Pudim de Castanha

Com a mudança do horário de verão para o de inverno, os dias ganharam luz cedinho e perderam-na ao fim da tarde. Confesso que preferia manter o horário anterior, porque, desta forma, as tardes luminosas terminam às cinco da tarde, o que condiciona a reportagem fotográfica das receitas, já que prefiro que estas sejam captadas com luz natural. A única vantagem desta mudança de hora prende-se somente com o facto de termos passado a jantar e a deitar mais cedo.

Com a chegada dos dias mais curtos vai-se sentindo a antecipação do São Martinho. As castanhas, fruto eleito desta época, já estão disponíveis nas bancas dos mercados, e a vontade de comê-las aumenta. Como temos um castanheiro no nosso pomar, todos os anos somos brindados com castanhas. Apesar de a árvore ainda ser jovem, esta nunca nos desilude e dá-nos castanhas bem docinhas.

E que comece a comemoração do São Martinho com este pudim de castanha com um leve toque de chocolate!

Pudim de Castanha

Pudim de Castanha

Pudim de Castanha

Ingredientes

  • 4 ovos
  • 1 lata de leite condensado
  • 600 g de castanhas cozidas
  • 1 cálice de vinho do Porto
  • 500 ml de leite
  • 30 g de cacau em pó (usei 15 g)
  • Caramelo líquido

 

Preparação

Coza as castanhas, descasque-as e reduza-as a puré no copo do seu robô de cozinha ou com a varinha mágica.  Poderá utilizar parte do leite para que a tarefa fique facilitada.

Coloque todos os ingredientes, com exceção do caramelo líquido, num copo liquidificador, ou no copo do seu robô de cozinha, e misture tudo muito bem.

Deite o preparado numa forma para pudim, previamente caramelizada, e leve a cozer em banho-maria, em forno pré-aquecido, durante 50 minutos. Verifique a cozedura com recurso ao teste do palito.

Deixe arrefecer e leve ao frigorífico.

Retire do frigorífico cerca de meia hora antes de servir. Desenforme para um prato que suporte a calda de caramelo.

 

Eu servi o pudim neste maravilhoso prato de pé que adquiri nas Lojas DeBORLA. Sabiam que a coleção de Natal já está exposta na loja? Eu estive lá ontem e tive de me controlar para não trazer a loja comigo para casa!

Pudim de Castanha

Pudim de Castanha

Pá fatiada com castanhas em calda em véspera de São Martinho

Que tempo é este para passar depressa? Ontem foi verão e hoje já é véspera de São Martinho! Com o mês de novembro a caminhar para a sua metade e com o tempo característico do outono a impor-se gradualmente, resta-me a vontade de celebrar esta quadra com os pratos típicos da época. Quem me acompanha à mesa?

pá de porco com castanhas_foodwithameaning

Travessa adquirida na Loja DeBorla

pá de porco com castanhas_foodwithameaning

A carne estava deliciosa e foi brilhantemente acompanhada pelas castanhas em calda Sweet Castanea.

Sweet Castanea/FoodwithameaningSweet Castanea/Foodwithameaning

Resultou, assim, numa receita agridoce muito elogiada.

 

Pá assada com castanhas em calda

Ingredientes

  • 2 peças de pá de porco
  • 1 cerveja
  • sumo de meio limão
  • molho de soja (5 colheres de sopa)
  • molho inglês (3 colheres de sopa)
  • alho em pó
  • 6 dentes de alho
  • mistura de 5 pimentas
  • piri-piri em pó
  • raminhos de alecrim
  • 1 folha de louro
  • azeite
  • sal aromatizado
  • castanhas em calda de vinho do Porto  e em calda de Gengibre Sweet Castanea
  • calda de 1 frasco

Numa assadeira coloquei a carne e temperei com sal, com os dentes de alho esmagados e com o sumo de limão. Quebrei a folha de louro em seis partes. Polvilhei ambos os lados da carne com alho em pó, mistura de 5 pimentas, piri-piri. Despus folhas de alecrim de ambos os lados da carne. Verti por cima da carne o conteúdo de uma cerveja. Reguei com azeite. Levei ao forno a assar durante 2 horas, em forno médio.

A meio da cozedura, virei as postas de  carne e voltei a regá-las  com o molho da assadeira.

Retirei a carne para uma tábua de corte e fatiei a pá aos pedaços finos. Juntei ao molho da assadeira o molho de soja, o molho inglês e a calda de um dos frascos de castanhas. Juntei três frascos de castanhas em calda. Levei ao forno, deixei ferver e apurar. Verti o molho por cima da carne na altura de servir.

pá de porco com castanhas_foodwithameaning

Esta travessa, que é linda, poderão encontrar nas lojas DeBORLA.

