Portão de Quinta

Portão de Quinta

Atribuir o nome “Portão de Quinta” a uma sobremesa encerra muito de telúrico, de rústico e de poético. E eu gosto de receitas detentoras de nomes bonitos. Mais vulgar seria dizer que é apenas um cheesecake com palitos. Mas Portão de Quinta foi o que me cativou em primeira instância nesta receita.

Redescobri- a  enquanto folheava o meu caderno onde anoto as receitas de doces. A minha prima Gracinda foi quem ma transmitiu há alguns anos atrás. Estava esquecida entre folhas e linhas. Hoje veio à luz.

Espero que gostem.
Diapositivo3

Ingredientes

2 pacotes e meio de palitos de champanhe

2 pacotes de queijo philadélfia

800 ml de natas para bater

8 colheres de sopa de açúcar

3 folhas de gelatina

1 frasco de doce extra de cereja

1 colher de chá de aroma de baunilha

1 forma de fundo amovível(com fivela lateral)

 

Preparação

1. Batem-se as natas ( que devem estar refrigeradas) até ganharem consistência.

2.Junta-se o açúcar às natas. Duas colheres para cada pacote de natas. Bate-se muito bem, até o açúcar perder o granulado.

3. Adiciona-se o queijo philadelfia e o aroma de baunilha e bate-se novamente.

4. À parte, hidrata-se a gelatina, partida aos pedacinhos,  em dois dedos de água. Leva-se ao micro-ondas durante 10 segundos sem deixar que ferva. Deixa-se arrefecer e junta-se ao preparado anterior.

5. Corta-se uma das pontas dos palitos que irão forrar lateralmente a forma. Molha-se a ponta cortada de cada palito no creme e coloca-se à volta da forma em pé com o lado do açúcar virado para fora. (ver foto). Forra-se o fundo da forma com creme e com palitos.

Diapositivo1

6. Verte-se sobre os palitos metade do creme. Dispõe-se outra camada de palitos. Por cima, coloca-se outra camada de creme. Vai ao frigorífico de uma dia para o outro.

7. Retira-se do frigorífico e pouco antes de servir dispõe-se o doce de cereja (ou outro do agrado).

Notas

O doce extra de cereja que utilizei é da marca Euroshopper e é vendido aqui no supermercado Guarita. Acho-o superior aos enlatados com recheio de tartes pois este doce é ligeiramente ácido, contrastando, no meu entender, com o creme de natas e queijo. Contrariamente ao que se possa pensar, esta sobremesa não é muito doce.

A receita poderá ser feita utilizando os ingrediente pela metade pois rende muito, ficando do tamanho de um bolo normal.

Diapositivo1

Anúncios

Torta de legumes

Diapositivo3

Os dias vão ficando mais quentes e, muitas vezes, já vão apetecendo pratos mais leves. Esta torta de legumes é muito saborosa, saudável e de fácil confeção. O único momento mais delicado prende-se com o enrolar a torta evitando que se quebre, mas isso acontece com todas as tortas quer sejam doces ou salgadas. Para que tal não aconteça, deve-se respeitar o tempo de cozedura, não deixando que esta seque demasiado no forno.

Como os olhos são os primeiros a comer, o interior colorido da torta torna-a muito apelativa, especialmente para as crianças que oferecem alguma rejeição ao legumes. Cor e sabor num só prato.

Diapositivo1

 

Ingredientes

1 embalagem de quilo de legumes (feijão rolo, ervilha, pimento encarnado, milho e cenoura) – depois de cozido e escorrido rende 800 g

1 cebola

3 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de farinha

6 ovos

sal e pimenta q.b.

 

Preparação

1. Cozem-se os legumes em água a ferver com sal. Escorrem-se bem e deixam-se arrefecer.

2. Aquece-se o azeite num tacho e junta-se a cebola picada finamente. Deixa-se alourar levemente.

3. Junta-se a farinha e mexe-se bem. Deixa-se arrefecer um pouco.

4. Adicionam-se  as gemas uma a uma e tempera-se com sal e pimenta.

5. Batem-se as claras em castelo bem firme com uma colher de café de sal.

6. Envolvem-se as claras com cuidado no preparado anterior e juntam-se os legumes cozidos, incorporando bem com a colher de pau.

