E quando o barro encerra tradição e arte…

Necessitava de comprar outro alguidar de barro para as alcatras que ocasionalmente faço. O primeiro, já velhinho, confirmou a semana passada que os seus dias estavam no fim. Uma fenda quase impercetível,  a torná-lo impróprio para utilização, transformá-lo-á em breve em vaso, perpetuando-se assim a sua existência até que a natureza queira. Decidi então que teria de comprar outro. Como por altura das festas açorianas do Espírito Santo temos a tradição de confecionar a tradicional alcatra, acheo que era melhor prevenir do que ter de remediar e fui comprar outro alguidar. Poderia tê-lo feito nas lojas de produtos regionais, mas resolvi, depois, ir à fonte: à olaria da ilha.

Foram momentos muito bem passados.

Um regresso ao passado com gente criativa do presente.

Diapositivo1
Diapositivo2Diapositivo3

Diapositivo4

Apesar da Olaria Simas constar dos roteiros turísticos da ilha Terceira, muitos dos habitantes locais nunca visitaram 0 espaço, situado na freguesia de São Bento. Ao fazerem-no, poderão ficar a conhecer a génese daquele local, o trabalhar do barro e os produtos finais desta tradição, que se encontram expostos na loja. E, ainda, sairão com a receita da tradicional alcatra terceirense, que o Ricardo amavelmente inclui dentro do alguidar de barro.

O Ricardo recebeu-nos com o mesmo sorriso sincero e luminoso de que me lembro desde que fomos colegas de escola primária. A minha mãe foi nossa professora da primeira à quarta classe. Na altura as questões éticas deste facto não se colocavam, apesar de interiormente e empiricamente perceber que por vezes não era fácil lidar com a dualidade mãe/professora.

O Ricardo decidiu dar continuidade ao negócio do tio: a olaria. Um ato de coragem no âmbito de um negócio que conduz com muito gosto e originalidade, como poderão constatar através das peças expostas.

Diapositivo5Diapositivo6Diapositivo7Diapositivo8Diapositivo9Diapositivo10Diapositivo11Diapositivo12Diapositivo13Diapositivo14Diapositivo15Diapositivo16

Ao regressar a casa,  trouxe no saco o meu novo alguidar para as alcatras. Daqui a duas semanas levantarei a minha frigideira de barro, que se encontra ainda em cura nas prateleiras da olaria. Quero por em prática algumas receitas dos meus antepassados provenientes da ilha do Pico.

Esta alcatra que vos trago hoje foi confecionada em alguidar de barro. Segui a receita da Susana do blogue Belina da Ilha, uma verdadeira perita em alcatras.

Alcatra de Feijão Branco

Diapositivo1

Deixo-vos abaixo alguns links para acederem às alcatras da Susana.

Alcatra à Moda da Terceira

Alcatra de Feijão Branco

Alcatra de Borrego

8 thoughts on “E quando o barro encerra tradição e arte…

  1. Susana

    Olá Patrícia,
    mas que linda alcatra fizeste! Eu adoro o sabor do “nosso” barro nos assados e especialmente no forno a lenha. Quando fui à olaria também fui bem recebida e fui lá várias vezes. Da primeira comprei dois alguidares grandes, depois voltei a comprar outros mais pequenos e por ultimo dois pratos de pizzas que fiz por encomenda. Agora falta-me o tempo para os gozar como deve de ser. Mas como sabes tem saído algumas alcatras bem variadas 🙂

    Beijinhos e bom fim de semana.

    Gostar

  2. Isabel

    Adorava ter um alguidar destes mas acho que por cá, no continente, não se conseguem arranjar… nem na loja dos Açores…
    O blog do seu amigo Ricardo Simas parece estar parado desde 2011, senão encomendava-lhe um.
    Será que aguentam a exportação? (em tempos mandei vir da Etiópia uma cafeteira de barro e chegou cá inteira, portanto, vou mantendo a esperança)

    Gostar

    • foodwithameaning

      Olá Isabel. Obrigada pela visita. Vou falar com o Ricardo e ainda esta semana lhe digo alguma coisa. A loja da olaria está cheia de material produzido por ele. Agora, quanto ao envio pelo correio não sei. É como lhe digo, vou passar lá amanhã e se for possível o envio digo-lhe. Deixo-lhe o email que mais utilizo: pat_almeida@yahoo.com
      Beijinhos
      Patrícia

      Gostar

  3. foodwithameaning

    Olá Isabel, como prometido, fui à olaria e falei com o pai do Ricardo para saber se era possível o envio. Ele disse-me que sim, mas que só o transporte (à cobrança) custaria mais do que o alguidar. Disse-me que os alguidares da olaria estão disponíveis na Casa dos Açores em Lisboa. Espero, sinceramente que consigas comprar o teu alguidar. A comida feita no barro e em forno de lenha não tem comparação. Para mais informações, deixo-te os contactos constantes do cartão que me deram na olaria. Telefone: 295216787. Telemóvel: 964462554. olaria.rs@hotmail.com. http://www.facebook.com/olariades.bento ou através do blog: http://www.olariars.blogspot.pt

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s