Couscous de Bacalhau

Quando se tem um filho que torce o nariz a qualquer tipo de peixe, molusco ou marisco – para ele só se salva o atum, e o diretamente saído da lata de conserva – questiono-me, muitas vezes, como é possível  ser ele assim tão “biqueiro” tendo em conta que tem uma mãe de serviço que sendo  food blogger diversifica constantemente as refeições, conjugando múltiplos ingredientes para apresentar pratos diferentes. O bacalhau é, para ele, o primo-pobre, mesmo existindo mil e uma receitas com este peixe. A receita de hoje representou mais uma tentativa para ver se era desta que eu acertava num prato de bacalhau que lhe agradasse. Aproveitei o facto dele ser fã de massas e azeitonas e disfarcei lascas de bacalhau entre cuscus e este fruto. Enquanto comia disse: Gosto, mas não podias ter utilizado atum em vez de bacalhau? 

Mãe de adolescente sofre!

Cuscuz de Bacalhau

Ingredientes
200 g de lascas de bacalhau cozido
sobras de grão cozido
1 cebola média picada
azeitonas picadas
salsa
200 g de couscous
300 ml de água ou de caldo de legumes
1 colher de sopa de manteiga
sal
2 colheres de sopa de azeite
pimenta preta

Preparação

  1. Numa frigideira, aqueça 2 colheres de sopa de azeite e refogue a cebola até que fique transparente.
  2. Adicione as lascas de bacalhau cozido, o grão e refogue. Adicione  as azeitonas e tempere com pimenta preta. Desligue e reserve.
  3. Noutra panela, ferva a água (usei caldo de legumes), apague o lume e adicione o couscous marroquino. Deixe hidratar durante quatro minutos.
  4. Adicione a manteiga e leve a panela ao lume até que a água seque.
  5. Misture o bacalhau no couscous, adicione a salsa picada e sirva.

Cuscuz de Bacalhau

Bom fim de semana!

Estufado de borrego em tempo ainda frio

Quando o tempo ainda está frio, como tem acontecido nestes últimos dias, só apetecem pratos de forno ou de panela. Os almoços e os jantares têm sido por isso compostos por pratos de conforto. Este estufado de borrego com pimentos e batatas é um claro exemplo de comida caseira que sacia.  Se gostarem de acompanhar o estufado com uma fatia de pão caseiro, experimentem  colocar a fatia no fundo do prato, posteriormente cobrindo-a com umas boas colheradas de estufado. Transformamos assim o estofado num ensopado!

Não se esqueçam de acompanhar este prato com um copo de vinho tinto.

A assadeira tem a assinatura DeBORLA e é linda!

borrego estufado com batatas_foodwithameaning

Ingredientes

  • 1,2 kg de borrego cortado em pedaços não muito pequenos
  • 200 ml de tomate pelado triturado
  • 1 pimento encarnado
  • água a tapar a carne
  • 2 cebolas grandes cortadas finamente
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 folha de louro
  • 250 ml de vinho branco
  • salsa picada q.b.
  • 7 a 8 batatas médias cortadas ao cubos
  • azeite q.b.
  • Sal q.b.
  • Pimenta preta q.b.

Preparação

1. De véspera, deixa-se a marinar o borrego, povilhado com a pimenta, o alho, o louro e salsa.

2. No dia seguinte, coloca-se na panela de pressão azeite, a cebola, o alho e o pimento picados e deixa-se refogar levemente.

3. Juntam-se os pedaços de borrego, o tomate triturado,  o vinho branco e a água. Fecha-se a panela e deixa-se cozinhar cerca de 15 minutos após a válvula da panela de pressão começar a ouvir-se.

4. Abre-se a panela e rectificam-se os temperos.

5. Cozem-se batatas e misturam-se com o estufado de borrego um pouco antes de servir para que absorvam parte do molho. Polvilha-se com salsa picada.

borrego estufado com batatas_foodwithameaning

Queen of Puddings… Sweet World

Há dois ou três posts atrás, publicava o Bolo Napoleão, um doce típico da doçaria russa, mas com clara influência francesa. Hoje, decidi abraçar o desafio da Lia, do blogue  Lemon and Vanilla e da Susana, do blogue Basta Cheio, as dinamizadoras do passatempo Sweet World, que consiste, nesta primeira edição, na confeção do famoso Queen of Puddings.

Sabem o que é um Queen of Puddings? 