7. Unta-se o tabuleiro do forno com manteiga, forra-se com papel vegetal, o qual também é untado.

8. Verte-se o preparado para o tabuleiro, nivelando-o.

9. Leva-se a cozer em forno bem quente (pré-aquecido a 200 ºC) durante 15 a 20 minutos.

10. Retira-se do forno e coloca-se por cima de uma toalha húmida, retirando o papel vegetal com cuidado.

11. Enrola-se a torta com a ajuda da toalha, apertando moderadamente.

Coloque numa torteira e sirva a torta de legumes quente ou fria acompanhada de peixe ou de salada.

Diapositivo2Diapositivo3

Marisco no cobre

Diapositivo1Diapositivo2

Não consigo resistir a uma boa cataplana de marisco. Há pouco tempo fiz de bacalhau e também gostámos muito. Acho que o segredo está, em primeiro lugar, nos ingredientes utilizados e só depois no recipiente de cobre. A verdade é que quando faço peixe ou marisco na cataplana sabe-me sempre melhor do que se o mesmo prato viesse da panela. É quase como o peixe que é frito na ilha do Pico na cozinha da minha avó. É mais saboroso, estaladiço e, acima de tudo, cheira a verão. As coisas parecem querer pertencer aos lugares da memória.

Cataplana de Lulas e Marisco

Ingredientes para 4 a 6 pessoas

1 embalagem de lula limpa

1 embalagem de miolo de mexilhão

metades de mexilhão na concha ( 2 por pessoa)

1 embalagem de miolo de berbigão

ameijoas a gosto

1 embalagem de delícias do mar

camarões médios a gosto

1 lata grande de tomate pelado triturado

1 copo de vinho branco

mistura de 5 pimentas

1 folha de louro

2 malaguetinhas (piri-piri)

sal

azeite

1 cebola

1 pimento vermelho

4 dentes de alho

meio pacote de sopa de marisco

1 generoso ramo de salsa


Preparação

1. Faz-se um refogado com o azeite, o louro, a cebola e o alho. Junta-se o pimento vermelho às tiras e deixa-se alourar.

2. Adiciona-se o mexilhão,  o berbigão, as lulas  e as ameijoas. Reserva-se o miolo de camarão, o camarão e as delícias. Envolve-se.

3. Adiciona-se o tomate pelado triturado.

4. Rega-se com o vinho branco e deixa-se ferver. 

5. Tempera-se com o sal, as especiarias e a salsa ( em ramo ou cortada aos pedacinhos)

6. Acrescenta-se um copo de água e deixa-se ferver novamente. Tapa-se o tacho.

7. Quando o marisco estiver cozinhado,  adicionam-se os camarões e o miolo de camarão. Envolve-se tudo.

8. Adicionam-se as delícias do mar, cortadas em três partes. Deixa-se cozinhar em lume baixo até os últimos mariscos estarem cozinhados.
Tapa-se novamente o tacho e aguarda-se um minuto ou dois.

 
Servi a cataplana de marisco acompanhada de vermicelli cozido, um esparguete muito fino em termos de espessura (ainda menos espesso do que o spaguettini)

Diapositivo3

Bom apetite!

Ninhos de ovos feitos a quatro mãos…. Votos de uma Doce Páscoa!

Ontem a minha filha chamou-me à cozinha e disse: -Mãe, vem ver o meu blogue!

Eu fiquei pasmada quando cheguei à bancada e vi um pano da loiça bordado, que ela tinha ido buscar à gaveta,  com quatro maçãs dispostas em cada ponta do pano e quatro morangos selvagens no centro.

– Preciso da máquina, depressa! – afirmou com altivez, como se as maçãs e os morangos se fossem dissipar a qualquer momento.

– Vai buscá-la, sim? Eu fui, claro. Era urgente. Deixei que ela tirasse algumas fotografias e, depois, tirei eu outras. Ficou assim registado o momento.

– É a nossa sobremesa. Somos quatro. O outro morango comi-o, pois não precisávamos dele, certo?