Marmelada de Castanha ou Castanhada?

“UMA IGUARIA COM CASTANHAS” é o tema da 30ª edição do “Dia Um.. Na Cozinha”. Como estamos na época das castanhas, eu estou certa de que o desfile deste mês vai ser fenomenal.

Tradicionalmente, as castanhas querem-se quentes e boas, de preferência assadas na brasa ou a acompanhar um prato de forno. Têm também presença importante na doçaria na forma de bolo, de tarte e de pudim. São muito ricas em nutrientes e vitamina C, sendo isentas de gordura. Foram durante muitos anos o substituto da batata, antes de esta ser introduzida na Europa.

Em suma, as castanhas, quer sejam assadas, fritas, cozidas, utilizadas em sopas e guisados ou transformadas em farinha, são muito apreciadas pela maior parte dos portugueses.

A minha sugestão recai hoje na marmelada de castanha ou castanhada, ideal para acompanhar pão ou bolachas de água e sal nos pequenos-almoços e lanches de outono.

Espero que gostem!

castanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaningcastanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

Logotipo Dia Um... Na Cozinha Novembro2015 (2)

 

Ingredientes

1,500 kg de castanhas
800 g a 1 kg de açúcar
1 vagem de baunilha

Preparação

1.Coza as castanhas descascadas mas com pele.
2. Retire-lhes a pele enquanto ainda estão quente e passe-as pelo passe-vite.
3. À parte, prepare uma calda de açúcar em ponto de pérola usando 1 quilo de açúcar para cada quilo de puré de castanha.
4. Depois de misturar a calda no puré de castanha, junte o interior da vagem de baunilha e leve-a novamente ao lume, mexendo sempre até fazer estrada.
5. Guarde no frigorífico a marmelada de castanha em marmitas forradas com papel vegetal.

castanhada ou marmelada de ccastanha_foodwithameaningcastanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

castanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

Trufas de castanha

Oiço dizer que este ano não é ano de castanhas, pelo menos aqui na ilha Terceira. De facto, o nosso castanheiro não tem mais ouriços do que o ano passado e até parecem-me mais pequenos. Há épocas assim. E isto acontece com toda a fruta e legumes. Mais chuva. Menos Chuva. Mais frio. Menos frio. Mais tempestade. Menos tempestade. E aqui e ali vai-se ouvindo um pouco de tudo sobre as produções, especialmente se formos à feira agrícola ao domingo de manhã, agora já com novas instalações: mais modernas, mas um pouco descaracterizadas. Uma mudança que trouxe melhores condições de apresentação dos produtos, de higiene e de conforto, mas que perdeu grande parte da ruralidade anterior. Um edifício de paredes de betão nunca conseguirá competir, sem a existência de materiais quentes, com as caixas de madeira das carrinhas dos agricultores, de onde saíam batatas, melões e melancias e todas as hortaliças possíveis e imaginárias. Ainda bem que tenho a feira antiga registada em fotos. Nunca nada irá ser idêntico. A alma da feira já não é a mesma. Impera a distância e a dispersão. Falta o anterior calor humano.

Retomando o assunto das castanhas, e apesar de já as ter cozido e assado este ano, estas não são ainda efetivamente muito doces. Têm me valido os produtos Sweet Castanea. Com um frasco de castanha em calda, e com base nas trufas de chocolate, idealizei estas TRUFAS de CASTANHA.

Espero que gostem desta sugestão outonal!

trufas de castanha_foodwithameaning

Ingredientes

200g de chocolate para culinária (40%)
260g de castanha cozida (utilizei castanha em calda Sweet Castanea)
100g de leite condensado
25g de leite
20g de vinho do porto
30g de margarina
Cacau em pó

Preparação Tradicional

1. Aqueça o leite e o leite condensado até ferver

2. Adicione o chocolate partido em pedaços e a margarina.

3. Adicione a castanha previamente cozida e moída.

4. Envolva o vinho e mexa bem.

5. Coloque num tabuleiro e leve ao frigorífico durante 4 horas.

 

Preparação na Bimby

1.Pique a castanha 10seg/vel5-7.

