Peixe sem espinhas? Raia com com acelgas vermelhas e tomate cherry

Um peixe que as crianças adoram por não ter espinhas. É verdade. Tem uma cartilagem que separa duas camadas de carne alvas de neve, muito tenras e saborosas.
Como o peixe foi frito, decidi acompanhá-lo, desta vez, com salada, impondo assim um toque mais saudável à refeição.

Comprei no mercado municipal a raia já sem pele e cortada em postas.
Fiz um vinha d’alhos bem forte com bastante alho cortado às rodelas, duas colheres de sopa de massa malagueta, 200 ml de vinagre branco, 100 ml de água, sal.
Deixei o peixe a marinar de um dia para o outro no frigorífico.
No dia seguinte, sequei cada posta com papel de cozinha, envolvi em farinha de milho e levei a fritar numa frigideira do mesmo modo que se frita peixe normal.
Poderão optar por fritar na Actifry. Fica igualmente delicioso e ainda mais saudável devido à reduzida quantidade de óleo utilizado (1 colher/medida para quatro postas).

Acompanhei com salada de acelgas vermelhas e tomate cereja, temperada com azeite, ervas aromáticas e uns pozinhos de sal de mesa.

As acelgas e os tomates cherry foram comprados ao meu vizinho do lado – Hidro Saladas.

Anúncios

Maçã Assada com Vinho do Porto, Canela e Gengibre

Esta é mesmo a minha sobremesa favorita, definitivamente. Desta vez coloquei em cima das maçãs uns pozinhos de gengibre. A combinação da maçã com o vinho do porto e com as especiarias faz com que esta seja uma sobremesa muito perfumada. É também, sem dúvida, uma receita muito saudável porque muito pouco calórica. Se a maçã for bem docinha pode-se dispensar perfeitamente a utilização de açúcar.
Então, fiz assim. Comprei seis maçãs Canada Gris, lavei-as muito bem, descaroçei-as e coloquei-as na Actifry (podem fazer o mesmo procedimento e assá-las no forno num tabuleiro, mas mesmo em forno pré-aquecido demorarão mais de 15 minutos a assar (o tempo que levam na Actifry). De seguida, preparei uma mistura de canela e açúcar e enchi cada buraquinho de maçã até meio com este preparado. Reguei as maçãs com vinho do porto, a gosto. Polvilhei com gengibre em pó.

Depois foi só marcar 15 minutos e esperar que as maçãs arrefecessem.

Podem acompanhar esta sobremesa com uma bola de gelado de baunilha, se gostarem. Eu prefiro apreciá-la na sua simplicidade de fruto.

Pimentos recheados e In Time

Ter tempo. Chegar a tempo. Lutar contra o tempo. Ganhar tempo. Gastar tempo.
Estas são expressões que se encaixam na perfeição no conceito de tempo veiculado no filme In Time. Apesar de não ser fã de Justin Timberlake, apreciei o seu desempenho como actor. Mostra de forma exemplar a pressão que o tempo exerce no ser humano em diferentes realidades sociais.

Um filme para se saborear com tempo assim como esta receita, que também exige algum tempo.

Ingredientes

4 pimentos (utilizei verdes e encarnados)
1 chávena e meia de arroz
1 cebola
3 ou 4 dentes de alho
azeitonas
4 latas de atum
tomate pelado triturado ou frito
1 lata pequena de milho
1 lata pequena de feijão rolo
1 lata pequena de cogumelos laminados
azeitonas
temperos a gosto (louro, mistura de pimentas, piri-piri)
azeite
sal

Modo de Confeccionar

Coze-se o arroz em sal com 3 chávenas de água.
Lavam-se os pimentos, abre-se-lhes uma tampa e retiram-se-lhes as sementes.
Faz-se um refogado com a cebola, o alho e o azeite. Junta-se um folha de louro (facultativo). Quando estiver pronto, junta-se o tomate triturado e, depois deste fervilhar, o atum e os cogumelos. Adicionam-se as azeitonas recheadas e picadas.
Mistura-se o arroz cozido a este preparado e recheiam-se de seguida os pimentos.
Leva-se ao forno numa assadeira regada com azeite até estarem assados. Há necessidade de vigiá-los e de os ir virando para ficarem homogeneamente assados.
Eu prefiro assá-los na Actifry. Assam em menos de metade do tempo e não há cheiros pela casa. Na Actifry também há necessidade de os ir virando.
Faço-os como prato principal, mas pode ser um ótimo acompanhamento se forem recheados só com legumes.

Uma sugestão de combinação e não uma receita: alheiras de caça com batata doce

Esta é uma combinação fantástica e um prato de rápida execução para quando queremos algo reconfortante, a cheirar a tradição, e não temos assim tanto tempo para confecioná-lo. Quis registar as últimas alheiras caseiras, feitas pela minha sogra transmontana. Digo isto com algum pesar. Foram então as únicas alheiras de caça que sobraram, uma verdadeira tentação para o olfato e para o paladar.
Aqui não tive mérito nenhum, a não ser ligar e desligar a Actifry para fritar as batatas e as alheiras.

Deixo-vos então esta combinação agri-doce:alheiras brigantinas com batata doce açoriana.
Uma tentativa de união de dois espaços distintos no prato.

Acompanhei com um copo de vinho tinto.

Costeletas com cubos de batata e ananás flamejado

Gosto muito de refeições agridoces, da conjugação de carne com fruta. Sinto que transforma o prato em algo mais leve. Lembrei-me de flamejar umas rodelas de ananás para acompanhar estas costeletas. Como já há muitos dias não comíamos fritos, resolvi atender às súplicas dos mais pequenos – e também do graúdo – e sairam diretamente da actifry estes cubinhos de batata com ervas aromáticas.
Este foi um jantar muito fácil de confecionar, adequadíssimo para esta altura em que em termos profissionais me encontro muito ocupada .

Ingredientes

4 costeletas de porco (lombo ou cachaço, como preferirem aí em casa)
8 dentes de alho
alho em pó
sumo de limão
pimenta preta

Descasquei os dentes de alho, cortei-os às rodelas e envolvi-os na carne juntamente com sumo de limão, alho em pó e pimenta preta. Reservei.

Descasquei as batatas. Cortei-as aos cubinhos e envolvi-as numa mistura de ervas aromáticas, azeite e sal fino. Levei a fritar 40 minutos na actifry sem adição de óleo.

Descasquei o ananás. Cortei-os às rodelas. Numa frigideira, polvilhei-o com açúcar amarelo (também se pode utilizar branco e até mascavado) e canela a gosto. Quando já estava douradinho de ambos os lados (repeti a operação do açúcar e da canela na outra face do ananás) verti um pouco de brandy e flamejei-o.

Preparei as costeletas utilizando a mesma frigideira do ananás (quanto menos loiça houver para lavar tanto melhor) Antes de as fritar, retirei-lhes os dentes de alho. Quando as costeletas já se encontravam prontas, coloquei-os na frigideira (juntamente com uns inteiros) e deixei-os estrugir levemente.

Uma sugestão simples mas saciante.

Patrícia