Árvore de natal em bolacha

Receita 1- Árvore citrina

  • 130 g de manteiga
  • 150 g de açúcar
  • 2 gemas
  • 450 g de farinha sem fermento
  • raspa de limão ou de laranja;
  • 3 colheres de sopa de leite.

Receita 2- Árvore de baunilha

  • 100 g de manteiga
  • 100 g de açúcar
  • 1 ovo
  • 300 g de farinha sem fermento
  • Aroma de baunilha

Receita 3- Árvore de Especiarias

  • 100 g de manteiga
  • 100 g de açúcar
  • 300 g de farinha
  • Aroma de baunilha
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de gengibre em pó
  • 1 colher de café de noz-moscada em pó
  • 1 colher de café de cravinho em pó
  • 1 colher de café de canela

Amassam-se todos os ingredientes, estende-se a massa no tabuleiro que irá levar ao forno forrado com papel vegetal. Com a ponta de uma faca afiada desenhe  a árvore de natal.

Leve a cozer, a 200°C, em forno previamente aquecido, cerca de 15 minutos.

Anúncios

Casa de Gengibre

 

Casinha de Gengibre com Bolachinhas

 

As casinhas de gengibre fazem parte das tradições de Natal e do imaginário infantil.  Construí-las é uma atividade que envolve a família toda, sendo um momento alto para as crianças. As casas de gengibre são feitas com uma receita de bolacha de gengibre, que é recortada e colada em forma de casa e, por fim,  decorada com gomas e outros doces.

Abaixo explico-vos como poderão proceder para construírem a vossa casa de gengibre.

Boas Festas!

Ingredientes

  • 200 g de manteiga amolecida e sem sal
  • 1 ½ chávena de açúcar mascavado
  • 2 ovos
  • 6 chávenas de farinha sem fermento
  • ½ colher de chá de sal
  • 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
  • 2 colheres de sopa de gengibre em pó
  • ½ colher de chá de cravinho em pó
  • ½ colher de chá de noz-moscada
  • 1 chávena de melaço

 

Junte a manteiga, o açúcar mascavado e os 2 ovos numa batedeira e bata até obter um creme homogéneo.

À parte misture a farinha, o bicarbonato de sódio, o sal, o gengibre, o cravinho e a noz-moscada. Depois de misturar tudo, junte o melaço, envolva e junte ao preparado anterior. Deixe a massa repousar durante 2 horas.

Divida a massa ao meio e use uma metade de cada vez. Estique a massa com ¼ cm de espessura e corte consoante a quantidade que necessite. As partes da casa devem ser cozidas separadamente: 10 minutos para peças grandes; 6 minutos para as menores, no forno a 200 °C.

O próximo passo é preparar os moldes. Corte os modelos em cartão com as medidas presentes na figura acima. Deve ter: 1 modelo para a base, 2 modelos para o telhado, 2 modelos para as laterais e 2 para a parte da frente e de trás.

Faça a massa, estique-a, numa superfície enfarinhada, e coloque cada molde em cima da massa recortando com uma faca.

Prepare um glacê real simples para usar como cola para colar as partes da casa. Para isso, adicione a uma clara de ovo 300 g de açúcar em pó e umas gotas de sumo de limão.

 

Montagem da casa

Coloque o glacê num saco de pasteleiro com ponta fina. Comece a montagem por um dos lados da casa e a parte da frente ou de trás e coloque o glacê do lado mais curto. Cole as duas paredes da casa e mantenha no lugar durante alguns minutos até que o glacê fique duro e cole as duas partes, cole o resto da casa exceto o telhado. Deve deixar o glacê colar durante 1 h antes de colocar o telhado.

Depois de colocar o telhado, deixe secar por pelo menos uma hora antes de começar a decorar.

Pode usar os doces que mais gosta para decorar a sua casa, rebuçados, gomas, M & M, bengalas vermelhas ou marshmallows. Seguindo uma versão mais saudável, nós utilizamos bolachinhas em forma de estrela, bonecos de neve e outros adereços natalícios. Finalizámos apenas com açúcar em pó, fazendo, assim, lembrar a neve.

Crackers natalícias

Crackers natalícias de alecrim, tomate seco e sementes de sésamo

Ingredientes

·         30g tomate seco, em azeite e escorrido

·         2 ramo de alecrim, só as folhas

·         260g farinha tipo 65

·         80g manteiga fria

·         10g azeite

·         100g leite

·         1 c. chá fermento em pó p/ bolos

·         Flor de sal e sementes de sésamo q.b. p/ polvilhar
1. Coloque no copo o tomate seco e o alecrim e programe 3seg, Vel 7. Com a ajuda da espátula baixe o que ficou na parede do copo.
2. Adicione a farinha, a manteiga, o azeite, o leite e o fermento e bata 15seg, Vel 6.
3. Retire e deixe descansar.
4. Pré-aqueça o forno a 180º.
5. Numa superfície polvilhada com farinha e com a ajuda de um rolo estenda a massa, deixando-a com uma espessura de aprox 0.5mm.

