Bolachas republicanas

3

4

1

Conheço a professora Clara Rosa há alguns anos. Foi colega dos meus pais e docente do primeiro ciclo até ao dia da aposentadoria. É uma pessoa fascinante e dinâmica, detentora de vasta cultura, porque adora ler e escrever. Interessa-se por história, por poesia e partilha com os seus leitores textos deliciosos através do  blogue  o estrado da avó . Foi neste espaço que encontrei as primeiras referências às bolachas republicanas, outrora presença habitual nos salões da Casa do Povo e nas Sociedades aquando da apresentação de danças e bailinhos de Carnaval, típicos aqui da ilha Terceira.

Segundo a professora Clara Rosa, estas bolachas “são tão boas, saborosas  e simples que foram baptizadas com o nome do  golpe de estado que, organizado pelo Partido Republicano, em 5 de Outubro de 1910, destituiu a monarquia e implantou o regime republicano. Muitas “receitas que foram criadas para lembrar tal feito,  ainda perduram na memória dos portugueses. Ele é o bolo republicano, que apareceu no primeiro Natal logo após a implantação da República, nas casas de Guimarães, em substituição do tradicional bolo rei, o pudim republicano e as bolachas republicanas (…)”.

Este ano resolvi resgatar esta receita para que perdure na memória de quem as saboreou na infância e para despertar a curiosidade de quem delas nunca ouviu falar.

No post dedicado a esta receita a professora Clara Rosa versa este texto delicioso, que passo a transcrever:
“Ao chegar a casa aprontei-me para fazer as bolachas Republicanas, fui procurar as receitas da minha mãe só que as receitas dela são assim mais ou menos:
Meio alqueire disto, uma quarta daquilo, uma pitada de, meio escudo de…
Enfim, falei com uma senhora de idade, que era amiga de minha mãe, fui fazendo as conversões e lá cheguei à receita e toca de as fazer, ficaram uma delícia…
Parecia mesmo que estava na minha casa das Lajes a preparar o farnel para irmos para a Sociedade passar a noite a ver danças de Carnaval.”
6
Bolachas Republicanas
  • 1kg. de farinha de trigo,
  • 3 ovos,
  • 250grs. de açúcar,
  • Raspa de um limão,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de manteiga,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de banha de porco,
  • 1 colher das de sopa bem cheia de bicarbonato de sal amoníaco*,
  • 1 chávena de leite quente, mais um pouco
  • 1 ovo para pincelar + açúcar para decorar
  • 1 pitada de sal

À  farinha juntam-se os ovos, o açúcar, o sal e a raspa do limão, mistura-se bem e vai-se juntando o bicarbonato de amoníaco desfeito numa chávena de leite quente (cuidado porque ferve e aumenta de volume; evitem inalar o vapor; usem uma taça maior para desfazer o bicarbonato no leite), junta-se a manteiga e a banha e vai-se amassando, se necessário junta-se mais um pouco  de leite quente para ajudar a  amassar, eu gosto de pôr no recipiente onde desfiz o bicarbonato de amoníaco, para aproveitar bem.
Quando a massa está com a consistência necessária para rolar cortam-se pedaços que se estendem com a consistência fina e corta-se com a forma apropriada, colocam-se em tabuleiros pincelados de manteiga e enfarinhados e pincelam-se com ovo batido , pondo no centro uma pitada de açúcar. Vão ao forno e guardam-se em recipientes herméticos para posteriormente acompanhar um chá ou um lanche.

*O Sal amoníaco é um mineral incomum composto por cloreto de amonio, NH4Cl. Forma cristais incolores a brancos ou amarelos escuros no sistema cúbico. O sal amoniaco é usado para fazer biscoitinhos e a sua função é deixar os biscoitos/bolachas mais crocantes. O bicarbonato de amónio, ou sal amoníaco, pode ser comprado a granel no comércio tradicional, nas farmácias, nas drogarias ou até já embalado nas grandes superfícies.  É um pó branco, do género do bicarbonato de sódio. O cheiro a amoníaco evapora-se quando é incorporado no leite a ferver e desaparece por completo no forno, aquando da cozedura das bolachas.

