Bolo de fécula com coração de chantilly e cerejas

Já devem ter reparado que ando apaixonada pelos bolos de fécula e pelas cerejas. Ambos têm tido algum destaque nos últimos post. A fécula confere uma leveza especial ao bolo. A quantidade de ovos utilizada também concorre para este facto. Neste bolo em particular, resolvi retirar-lhe o centro e preenchê-lo com chantilly caseiro pouco adoçado. As cerejas, essas, conferiram ainda mais frescura à sobremesa. Combinaram muito bem com o bolo de fécula e com as natas abaunilhadas.

Bolo de Fécula  (o genuíno)

bolo de fécula

bolo de fécula

Ingredientes

8 ovos
250 g de açúcar
160 g de fécula de batata

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 180º C.
2. Untar com manteiga e forrar com papel vegetal uma forma com fundo amovível.
3. Bater as gemas com o açúcar até que tenham triplicado de volume e estejam esbranquiçadas.
4. Bater as claras em castelo.
5. Misturar um 1/3 das claras nas gemas, batendo até que esteja homogéneo.
Misturar as claras restantes, com cuidado, usando uma espátula.
6. Peneirar a fécula sobre a massa, aos poucos, misturando suavemente.
7. Cozer durante 40 minutos ou até que um palito inserido no centro do bolo venha seco.
8. Retirar do forno e deixar arrefecer completamente sobre uma grade de pastelaria antes de desenformar.

Ingredientes para o chantilly

2 pacotes de natas para bater  refrigeradas (400 ml)

3 colheres de sopa de açúcar em pó

1 colher de café de extrato de baunilha

Preparação

1. Bater as natas até formarem picos.

2. Juntar o açúcar e o extrato de baunilha e bater novamente.

bolo de fécula

Depois do bolo ter arrefecido completamente, desenformei-o e retirei-lhe o centro. Preenchi o espaço com o chantilly caseiro e finalizei com as cerejas.

Sirvam-se!

Receita adaptada daqui.

Anúncios

Uma entrada que se confunde com sobremesa

Quando começa a época dos morangos e das cerejas, nós costumamos comprá-los às caixas. Eu sou fã de morangos e o meu marido de cerejas, por isso, nunca são demais. Sendo assim, há que aproveitá-los muito bem enquanto existem. Eu tenho rentabilizado estes frutos em sugestões diversas. Como há sempre soluções deliciosas para as frutas que se vão tornando menos viçosas e apetecíveis (isto acontece imenso com as maçãs e as bananas na fruteira), selecionei as cerejas machucadinhas devido ao transporte e acondicionamento, e resolvi confecionar um coulis de cereja como topping de gelado.  Já assim é uma perdição, mas experimentei acompanhar um queijinho fresco com este coulis. Um verdadeiro impacto ao jeito Romeu e Julieta (queijo com marmelada). Estou certa que o coulis de cereja com queijo curado saberá ainda melhor, mas, convenhamos, será muito menos light do que esta sugestão.

queijo fresco com coulis de cereja

Ingredientes para o coulis de cereja

300 g de cerejas descaroçadas

100 g de açúcar amarelo

1 colher de sopa de sumo de lima

Preparação do coulis

1. Num tacho, coloquei as cerejas e o açúcar. Deixei caramelizar e transformar-se numa consistência entre o xarope e a compota, mexendo de vez enquando. A meio deste processo, adicionei a colher com o sumo de lima.
2. Após atingir a consistência acima descrita, deixei arrefecer o coulis e, na hora de servir, verti-o sobre o queijo fresco.

Poderá servi-lo à parte num pratinho com uma colher.

queijo fresco com coulis de cereja

Outra receita de coulis (de frutos silvestres com gelatina) aqui. Nesta receita o coulis também faz parte do interior do gelado. Uma perdição!

queijo fresco com coulis de cerejas

 

Gelado de Cereja…Silky and Smooth

Agora que o verão se aproxima, não me canso de transformar a receita de espuma de morangos, de ananás e de cereja em sedosos e suaves gelados. Este é um exemplo disso.

Deliciem-se!

gelado de cereja com clarasgelado de cereja com claras

Ingredientes

300 g de cerejas congeladas

180 g de açúcar em pó

3 colheres de sopa de sumo de limão

2 claras

Acessórios

Borboleta

gelado de cereja com claras

Preparação na Bimby

1. Pulverizar o açúcar iniciando na vel 5 até à 9

2. Adicionar as cerejas congeladas e triturar 30 seg. na vel. 5

3. Sem retirar o preparado do copo, colocar a borboleta e bater as claras  com o sumo de limão  durante 3 minutos na velocidade 3 1/2, até que obtenha uma espuma tipo merengue.

