Em Palermo, é comum usar-se açafrão para conferir uma tonalidade dourada ao arroz.

Muitas vezes, os arancinis são feitos com sobras de risotto, como foi o caso deste, que foi confecionado de acordo com  a receita de risotto de chouriço publicada recentemente.

1

Retirei do frigorífico as sobras de risotto e moldei bolas com o tamanho de brigadeiros. Se a massa estiver a agarrar muito nas mãos, o que normalmente não acontece se o arroz estiver frio ou refrigerado, pode molhar as mãos com água para facilitar.

Depois de feitas as bolinhas, bata um ovo inteiro com um garfo e passeos aracini pelo ovo e de seguida por pão ralado. Se o arroz não estiver muito consistente, convém passar as bolas por farinha, antes de passar pelo ovo.

Frite em óleo bem quente e abundante, para que as bolinhas fiquem cobertas e não em contacto com o fundo do tacho. Passado poucos segundos depois de serem mergulhadas no óleo, ficam a boiar e rapidamente douradas.

Retire-as com uma escumadeira e coloque-as a escorrer em papel de cozinha.

Sirva os arancini com molho de tomate, aioli ou molho de iogurte.

Acompanhei com aioli e com rodelas finas de kumquat. Este citrino casou muito bem com o risotto de chouriço, conferindo frescura.

Para fazer o  molho aioli,  separe as gemas das claras dos ovos.

Assim que tiver as gemas separadas, acrescente os alhos picados e o sal a seu gosto.

Assim que tiver todos os ingredientes no mesmo recipiente, tem que mexê-los até que consiga uma massa uniforme.
Adicione o azeite. Para isso, primeiro tem que deixar cair gota a gota e ir aumentando a quantidade de azeite até que por fim consiga a consistência desejada.
4
3
5

Trouxas de veja, linguiça e alho francês… e um pano lindo pintado à mão pela minha madrinha

Desde que me iniciei no mundo dos blogues de culinária, comecei a ser fã de props, ou seja, de loiças, talheres, panos de cozinha, toalhas, entre outras coisas para as quais vou encontrando utilidade na preparação do cenário das fotos. Por este motivo, a família, os amigos, e até algumas pessoas que conheço há pouco tempo, me têm presenteado com diversos mimos que para mim estão revestido de grande valor. Esta receita pretende enaltecer o gesto da minha madrinha, e a arte que desde cedo saiu das suas mãos, de uma funcionária pública e costureira dedicada, que criou para mim e para a minha irmã inúmeros conjuntos exclusivos, os quais revemos com carinho através dos álbuns de outros tempos. Para além da costura, a minha madrinha domina também a renda, o ponto cruz, a técnica do guardanapo, a técnica da areia em tela, a pintura em pano,vidro e a óleo. É uma pessoa dedicada à família e com um coração enorme! Obrigada madrinha por este pano lindo, a tua estreia em pintura em pano, que por este motivo encerra ainda mais valor.

A travessa tem a assinatura DeBORLA! É linda, não é?
trouxas de veja com linguiça e alho francês

Trouxas de veja, linguiça e alho francês

Ingredientes

  • 1 quilo filetes de veja
  • 1 limão (sumo)
  • 1 rama de alho francês
  • 2 cenouras
  • 1 linguiça
  • 200 dl de molho de tomate de compra
  • 1 copo de água
  • 1 raminho de salsa
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • sal e pimenta q.b.

Preparação

  1. Coloque os filetes dentro de um recipiente e tempere com o sumo de limão, sal e pimenta. Reserve.
  2. Corte a rama de alho francês e a cenoura em rodelas. Usei uma mandolina para criar um efeito ondulado na cenoura. Leve ambos a saltear em azeite e alho durante três minutos.
  3. Corte a linguiça em fatias e leve a fritar na frigideira ligeiramente sem adicionar gordura.
  4. Ligue o forno a 180° C.
  5. Recheie os filetes com os legumes e a linguiça, fazendo camadas, ate com fio de cozinha e disponha dentro de um tabuleiro.
  6. Verta o molho de tomate e o molho de soja em volta e leve ao forno durante 20 minutos. Retire o fio de cozinha, corte ao meio e sirva de imediato.