6. Corte as bolachas com o formato que desejar ( poderá recorrer a cortadores de bolachas natalícios), coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal e polvilhe com a flor de sal.
7. Leve ao forno a 180 °C cerca de 10-12 minutos.
Depois de frias, guarde as bolachas num recipiente hermético ou ofereça em saquinhos.

Bolachas republicanas

3

4

1

Conheço a professora Clara Rosa há alguns anos. Foi colega dos meus pais e docente do primeiro ciclo até ao dia da aposentadoria. É uma pessoa fascinante e dinâmica, detentora de vasta cultura, porque adora ler e escrever. Interessa-se por história, por poesia e partilha com os seus leitores textos deliciosos através do  blogue  o estrado da avó . Foi neste espaço que encontrei as primeiras referências às bolachas republicanas, outrora presença habitual nos salões da Casa do Povo e nas Sociedades aquando da apresentação de danças e bailinhos de Carnaval, típicos aqui da ilha Terceira.

Segundo a professora Clara Rosa, estas bolachas “são tão boas, saborosas  e simples que foram baptizadas com o nome do  golpe de estado que, organizado pelo Partido Republicano, em 5 de Outubro de 1910, destituiu a monarquia e implantou o regime republicano. Muitas “receitas que foram criadas para lembrar tal feito,  ainda perduram na memória dos portugueses. Ele é o bolo republicano, que apareceu no primeiro Natal logo após a implantação da República, nas casas de Guimarães, em substituição do tradicional bolo rei, o pudim republicano e as bolachas republicanas (…)”.

Este ano resolvi resgatar esta receita para que perdure na memória de quem as saboreou na infância e para despertar a curiosidade de quem delas nunca ouviu falar.

No post dedicado a esta receita a professora Clara Rosa versa este texto delicioso, que passo a transcrever:
“Ao chegar a casa aprontei-me para fazer as bolachas Republicanas, fui procurar as receitas da minha mãe só que as receitas dela são assim mais ou menos:
Meio alqueire disto, uma quarta daquilo, uma pitada de, meio escudo de…
Enfim, falei com uma senhora de idade, que era amiga de minha mãe, fui fazendo as conversões e lá cheguei à receita e toca de as fazer, ficaram uma delícia…
Parecia mesmo que estava na minha casa das Lajes a preparar o farnel para irmos para a Sociedade passar a noite a ver danças de Carnaval.”
6
Bolachas Republicanas
  • 1kg. de farinha de trigo,
  • 3 ovos,
  • 250grs. de açúcar,
  • Raspa de um limão,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de manteiga,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de banha de porco,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de bicarbonato de sal amoníaco*,
  • 1 chávena de leite quente, mais um pouco
  • 1 ovo para pincelar + açúcar para decorar
  • 1 pitada de sal

À  farinha juntam-se os ovos, o açúcar, o sal e a raspa do limão, mistura-se bem e vai-se juntando o bicarbonato de amoníaco desfeito numa chávena de leite quente (cuidado porque ferve e aumenta de volume; evitem inalar o vapor; usem uma taça maior para desfazer o bicarbonato no leite), junta-se a manteiga e a banha e vai-se amassando, se necessário junta-se mais um pouco  de leite quente para ajudar a  amassar, eu gosto de pôr no recipiente onde desfiz o bicarbonato de amoníaco, para aproveitar bem.
Quando a massa está com a consistência necessária para rolar cortam-se pedaços que se estendem com a consistência fina e corta-se com a forma apropriada, colocam-se em tabuleiros pincelados de manteiga e enfarinhados e pincelam-se com ovo batido , pondo no centro uma pitada de açúcar. Vão ao forno e guardam-se em recipientes herméticos para posteriormente acompanhar um chá ou um lanche.

*O Sal amoníaco é um mineral incomum composto por cloreto de amonio, NH4Cl. Forma cristais incolores a brancos ou amarelos escuros no sistema cúbico. O sal amoniaco é usado para fazer biscoitinhos e a sua função é deixar os biscoitos/bolachas mais crocantes. O bicarbonato de amónio, ou sal amoníaco, pode ser comprado a granel no comércio tradicional, nas farmácias, nas drogarias ou até já embalado nas grandes superfícies.  É um pó branco, do género do bicarbonato de sódio. O cheiro a amoníaco evapora-se quando é incorporado no leite a ferver e desaparece por completo no forno, aquando da cozedura das bolachas.

