E do velho se fez novo… Falafel com Atum


Os Falafel são bolinhos vegetarianos originários do Medio Oriente, cujo ingrediente principal é o grão-de-bico. Fi-los para o workshop ‘Tapas Gourmet’, que dinamizei este mês de agosto na Loja DEBORLA da ilha Terceira, como poderão ver aqui. Hoje, trago uma versão diferente, com atum, como aproveitamento de dois lombos de atum que assei no forno, cujo tempero seguiu esta receita de cavala, que se encontra sempre no top ten das receitas mais visualizadas do blogue. No frigorífico havia também sobras de grão e de batata, de uma refeição de bacalhau-com-todos. E porque sou totalmente contra o desperdício, do velho se fez novo!

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Poderão encontrar esta e outras ardósias de servir nas lojas DeBORLA.

Micro pepinos originários da Quinta Biológica do TiCanoa

 

Falafel de Atum com Cuca Melon

Ingredientes

  • 2 lombos de atum assado no forno (300 g aprox.)
  • 200 g de grão de bico cozido
  • 200 g de batata cozida
  • 150 g de farinha T65 + para polvilhar as mãos
  • 1 colher de chá de fermento Royal
  • 1 cenoura raspada
  • 1 ovo
  • 1 cebola média
  • moinho de 5 pimentas
  • sal
  • salsa picada
  • cebolinho picado
  • óleo ou azeite para fritar

Preparação

  1. Coloque a cebola num robot de cozinha e triture finamente.
  2. Junte as postas de atum, o grão e a batata cozida e triture bem.
  3. Adicione o ovo, a cenoura raspada, a farinha, o fermento e misture bem.
  4. Termine com a salsa, o cebolinho, o sal e a pimenta. Envolva bem.
  5. Polvilhe as mãos com farinha e faça os falafel de atum do tamanho que entender.
  6. Leve a fritar em óleo quente.
  7. Sirva com maionese e com salada. (Servi com pequenos pepinos crocantes, denominados Cuca Melon).

Falafel com Atum

Falafel com Atum

 

 

 

Anúncios

E o mês de março começa com empadas e empadinhas

As empadas constituem um dos meus salgados favoritos. Estas podem ser grandes e ocupar uma assadeira inteira. Podem ser pequenas e ter imensos formatos. São petisco e são refeição, especialmente se forem acompanhadas de uma saladinha. Os ingleses adoram-nas e fazem-nas com variados recheios, sendo o mais famoso o de borrego, conhecida como Shepherd’s Pie.

Uma vez que este tema é tão apelativo, eu não pude de deixar de participar na edição do mês de março de Dia Um…Na Cozinha, totalmente dedicada às empadas. A minha sugestão recaiu nos legumes e no peixe. As sobras de ratatouille deram o mote e juntaram-se à latinha de atum em caldeirada, que se encontrava na prateleira do armário despenseiro a aguardar utilização.

As tábuas Gradirripas contribuíram sobremaneira para o destaque destas simples mas deliciosas empadas.

Et voilà, as  minhas Empadas de Ratatouille e Caldeirada de Atum!

empadas de ratatouille e caldeirada de atum

empadas de ratatouille e caldeirada de atum

Para o Ratatouille os ingredientes são os seguintes:

  • 1 pimento encarnado
  • 1 cebola
  • 1 beringela
  • 1 courgette
  • 2 tomates
  • 2 dentes de alho
  • 2 folhas de louro
  • Azeite
  • Sal
  • pimenta
  • tomilho fresco
  1. Colocar azeite a aquecer num tacho (o suficiente para um estufado).
  2. Picar 2 dentes de alho, e cortar os restantes legumes, num corte regular e do mesmo tamanho.
  3. Adicionar ao azeite a cebola, a beringela, o pimento e o alho. Juntar tomilho fresco, 2 folhas de louro e temperar com sal e pimenta.
  4. Cortar os tomates, eliminando as sementes, e adicionar a meio da cozedura. Por fim, adicionar a courgette. Ir mexendo e deixar cozinhar. Servir.
  5. Se preferirem fazer a receita no forno, poderão levar todos os ingredientes num tabuleiro ao forno e deixar assar entre 40 a 60 minutos.

