Um quilo de castanhas no segundo ano e fábula

O nosso castanheiro, de apenas três anos,  presenteou-nos este ano com um bonito quilo de castanhas. O ano passado produziu apenas doze unidades. Como vivemos perto da freguesia da Terra-Chã, habitamos no coração da produção de castanhas desta ilha e, por isso, nós decidimos que  a casa nova teria de ter um castanheiro. Escolhemos uma zona, que agora é de pomar, bem ampla e colocámo-lo na abertura dos desfile das árvore de fruto para que pudesse, em primeira fila, assistir ao crescimento das laranjeiras da baía, das tangerineiras, das mandarineiras, dos araçazeiros e das nespereiras. Uma faia frondosa que se encontra junto a estas árvores esvoaça as folhas dos seus ramos alegremente ao som da música do vento e das conversas entre o castanheiro e os seus súbditos. Muitos coelhos costumam também assistir a estes diálogos, deixando marcas cilíndricas da sua passagem e permanência. Um casal de grilos esconde-se debaixo de um dos ouriços e mantêm-se em silêncio para não serem descobertos.De que falarão todos nestas conversas?

Diapositivo1

Diapositivo2Diapositivo2Diapositivo1

A apanha das castanhas foi bastante cerimoniosa, tendo direito a reportagem fotográfica e a assistência canina.

Diapositivo6Diapositivo4Diapositivo5 A Laica, a nossa pastor-alemão, o Stitch,um lindo e encorpado rafeirão que nos veio pedir acolhimento, e a Maxine, a nossa Labrador preta, que com a sua doçura e ainda meninice conquista qualquer coração, portaram-se à altura da situação, aproveitando para posar para as fotos. Eu e a minha filha de seis anos tivemos a nossa primeira apanha de castanhas a sério. Para o meu marido, transmontano de quase-gema (digo quase porque ele vive há mais tempo nos Açores do que os que viveu no nordeste português) a apanha da castanha é uma tradição com a qual cresceu. As castanhas da minha infância vinham do Pico, de barco, e dentro de uma saca de  serapilheira. Vinham de castanheiros que os meus avós tinham na zona das Tronqueiras, na ilha do Pico. Nunca assisti à apanha da castanha e só com esta idade é que tive a oportunidade de pisar os ouriços para libertarem as castanhas que se encontram no seu interior. A minha filha delirou com a experiência e divertiu-se a apanhá-las do chão para um saco. Que grandes eram elas. Tão bonitas! Tão robustas!

Começámos desde logo a pensar como as iríamos cozinhar. O meu marido prefere-as assadas na brasa, a minha filha aprecia-as no interior de uma bolacha, e o meu filho só gostaria delas se estas fossem alguma personagem de um do seus jogos de consola.  As castanhas passam-lhe mesmo ao lado.

A minha filha disse logo: -Mãe, tens de fazer uma receita especial para o blogue!

E assim surgiu este gelado de outono para comemorarmos o São Martinho.

Diapositivo3

Gelado de Castanha e Maple Syrup (xarope de ácer)

Diapositivo3

Ingredientes

230 g de miolo de castanha cozido

1 lata de leite condensado

2 ovos L

200 ml de natas

essência de baunilha (1 colher de café)

maple syrup

Preparação

Cozem-se as castanhas, deixam-se arrefecer um pouco e descascam-se. Pesam-se, trituram-se com duas colheres de sopa de maple syrup e reservam-se.

Batem-se as gemas com o leite condensado. Adiciona-se o puré de castanhas e bate-se tudo muito bem, cerca de 5 minutos.

Numa taça, batem-se as natas até ficarem consistentes. Aromatizam-se com essência de baunilha e juntam-se ao preparado anterior.

Batem-se as claras em castelo. Incorporam-se no gelado sem bater.

Verte-se o preparado para um recipiente com tampa e leva-se ao congelador. Passadas duas horas, retira-se do congelador e mexe-se muito bem para destruir os cristais de gelo. Uma hora depois repete-se a mesma operação.

Retira-se o gelado do congelador cerca de meia hora antes de servir.

Acompanha-se o gelado com maple syrup.

Diapositivo4

Gostava apenas de acrescentar que a escolha do xarope de ácer com a castanha revelou-se uma combinação deveres surpreendente. sobressaindo o tão característico sabor da castanha. Este é mesmo um gelado que, modéstia à parte, merecia ser patenteado.

Anúncios

3 thoughts on “Um quilo de castanhas no segundo ano e fábula

  1. ANA BRANDÃO

    Patrícia que gelado com tão bom aspecto! Os nossos castanheiros também dera uns bons kilos.Mais uma receita a experimentar.E como amante que sou de cães e gatos não posso deixar de te dizer que tens uns exemplares verdadeiramente amorosos.bj e boas receitas.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s