fonte da receita:

http://clararosa-asreceitasdaavo.blogspot.pt/2012/02/bolachas-republicanas.html

The sweetest Christmas tree

Quando existem crianças pequenas em casa, temos de mantê-las ocupadas com atividades interessantes, de preferência que não envolvam o contacto com tecnologias, porque neste campo os estímulos são vários. Por isso, sempre que posso, gosto de lançar-lhes desafios que impliquem algum trabalho manual, atenção e criatividade. Lembrei-me de fazer uma árvore de natal feita de bolachas, que tinha visto, o ano passado, elaborada pelo Célio Cruz neste post. O autor do blogue Sweet Gula, por sua vez, adaptou a receita de Jamie Oliver, publicada na revista Jamie Magazine issue #53 de Novembro de 2014. Construir esta árvore acabou por ser mesmo um desafio, que implicou várias etapas e um exercício de paciência aquando da montagem da árvore, com a colocação das bolachinhas.

Boas Festas!

5

1

2
3
Ingredientes
250 g de manteiga c/ sal
200 g de açúcar mascavado
4 c. (sopa) de golden syrup
4 c. (sopa) de maple syrup
600 g de farinha s/ fermento
2 c. (chá) de bicarbonato de sódio
4 c. (chá) de gengibre em pó
2 c. (chá) de canela em pó

raspa e sumo de 1 laranja

1 clara de ovo
250 g de açúcar em pó

Método Tradicional
Num tacho pequeno, derreta a manteiga juntamente com o açúcar, o golden e o maple syrup. Reserve.
Numa taça misture a farinha, o bicarbonato de sódio, as especiarias e a raspa de 1 laranja.
Adicione a mistura de manteiga derretida e comece a amassar, ao mesmo tempo que vai adicionando aos poucos o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.

Retire e deixe arrefecer numa grelha.

Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. Bata as claras em castelo até formarem picos.
Sem deixar de bater adicione o açúcar aos poucos e bata até obter um merengue brilhante e bem espesso.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Método Thermomix – Bimby
Coloque no copo, a manteiga, o açúcar, o golden e o maple syrup e programe (2min/37ºC/vel2).
Adicione a farinha, o bicarbonato, as especiarias e a raspa de 1 laranja. Programe (15seg/vel6).
Retire a massa para uma bancada e acabe de trabalhá-la. Com as mãos amasse um pouco, ao mesmo tempo que adiciona o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.
Retire e deixe arrefecer numa grelha.
Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. No copo limpo e seco coloque a borboleta, adicione a clara do ovo e programe (2min/vel3,5). Nos últimos 30seg. adicione o açúcar aos poucos pelo bocal.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Nota: Poderá cobrir algumas bolachinhas com glace.
4

Caracóis doces de alfarroba e frutos secos… Dia Um…Na Cozinha

Tal como a Isabel Fernandes, uma das dinamizadoras do desafio Dia Um Na Cozinha, afirma o “outono é mesmo uma estação especial” porque se encontra associada  a ” tardes em casa ao som da chuva”, a “chocolate quente ou chá”, a “maratonas de filmes, a manta no sofá”, e a “forno ligado”, do qual ” exaltam odores inebriantes que inundam as cozinhas”. Por estes motivos todos, e mais alguns, a Isabel, autora do blogue Brisa Marítima, lançou, conjuntamente com a Aida e com o Paulo Herculano o tema “Pães Doces” para o desfile da 42ª edição do “Dia Um… Na Cozinha”. Foi com muito gosto de aceitei este desafio, após alguns meses sem conseguir participar.

Caracóis Doces de Alfarroba e Frutos Secos

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

Ingredientes

  • 1/2 chávena de margarina ou de manteiga sem sal (amolecida)
  • 100 ml de leite à temperatura ambiente
  • 150 ml de água morna
  • 1 saqueta de fermento Fermipan
  • 600 g de farinha T55
  • 60 g de farinha de alfarroba
  • 100 g de açúcar
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de sal

Preparação

Aqueça a água a 37ºC  e junte-lhe o fermento. Misture. Deixe repousar 10 minutos.

Coloque as farinhas, o açúcar e o sal numa taça grande e faça um buraco no centro.

Junte o ovo e a manteiga e amasse. Vá juntando a água morna com o fermento reservada, amassando sempre. Termine com o leite e volte a amassar até que a massa fique uniforme e não se agarre à tigela.

Divida a massa em 12 pedaços iguais. Recorra à balança para ser mais preciso(a).

Enfarinhe uma superfície  e estique cada pedaço de massa fazendo uma tira que depois será achatada e enrolada com o formato de caracol.

Disponha os caracóis juntos num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixe levedar cerca de 1 hora e meia a duas horas.

Pré-aqueça o forno a 200 ºC e leve os caracóis a cozer durante 25 minutos.

