Ice-cream cupcakes… E esta hein?

© foodwithameaning

Um bolinho em cone de gelado? Esta foi a materialização de uma ideia para a participação da sala da Pré-A da escola Tomás de Borba no concurso de cupcakes dinamizado pelos professores de inglês. Eu e a minha pequenita preparámos a massa do queque em casa e, no dia seguinte, transportámos os seis queques para serem decorados pelos coleguinhas da sala. Foi hilariante vê-los a manejarem o saco de pasteleiro que continha o creme e a tentarem dar a forma de gelado à cobertura. Mas o ponto mais alto centrou-se na decoração do creme com bolinhas coloridas de arroz tufado. Quando estas não aderiam e caíam sobre a mesa, era ver os pequeninos a tentarem apanhar as bolinhas saltitonas, como se de um jogo de ping-pong se tratasse. Foram momentos muito divertidos.

© foodwithameaning

Devem estar a pensar como é que o queque foi parar dentro do cone de gelado. Pois, existem duas formas disso acontecer, ou melhor, três: fazer o queque numa forma e depois de pronto encaixá-lo no cone de bolacha; colocar a massa na forma de queque e inserir o cone “de cabeça para baixo” ou encher o cone de massa e levá-lo a cozer ao forno. São tudo opções. Achei a terceira a menos viável, mas foi por essa que optei. E respondendo já à vossa primeira pergunta, a massa de bolacha não queimou, continuou estaladiça e o bolo cresceu e cozeu lindamente lá dentro. Depois de arrefecer foi só decorar.

Os cones de gelado foram cheios com a massa de bolo até cerca de dois centímetros do bordo.

A massa cozer em 18 minutos, em forno pré-aquecido, mas o tempo varia de forno para forno, por isso, convém estar atento à cozedura e ir vigiando pelo vidro do forno.

© foodwithameaning

A receita que utilizei foi a de angel’s cake publicada aqui. Adicionei à massa missangas de açúcar coloridas. Ficou um cupcake salpicado de muitas cores por dentro. O creme utilizado foi baunilha e de compra, já pronto para decorar.

Este cupcake em forma de gelado é, sem dúvida, uma ideia muito gira para aniversário de criança.

© foodwithameaning

Sol e grelhados combinam

Os dias têm estado muito quentes. Ouso até dizer que muitos dias de verão nem sempre são tão soalheiros  como os das últimas semanas. De facto, o mês de maio tem sido maravilhoso. Os dias, já mais longos, pedem que fiquemos pela rua durante mais tempo. E o entardecer tem sido entre o jardim e a horta. Fora de casa. Ao fim da tarde, recolhe-se lenha para o grelhador, acende-se o lume e espera-se ansiosamente pelo grelhado. Este foi confecionado com frutos do mar, os meus ingredientes favoritos.

Espetadas de camarão com lulas

espetadas de lulas e camarão_foodwithameaningespetadas de lulas e camarão_foodwithameaning

Ingredientes para 4 pessoas (8 espetadas)

16 camarões tigre

16 tomates-cereja

8 cogumelos frescos

1 pimento encarnado

2 cebolas roxas

2 beterrabas médias

raminhos de tomilho fresco

mistura de cinco pimentas

batata nova assada na brasa

sal para grelhados

 

Ingredientes para o molho

manteiga

alho picado

1/2 lima ou 1 inteira ( vá provando)

salsa

espetadas de lulas e camarão_foodwithameaning

Preparação

Temperei as lulas e os camarões com sal para  grelhados, sumo de lima, tomilho e mistura de cinco pimentas. Reservei.

Preparei um molho com manteiga, alho picadinho e salsa, também picada. Levei ao micro-ondas até ferver.

Montei as espetadas, segundo a sequência que vêem nas imagens, com o camarão, a cebola, os cogumelos frescos, a lula, os tomates-cereja, o pimento e os cubos de beterraba.

Coloquei- as na grelha bem quente e  reguei-o com o molho. Virei-as do outro lado e voltei a regá-las.

Dispus as batatas. Assaram de ambos os lados.

Depois das espetadas e das batatas estarem prontas,  com a ajuda de uma colher, achatei cada uma das batatas. Dispus tudo numa travessa, reguei com o restante molho e servi.

Sabem que mais?

Estas espetadas estavam deliciosas.

espetadas de lulas e camarão_foodwithameaning

 

Bolo de Nata e Baunilha… World Baking Day

Diapositivo1Hoje comemora-se o World Baking Day. É, por isso, dia de ir para a cozinha fazer um bolo, como se eu precisasse de motivos para isso. O lema deste ano do World Baking Day  é “vá para a cozinha e aventure-se a fazer um bolo”.  Assim sendo, hoje houve para o lanche bolo de nata e baunilha. A meu ver, é o melhor bolo para acompanhar um cházinho. Da cobertura constou apenas açúcar em pó. É pois um bolo muito simples mas o favorito da minha mini-chef. Os amigos do meu filho que passaram cá a tarde de domingo também ficaram fãs deste bolo. Acompanharam-no por sua vez com uma chávena de chocolate quente. Era vê-los a comer uma fatia atrás de outra. Só para que saibam, o bolo já vai a meio.