Achei imensa graça  a esta iniciativa. Mostra que os nossos filhos aprendem mais através da imitação dos nossos comportamentos do que através das nossas palavras.

Depois disto, propus-lhe um art-attack. Ela adora estas iniciativas conjuntas.

Estava decidido, iríamos fazer ninhos de ovos nesta Páscoa.

Diapositivo2

 Diapositivo2

Ingredientes

2 tabletes de chocolate de leite (usei marca Continente)
muesli ou cornflakes a gosto para envolver o chocolate
amêndoas a gosto
forminhas de queijada (em papel vegetal)

Preparação

Fomos buscar ao armário despenseiro duas tabletes de chocolate de leite, com 100 g cada, partimos o chocolate aos pedaços para dentro de uma tigela e levámos ao micro-ondas com intervalos de 30 segundos, evitando que o chocolate queimasse.

Nota.É importante nunca deixar que o chocolate derreta todo. Por norma, devemos deixar alguns pedaços ainda consistentes para que ao mexer com a colher se proceda à união entre as duas temperaturas do chocolate: o já derretido e o ainda sólido.

Adicionámos o muesli e, com uma colher, envolvêmo-lo no chocolate até estar tudo muito bem misturado.

Dispusemos duas colheres de chá desta mistura em cada forminha de queijada e com a colher demos a forma de ninho.

Colocámos as amêndoas no centro do ninho.

Levámos ao frigorífico a solidificar cerca de meia hora.

Estão prontos os ninhos.

Diapositivo1

Votos de uma Páscoa muito feliz!

Diapositivo1

Folar de carnes…um regresso a Trás-os-Montes

Diapositivo3

Vivendo a muitas milhas de distância da terra que viu o meu marido crescer, não nos é fácil, num instante, dar um saltinho até Bragança. Ontem, depois de ter visto a receita deste folar de carnes no blogue Sabores com História teletransportámo-nos para a cozinha da minha sogra através do delicioso sabor deste pão de azeite e enchidos. Ainda tínhamos algum fumeiro de Gimonde, aldeia do meu marido, e decidimos que nesta Páscoa sairia do nosso forno folar salgado.

Diapositivo1

Ingredientes para um folar  

6 ovos médios

500 g de farinha T65

100 ml de azeite

50 ml de vaqueiro líquida

1 saqueta  e meia de fermento granulado (16 g)

pitada de sal grosso

enchidos (presunto; chouriça; bacon)

Diapositivo2

Preparação na Bimby (adaptação da minha autoria)

1. Coloquei a borboleta no copo da máquina e adicionei os ovos inteiros. Marquei 37 ºC, 2 minutos e velocidade 3 1/5.

2. Ainda com a borboleta inserida, adicionei o sal, o azeite e a vaqueiro líquida. Marquei 1 Minuto, Vel 2.

3. Com a máquina em funcionamento, fui despejando a farinha e o fermento pelo bocal. Marquei Vel. Espiga (amassar) durante 15 minutos.

4. Retirei a massa da máquina e coloquei-a a levedar num alguidar tapada com uma toalha de cozinha até dobrar de volume.

5. Pincelei com manteiga derretida uma forma de cerâmica de souflê (não tinha o tamanho desejado em alumínio)e forrei o fundo com um círculo de papel vegetal, untado à superfície.

6. Retirei uma mão de massa do alguidar (o equivalente a metade da massa)  e sem estendê-la coloquei-a no fundo da forma. Fiz uma covinha no meio, pouco funda e dispus os enchidos picados aos pedacinhos. Coloquei a restante massa por cima, unindo os lados para evitar que os enchidos se escapassem.

Obs. Poderão fazer três camadas de massa e duas de enchidos, se desejarem.

7. Alisei o topo do folar com as mãos e pincelei com ovo batido.

8. Foi a cozer em forno quente, pré-aquecido a 200ºC, durante 40  a 45 minutos.
Diapositivo2

Diapositivo1

Regueifa… da série Páscoa doce

A regueifa designa em Portugal um pão de romaria. A regueifa tem uma forma de rosca e é feita com farinha de boa qualidade, fazendo lembrar o “pão espanhol”.