É uma sobremesa muito típica e popular no Reino Unido cujas características principais são as camadas que a compõem, ou seja:
Uma camada de custard enriquecido com pão ralado fresco, uma camada de doce e uma camada de suspiro!

A ideia deste passatempo é fazer o doce proposto, mantendo sempre as características essenciais que o definem. Para isso, segui à risca a receita da Lia e embarquei nesta aventura de ir saboreando ao longo dos meses um pouco de mundo.

Eis então o meu QUEEN of PUDDINGS 

Queen of Puddings

Queen of Puddings

Ingredientes (para 4 a 6 pessoas)

  • para a base:

600 ml leite gordo

25g manteiga + extra para untar um recipiente refractário

raspa de 1 limão

50g açúcar refinado branco

3 gemas de ovo

75g pão ralado feito a partir de pão fresco

6 colheres sopa de doce de morango (ou outro a gosto)

  • para o suspiro:

3 claras de ovo

175g açúcar refinado branco

 

Preparação:

Untar com manteiga, um recipiente refractário ou Pirex baixo, com capacidade para 1.5l.

Aquecer o forno a 170ºC.

Num tachinho, aquecer o leite, até este estar morno.

Adicionar a manteiga, a raspa do limão e o açúcar e mexer até este estar dissolvido.

Numa taça, bater ligeiramente as gemas de ovo.

Pouco a pouco, e mexendo sempre, adicionar o leite em fio, a fim de que tudo fique muito bem incorporado.

Polvilhar o fundo do recipiente refractário untado com o pão ralado.

Deitar a mistura do leite e gemas sobre o pão ralado e deixar por 15 minutos, a fim de que o pão absorva o líquido.

Colocar o recipiente refractário num tabuleiro de lados altos e encher o tabuleiro com água quente, até esta chegar até meio da altura do recipiente refractário (banho Maria).

Levar ao forno por 25 a 30 minutos, ou até o custard estar firme.

Retirar tudo do forno e colocar o custard sobre uma grelha de arrefecimento, enquanto se prepara o suspiro. Descartar a água e o tabuleiro onde se levou a água ao forno.

Reduzir a temperatura do forno para os 150ºC.

Para fazer o suspiro, bater as claras em castelo firme.

Batendo sempre, adicionar o açúcar, uma colher de chá de cada vez.

Bater, até todo o açúcar haver sido incorporado e a mistura estar espessa e brilhante.

Caso queiram um efeito mais enfeitado, colocar o suspiro dentro de um saco de pasteleiro, equipado com o bico à vossa escolha.

Muito delicadamente, espalhar o doce de morango sobre o custard.

Decorar a superfície do doce com o suspiro e levar o recipiente refractário ao forno por mais 25 a 30 minutos (sem o tabuleiro da água por baixo), ou até o suspiro estar “crocante” ao toque e douradinho.

Segundo a receita original deve servir-se morno ou à temperatura ambiente, porém, pessoalmente acho que o pudim é muito melhor depois de ter estado umas horas no frigorífico.

Queen of Puddings

Entradas e Petiscos

No sábado passado, a loja Raminho de Salsa, situada no Mercado Duque de Bragança, abriu as suas portas a uma prova de Entradas e Petiscos. Abaixo encontram-se as iguarias que preparei para o evento.
Todos os produtos foram patrocinados pela Loja Raminho de Salsa, com exceção dos micro verdes de rabanetes – Daikon(verde), China Rosa(talo rosa) e Rambo(roxo), patrocinados pela Quinta do Ti Canoa– utilizados na decoração das tostas melba e do presunto- e dos germinados de alho-francês, topping do paté de veado, cedidos pela marca Verde Vivo.

Às onze começaram a chegar os primeiros participantes, que circularam pela loja e tomaram contacto com uma série de produtos diferentes dos habituais que se encontravam nos expositores: queijos de origens diversas; patés de veado, perdiz e javali; algas desidratadas, entre outros, que poderão ver fotografados na página de facebook da loja. De seguida, procedi à explicação da constituição de cada entrada, identificando ingredientes utilizados e modo de preparação.