Ingredientes para a cobertura

  • açúcar em pó
  • água ou sumo de limão
  • 150 g de frutos secos (mix avelãs, caju, amêndoa, castanha do Brasil)

Preparação

Quando os caracóis tiverem arrefecido, disponha por cima destes os frutos secos, grosseiramente triturados na picadora. Poderá envolvê-los numa calda de açúcar idêntica à abaixo descrita e só depois dispô-los sobre os caracóis.

Numa taça, coloque algumas colheres de sopa de açúcar em pó e um pouco de água ou de sumo de limão. Misture muito bem até formar uma glace que corra em fio. Decore os caracóis com fios de glace. Espere que a glace seque ou delicie-se de imediato.

logotipo-dia-um-na-cozinha-novembro-2016

 

Workshop “Cozinhar com Leguminosas” no Centro de Ciência e uma receita de bolachas

A ONU declarou o ano de 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, com o propósito de elevar a consciência sobre a potencial importância do papel desses alimentos na promoção da saúde, nutrição, bem como na segurança alimentar e sustentabilidade ambiental.

As leguminosas têm pouca gordura e muita fibra na sua composição. Isso faz com que causem uma sensação de saciedade no organismo. Sendo assim, a fome repentina e os picos glicémicos ficam mais controlados, ajudando no controle da diabetes. As fibras presentes nesses grãos ainda previnem a obstipação organismo. Para além disso, são uma fonte de energia, devido aos hidratos de carbono presentes, de vitaminas, a maior parte do complexo B e de outros minerais importantes: ferro, cálcio, magnésio, zinco, potássio e fósforo. Segundo os nutricionistas, a eficácia das leguminosas é ainda maior se se ingerirem na mesma refeição dois tipos diferentes, para equilibrar a ingestão de aminoácidos.

As leguminosas não são legumes. O termo legume refere-se às partes comestíveis das plantas. Já as leguminosas são tipos de plantas cujas sementes/grãos crescem em vagens: feijão, grão, ervilha, lentilha, soja, amendoim, tremoço, etc. Algumas espécies podem ser consumidas quando ainda verdes, como a ervilha, o feijão e as respetivas vagens. Outras podem ser utilizadas na forma germinada, como os rebentos de soja, de feijão, etc. A grande maioria, porém, é consumida na forma seca. As leguminosas são compostas por 50% de hidra- tos de carbono e cerca de 23% de proteínas, exceto a soja que possui 38%. A soja e o amendoim são oleaginosas (maior conteúdo lípido). Os feijões, a fava, o grão, o tremoço, a ervilha e a lentilha são não oleaginosas (menor conteúdo de gordura). O consumo de leguminosas é muito importante uma vez que estas apresentam qualidades nutricionais desejáveis. Para além disso, podem conservar-se por muito tempo na forma seca ou enlatada e são de fácil preparação.

&

No passado sábado, dia 8 de outubro, dinamizei dois workshops no Centro de Ciência de Angra do Heroísmo a convite da Associação para o Estudo do Ambiente Insular. A ação pretendeu sensibilizar crianças e adultos para a importância da inclusão das leguminosas na nossa alimentação. Foram momentos de interação e muita partilha! Obrigada a todas as participantes pela vossa presença e colaboração.

Se tiverem curiosidade em ver  os momentos e as receitas do workshop cliquem nos links abaixo.

workshop Cozinhar com Leguminosas

workshop Cozinhar com Leguminosas

Vou agora partilhar convosco uma das receitas elaboradas.

Bolachas de Grão-de-Bico e Chocolate (vegan; sem glúten)

cookies de chocolate e grão-de-bico

img_9088

Ingredientes

  • 1 chávena e meia de grão cozido
  • ½ chávena de manteiga de amendoim
  • 1/2 chávena de amendoim frito e salgado grosseiramente triturado
  • 3 colheres de sopa de açúcar mascavado
  • ⅓ chávena de xarope de ácer (utilizei caramelo líquido)
  • 1 colher de sopa de extrato de baunilha
  • ¼ de colher de chá de sal de mesa
  • ¼ colher de chá de fermento para bolos
  • ¼ colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ½ chávena de pepitas de chocolate

Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 200 C. Forre um tabuleiro com papel vegetal.
  2. Misture num processador todos os ingredientes  até estarem bem incorporado, exceto as pepitas de chocolate.
  3. Transfira a massa para uma tigela e adicione as pepitas de chocolate. Misture.
  4. Use uma colher de gelados, ou faça bolas de massa com as mãos e posicione-as bem afastadas umas das outras no tabuleiro.
  5. Decore com mais pepitas e metades de amendoim.
  6. Leve ao forno durante 20 a 25 minutos.

Dica para Bolachas em SOS:

Se preferir, prepare a massa de bolachas, coloque-a em película aderente, forme um rolo e congele. Quando desejar, retire-as do congelador, corte rodelas, coloque-as de imediato num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve a cozer. Terá bolachas quentinhas e prontas em 25 minutos.

cookies de chocolate e grão-de-bico