É típica do Norte de Portugal, sendo conhecida desde o Minho até à região de Aveiro. Com a industrialização, a regueifa, em especial no Entre-Douro-e-Minho, popularizou-se como pão domingueiro.

Diz-se que teve origem em Branca, Albergaria-a-Velha, Portugal.

fonte do texto

regueifa

 

Ingredientes
450 gr de farinha T65
150 ml de leite
3 ovos 
100gr de manteiga
1 cálice de vinho do porto
raspa de 1 limão
sumo de 1/2 limão
25 gr de fermento de padeiro ou 1 saqueta de fermento granulado
1 pitada de canela
1 gema para pincelar


Preparação na Bimby (com resultado à vista)

1. Coloca-se no copo o leite, o fermento e o sal e seleciona-se 37 graus, 2 minutos, Vel.1.
2. Juntam-se os restantes ingredientes, com exceção da farinha. Marca-se 2 minutos, Vel 3.
3. Adiciona-se a farinha aos poucos com a máquina em funcionamento. 4. Marca-se 3 minutos, Velocidade Espiga.
4. Retira-se a massa do copo e deixa-se levedar em recipiente tapado e em local morno.

Obs. Costumo envolver o recipiente com uma toalha de mesa para mantê-lo bem abafado.
5. Passadas 4 horas retiro a massa e coloco-a numa superfície enfarinhada. 

6. Divido-as em duas partes iguais e moldo duas tiras.
7. Entrelaço as tiras uma na outra em forma de coroa.
8. Pincelo a massa com gema de ovo.
9. Cozo a 180 graus, em forno pré aquecido, durante cerca de 30  minutos.

Preparação Tradicional (não testada por mim)

Dissolver o fermento no leite morno. 
Colocar a farinha em monte, abrir um buraco no meio, colocar o leite com o fermento e os restantes ingredientes.
Amassar bem, até se conseguir formar uma bola, sovando bem a massa. 
Moldar a regueifa em círculo ou fazer duas tiras de massa e enroscar uma na outra. 
Deixar levedar durante 1 hora em local ameno.
Pincelar com a gema.
Coze a 180 graus, em forno pré aquecido, durante cerca de 30  minutos.

regueifa.regueifa..

Nota. Esta receita já tinha sido publicada por mim no Receitas ao Desafio em 2012, mas decidi voltar a partilhá-la convosco por ser deliciosa e por se enquadrar nesta época festiva.

Se tiverem curiosidade em consultar a receita do Folar Açoriano, podem fazê-lo aqui.

Uma doce Páscoa!

Patrícia

Passaram seis anos…

Diapositivo1Passaram seis anos… O mês de abril é, assim, repleto de alegria todos os anos. Mais uma vez decidi que seria eu quem faria o bolo. O único pressuposto era a cor rosa. Dirigi-me com a princesa à loja Rose Pepper e escolhemos tudo o que precisávamos, desde as pastas de açúcar às forminhas de cupcakes. Perdemo-nos por completo nesta loja de sonho.

A caixa que serviu de decoração ao bolo, com a respetiva boneca feita em eva foi oferta da avó Nazaré e mereceu este ano um lugar de destaque.

 Diapositivo2

Diapositivo3

Para esta festa, segui à risca as sugestões da filhota. Na mesa não faltaram os cupcakes de morango com cobertura de baunilha, os muffins de chocolate com pepitas, os mini-bundts de chocolate e morango, as bolachinhas, as espetadas de gomas e de marshmellows, os lollipops de chocolate branco e de chocolate de leite com missangas coloridas, a fonte de chocolate onde foram mergulhados morangos e marshmellows, os caramelos, os bombons, os chupa-chupas, as amêndoas e os coelhinhos de chocolate.

Diapositivo1
Diapositivo4
Diapositivo5
Diapositivo6
Diapositivo2

Diapositivo6

Diapositivo4

A receita do bolo encontra-se aqui. O recheio é de chantilly com aroma de baunilha.

Diapositivo1

Feliz Aniversário Vitória!