fonte da receita:

http://clararosa-asreceitasdaavo.blogspot.pt/2012/02/bolachas-republicanas.html

The sweetest Christmas tree

Quando existem crianças pequenas em casa, temos de mantê-las ocupadas com atividades interessantes, de preferência que não envolvam o contacto com tecnologias, porque neste campo os estímulos são vários. Por isso, sempre que posso, gosto de lançar-lhes desafios que impliquem algum trabalho manual, atenção e criatividade. Lembrei-me de fazer uma árvore de natal feita de bolachas, que tinha visto, o ano passado, elaborada pelo Célio Cruz neste post. O autor do blogue Sweet Gula, por sua vez, adaptou a receita de Jamie Oliver, publicada na revista Jamie Magazine issue #53 de Novembro de 2014. Construir esta árvore acabou por ser mesmo um desafio, que implicou várias etapas e um exercício de paciência aquando da montagem da árvore, com a colocação das bolachinhas.

Boas Festas!

5

1

2
3
Ingredientes
250 g de manteiga c/ sal
200 g de açúcar mascavado
4 c. (sopa) de golden syrup
4 c. (sopa) de maple syrup
600 g de farinha s/ fermento
2 c. (chá) de bicarbonato de sódio
4 c. (chá) de gengibre em pó
2 c. (chá) de canela em pó

raspa e sumo de 1 laranja

1 clara de ovo
250 g de açúcar em pó

Método Tradicional
Num tacho pequeno, derreta a manteiga juntamente com o açúcar, o golden e o maple syrup. Reserve.
Numa taça misture a farinha, o bicarbonato de sódio, as especiarias e a raspa de 1 laranja.
Adicione a mistura de manteiga derretida e comece a amassar, ao mesmo tempo que vai adicionando aos poucos o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.

Retire e deixe arrefecer numa grelha.

Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. Bata as claras em castelo até formarem picos.
Sem deixar de bater adicione o açúcar aos poucos e bata até obter um merengue brilhante e bem espesso.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Método Thermomix – Bimby
Coloque no copo, a manteiga, o açúcar, o golden e o maple syrup e programe (2min/37ºC/vel2).
Adicione a farinha, o bicarbonato, as especiarias e a raspa de 1 laranja. Programe (15seg/vel6).
Retire a massa para uma bancada e acabe de trabalhá-la. Com as mãos amasse um pouco, ao mesmo tempo que adiciona o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.
Retire e deixe arrefecer numa grelha.
Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. No copo limpo e seco coloque a borboleta, adicione a clara do ovo e programe (2min/vel3,5). Nos últimos 30seg. adicione o açúcar aos poucos pelo bocal.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Nota: Poderá cobrir algumas bolachinhas com glace.
4

Caracóis doces de alfarroba e frutos secos… Dia Um…Na Cozinha

Tal como a Isabel Fernandes, uma das dinamizadoras do desafio Dia Um Na Cozinha, afirma o “outono é mesmo uma estação especial” porque se encontra associada  a ” tardes em casa ao som da chuva”, a “chocolate quente ou chá”, a “maratonas de filmes, a manta no sofá”, e a “forno ligado”, do qual ” exaltam odores inebriantes que inundam as cozinhas”. Por estes motivos todos, e mais alguns, a Isabel, autora do blogue Brisa Marítima, lançou, conjuntamente com a Aida e com o Paulo Herculano o tema “Pães Doces” para o desfile da 42ª edição do “Dia Um… Na Cozinha”. Foi com muito gosto de aceitei este desafio, após alguns meses sem conseguir participar.

Caracóis Doces de Alfarroba e Frutos Secos

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

caracóis doces de alfarroba

Ingredientes

  • 1/2 chávena de margarina ou de manteiga sem sal (amolecida)
  • 100 ml de leite à temperatura ambiente
  • 150 ml de água morna
  • 1 saqueta de fermento Fermipan
  • 600 g de farinha T55
  • 60 g de farinha de alfarroba
  • 100 g de açúcar
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de sal

Preparação

Aqueça a água a 37ºC  e junte-lhe o fermento. Misture. Deixe repousar 10 minutos.

Coloque as farinhas, o açúcar e o sal numa taça grande e faça um buraco no centro.