Diapositivo2

Diapositivo3

 

Ingredientes

4 ovos

200 ml de natas

1 chávena e meia de açúcar

1 chávena de farinha

1 colher de chá de fermento

1 vagem de baunilha

1 pitada de sal

açúcar em pó para decorar

 

Preparação

1. Batem-se as claras em castelo com uma pitada de sal. Reserva-se

2. Batem-se as gemas com o açúcar. Juntam-se as natas e continua-se a bater muito bem.

3. Adiciona-se o conteúdo da vagem da baunilha raspado com a ponta de uma faca.

4.Junta-se a farinha e o fermento peneirados. Bate-se com a batedeira.

5. Envolvem-se as claras em castelo  com cuidado no preparado, evitando que se desfaçam muito.

6. Untar e enfarinhar uma forma e verter o preparado.

7. Cozer a 200 ºC durante trinta minutos em forno pré-aquecido.

Desenformar para uma grelha. Deixar que arrefeça e polvilhar com açúcar em pó.

Servir o bolo acompanhado de chá de ervas, quente ou fresco, como preferir.

bolo de nata e baunilha_foodwithameaningDiapositivo1Diapositivo2

 

Cookies de muesli e manteiga de amendoim com arandos…Vamos fazer bolachas?

Estas Cookies foram feitas por dois motivos: porque o frasco das bolachas já andava vazio há algum tempo e porque desejava participar no tema do Mês de Maio do grupo “Vamos fazer Bolachas“. Inicialmente era para terem sido Cookies de chocolate com pepitas de manteiga de amendoim, mas depois reparei que tinha a manteiga de amendoim e umas barritas de cereais a terminar o prazo de validade. Assim, juntei o útil ao agradável e saíram do forno estas cookies de muesli e manteiga de amendoim.

Foi com muito gosto que aceitei o desafio da Manuela do blogue Cravo e Canela, uma cozinha no Brasil.

Ficaram deliciosas, crocantes e tenrinhas… Uma receita a repetir.

Cookies de muesli e manteiga de amendoim com arandos

Diapositivo2Diapositivo1Ingredientes

2 chávenas de farinha

1 colher de chá de fermento

1/4 de colher de chá de sal

1 chávena de manteiga de amendoim

1/3 chávena de manteiga amolecida

2/3 chávena de açúcar mascavado escuro

1/3 chávena de açúcar

1 colher de chá de extrato de baunilha

2 ovos grandes

5 barritas de muesli com mel e arandos (25 g cada)

 

Preparação no robô de cozinha 

1. Pré-aquecer o forno a 200 ºC com a resistência superior e a inferior.

2. Colocar os ingredientes no copo do robô e misturá-los sem triturar. Utilizei a Bimby e marquei 2 minutos velocidade Espiga.

3. Forrar um tabuleiro com papel vegetal e dispor bolinhas de massa, espalmá-las para lhes dar o formato de cookie  deixando uma distância de dois dedos entre cada bolacha.

4. Levar a cozer com a resistência inferior, colocando o tabuleiro a meia altura para que as bolachas não fiquem escuras na base. Tempo de cozedura: 15 a 18 minutos para bolachas de 7 cm de diâmetro. A cozedura variará consoante o tamanho das bolachas.

Nota. Retirá-las do forno quando já estiverem alouradas à volta da base, mas ainda ligeiramente moles ao toque na superfície.

5. Transferir as bolachas para uma grelha para deixar que arrefeçam e acabem de cozer.

Preparação tradicional

Colocar os ingredientes numa tigela grande e misturá-los muito bem até estarem todos os ingredientes ligados.

Seguir os pontos 1,3,4 e 5 acima referidos.

Diapositivo1Diapositivo2

 