Terminada a apresentação das diversas sugestões, que se encontravam divididas por duas mesas, todos os participantes e clientes da loja tiveram a possibilidade de saborear os acepipes, os queijos e os enchidos. Foi servido como acompanhamento vinho tinto Quinta Vale D’Aldeia.

cartazdevidamente acompanhados po

Proprietários da Loja Raminho de Salsa000Diapositivo2

Brigadeiros de Queijo de Ovelha

Diapositivo5Diapositivo3

 

Bruschettas de Presunto

Diapositivo7Diapositivo9

 

Acepipe de Pão Preto com Queijo Vaquinha e Chouriça

Diapositivo10Diapositivo11

 

Paté de Alheira

Diapositivo13Diapositivo12

 

Paté de Veado com germinados de alho-francês

Diapositivo15Diapositivo14

 

Tostas melba com queijo de cabra e doce de figo/ doce de framboesa

Diapositivo17Diapositivo16

Mesa de queijos e enchidos

Diapositivo25

Paiola fatiada

Diapositivo20

Salpicão fatiado

Diapositivo23Diapositivo21

 

Presunto fatiado

Diapositivo190000

Nota: A loja Raminho de Salsa aceita encomendas de tábuas de enchidos (ver contacto no cartaz do evento)

Corações Folhados com Morangos e Chantilly

Quando o Dia dos Namorados coincide com o fim de semana, acaba por ser ouro sobre azul. Quando esta data é ainda conjugada com um lindo dia de primavera antecipada, todos os astros se encontram alinhados! Desta forma, houve tempo para uma sobremesa especial, um clássico casamento de morangos com chantilly assente numa base folhada em forma de coração.

Corações Folhados com Morangos e Chantilly

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

Ingredientes para 27 corações

1 base redonda de massa folhada
1 cortador de bolachas em forma de coração
1 noz de manteiga
natas vegetais (refrigeradas)
açúcar em pó
aroma de baunilha
morangos

Preparação

1. Desenrole a massa folhada e com o cortador de bolachas faça corações.
2. Com um garfo, pique os corações cá e lá.
3. Pincele-os com manteiga derretida.
4. Leve ao forno pré-aquecido a 200 ºC durante 10 minutos com apenas a resistência inferior. A faltar dois minutos, ligue a resistência superior. Vigie.
5. Enquanto os folhados arrefecem, bata natas vegetais até ficarem firmes e adicione açúcar em pó e aroma de baunilha. Bata novamente. Adoce mais ou menos como gostar.
6. Coloque o chantilly num saco de pasteleiro com bico de estrela e desenhe pequenas rosas no centro do topo central do coração folhado. Termine com um pedaço de morango.

Corações Folhados_foodwithameaning

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Corações Folhados_foodwithameaning

 

Bolo de Napoleão… para o Entrudo…que já passou

Bolo de Napoleão_foodwithameaning

O Bolo de Napoleão remonta a tempos imemoriais. A origem do nome Napoleão tem várias versões. A receita foi desenvolvida na Rússia, em 1912,  em homenagem aos 100 anos do exílio de Napoleão. Bonaparte é considerado o primeiro líder militar  a preocupar-se com a qualidade alimentar dos seus comandados. Ele percebeu que podia conquistar as pessoas pela boca e sabia como ninguém agradar à nobreza, ao exigir pratos esteticamente bonitos em fabulosos almoços e jantares. Assim se deu a valorização da gastronomia francesa, sendo Paris a capital mundial da gastronomia. O bolo de Napoleão lembra a sobremesa francesa mil folhas, ou mille-feuille, composta por camadas de massa folhada e creme. Existem imensos métodos para a preparação de massa — cada família russa tem o seu próprio, o que significa que o bolo Napoleão se tornou um verdadeiro prato nacional da cozinha russa.  Existem também variações nos recheios: com creme de ovos, o tradicional, com chantilly e com leite condensado, e  decorações (na decoração tradicional, o bolo é coberto com o mesmo creme de ovos do recheio, sendo forrado com pedacinhos estaladiços de uma das folhas de massa folhada. Atualmente, o Bolo Napoleão continua sendo uma das sobremesas mais solicitadas no leste da Europa, nomeadamente na Rússia e na Ucrânia. Esta sobremesa é presença obrigatória nas mesas da ceia de natal e nas festas de ano novo nestes países. Confecionado da forma tradicional, como poderão ver nos links do final do post,  este bolo demora um pouco para ficar pronto, tendo em conta que terão de ser feitas seis a sete camadas de massa folhada; ter-se-á de aguardar que o creme do recheio refrigere antes de montar o bolo e guardá-lo no frigorífico 24 horas antes de ser consumido para que as folhas de massa folhada absorvam a humidade do recheio.

Como sou muito prática na cozinha, e quem assiste aos meus workshops sabe que valorizo as receitas simples, rápidas e cheias de sabor, descobri as bases deste bolo na loja O BOCAS- Sabores do Mundo, uma loja que vende produtos típicos de alguns países, pesquisei muitas receitas e acabei por  fazer a minha versão, que contempla as camadas de massa folhada e o creme de ovos, como na receita original. Entretanto, resolvi acrescentar ao bolo mais sabor e textura, introduzido numa das camadas leite condensado cozido e noutra chantilly e nozes trituradas.

Bolo de Napoleão_foodwithameaning
O Bolo Napoleão é uma receita clássica de um bolo mil folhas com clara influência da culinária francesa.
Bolo de Napoleão_foodwithameaning
Poderão encontrar o prato de bolo, com a respetiva tampa de vidro, na loja DeBORLA, mais perto de si.
Ingredientes
  • 1 embalagem com 4 bases de massa folhada pronta a consumir (ver foto abaixo)
  • 1 lata de leite condensado cozido
  • 200 ml de natas com baunilha (da Parmalat)
  • seis colheres de sopa de açúcar
  • 300 ml de natas vegetais
  • nozes
  • 500 ml de leite
  • 2 ovos
  • 50 g de açúcar (coloquei 80 g)
  • Aroma de baunilha ou vagem de baunilha
  • 15 g de amido de milho (maizena)
– Faz-se o creme inglês, deixa-se arrefecer e leva-se a refrigerar.
Creme Inglês (receita tradicional)

Verte-se o leite num tacho, deixando de reserva ½ copo. Deita-se o açúcar no tacho e a vagem de baunilha. Fica a levantar fervura. Sai do lume e elimina-se a vagem de baunilha. Coloca-se as gemas num recipiente, mistura-se a maizena e dissolve-se o creme resultante com o leite frio reservado. Passa-se por um coador o leite fervido e verte-se, gradualmente, sobre o creme obtido, batendo energicamente. Leva-se o creme ao lume no mesmo tacho onde se ferveu o leite e cozinha-se, mexendo continuamente, até o creme chegar ao ponto de ebulição. O creme não deve levantar fervura. Fica pronto ao espessar.

– Coloca-se leite condensado numa tigela e mexe-se muito bem com uma colher. Reserva-se.
– Batem-se as natas com baunilha e quando estiverem consistentes acrescentam-se duas colheres de açúcar e bate-se novamente. Reservam-se.
– Trituram-se as nozes. Reservam-se.
– Batem-se as natas vegetais e depois acrescentam-se quatro colheres de sopa de açúcar. Reservam-se.
Montagem do Bolo
  1. Coloca-se creme inglês no prato de bolo e em cima a primeira camada de massa folhada. Pressiona-se para colar. Poderão montá-lo com um aro amovível para que as placas de massa folhada não deslizem. O resto do bolo é montado dentro do aro. Eu não usei.
  2. Em cima da placa de massa, faz-se uma camada com creme inglês e coloca-se outra placa de massa.
  3. Recheia-se agora com a camada de chantilly com baunilha e com nozes trituradas e assenta-se outra placa.
  4. Recheia-se com leite condensado cozido e dispõe-se a última placa de massa folhada.
  5. Termina-se com as natas vegetais batidas. Utiliza-se um saco de pasteleiro com bico de estrela para a decoração. Polvilha-se com a restante noz triturada. 
  6. Serve-se fresco.   Nota. Se optarem por fazer o bolo com o aro amovível, passa-se agora uma faca entre o aro e o bolo e cobre-se todo o bolo com o restante creme inglês (não levando assim a decoração em chantilly). Polvilha-se as laterais e o cimo do bolo com massa folhada quebrada aos pedacinhos. Esta cobertura de massa folhada espedaçada protege o creme inglês de criar uma crosta. Esta é a forma tradicional de o fazer, como podem ver nos links e na foto da caixa das bases que se encontra na fotografia abaixo.Bolo de Napoleão_foodwithameaning

 

Depois de decorar o bolo, servi-o de imediato, ainda com os recheios refrigerados, mas com a massa estaladiça. A minha versão de Bolo Napoleão, portanto!

Bolo de Napoleão_foodwithameaning

link com confeção da receita em português do Brasil

link com confeção da receita em Inglês