90 anos com o coração entre a terra e o mar

Bolo de fécula e limão

Este fim de semana, a minha avó materna completou noventa anos de idade. A mãe tinha vivido até aos noventa e cinco, a irmã aos noventa e dois e o pai aos cento e um. Gente de durar. Nasceu e foi criada na ilha do Pico. Sentiu a dureza do trabalho do campo. Casou nova. Por amor, diz-se. Coisa rara naquele tempo em que todos os casamentos eram definidos pelos pais. Viu tios e primos a emigrarem para as Américas, muitos deles para o Brasil. Teve uma filha, a minha mãe, a quem nunca nada faltou mas que sabia que só se comia carne em dias de festa. Tinha a agricultura e o gado, pouco, à sua conta nos dias em que o marido passava no mar. Era caçador de baleias. Pertenceu à última geração destes lobos do mar. Isabel, como se chama, passava os dias com o coração entre o mar e a terra. Nunca foi dada a rendas e bordados. Apenas se instruiu nas camisolas e meias de lã que fazia para o marido levar para o mar. Sentia em terra o silêncio tenebroso do frio do mar e a dura espera. Para que a filha conseguisse prosseguir estudos, envia-a, aos doze anos, para um colégio interno na ilha do Faial, onde completa o sétimo ano (atual 11º ano) e conclui o curso do magistério primário. Vem para a ilha Terceira com o marido onde este acaba por falecer em pouco tempo de insuficiência renal, apenas com cinquenta e poucos anos. Vive com os meus pais desde então mas sempre com o pensamento nas memórias que ficaram  na terra e no mar da ilha do Pico.

Este bolo foi feito para celebrar em família esta data muito especial. Afinal, não são muitos os que chegam aos 90 anos.

 

Bolo de fécula e limão

Bolo de fécula e limão

Ingredientes 

8 ovos

250 g de manteiga amolecida

600 g de açúcar

300 g de fécula de batata

300 g de farinha (usei Branca de Neve)

1 colher de sopa rasa de fermento para bolos

raspa e sumo de dois limões médios

 

Preparação dos bolos

1. Bater as gemas com o açúcar e a manteiga durante quinze minutos.

2. Adicionar o sumo e a raspa de limão. Voltar a bater mais um minuto.

3. Misturar a farinha, a fécula e o fermento numa tigela e peneirar estes ingredientes secos para dentro da tigela com o preparado anterior.

4. Bater as claras em castelo e adicioná-las aos poucos, com uma espátula, à massa do bolo.

5. Untar com manteiga uma forma redonda de fundo amovível. Enfarinhar.

6. Verter apenas metade do preparado. Levar a cozer em forno pré-aquecido a 200ºC. (Ligo o forno quando começo a fazer o bolo). Coze em 30 minutos. Deixar arrefecer durante 15 minutos antes de desenformar.

7. Verter a restante metade do preparado para uma forma igual, também untada e enfarinhada. Repetir o passo 6 para o segundo bolo.

8. Quando os bolos estiverem frios, cortar ao meio e rechear as diferentes camadas ( 4 de bolo e 3 de recheio respetivamente)

Ingredientes para o recheio

2 latas de leite condensado cozido (usei Nestlé)

1 pacote de amêndoa aos pedacinhos ( mesmo assim, ainda a triturei mais um pouco na picadora, evitando, no entanto, que a amêndoa se transforme em farinha).

leite q.b.

Preparação do recheio

1. Torrar a amêndoa ligeiramente para que liberte os óleos, sem queimar.

2. Juntá-la mesmo quente ao leite condensado e misturar com uma colher.

3. Adicionar leite aos poucos até que fique com uma consistência fácil de barrar.

4. Rechear as diferentes camadas.

 

Ingredientes para a cobertura

200 g de queijo creme

800 g de açúcar confeiteiro

sumo de 1 limão (vá adicionando e vendo a consistência e o sabor)

 

Preparação da cobertura

Bata o queijo creme com uma vara de arames ou com a batedeira e misture o açúcar  e o sumo de limão aos poucos até obter a consistência desejada.

Barre o bolo. Alise-o molhando a espátula em água as vezes que forem necessárias.

Bolo de fécula e limão

A toalha da foto foi feita pela Teté, a irmã da minha avó, que faleceu há dez meses. Das mãos dela saíram muitas toalhas de renda e outras tantas bordadas em vários pontos. Era jeitosa de mãos, como se diz por aqui.

Bolo de fécula e limão

Este bolo ficou com um interior muito saboroso. Deixo-vos a tradicional foto da fatia.
Bolo de fécula e limão

13 thoughts on “90 anos com o coração entre a terra e o mar

  1. Bombom

    Patrícia, ao ler a história de vida da tua Avó, fiquei a recordar-me da minha, que nasceu na Ilha da Madeira e teve de emigrar em pequena, com a família, para Angola nos finais do séc. XiX. Era tão difícil a vida nas Ilhas nessa altura!
    A minha avó morreu com 92 anos. A minha mãe fez este ano 98 e ainda está muito lúcida. Muitos Parabéns à tua Avó e que tenha muita saúde para festejar muitos mais. O Bolo devia estar uma delícia! Gostei muito da receita. Quem sabe se não experimentarei no próximo aniversário cá de casa?!
    Beijinhos da Bombom

    Gostar

  2. ANA BRANDÃO

    Que linda história a da sua avó, também na minha família este mês uma tia do meu marido celebrou 99 anos e o que é espantoso é que continua autónoma assim vale a pena chegar lá!Vale a pena dizer que de seis irmãos 4 faleceram com noventa e muitos.Gente rija esta.Beij e parabéns à senhora sua avó.

    Gostar

    • foodwithameaning

      Querida Ana, Tal como a tia do teu marido eu também gostaria de chegar a essa idade com lucidez e autonomia. Não sei se será fácil, mas tenho uma matriz familiar de gente rija, por isso há esperança. beijinhos para ti e obrigada.

      Gostar

  3. Mar

    Olá Patrícia:

    Uma daquelas partilhas, esta. Antológica. E sim, 90 é um número que inspira respeito e carinho. Uma vida a caber num número e neste texto que deixas. Com isso tudo, um bolo que é um clássico. Bolo de fécula é bolo de avó. No meu caso, era sempre das avós dos outros, que as minhas não eram de fazer bolos ou outras coisas. Tens sorte, vês?

    Um abraço grande para ti.

    Mar

    Gostar

  4. foodwithameaning

    Olá Mar. Sinto que ficou tanto por dizer neste texto. Qualquer dia amplio-o já que as memórias são tantas e boas. A minha avó também não era pessoa de fazer bolos doces, mas sim diferentes tipos de pão e biscoitos no forno de lenha. Não era também instruída. Foi à escola mas só frequentou até à segunda classe. A vida é que a fez e, assim, fez a sua vida.
    Beijos da ilha.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s