Gula ao quadrado

Estes quadrados, denominados de brasileiros, foram feitos domingo passado para levar para um almoço em casa de um casal amigo. A receita é da D. Dora Alice, tia da Maria, do Receitas ao Desafio. Eu tive o privilégio de os experimentar pela primeira vez feitos pela mão de Zita Lima, autora do primeiro programa de culinária da RTP-Açores e de um livro sobre gastronomia açoriana, num evento de angariação de fundos da liga contra o cancro.
Estes quadrados são mesmo pura gula devido à combinação de ingredientes. Por isso, fiquei encantada com o resultado final em termos de apresentação e sabor.
Ora Vejam.
Diapositivo1Diapositivo3
Ingredientes para vinte quadrados de 5cmx5cm
200 gr de bolacha Maria (1 pacote)
125 gr de manteiga
1 lata de leite condensado
100 gr de coco ralado
100 gr de chocolate negro
3 c. sopa de manteiga de amendoim
Preparação
1. Tritura-se  a bolacha num robô de cozinha e reserva-se numa tigela grande.
2. Adiciona-se a manteiga derretida e mistura-se tudo com a mão, até conseguirmos uma massa húmida e unida.
3. Unta-se o fundo de um tabuleiro com manteiga e forra-se com o preparado da bolacha, formando uma base. Vai ao forno 15 minutos.
4. Numa tigela,  mistura-se o leite condensado com o côco e verte-se por cima da base de bolacha esta mistura. Vai novamente ao forno 15 minutos.
5. Depois do tempo indicado, reserva-se e deixa-se arrefecer.
6. Derrete-se o chocolate negro no micro-ondas com cuidado para evitar que queime, ou seja, marcando intervalos de  30 segundos, mexendo, voltando a colocar no micro-ondas.
7. Mistura-se o chocolate derretido com a manteiga de amendoim dispõe-se em camada no tabuleiro. Vai ao frigorífico.
8. Parte-se em quadrados após refrigeração.
fonte da receita: http://www.receitasaodesafio.blogspot.pt/2014/05/quadrados-brasileiros.html
Diapositivo1

Sem dúvida, a melhor forma de comer morangos

Saber-se que os dias são grandes e que às oito ainda disfrutamos de um cair de tarde transforma qualquer pessimista no maior otimista do mundo. A luz, ou o prolongamento dela pelo dia, dá-nos a oportunidade de nos mantermos no jardim até ao cair da noite. O mobiliário de exterior convida-nos a sentar e a descansar os olhos na natureza ou num bom livro. O passeio pela horta torna-se numa rotina que não custa. Os feijões já estão crescidos. O mesmo acontece com as abóboras e com as curjetes. As malaguetas estão a querer vingar, arrebitando sempre quando são regadas. Os tomateiros tentam equilibrar-se nos suportes de canas. As acelgas já dão folhas para as saladas. O bolbo das cebolas e dos rabanetes está a crescer silenciosamente debaixo da terra. O cebolinho já vai dando ar de sua graça. A salsa e os coentros conversam entre si junto aos muros de pedra e as flores de maracujá observam, da latada, cúmplices e com as suas longas pestanas lilases, as mudanças que diariamente vão acontecendo.

De outra horta, mais longínqua, chegaram estes morangos que acompanhados de chantilly complementaram este fim de tarde.

 

morangos com chantilly

Ingredientes

Morangos

1 pacote de natas – 200 ml (de bater)

2 colheres de sopa de açúcar

1 colher de café de aroma de baunilha (faz toda a diferença)

água e sal (para a lavagem dos morangos)

Preparação

1. Mergulhar os morangos numa taça com água e sal sem lhes retirar os pés. Deixar repousar durante 5 minutos. Passar por água limpa. Secar os morangos.

2. Bater as natas (refrigeradas) até que se mostrem aguentadas.

3. Juntar às natas o aroma de baunilha e a duas colheres de sopa de açúcar.

4. Colocar o chantilly num saco de pasteleiro e desenhar a gosto.

5. Segurar os morangos pelos pezinhos e mergulhar no chantilly.

 

Diapositivo3Diapositivo2

Pura gula, não acham?

Diapositivo1

Salada de favas com açafroa

Diapositivo2

Estamos na época de uma das minhas leguminosas favoritas: as favas.

Esta é, no meu entender, uma das melhores maneiras de confecioná-las: em jeito de petisco e à boa maneira açoriana, isto é, cozidas e marinadas em molho cru. Nesta salada, a açafroa acrescentou cor e sabor.

Resta-nos, então, pegar no palito, picar a fava e deliciarmo-nos com este molho. Uma boa fatia de pão caseiro e um copo de cerveja ou de vinho branco seriam o complemento perfeito para esta salada.

Diapositivo1

Preparação

1. Colocam-se as favas a cozer em água a ferver, sem sal. Depois de cozidas, escorrem-se.
2. Envolvem-se as favas, ainda quentes, no molho abaixo indicado. Tapa-se o recipiente e deixa-se marinar pelo menos três horas antes de servir. Durante este período de tempo, deve-se envolver por duas ou três vezes as favas no molho para que absorvam bem os temperos.

Molho Cru

1 cebola roxa pequena

1 cebola  branca

um ramo de salsa picada

2 dentes de alho picado

2 colheres de sopa de massa malagueta 

1 copo de azeite  

1/2 copo vinagre de vinho

1 colher de chá de sal

paprica (colorau)

mistura de cinco pimentas

1 colher de café de açafroa

&

Bom apetite!

Diapositivo1