Junte o ovo e a manteiga e amasse. Vá juntando a água morna com o fermento reservada, amassando sempre. Termine com o leite e volte a amassar até que a massa fique uniforme e não se agarre à tigela.

Divida a massa em 12 pedaços iguais. Recorra à balança para ser mais preciso(a).

Enfarinhe uma superfície  e estique cada pedaço de massa fazendo uma tira que depois será achatada e enrolada com o formato de caracol.

Disponha os caracóis juntos num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixe levedar cerca de 1 hora e meia a duas horas.

Pré-aqueça o forno a 200 ºC e leve os caracóis a cozer durante 25 minutos.

Ingredientes para a cobertura

  • açúcar em pó
  • água ou sumo de limão
  • 150 g de frutos secos (mix avelãs, caju, amêndoa, castanha do Brasil)

Preparação

Quando os caracóis tiverem arrefecido, disponha por cima destes os frutos secos, grosseiramente triturados na picadora. Poderá envolvê-los numa calda de açúcar idêntica à abaixo descrita e só depois dispô-los sobre os caracóis.

Numa taça, coloque algumas colheres de sopa de açúcar em pó e um pouco de água ou de sumo de limão. Misture muito bem até formar uma glace que corra em fio. Decore os caracóis com fios de glace. Espere que a glace seque ou delicie-se de imediato.

logotipo-dia-um-na-cozinha-novembro-2016

 

Workshop “Cozinhar com Leguminosas” no Centro de Ciência e uma receita de bolachas

A ONU declarou o ano de 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, com o propósito de elevar a consciência sobre a potencial importância do papel desses alimentos na promoção da saúde, nutrição, bem como na segurança alimentar e sustentabilidade ambiental.

As leguminosas têm pouca gordura e muita fibra na sua composição. Isso faz com que causem uma sensação de saciedade no organismo. Sendo assim, a fome repentina e os picos glicémicos ficam mais controlados, ajudando no controle da diabetes. As fibras presentes nesses grãos ainda previnem a obstipação organismo. Para além disso, são uma fonte de energia, devido aos hidratos de carbono presentes, de vitaminas, a maior parte do complexo B e de outros minerais importantes: ferro, cálcio, magnésio, zinco, potássio e fósforo. Segundo os nutricionistas, a eficácia das leguminosas é ainda maior se se ingerirem na mesma refeição dois tipos diferentes, para equilibrar a ingestão de aminoácidos.

As leguminosas não são legumes. O termo legume refere-se às partes comestíveis das plantas. Já as leguminosas são tipos de plantas cujas sementes/grãos crescem em vagens: feijão, grão, ervilha, lentilha, soja, amendoim, tremoço, etc. Algumas espécies podem ser consumidas quando ainda verdes, como a ervilha, o feijão e as respetivas vagens. Outras podem ser utilizadas na forma germinada, como os rebentos de soja, de feijão, etc. A grande maioria, porém, é consumida na forma seca. As leguminosas são compostas por 50% de hidra- tos de carbono e cerca de 23% de proteínas, exceto a soja que possui 38%. A soja e o amendoim são oleaginosas (maior conteúdo lípido). Os feijões, a fava, o grão, o tremoço, a ervilha e a lentilha são não oleaginosas (menor conteúdo de gordura). O consumo de leguminosas é muito importante uma vez que estas apresentam qualidades nutricionais desejáveis. Para além disso, podem conservar-se por muito tempo na forma seca ou enlatada e são de fácil preparação.

&

No passado sábado, dia 8 de outubro, dinamizei dois workshops no Centro de Ciência de Angra do Heroísmo a convite da Associação para o Estudo do Ambiente Insular. A ação pretendeu sensibilizar crianças e adultos para a importância da inclusão das leguminosas na nossa alimentação. Foram momentos de interação e muita partilha! Obrigada a todas as participantes pela vossa presença e colaboração.

Se tiverem curiosidade em ver  os momentos e as receitas do workshop cliquem nos links abaixo.

workshop Cozinhar com Leguminosas

workshop Cozinhar com Leguminosas

Vou agora partilhar convosco uma das receitas elaboradas.