Sugestão: Acompanhe com legumes cozidos.

trouxas de veja com linguiça e alho francês

trouxas de veja com linguiça e alho francês

Bom apetite!

Receita adaptada daqui

Sandes de Paiola com Ameixa

Desde que dinamizei um workshop na loja Raminho de Salsa, no mercado Duque de Bragança, aqui em Angra do Heroísmo, fiquei fã de muitos dos produtos da loja, dos quais destaco a paiola.  A Paiola é um enchido típico português confeccionado com carne de suíno sem gordura, podendo esta ser da pá, do cachaço ou da perna. A carne é cortada em pedaços grandes e depois condimentada com sal, alho, vinho tinto, antes de maturar durante cerca de 48 horas. Após esse período, é novamente temperada com vinho tinto, pimentão doce, massa de pimentão e louro. Em seguida, é feito com esta carne temperada o enchimento do ceco do porco, que é o invólucro utilizado neste enchido. Repousa durante 24 horas, antes de passar às fases de fumeiro. Passa por três fases de fumeiro: apenas calor, fumo com lenha de azevinho e secagem com temperatura e humidade controladas. A paiola apresenta uma forma ovalada ou arredondada, de aspeto irregular e coloração castanha avermelhada. O comprimento varia entre os 10 e os 20 cm, podendo o diâmetro também variar entre os 30 e os 40 cm. Apresenta pesos entre os 500 g e 1 kg. O recheio apresenta-se sob a forma de uma massa ligada uniformemente, sendo o seu sabor intenso a vinho, massa de pimentão e alho. Deve ser armazenada em local fresco e seco, podendo ser consumida crua. Deve ser cortada em rodelas finas, consumida de forma simples como aperitivo ou com pão.

Ontem, apesar do dia estar chuvoso e frio, decidi fazer compras no comércio tradicional. Devido ao facto de ser segunda-feira de Páscoa, as ruas estavam quase desertas assim tal como o mercado municipal. Entrei na loja Raminho de Salsa e, enquanto solicitei que a funcionária fatiasse a paiola, circulei pela loja para espreitar as novidades e as promoções. (meninas participantes dos meus workshops, as algas estão em promoção!!! Aproveitem!). De facto, a loja apresenta uma grande variedade de produtos que fazem prendas deliciosas. Já tinha visto na página do facebook da loja o ketchup de ameixa, da marca Groselha Espim, mas assim ao vivo não resisti e lá o trouxe, ávida de o experimentar e de futuramente o aplicar em receitas. Sem mais delongas, ao chegar a casa, e ainda dentro da hora do lanche, preparei umas sandes com pão rústico, com um toque de manteiga, com a paiola fatiada e com umas gotas de ketchup de ameixa que segundo a constituição do produto acaba por ser um chutney bastante complexo em sabor e textura.

Ora vejam como estão bonitas as sandes nestas tábuas Gradirripas!

sandes de paiola e ameixasandes de paiola e ameixasandes de paiola e ameixa

Hoje a receita é muito fácil:

  1. Fatiem pão rústico ou comprem-no já fatiado
  2. Barrem o pão toscamente com manteiga
  3. Disponham as fatias de paiola
  4. Terminem com umas gotas de ketchup de ameixa rainha-cláudia.

sandes de paiola e ameixa

sandes de paiola e ameixa

sandes de paiola e ameixa

sandes de paiola e ameixa

Entradas e Petiscos

No sábado passado, a loja Raminho de Salsa, situada no Mercado Duque de Bragança, abriu as suas portas a uma prova de Entradas e Petiscos. Abaixo encontram-se as iguarias que preparei para o evento.
Todos os produtos foram patrocinados pela Loja Raminho de Salsa, com exceção dos micro verdes de rabanetes – Daikon(verde), China Rosa(talo rosa) e Rambo(roxo), patrocinados pela Quinta do Ti Canoa– utilizados na decoração das tostas melba e do presunto- e dos germinados de alho-francês, topping do paté de veado, cedidos pela marca Verde Vivo.