Ingredientes para 8 empadas

  • 1 embalagem de massa folhada retangular
  • sobras de ratatouille
  • 1 lata de atum em caldeirada (marca Corretora)
  • gema de 1 ovo para pincelar
  • manteiga para untar as formas

Preparação das empadas

  1. Escolha formas de alumínio pequenas (as que utiliza para fazer queijadas)
  2. Unte as formas com manteiga derretida (utilizo um pincel)
  3. Faça círculos com uma forma ligeiramente maior do que o diâmetro das formas que irá usar.
  4. Forre a forma com o círculo de massa e pique o fundo com um garfo.
  5. Coloque metade da capacidade com pedaços de ratatouille ( legumes assados) e termine com uma colher de chá de caldeirada de atum.
  6. Com uma forma ciclíndrica mais pequena do que o diâmetro da forma onde a empada vai cozinhar (um cortador de bolachas redondo, por exemplo) corte as tampinhas da empada.
  7. Coloque uma tampa em cada empada e aperte os bordos da massa contra os bordos da tampa, selando a empada.
  8. Pincele com gema de ovo.
  9. Leve ao forno, pré-aquecido, a 200ºC cerca de 15 minutos, apenas com a resistência inferior. A 2 minutos do fim da cozedura, ligue a resistência superior.

 

empadas de ratatouille e caldeirada de atum

12545906_487750298074841_422959187_o

empadas de ratatouille e caldeirada de atum

empadas de ratatouille e caldeirada de atum

Logotipo Dia Um... Na Cozinha Março 2016

 

Tarteletes para as minhas amigas que falam inglês

Eu e as minhas colegas, professoras da disciplina de Inglês, temos a tradição de nos juntarmos em casa da Ana, no sábado a seguir ao dia das amigas, comemorado na quinta-feira anterior, para celebrarmos esta amizade falada em inglês. Costumamos contribuir para a mesa com um doce ou um salgado. Eu combinei com a anfitriã que contasse com um pestisquinho. Assim nasceram estas tarteletes, que foram muito apreciadas!

Amiga Elsa, cá está a receitinha que me pediste!

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimentatarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta

Ingredientes para a massa quebrada

200 g de farinha T55
90 g de manteiga fria
45 ml de água
meia colher de chá de sal
duas colheres de chá de açúcar

Preparação na Bimby

1. Coloque no copo todos os ingredientes pela ordem indicada e programe 15 segundos, velocidade 6.
2. Forme uma bola com a massa, espalme-a e envolva-a em película aderente. Refrigere enquanto prepara o recheio.

Ingredientes para o recheio

100 g de mortadela com azeitona
100 g de fiambre de peru
3 ovos
120 g de queijo ralado (flamengo e cheddar)
1 iogurte natural
200 ml de nata levíssima da Parmalat (10% de gordura)
sal
pimenta
folhas de hortelã-pimenta

Preparação
1. Coloque no copo da Bimby o fiambre, a mortadela e as folhas de menta e triture em pedacinhos, marcando de 1 a 6 progressivamente. Tempere com sal e pimenta. Reserve numa tigela.
2. Coloque no copo da Bimby a borboleta e os ovos. Marque 1 minuto, velocidade 3. Verta os ovos batidos na tigela, juntamente com o iogurte, as natas e o queijo. Mexa com uma colher até envolver todos os ingredientes.

&

Retire a massa do frigorífico, forre uma superfície com película aderente e polvilhe ligeiramente com farinha. Estenda a massa nessa superfície e forre formas de tarteletes, previamente pinceladas com manteiga derretida. Pique o fundo de cada tartelete com um garfo. Encha cada forminha com o recheio. Leve a cozer a 200 ºC, em forno pré-aquecido, durante 30 minutos.

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta

tarteletes de fiambre de peru e mortadela com hortelã-pimenta

Rabanadas no Forno com Arandos

Esta quadra é sempre uma época de excessos e de fartura nas mesas. Assim manda a tradição na maioria das casas. É bom sinal quando assim é. Com o intuito de tentar – disse tentar- manter a linha, resolvi este ano experimentar a receita das rabanadas no forno. Gostei da experiência. De facto, evita-se a fritura em óleo, mas confesso que o resultado não é o mesmo comparativamente à receita original. Fica-nos sempre na memória o paladar e a consistência das rabanadas fritas. Estas, assadas no forno, ficam mais sequinhas do que as genuínas, mas são igualmente saborosas.