Bolachas de Grão-de-Bico e Chocolate (vegan; sem glúten)

cookies de chocolate e grão-de-bico

img_9088

Ingredientes

  • 1 chávena e meia de grão cozido
  • ½ chávena de manteiga de amendoim
  • 1/2 chávena de amendoim frito e salgado grosseiramente triturado
  • 3 colheres de sopa de açúcar mascavado
  • ⅓ chávena de xarope de ácer (utilizei caramelo líquido)
  • 1 colher de sopa de extrato de baunilha
  • ¼ de colher de chá de sal de mesa
  • ¼ colher de chá de fermento para bolos
  • ¼ colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ½ chávena de pepitas de chocolate

Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 200 C. Forre um tabuleiro com papel vegetal.
  2. Misture num processador todos os ingredientes  até estarem bem incorporado, exceto as pepitas de chocolate.
  3. Transfira a massa para uma tigela e adicione as pepitas de chocolate. Misture.
  4. Use uma colher de gelados, ou faça bolas de massa com as mãos e posicione-as bem afastadas umas das outras no tabuleiro.
  5. Decore com mais pepitas e metades de amendoim.
  6. Leve ao forno durante 20 a 25 minutos.

Dica para Bolachas em SOS:

Se preferir, prepare a massa de bolachas, coloque-a em película aderente, forme um rolo e congele. Quando desejar, retire-as do congelador, corte rodelas, coloque-as de imediato num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve a cozer. Terá bolachas quentinhas e prontas em 25 minutos.

cookies de chocolate e grão-de-bico

 

 

Tapenade com planta do gelo e bolacha de algas em dia de feriado

Hoje, comemoramos o feriado de 5 de outubro, que celebra a Implantação da República Portuguesa, datada de 1910, e o fim do regime monárquico então vigente. Este dia relembra também a assinatura do Tratado de Zamora em que Afonso VII de Leão e Castela reconhecia Portugal como reino independente em 1143.  Estas são duas boas razões para se trazer aqui hoje uma entrada dedicada a este país à beira-mar plantado. Eis uma sugestão bem marisqueira, que conjuga as anchovas, a azeitona e o azeite,  produtos tão portugueses e a planta do gelo, com notório sabor a frutos do mar.

Tapenade com planta do gelo e bolacha de algas

Tapenade com planta do gelo (da Quinta Biológica Bio Fontinhas)

(poderão encontrar esta tábua de servir na sua loja DeBORLA)

Ingredientes
• 200g de azeitonas pretas sem caroço
• 2 colheres de sopa de alcaparras
• 2 dentes de alho pequenos
• 10 colheres de sopa de azeite
• 1 limão (sumo e raspa)
• Sal q.b.
• Planta do gelo ( 2 raminhos para a tapenade e outros dois para decorar)- gentilmente cedida pela Quinta Biológica BioFontinhas

Preparação
Coloque numa picadora as azeitonas, as alcaparras, a planta do gelo – que incluirá um toque de sabor a mar- e os dentes de alho . Acrescente algumas raspas de limão, parte do sumo e o azeite. Triture e prove para conferir o sabor. Tempere com sal e ajuste o sumo e raspa de limão, se desejar. Decore com raminhos de planta do gelo. Sirva com bolachinhas de algas. Estas bolachas não contêm ovo, leite, aditivos, mas têm alto teor em fibra e em gorduras insaturadas. São adoçadas com melaço de cana. Vêm em embalagens de 4 saquetas com 4 bolachas integrais e são da marca Cem Porcento.

Tapenade com planta do gelo (da Quinta Biológica Bio Fontinhas)

Um dos Pudins desta Páscoa

Este pudim foi uma das sobremesas do nosso almoço de Páscoa. O facto de poder ser confecionado de véspera facilita imenso a gestão das receitas que terão de ser efetivamente elaboradas no próprio dia da festa. Caracteriza-se por ser uma sobremesa em camadas, muito parecida ao bolo de bolacha, mas desta vez na versão pudim com amêndoa torrada incorporada e decoração alusiva à Páscoa.