Às onze começaram a chegar os primeiros participantes, que circularam pela loja e tomaram contacto com uma série de produtos diferentes dos habituais que se encontravam nos expositores: queijos de origens diversas; patés de veado, perdiz e javali; algas desidratadas, entre outros, que poderão ver fotografados na página de facebook da loja. De seguida, procedi à explicação da constituição de cada entrada, identificando ingredientes utilizados e modo de preparação.

Terminada a apresentação das diversas sugestões, que se encontravam divididas por duas mesas, todos os participantes e clientes da loja tiveram a possibilidade de saborear os acepipes, os queijos e os enchidos. Foi servido como acompanhamento vinho tinto Quinta Vale D’Aldeia.

cartazdevidamente acompanhados po

Proprietários da Loja Raminho de Salsa000Diapositivo2

Brigadeiros de Queijo de Ovelha

Diapositivo5Diapositivo3

 

Bruschettas de Presunto

Diapositivo7Diapositivo9

 

Acepipe de Pão Preto com Queijo Vaquinha e Chouriça

Diapositivo10Diapositivo11

 

Paté de Alheira

Diapositivo13Diapositivo12

 

Paté de Veado com germinados de alho-francês

Diapositivo15Diapositivo14

 

Tostas melba com queijo de cabra e doce de figo/ doce de framboesa

Diapositivo17Diapositivo16

Mesa de queijos e enchidos

Diapositivo25

Paiola fatiada

Diapositivo20

Salpicão fatiado

Diapositivo23Diapositivo21

 

Presunto fatiado

Diapositivo190000

Nota: A loja Raminho de Salsa aceita encomendas de tábuas de enchidos (ver contacto no cartaz do evento)

Tarteletes para as minhas amigas que falam inglês

Eu e as minhas colegas, professoras da disciplina de Inglês, temos a tradição de nos juntarmos em casa da Ana, no sábado a seguir ao dia das amigas, comemorado na quinta-feira anterior, para celebrarmos esta amizade falada em inglês. Costumamos contribuir para a mesa com um doce ou um salgado. Eu combinei com a anfitriã que contasse com um pestisquinho. Assim nasceram estas tarteletes, que foram muito apreciadas!

Amiga Elsa, cá está a receitinha que me pediste!

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimentatarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta

Ingredientes para a massa quebrada

200 g de farinha T55
90 g de manteiga fria
45 ml de água
meia colher de chá de sal
duas colheres de chá de açúcar

Preparação na Bimby

1. Coloque no copo todos os ingredientes pela ordem indicada e programe 15 segundos, velocidade 6.
2. Forme uma bola com a massa, espalme-a e envolva-a em película aderente. Refrigere enquanto prepara o recheio.

Ingredientes para o recheio

100 g de mortadela com azeitona
100 g de fiambre de peru
3 ovos
120 g de queijo ralado (flamengo e cheddar)
1 iogurte natural
200 ml de nata levíssima da Parmalat (10% de gordura)
sal
pimenta
folhas de hortelã-pimenta

Preparação
1. Coloque no copo da Bimby o fiambre, a mortadela e as folhas de menta e triture em pedacinhos, marcando de 1 a 6 progressivamente. Tempere com sal e pimenta. Reserve numa tigela.
2. Coloque no copo da Bimby a borboleta e os ovos. Marque 1 minuto, velocidade 3. Verta os ovos batidos na tigela, juntamente com o iogurte, as natas e o queijo. Mexa com uma colher até envolver todos os ingredientes.

&

Retire a massa do frigorífico, forre uma superfície com película aderente e polvilhe ligeiramente com farinha. Estenda a massa nessa superfície e forre formas de tarteletes, previamente pinceladas com manteiga derretida. Pique o fundo de cada tartelete com um garfo. Encha cada forminha com o recheio. Leve a cozer a 200 ºC, em forno pré-aquecido, durante 30 minutos.

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta