Victoria Sponge Cake em data feliz

E volto com o tema da comemoração de uma data feliz. Como todos nós sabemos, quando há festa de aniversário, o bolo é presença obrigatória. Este ano, a minha menina desejou que o bolo tivesse uma princesa. Pedido aceite. O desafio de fazer este bolo foi concretizado por esta mãe que colocou todo o seu empenho na elaboração do projeto. O melhor prémio foi ver a reação da filhota ao bolo dizendo: – Mãe, tu conseguiste! Está ainda mais bonito  do que o bolo que imaginei!

A festa com os amiguinhos foi um sucesso, muito à conta da presença de lollipops, cupcakes, bombons,  marshmellows e aperitivos. Quase já nem vale ter o trabalho de fazer sandes, mini-pizas e as tradicionais gelatinas. O que a miudagem deseja mesmo é brincar muito e, nos intervalos, comer guloseimas e beber muitos copos de refresco para retemperar as forças, que nunca lhes parecem faltar.

&

Já há muito tempo que queria confecionar o tradicional Victoria Sponge. Tinha até guardada para o efeito a receita da Rachel Allen. Nada melhor do que a data feliz da minha filha (que curiosamente também se chama Vitória) para concretizar este propósito. Um dois em um, portanto.

Victoria Sponge Princess Cake

Diapositivo3

Ingredientes

(fiz a receita por duas vezes)

  • 175 g de manteiga, amolecida (mais alguma para untar a forma)
  • 175 g de açúcar em pó
  • 3 ovos
  • 175 g de farinha sem fermento (mais alguma para polvilhar a forma)
  • 1 colher de chá de fermento para bolos
  • 1 colher de sopa de leite
  • 1 tigela com 18 cm de diâmetro
  • 1 forma redonda com 18 cm de diâmetro e fundo amovível
  • disco de papel vegetal para a forma redonda.
  • natas e compota de framboesa, morango ou mirtilo para o recheio do bolo
  • cobertura de baunilha (Betty Crocker vanilla frosting)
  • cobertura de morango  (Betty Crocker strawberry frosting)
  • bico de pasteleiro (1M da Wilton- para as rosas do vestido)
  • bico de pasteleiro (18 da Wilton- para os pormenores do peito do vestido)
  • uma boneca
  • um laço
  • pérolas rosa
Preparação

  1. Aquecer o forno a 180°C , untar a tigela e a base da forma redonda com manteiga; colocar o disco de papel vegetal na base da forma redonda.
  2. Bater muito bem a manteiga . Juntar o açúcar e continuar a bater até a mistura estar fofa e esbranquiçada.
  3. Em outra tigela, bater muito bem os ovos. Adicioná-los gradualmente ao primeiro preparado. Acrescentar a farinha e o fermento. Juntar o leite e incorporar tudo muito bem sem bater.
  4. Colocar na tigela e na forma untadas e enfarinhadas.
  5. Levar a cozer. Após meia hora, verificar a cozedura com um palito. Se sair seco, o bolo está cozido. Deixar arrefecer nas formas pelo menos 10 minutos, passar uma faca nos rebordos dos bolos e remover para uma rede de arrefecimento até estar completamente frio.
  6. Cortar a meio o bolo feito na forma redonda. Cortar em três partes o bolo feito na tigela.
  7. Rechear cada camada com 3 ou 4 colheres de sopa de compota, seguida de uma camada de natas batidas bem firmes.
  8. Para montar o bolo, colocar na base o bolo feito na forma redonda. Em cima deste, colocar as camadas de bolo cozinhadas na tigela. Abrir um buraco a meio, inserir a boneca, previamente despida e enrolada numa proteção de película aderente. Escolhi uma das Princesas da Disney da minha filha e como a boneca não se destina a este tipo de bolos era um pouco mais comprida do que o buraco feito no bolo. Sendo assim, e para cobrir a boneca com bolo até perto da cintura, coloquei um queque invertido no topo do bolo, obtendo assim a altura desejada. Desenhei rosas em parte do vestido. Na parte de baixo deste fiz uma barra branca. O peito do vestido foi igualmente decorado com branco.

fonte da receita

Diapositivo2

Anúncios

What’s for brunch? Ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa

Os sábados sabem bem se começarem de forma preguiçosa. Por norma não são assim. Caracterizam-se por ser madrugadores e rentabilizadores, mas hoje, feriado, e dia em que se comemora a liberdade, quisemos que a manhã começasse de forma lânguida, e sem planos. Não houve pequeno-almoço, mas um brunch delicioso feito nas minhas sertãs de ferro-fundido, objetos dos quais já não passo sem. A comida feita nelas é impressa de sabor a ruralidade e antiguidade. Assim, enquanto numa delas as fatias de bacon destilavam e crepitavam, na outra  os ovos mexidos, aromatizados com pimentas variadas, cebolinho e salsa, eram  confecionados. Esta refeição, preparada com ovos caseiros de galinhas felizes, fez  para nós todo o sentido.

ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos caseirosovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa

Ingredientes

8 ovos

1 embalagem de bacon fatiado (Continente)

cebolinho

salsa

chili flakes

mistura de cinco pimentas

sal q.b.

azeite

Preparação

Numa taça, batem-se os ovos inteiros com recurso a uma vara de arames. Pica-se o cebolinho e a salsa e adiciona-se aos ovos. Tempera-se com sal, mistura de cinco pimentas e um pouco de chili flakes para conferir um toque ligeiramente picante.

Verte-se este preparado para uma frigideira quente, à qual se adicionou um fio de azeite, e espera-se que os ovos comecem a cozinhar. Mexe-se constantemente com uma colher de pau até que os ovos estejam prontos e ainda ligeiramente húmidos.

Abre-se a embalagem do bacon e corta-se o comprimento das fatias de bacon em quatro partes iguais. Descolam-se os pedacinhos de bacon um a um e adicionam-se à frigideira. Deixam-se destilar e tostar sem deixar secar demasiado.

Misturam-se os pedacinhos de bacon aos ovos e serve-se em cima de fatias de pão caseiro.

ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa

Workshop de Fingerfood 2 no DeBorla-Terceira

Acredito que quem gosta de visitar o Foodwithameaning deva estar a estranhar a minha ausência do blogue. No entanto, a minha cozinha continua a todo o vapor. São várias as receitas que tenho feito e que em breve partilharei convosco. Por motivos pessoais e profissionais, as horas do dia, e por vezes da noite, não têm sido suficientes para me dedicar a este cantinho culinário tanto como gostaria. Nestes dias que passaram desde  a última receita publicada, decorreram dois aniversários na família, recebi familiares que estiveram de visita à ilha, dinamizei um workshop, fui professora, mãe e esposa a tempo inteiro. Analisando bem estes factos, o blogue desceu um pouco no ranking das prioridades.

Hoje, partilho convosco as fotos do último workshop que dinamizei, subordinado ao tema Fingerfood.

As receitas de todos os canapés elaborados encontram-se neste link.

cartaz

Amanhã, prometo que vos trago a receita e as fotos do bolo de aniversário da minha mini-chef.

Até lá espreitei as fotos do workshop de ontem através deste link e, acima de tudo, fiquem bem!

Gelado de menta… em flash-back

A cor deste gelado faz-me recordar o primeiro carro do meu pai, um Toyota Corolla de 1973 de cor verde-água. Transporta-me também para as água cristalinas do Mar das Caraíbas, conjugadas com muito sol, palmeiras, risos, refrescos e calor. Lembra-me também a cor das riscas das barraquinhas de praia e faz-me suspirar muito pela chegada do verão.

A vontade deste gelado surgiu assim de forma inusitada. Sabe tão bem fazer as vontades à vontade!

Gelado de menta

gelado de menta_foodwithameaning

gelado de menta_foodwithameaninggelado de menta_foodwithameaning

Ingredientes

500 ml de natas

200 ml de iogurte grego

200 g de açúcar

100 ml xarope de menta (marca Teisseire)

corante alimentar líquido de cor verde (3 ou 4 colheres de chá)

chocolate de culinária picado

Preparação

Batem-se as natas até terem a consistência de picos.

Adiciona-se o iogurte grego. Bate-se novamente.

Junta-se o açúcar e bate-se muito bem até desaparecer todo o granulado.

Adiciona-se o xarope de menta. Este para além de acrescentar o sabor a menta vai também atribuir ao gelado alguma cor.

Junte o corante alimentar colher a colher, batendo com a batedeira entre adições.

Notas.

– Poderá querer adicionar mais quantidade de xarope de menta. Vá provando e decida se a quantidade que sugiro é suficiente. Para mim foi.

– Se utilizar corante em gel obterá a cor verde com menor quantidade do que a atrás referida. Nada melhor do que ir adicionando o corante e ir batendo até obter a cor desejada.

gelado de menta_foodwithameaninggelado de menta_foodwithameaning
gelado de menta_foodwithameaning

Receitas fáceis e divertidas para minichefs…e o que eu aprendi ontem com as crianças de hoje

Quando eu era criança, e talvez a partir dos meus sete anos de idade, os meus pais e a minha avó tinham o costume de me atribuírem tarefas. Prendiam-se sempre com coisas simples como fazer a cama, arrumar o quarto, ajudar a arrumar a loiça e limpar o pó. Responsabilizavam-me. Instruíam-me, mas deixavam-me aprender por tentativa-erro. Hoje, as crianças são demasiado protegidas em todos os aspetos. Os pais preferem que elas brinquem, mas eles próprios quase nunca as acompanham nas brincadeiras. A verdade é que as crianças são pequenos humanos cheios de potencial. Possuem uma capacidade de aprendizagem fascinante. Testam os nossos limites. Surpreendem-nos com as suas afirmações, que roçam por vezes o discurso de adultos. Veem televisão em excesso, interagem com demasiada tecnologia, acabando por não explorarem frequentemente as suas capacidades de resolverem problemas, de serem criativos e participantes.

Ontem, no workshop que dinamizei no DeBorla-Terceira, destinado a minichefs, fiquei deliciada com a capacidade de cooperação que existiu entre as crianças, com a vontade que manifestavam em participar em todas as tarefas, com o gosto que demonstravam em literalmente “meterem a mão na massa”. Penso ser de oportunidades deste e de outros géneros que a infância das crianças necessita. Acreditem que muitas competências são desenvolvidas neste tipo de iniciativas que implicam contacto humano: o saber ser, o saber estar, o saber ouvir, o saber executar, entre outras. O reforço positivo é muito importante tanto quando desenvolvem bem as tarefas como quando o produto final não fica tão bem. Estes workshops com as crianças são definitivamente os que me realizam mais pela sinceridade nos sorrisos e pelas nossas conversas entre receitas. Ainda ontem, uma das meninas participantes interveio assim por duas vezes: Sabes, eu tenho um cachorrinho. Ele é muito pequenino. Outra participante, e do nada, disse-me: Já morreram duas pessoas na minha família! Perante intervenções destas, não podemos ficar indiferentes, pois são as crianças que sentem necessidade de partilhar o seu pequeno-grande mundo. E no meio de bombons, bolachas, cupcakes, ninhos de ovos, muito açúcar e instruções, eu apreciei a honestidade, o riso genuíno,  a aprendizagem e a diversão. Foram duas horas non-stop.

Obrigada a todos os participantes e às mães, pais e avós que assistiram atentamente ao desenrolar das receitas e que iam puxando do pacote de toalhitas sempre que ocorria uma emergência em forma de creme ou de chocolate.

Se desejarem espreitar as fotos do workshop, estas encontram-se neste link:

https://www.facebook.com/patricia.foodwithameaning/media_set?set=a.650748045057260.1073741832.100003662128130&type=1&pnref=story

&

Como alguns pais me têm solicitado as receitas para as executarem com os seus filhotes, partilho também convosco estas sugestões fáceis e divertidas subordinadas ao tema da Páscoa.

  • Ninhos de Ovos

Derrete-se chocolate de leite numa tigela de vidro média (30 seg+30 seg); adiciona-se cornflakes e mexe-se com uma colher; dispõe-se esta mistura em formas de papel de queijadas, fazendo uma pequena covinha no meio (sem fazer buraco) de forma a imitar um ninho. Colocam-se três amêndoas em cada ninho. Leva-se ao frigorífico a solidificar cerca de meia hora.

diapositivo113

  • Ovos de Chocolate de leite e Amêndoas

Derrete-se chocolate de leite e/ ou chocolate branco numa tigela de vidro média (30 seg+30 seg); enchem-se forminhas de silicone em forma de ovo da Páscoa; leva-se ao frigorífico cerca de uma hora; desenformam-se e colam-se as duas metades de ovo com um pouco de chocolate derretido.

Diapositivo4

  • Coelhinhos de Bolacha decorados com glacê real e missangas

Fazem-se as bolachinhas com um cortador em forma de cara de coelho.

Ingredientes para as bolachas: 130 g de manteiga; 150 g de açúcar, 2 gemas; 400 g de farinha sem fermento; raspa de limão ou de laranja; 3 colheres de sopa de leite.

Prepara-se o glacê real, adicionando a uma clara de ovo 300 g de açúcar em pó e umas gotas de sumo de limão. Separa-se numa tigela a porção necessária na qual irá ser aplicado o corante.

Coloca-se as glaces em sacos de pasteleiro e decora-se a bolacha começando pelos contornos exteriores e pelas zonas que serão preenchidas por cor diferente.

Diapositivo3

  • Lollipops de Chocolate Branco com motivos de Páscoa

Derrete-se chocolate branco numa tigela de vidro de tamanho médio (30 seg+30 seg); coloca-se um pau de madeira em cada molde; preenchem-se os moldes com motivos de Páscoa. Leva-se ao frigorífico a solidificar cerca de uma hora.

Diapositivo8

Bombons em forma de coelho e de pintainhos

Derrete-se chocolate de leite numa tigela de vidro de tamanho médio (30 seg+30 seg); enchem-se as formas de silicone e leva-se ao frigorífico a solidificar cerca de uma hora. Poder-se-ão espetar pauzinhos de chupa-chupa em cada forminha, transformando os bombons em lollipops, que, por sua vez, poderão ser espetados numa base de esferovite dentro de um recipiente.

Diapositivo5

  • Cupcakes cesta de Páscoa

Diapositivo2

Fazem-se queques de baunilha, de laranja ou de limão.

Ingredientes para os queques: 1 chávena e um quarto de farinha com fermento; uma colher de chá de fermento para bolos; uma colher de café de bicarbonato de sódio; uma colher de sobremesa de aroma de baunilha; meia chávena de óleo vegetal; meia chávena de leite; 2 ovos médios; uma pitada de sal e uma colher de café de vinagre. Batem-se estes ingredientes durante um minuto com a batedeira. Verte-se o preparado para forminhas de papel em forma de alumínio de queques. Encher apenas até 2/3 da forma. Coze em forno pré-aquecido entre 15 a 20 minutos, a 200 °C, apenas com a resistência inferior ligada.

Mistura-se corante alimentar verde ao creme para barrar bolos (de compra). Coloca-se o creme num saco de pasteleiro e desenha-se todo o diâmetro do queque com este creme. Insere-se no queque uma goma cilíndrica comprida que funcionará como asa decorativa. Preenche-se o centro da cesta com drops em forma de frutas, com amêndoas ou com pequenos ovos de chocolate.

Diapositivo1Diapositivo3Diapositivo1

Votos de uma Santa Páscoa para todos!