2. Adicione o leite, o leite condensado e programe 3min/90º/Vel2.

3. Adicione o chocolate partido em pedaços e a margarina. Mexa 10seg/vel5.

4. Envolva o vinho e mexa bem.

5. Coloque num tabuleiro e leve ao frigorífico durante 4 horas.

 

Passadas as quatro horas de refrigeração, molde bolas irregulares e envolva-as em cacau.

trufas de castanha_foodwithameaningSweet Castanea/FoodwithameaningSweet Castanea/FoodwithameaningTrufas de castanha_foodwithameaning

Um quilo de castanhas no segundo ano e fábula

O nosso castanheiro, de apenas três anos,  presenteou-nos este ano com um bonito quilo de castanhas. O ano passado produziu apenas doze unidades. Como vivemos perto da freguesia da Terra-Chã, habitamos no coração da produção de castanhas desta ilha e, por isso, nós decidimos que  a casa nova teria de ter um castanheiro. Escolhemos uma zona, que agora é de pomar, bem ampla e colocámo-lo na abertura dos desfile das árvore de fruto para que pudesse, em primeira fila, assistir ao crescimento das laranjeiras da baía, das tangerineiras, das mandarineiras, dos araçazeiros e das nespereiras. Uma faia frondosa que se encontra junto a estas árvores esvoaça as folhas dos seus ramos alegremente ao som da música do vento e das conversas entre o castanheiro e os seus súbditos. Muitos coelhos costumam também assistir a estes diálogos, deixando marcas cilíndricas da sua passagem e permanência. Um casal de grilos esconde-se debaixo de um dos ouriços e mantêm-se em silêncio para não serem descobertos.De que falarão todos nestas conversas?

Diapositivo1

Diapositivo2Diapositivo2Diapositivo1

A apanha das castanhas foi bastante cerimoniosa, tendo direito a reportagem fotográfica e a assistência canina.

Diapositivo6Diapositivo4Diapositivo5 A Laica, a nossa pastor-alemão, o Stitch,um lindo e encorpado rafeirão que nos veio pedir acolhimento, e a Maxine, a nossa Labrador preta, que com a sua doçura e ainda meninice conquista qualquer coração, portaram-se à altura da situação, aproveitando para posar para as fotos. Eu e a minha filha de seis anos tivemos a nossa primeira apanha de castanhas a sério. Para o meu marido, transmontano de quase-gema (digo quase porque ele vive há mais tempo nos Açores do que os que viveu no nordeste português) a apanha da castanha é uma tradição com a qual cresceu. As castanhas da minha infância vinham do Pico, de barco, e dentro de uma saca de  serapilheira. Vinham de castanheiros que os meus avós tinham na zona das Tronqueiras, na ilha do Pico. Nunca assisti à apanha da castanha e só com esta idade é que tive a oportunidade de pisar os ouriços para libertarem as castanhas que se encontram no seu interior. A minha filha delirou com a experiência e divertiu-se a apanhá-las do chão para um saco. Que grandes eram elas. Tão bonitas! Tão robustas!

Começámos desde logo a pensar como as iríamos cozinhar. O meu marido prefere-as assadas na brasa, a minha filha aprecia-as no interior de uma bolacha, e o meu filho só gostaria delas se estas fossem alguma personagem de um do seus jogos de consola.  As castanhas passam-lhe mesmo ao lado.

A minha filha disse logo: -Mãe, tens de fazer uma receita especial para o blogue!

E assim surgiu este gelado de outono para comemorarmos o São Martinho.

Diapositivo3

Gelado de Castanha e Maple Syrup (xarope de ácer)

Diapositivo3

Ingredientes

230 g de miolo de castanha cozido

1 lata de leite condensado

2 ovos L

200 ml de natas

essência de baunilha (1 colher de café)

maple syrup

Preparação

Cozem-se as castanhas, deixam-se arrefecer um pouco e descascam-se. Pesam-se, trituram-se com duas colheres de sopa de maple syrup e reservam-se.

Batem-se as gemas com o leite condensado. Adiciona-se o puré de castanhas e bate-se tudo muito bem, cerca de 5 minutos.

Numa taça, batem-se as natas até ficarem consistentes. Aromatizam-se com essência de baunilha e juntam-se ao preparado anterior.

Batem-se as claras em castelo. Incorporam-se no gelado sem bater.

Verte-se o preparado para um recipiente com tampa e leva-se ao congelador. Passadas duas horas, retira-se do congelador e mexe-se muito bem para destruir os cristais de gelo. Uma hora depois repete-se a mesma operação.

Retira-se o gelado do congelador cerca de meia hora antes de servir.

Acompanha-se o gelado com maple syrup.

