História de um caldo de salsa

sopa de salsa

Esta é a segunda vez que partilho a receita deste caldo de salsa. A primeira vez foi em setembro de 2011 no Receitas ao Desafio. Algumas pessoas poderão achar estranho uma sopa de salsa, tendo em conta que  esta erva aromática não é frequentemente utilizada em sopas como o ingrediente principal. Será tida como parente pobre das sopas? Penso que não. Esta sopa reflete na perfeição o sabor caraterístico da salsa mas de forma subtil. Se fosse de coentros, realçaria de certeza o paladar do coentro, como acontece com a sopa da pedra, onde o coentro é utilizado.
Esta sopa, por ter uma consistência bastante diluída é por vezes denominada como caldo de salsa. Tal como acontece com o caldo de peixe, pode ser bebida, diretamente da tigela, sem recurso a colher. Há quem a aprecie com a salsa totalmente triturada. Eu não. Gosto de sentir a suavidade das folhinhas de salsa cozidas,  previamente cortadas aos bocadinhos com uma tesoura antes de serem introduzidas no creme.

sopa de salsa
Esta receita é feita cá em casa desde o tempo da minha bisavó, uma mulher notável, enérgica e astuta , proveniente de gente rija do campo e conhecedora de todas as ervas medicinais, sobre as quais me contava histórias, e com as quais orquestrava xaropes, pomadas, sabões e desinfetantes.  Lembrei-me, agora, da água de malvas que preparava todos os dias para lavar as vistas, um desinfetante natural e, talvez, também poção anti-rugas da época.Já nessa altura, ela falava dos benefícios da baba do caracol e agora  assistimos a contínuos anúncios publicitários apregoando os benefícios da referida baba. De tudo isto se pode concluir que o que é genuíno é mesmo bom.

Ingredientes

4 batatas

1 curgete

1 cenoura grande

1 ramo generoso de salsa

1 cebola

1 dente pequeno de alho

água

1 colher de chá de natas por tigela

azeite

sal

Modo de Preparação

1. Aloura-se a cebola e o alho em azeite e junta-se a cenoura e a curgete aos pedaços. Deixa-se alourar também.

2. Junta-se a batata e cobre-se com água. Deixa-se cozer e tritura-se tudo com a varinha mágica.

3. Adiciona-se, depois, um ramo generoso de salsa, sem os caules mais grossos, cortado aos pedacinhos com a tesoura de cozinha.

4. Deixa-se cozer a salsa. Rega-se com azeite a gosto ou, em substituição do azeite, coloca-se em cada tigela, na hora de servir, uma colher de chá de natas.

sopa de salsa

Está pronta a servir e a reconfortar a alma e o corpo.

Com este caldo de salsa participo na edição de fevereiro do passatempo Dia Um na Cozinha, dedicado este mês às sopas.

Espero que tenham gostado da sugestão.
Logotipo Dia Um... Na Cozinha Fevereiro 2014

Anúncios

13 thoughts on “História de um caldo de salsa

  1. Ivone Rodrigues

    Delicioso caldo, tb nunca utilizei natas, adorei a história da bisavó, de ferver as malvas pois recordou-me de quando eu fazia vapores com as malvas para limpar a pele da cara .
    Bjs

    Gostar

  2. Célio Cruz | Sweet Gula

    Olá Patricia!
    Fiquei bastante curioso com este caldo de salsa! Que tem bom aspecto, isso vê-se logo, mas o sabor esse deve ser fantástico. Eu adoro ervas aromáticas e uso-as em praticamente tudo, até para decorar. Mas fiquei curioso com o sabor da salsa numa sopa. A experimentra. 😉
    beijinho.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s