Por que estamos em festa, decidi engalanar as minhas rabanadas com fios de glacê real e arandos embebidos em vinho do Porto.

rabanadas no fornorabanadas no forno

Rabanadas de Forno

  • pães de baguete
  • 2 ovos
  • 1 lata de leite condensado
  • 300 ml de leite
  • Açúcar misturado com canela
  1. Corte os pães em rodelas, com cerca de 1,5cm, ou da largura de um dedo.
  2. Em uma tigela misture o leite condensado e o leite. Vá adicionando leite até ficar uma mistura líquida, mas um pouco mais grosso que o leite em si…
  3. Noutra tigela bata os ovos.
  4. Mergulhe as fatias de pão primeiro na tigela de leite condensado e depois na do leite; logo em seguida, mergulhe-as no ovo.
  5. Disponha as fatias de pão molhadas numa assadeira untada com bastante manteiga e levemente polvilhada com açúcar e canela misturados a gosto ou então apenas forrada com papel vegetal. Leve ao forno médio pré-aquecido a 180 °C por 30 minutos. Vire as rabanadas e coloque-as novamente ao forno durante 10 minutos.
  6. Retire as rabanadas do forno e passe-as numa mistura de açúcar com canela.

rabanadas no fornorabanadas no forno

Poderão encontrar este prato lindíssimo nas Lojas DeBORLA.

Marmelada de Castanha ou Castanhada?

“UMA IGUARIA COM CASTANHAS” é o tema da 30ª edição do “Dia Um.. Na Cozinha”. Como estamos na época das castanhas, eu estou certa de que o desfile deste mês vai ser fenomenal.

Tradicionalmente, as castanhas querem-se quentes e boas, de preferência assadas na brasa ou a acompanhar um prato de forno. Têm também presença importante na doçaria na forma de bolo, de tarte e de pudim. São muito ricas em nutrientes e vitamina C, sendo isentas de gordura. Foram durante muitos anos o substituto da batata, antes de esta ser introduzida na Europa.

Em suma, as castanhas, quer sejam assadas, fritas, cozidas, utilizadas em sopas e guisados ou transformadas em farinha, são muito apreciadas pela maior parte dos portugueses.

A minha sugestão recai hoje na marmelada de castanha ou castanhada, ideal para acompanhar pão ou bolachas de água e sal nos pequenos-almoços e lanches de outono.

Espero que gostem!

castanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaningcastanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

Logotipo Dia Um... Na Cozinha Novembro2015 (2)

 

Ingredientes

1,500 kg de castanhas
800 g a 1 kg de açúcar
1 vagem de baunilha

Preparação

1.Coza as castanhas descascadas mas com pele.
2. Retire-lhes a pele enquanto ainda estão quente e passe-as pelo passe-vite.
3. À parte, prepare uma calda de açúcar em ponto de pérola usando 1 quilo de açúcar para cada quilo de puré de castanha.
4. Depois de misturar a calda no puré de castanha, junte o interior da vagem de baunilha e leve-a novamente ao lume, mexendo sempre até fazer estrada.
5. Guarde no frigorífico a marmelada de castanha em marmitas forradas com papel vegetal.

castanhada ou marmelada de ccastanha_foodwithameaningcastanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

castanhada ou marmelada de castanha_foodwithameaning

Smoothies…a saúde no copo

Um smoothie é uma bebida saudável, saborosa e muito refrescante. É feito com frutas, iogurtes e outros ingredientes naturais. É uma ótima fonte de energia, pois contém pouquíssima gordura e é rico em vitaminas e minerais. Um smoothie é mais do que uma bebida, é uma escolha de vida saudável ideal para quem se preocupa com o bem-estar do corpo, mas não abre mão de uma combinação deliciosa.

smoothies

Relativamente às quantidades dos ingredientes, decidi não descriminá-las nas receitas porque à medida que faço os smoothies vou observando a consistência- o smoothie é por natureza uma bebida pouco líquida- e vou provando para regular a quantidade de fruta, o leite ou os derivados deste, e o adoçante. Por norma utilizo mel para adoçar os batidos. O estado de maturação da fruta também condiciona a utilização de menor ou maior quantidade de adoçante. Por vezes, opto mesmo por não incluir açúcares nos batidos, uma vez que a frutose já lá está.