Diapositivo4

Gostava apenas de acrescentar que a escolha do xarope de ácer com a castanha revelou-se uma combinação deveres surpreendente. sobressaindo o tão característico sabor da castanha. Este é mesmo um gelado que, modéstia à parte, merecia ser patenteado.

Flores de castanha ou castanhas em flor?

Já há dias que ando à procura de farinha de castanha. Nunca encontrei nas grandes superfícies. Contingências do viver ilhéu. Por isso, resolvi preparar eu própria a farinha da castanha. Deu mais um pouco de trabalho, mas garanto-vos que o produto final vale a pena. Acho que o facto de ter triturado a castanha conferiu uma textura mais crocante à bolacha do que se tivesse utilizado a farinha de compra, de consistência fina. Qualquer dia, ainda faço outra experiência: a de assar primeiro as castanhas e depois triturá-las. Depois, será o que a inspiração mandar.

Um excelente S.Martinho para todos e todas!

bolachas de castanha

bolachas de castanha

Ingredientes

33o g de farinha de castanha
150 g de açúcar amarelo
100 g de manteiga
250 g de farinha com fermento(mais um pouco para a altura de esticar a massa)

Preparação na Bimby ou noutro robô de cozinha

1. Descasquei as castanhas e coloquei-as no copo da Bimby. Marquei Vel. 5 e fui até à Vel. 9 progressivamente até que as castanhas ficassem trituradas (com aspeto de farinha grossa).

2. Coloquei a mistura numa frigideira e deixei torrar ligeiramente a farinha da castanha, mexendo sempre com a colher de pau. Devido à humidade presente no fruto, a farinha tem tendência a aglomerar-se na frigideira. Não há problema pois voltará novamente ao robô de cozinha.

3. Voltei a colocar a farinha, já torrada, no copo da Bimby e voltei a triturar seguindo as velocidades acima descritas.

4. Adicionei os restantes ingredientes e marquei 1 minuto Vel. 6.

5. Espalhei farinha na superfície e formei uma bola com a massa. Fui adicionando pozinhos de farinha até que a massa deixasse de se agarrar à bancada e ao rolo.

6. Estendi a massa até ficar com a altura de mais ou menos meio centímetro.

7. Com um cortador de bolachas em forma de flor, desenhei na massa as bolachinhas.

8. Com uma espátula transportei-as da bancada para cima do tabuleiro do forno forrado com papel vegetal.

9. Levei-as a cozer em forno pré-aquecido a 200 graus, com resistência superior e inferior, cerca de 10 minutos.

Obs.
– Não há necessidade de espaçar muito as bolachas no tabuleiro visto que não crescem muito para lá do tamanho original.
– Deve-se vigiar o forno pois as bolachas secam com muita facilidade podendo tornar-se demasiado duras. Deverão retirar-se do forno quando ainda estiverem ligeiramente moles ao toque. Acabarão de cozinhar com o calor residual. Se isso não acontecer, volte a colocá-las no forno.

bolachas de castanha

bolachas de castanha

bolachas de castanha

Tartelettes de alheira, noz e azeitona galega

Hoje é sexta-feira e este dia comporta sempre algo de mágico. Nele habita a liberdade para fazermos algumas coisas não permitidas pela rotina dos outros dias úteis. Ele é a antecipação do sábado e do domingo. Ele é a antevisão do descanso, do lazer, das atividades ao ar livre e dos encontros com amigos e familiares.

Se pretendem uma entrada de rápida confeção e repleta de sabores genuínos, sugiro-vos para este fim de semana estas tartaletes de alheira, noz e azeitona galega, da autoria do meu marido, um transmontano apaixonado pelos Açores mas que adora saborear os produtos da sua terra.

Tartaletes de alheira, noz e azeitona galega

Tartaletes de alheira, noz e azeitona galega

Ingredientes

1 alheira de caça

50 g de nozes picadas

40 g de azeitonas galegas

16 bases de mini-tartelettes ligeiramente doces (de compra- marca Confiletas)

 Preparação

1. Pré-aqueça o forno a 200 ºC.

2. Pique a alheira e coloque-a numa assadeira.

3. Leve ao forno 20 minutos ou até estar assada.

4. Retire do forno, pele e esmague ligeiramente o interior da alheira.

5. Misture-a com as nozes e as azeitonas picadas.

6. Encha cada tartalete com a porção de recheio que achar adequada.

7. Sirva com o recheio ainda quente.

A maciez da alheira, o sabor da noz e o salgado da azeitona contrastam muito bem com a massa da base, ligeiramente adocicada.

Que tenham um feliz fim de semana!

Patrícia