4. Colocar num recipiente com tampa e colocar no congelador de um dia para o outro.

5. Servir com raspa de lima ou de limão ou com coulis de cereja.

gelado de cereja com claras

90 anos com o coração entre a terra e o mar

Bolo de fécula e limão

Este fim de semana, a minha avó materna completou noventa anos de idade. A mãe tinha vivido até aos noventa e cinco, a irmã aos noventa e dois e o pai aos cento e um. Gente de durar. Nasceu e foi criada na ilha do Pico. Sentiu a dureza do trabalho do campo. Casou nova. Por amor, diz-se. Coisa rara naquele tempo em que todos os casamentos eram definidos pelos pais. Viu tios e primos a emigrarem para as Américas, muitos deles para o Brasil. Teve uma filha, a minha mãe, a quem nunca nada faltou mas que sabia que só se comia carne em dias de festa. Tinha a agricultura e o gado, pouco, à sua conta nos dias em que o marido passava no mar. Era caçador de baleias. Pertenceu à última geração destes lobos do mar. Isabel, como se chama, passava os dias com o coração entre o mar e a terra. Nunca foi dada a rendas e bordados. Apenas se instruiu nas camisolas e meias de lã que fazia para o marido levar para o mar. Sentia em terra o silêncio tenebroso do frio do mar e a dura espera. Para que a filha conseguisse prosseguir estudos, envia-a, aos doze anos, para um colégio interno na ilha do Faial, onde completa o sétimo ano (atual 11º ano) e conclui o curso do magistério primário. Vem para a ilha Terceira com o marido onde este acaba por falecer em pouco tempo de insuficiência renal, apenas com cinquenta e poucos anos. Vive com os meus pais desde então mas sempre com o pensamento nas memórias que ficaram  na terra e no mar da ilha do Pico.

Este bolo foi feito para celebrar em família esta data muito especial. Afinal, não são muitos os que chegam aos 90 anos.

 

Bolo de fécula e limão

Bolo de fécula e limão

Ingredientes 

8 ovos

250 g de manteiga amolecida

600 g de açúcar

300 g de fécula de batata

300 g de farinha (usei Branca de Neve)

1 colher de sopa rasa de fermento para bolos

raspa e sumo de dois limões médios

 

Preparação dos bolos

1. Bater as gemas com o açúcar e a manteiga durante quinze minutos.

2. Adicionar o sumo e a raspa de limão. Voltar a bater mais um minuto.

3. Misturar a farinha, a fécula e o fermento numa tigela e peneirar estes ingredientes secos para dentro da tigela com o preparado anterior.

4. Bater as claras em castelo e adicioná-las aos poucos, com uma espátula, à massa do bolo.

5. Untar com manteiga uma forma redonda de fundo amovível. Enfarinhar.

6. Verter apenas metade do preparado. Levar a cozer em forno pré-aquecido a 200ºC. (Ligo o forno quando começo a fazer o bolo). Coze em 30 minutos. Deixar arrefecer durante 15 minutos antes de desenformar.

7. Verter a restante metade do preparado para uma forma igual, também untada e enfarinhada. Repetir o passo 6 para o segundo bolo.

8. Quando os bolos estiverem frios, cortar ao meio e rechear as diferentes camadas ( 4 de bolo e 3 de recheio respetivamente)

Ingredientes para o recheio

2 latas de leite condensado cozido (usei Nestlé)

1 pacote de amêndoa aos pedacinhos ( mesmo assim, ainda a triturei mais um pouco na picadora, evitando, no entanto, que a amêndoa se transforme em farinha).

leite q.b.

Preparação do recheio

1. Torrar a amêndoa ligeiramente para que liberte os óleos, sem queimar.

2. Juntá-la mesmo quente ao leite condensado e misturar com uma colher.

3. Adicionar leite aos poucos até que fique com uma consistência fácil de barrar.

4. Rechear as diferentes camadas.

 

Ingredientes para a cobertura

200 g de queijo creme

800 g de açúcar confeiteiro

sumo de 1 limão (vá adicionando e vendo a consistência e o sabor)

 

Preparação da cobertura

Bata o queijo creme com uma vara de arames ou com a batedeira e misture o açúcar  e o sumo de limão aos poucos até obter a consistência desejada.

Barre o bolo. Alise-o molhando a espátula em água as vezes que forem necessárias.

Bolo de fécula e limão

A toalha da foto foi feita pela Teté, a irmã da minha avó, que faleceu há dez meses. Das mãos dela saíram muitas toalhas de renda e outras tantas bordadas em vários pontos. Era jeitosa de mãos, como se diz por aqui.

Bolo de fécula e limão

Este bolo ficou com um interior muito saboroso. Deixo-vos a tradicional foto da fatia.
Bolo de fécula e limão

Pêssegos sublimes

Esta é a época do ano em que existe mais diversidade de frutos. Temos os morangos, as cerejas, os pêssegos e as nectarinas que nos seduzem diretamente das cestas, como se de um piscar de olhos se tratasse. E é difícil resistir-lhes por tudo o que têm de bom, de suculento e pela variedade de hipóteses de confeção que apresentam. Estes pêssegos foram a assar e transformaram-se numa sobremesa muito apetecível e parca de complexidade. Genuína, portanto.