Estes foram os 4 smoothies confecionados para a comemoração do Dia Mundial da Saúde.

smoothies

(smoothies representados na foto da esquerda para a direita)


 

Smoothie de uva-da-serra (mirtilo)

uva-da-serra congelada

maçã congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Smoothie Caribenho

Ananás ou abacaxi congelado

melão congelado

Iogurte natural ou grego

Leite de côco (ou normal)

Côco ralado

Bananas

Mel

Hortelã


 

Smoothie de banana, chocolate e manteiga de amendoim

Bananas maduras congeladas

pera congelada

Leite achocolatado (ou leite simples +nesquik ou cacau)

Mel

Manteiga de amendoim a gosto

Opcional: polvilhar com canela


 

Smoothie de framboesa

framboesas congeladas

pera congelada

Iogurte natural/grego

Leite

Mel


 

Preparação

Colocar no copo liquidificador ou no copo do robô de cozinha leite ou os derivados de leite (iogurte natural/iogurte grego).

Adicionar metade da fruta cortada aos pedaços e previamente congelada em saquinhos e triturar.

Juntar o leite, o resto da fruta e os ingredientes em falta.

Verificar a consistência e se o batido necessita de adoçante.

 

Notas:

  • Para qualquer smoothie a fruta deve estar preferencialmente congelada, apesar de haver a possibilidade de se acrescentar gelo ao preparado final.
  • Os smoothies são uma excelente ideia para aproveitamento de peças de fruta esquecidas na fruteira, mais maduras e menos apelativas, tal como acontece com a banana.
  • Os smoothies não devem ser por norma substitutos de uma refeição, mas poderão ser pequenos-almoços e lanches já que são importantes fontes de fibra, vitaminas e minerais.

Mais fotos da iniciativa  aqui

8 da manhã. Café e torta de amora

Acordei. Levantei-me. Dirigi-me até à máquina de café, quase de olhos fechados. Liguei-a. Escolhi a cápsula e deixei que o café escorresse lentamente para a chávena, difundindo pela cozinha um lento despertar. Pensei que estava em agosto e que possivelmente já houvessem amoras nas silvas. Pensei também que em breve iria apanhar uva-da-serra. Abri o frigorífico e retirei um frasco de compota de uva-da-serra para barrar na torrada. Enganei-me. Era efetivamente doce de amora. Devia rotular as compotas, mas nem sempre o faço. Confio na memória e limito-me a decifrar pelo exterior do frasco o conteúdo. Desta vez a estratégia não deu certo. Não fazia mal. Estamos no tempo das amoras. Iria apanhá-las para guardar este fruto de fim de verão e poder disfrutá-lo sempre que quisesse. De repente, pensei que aquele doce ficaria muito bem como recheio de uma torta. E, assim, tudo se concretizou em meia hora, ainda a tempo do café da manhã cá de casa. Para mim, toda a altura do dia podia ser o momento certo para se saborear um docinho. Cortei a torta em fatias generosas e acondicionei-as numa marmita para oferecer a amigos. A comida sabe sempre melhor quando é partilhada.

torta de amora_foodwithameaning

 

Torta de Amora Silvestre

Ingredientes

6 ovos

150 g de açúcar (a receita dizia 200)

200 g de farinha (a receita dizia 250g)

1 colher de café de aroma de baunilha ( não incluído na receita original)

2 colheres de chá rasas de fermento para bolos

1 frasco de compota (usei de amora silvestre)

 

Preparação

Ligar o forno a 180ºC.

Bater os 6 ovos inteiros com 150 g de açúcar  durante dois minutos.

Juntar a farinha, 200 g,  o aroma de baunilha e duas colheres de chá rasas de fermento para bolos. Bater tudo.

Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal. Untar o papel vegetal com manteiga e polvilhar com farinha.

Verter o preparado para o tabuleiro.

Cozer durante 15 minutos.

Desenformar de imediato para cima de uma toalha polvilhada com açúcar. Deixar arrefecer 10 minutos e rechear com o doce que se desejar.

Usar a toalha para ajudar a enrolar a torta.

Dicas:

  1. Não deixar que a torta coza demasiado. Poderá ter tendência para quebrar ao desenrolar; Quinze minutos serão aqui suficientes.
  2. Desenrolar com cuidado, apertando a torta uniformemente contra a toalha polvilhada de açúcar.

torta de amora_foodwithameaningtorta de amora_foodwithameaning

 

receita adaptada do livro básico da Bimby