Pudim de Café com Amêndoa e Chocolate
Pudim de Café, Bolacha e Chocolate

Pudim de Café, Bolacha e Chocolate

Ingredientes

2 pacotes de natas (400 ml)- Novaçores

2 pacotes de bolacha Maria

100 g de miolo de amêndoa triturado e torrado

1 lata de leite condensado cozido

2 cálices de licor de café

2 chávenas de chá de café expresso

200 g de chocolate de leite com amêndoas para os ovos

chocolate branco  e chocolate negro (decoração)

 

Preparação

0. Torra-se a amêndoa no forno ou numa frigideira anti-aderente. Deixa-se arrefecer totalmente.

1. Batem-se dois pacotes de natas até estarem consistentes.

2. Junta-se o leite condensado cozido e bate-se novamente.

3. Adiciona-se o licor de café. Bate-se.

4. Faz-se o café expresso, uma chávena de chá cheia de cada vez.

5. Molham-se as bolachas de um lado e do outro no café rapidamente para que não fiquem moles. Colocam-se a escorrer num prato.

6. Coloca-se um pouco de creme no fundo de uma taça alta. Em cima do creme dispõem-se as bolachas escorridas e cobre-se com mais uma camada de creme. Faz-se o mesmo até se esgotarem as bolachas e o creme. Entre camadas, dispõem-se as amêndoas torradas.

7. Derrete-se o chocolate de leite e amêndoas em banho-maria ou no micro-ondas em períodos de 30 segundos, mexendo entre sessões. Coloca-se em formas de silicone com o feitio de metades de ovos de páscoa. Vai ao frigorífico cerca de uma hora, no mínimo.

8. Decora-se o pudim com com raspas e pedaços de chocolate negro e branco. Termina-se com os ovos de chocolate confecionados e com mais raspas de chocolate branco.

9. Vai ao frigorífico um mínimo de 6 horas antes de servir.

Pudim de Café, Bolacha e Chocolate

Pudim de Café, Bolacha e Chocolate

Barritas Saudáveis no Regresso às Aulas

Hoje foi o dia do regresso às aulas, depois de duas semanas sem rotinas precisas em que a criança e o jovem cá de casa viveram felizes porque sem horários. Foi tempo de brincar à vontade, de celebrar a festa do Natal à volta da árvore, do presépio e da mesa da sala de jantar, de receber amigos e fazer visitas, de ler livros novos, trazidos pelo Menino Jesus, de fazer bolachas e decorar a casa de gengibre, de brincar fora de casa, no jardim, com os cães, de atazanar o gato cá de casa, que procurava conforto em esconderijos solarengos e de jogar vídeo-jogos sem pensar em trabalhos de casa e testes, no caso do filho mais velho.

IMG_3217

31821

12

O que é certo é que depois de tanta brincadeira, de dias e de refeições sem hora marcada, está na altura de voltarmos às ementas equilibradas.

E por que não começar com barritas saudáveis para as lancheiras dos filhos e dos pais?

IMG_1242

Barritas (e Bolachas ) de Aveia e Banana

Ingredientes

Para barritas totalmente saudáveis

  • 2 bananas grandes esmagadas
  • 2 chávenas de flocos de aveia sem glúten
  • Extrato de baunilha

Para barritas menos saudáveis acrescente:

  • pepitas de chocolate
  • pepitas  de manteiga de amendoim
  • Passas, tâmaras, alperces
  • amendoins, nozes, amêndoas, pistácios, cajus…

 Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 180º C.
  2. Coloque os flocos de aveia num robô de cozinha ou no tradicional 1,2,3 e misture bem até a aveia ficar com a consistência de uma farinha.
  3. Numa taça, acrescente a banana esmagada até obter uma massa homogénea e macia.
  4. Depois, se desejar, adicione 1/2 chávena de um dos ingredientes extra a seu gosto.  Utilizei  chips de chocolate e de manteiga de amendoim.
  5. Unte as mãos com um pouco de óleo ou de azeite e forme as barritas. Se preferir, Coloque a massa num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal com a ajuda de uma colher de sopa. Esmague para a massa ficar toda da mesma altura.
  6.  Deixe no forno durante 9 a 12 minutos ou até as bolachas estarem prontas. Retire-as do forno e corte a massa em barritas.  Deixe arrefecer e guarde-as num recipiente bem fechado.

IMG_1253barritas_bolachas de aveia e banana_foodwithameaning