© foodwithameaning

© foodwithameaning

Ingredientes

pêssegos

açúcar amarelo

mel

canela

sumo de meio limão

queijo ricotta

amêndoa laminada

Preparação

1. Lavam-se os pêssegos sem retirar a pele. Cortam-se às metades e descaroçam-se.

2. Forra-se um tabuleiro com papel vegetal e dispõem-se os pêssegos com o meio virado para cima. Polvilham-se com açúcar amarelo e decoram-se com a amêndoa laminada.  Levam-se ao forno cerca de 15 minutos a 180 ºC.

3. Entretanto, numa tigela mistura-se mel, canela e sumo de limão.

4. Verte-se este preparado em cima de cada pêssego e leva-se novamente ao forno cerca de 10 minutos.

Acompanham-se os pêssegos ainda mornos com queijo ricotta. A combinação de ambos é maravilhosa. Poderá também optar por gelado em substituição do queijo. Nesse caso, aconselho o clássico gelado de baunilha.

© foodwithameaning

Salada quente de romanesco

O romanesco é a inflorescência comestível da planta, tal como acontece com a couve-flor, com os brócolos e com a couve-de-bruxelas. É originário da Itália e mais precisamente de Roma. A sua forma geométrica é muito decorativa devido à sua disposição espiralada. A sua forma fractal é muito interessante pois podemos observar infinitos detalhes gerados por um padrão repetido, sendo cada uma das partes semelhantes à aparência do todo do romanesco. Portanto, é, no meu entender, uma obra-prima da natureza.

A sua consistência é ainda mais tenra que a da couve-flor, devendo portanto ser apenas levemente cozido, e podendo também ser utilizado cru, em saladas.

Os nossos romanescos resultaram de uma experiência que o meu marido fez na horta. Sempre achei o romanesco algo monumental, mas desconhecia o seu sabor, por não se encontrarem à venda por aqui. Por esse motivo, este ano, alguns pés de romanesco dividiram a horta com as couves e com os brócolos.

Nós esperámos que encorpassem e, antes que espigassem, fizemos uma deliciosa salada quente com eles.

salada quente de romanescoromanesco

Ingredientes

romanesco

brócolos

couve-flor

cenoura

alho

azeite

mistura de cinco pimentas

sal

1 colher de sobremesa de especiarias para saladas (Margão)

Preparação

1. Cozer os legumes a vapor. Colocar a cenoura no fundo e os restantes legumes por cima. Estes cozerão primeiro, pelo que terão de ser retirados quando estiverem al dente.Temperar com sal.

2. Numa frigideira, colocar duas colheres de sopa de azeite e dois ou três dentes de alho picados. Deixar alourar levemente (sem queimar).

3. Adicionar os legumes e temperar com mais um pouco de sal e com as especiarias acima especificadas. Tapar. Envolver cuidadosamente os legumes uma ou duas vezes enquanto são salteados, evitando desfazê-los. Regar com mais um fio de azeite se achar necessário.

Poderão ser prato principal ou acompanhamento de qualquer outro prato.

Deliciem-se e respirem saúde com esta receita.

salada quente de romanescosalada quente de romanesco

Hot chocolate cupcakes

Quando vi esta ideia aqui, no Diary of a Ladybird, gostei de imediato da hipótese de  poder comer o bolo e a chávena ao mesmo tempo. Por isso, arregacei mangas e comecei por fazer a massa para os queques. Segui esta receita de “angel´s cake”. Depois dos queques saírem do forno, deixei que arrefecessem e comecei a  esticar o fondant. Utilizei  branco e rosa, já do pronto a esticar e aplicar. Os desenhos foram feitos com cortadores de bolachas e de plasticinas pela minha mini-chef, que também escolheu as formas para a decoração. Eu trabalhei a massa para que ficasse em forma de chávenas (cups) e selei as extremidades com uma pincelada de clara de ovo, mas poderão também utilizar água para o efeito. Coloquei o queque no interior da chávena e preparei uma ganache de chocolate para imitar o aspeto de hot chocolate.
Apesar de terem ficado um pouco toscos, ainda me valeram o 2º lugar no concurso de cupcakes de que já falei aqui. Não esperava, pois este foi fantástico em termos de criatividade. Sendo assim, se gostarem de fazer algo diferente poderão sempre apresentar estes queques em chávena num dos vossos lanches de amigas.

hot chocolate cupcake

Nota. Quando estiverem a esticar o fondant, convém salpicar a bancada com amido de milho ou açúcar em pó.

hot chocolate cupcake

Para fazer a ganache de chocolate necessitará de uma tablete de chocolate de culinária e de um pacote de 200 ml de natas. Derreta o chocolate em banho-maria e vá adicionando as natas até estarem incorporadas e o chocolate bem dissolvido e com aspeto sedoso. Cubra o queque com a ganache sem encher a chávena.

foodwithameaning