Sardinhada em fevereiro e as nossas primeiras couves-de-bruxelas

Tem sido um inverno rigoroso. O frio, a chuva e os ventos repentinos têm sido uma constante. Eu que sou adepta fervorosa do verão já me sinto cansada deste tempo demasiado invernoso. Por isso, quando de entre as nuvens desponta um olhinho de sol,  aprecio o jardim e tudo o que emana do contato com a natureza. Aproveito para tirar fotografias a todos os pormenores que de longe passam despercebidos. Retrato um líquen, as árvores de fruto, as flores e as trepadeiras que se expandem pelos muros de pedra. Registo momentos de amizade genuína entre o Max e o Misha (cão e gato). Num destes percursos, passo pela horta e vejo que as couves-de bruxelas já estão a formar os novelos de couve ao longo do caule. Que planta fantástica. Colho os necessários para o acompanhamento do almoço. Apeteceu-me sardinhas na brasa. Recolhemos a lenha necessária para o grelhador de rua. Soube tão bem apreciar as labaredas que sem se aperceberem tornavam o meu dia mais quente. Cheirava a S. João e a noites amenas de convívio de verão. O sol foi contudo de pouca dura. Veio uma chuvada e num ápice tivemos de transferir o grelhador para debaixo do alpendre. O tempo a avisar-me que eu ainda não podia antecipar a minha estação.

Qualquer dia destes conto-vos a minha segunda tentativa de chamar o verão: um passeio de inverno na praia que também não correu bem.

Vamos então à sardinhada!

Diapositivo1

Já na mesa!

Sardinhas Assadas na brasa com Batatas Cozidas e Couve-de-bruxelas

Diapositivo2

Diapositivo3

Diretamente da horta cá de casa: as nossas couvinhas! Tão saborosas!
Diapositivo3

Diapositivo4

Ingredientes
1 ou 2 pacotes de sardinha congelada gorda (frescas por aqui é muito difícil de haver).

sal

batata branca

couves-de-bruxelas

azeite

2 dentes de alho

1 cebola

vinagre de vinho tinto

1 pitada de açafroa

1 pitada de colorau/pimentão doce

mistura de cinco pimentas

salsa

Modo de Preparação

1. Lavam-se as sardinhas em água abundante, e removem-se as escamas. Secam-se com papel de cozinha.

2. Temperam-se com sal grosso.

3. Levam-se a assar na brasa ou em grelhador elétrico.

4. Depois de assadas de ambos os lados, retiram-se da grelha e dispõem-se numa travessa.

5. Prepara-se o molho verde. Numa tigela, coloca-se a cebola, o alho  e a salsa picadinhos. Cobrem-se com uma porção de vinagre para três de azeite. Tempera-se com pimenta, açafroa e um pouco de colorau. Verte-se parte do molho por cima do peixe. O restante poderá ir à mesa para ser servido com as batatas cozidas.

6. Previamente cozem-se as batatas e as couves-de-bruxelas que servirão de acompanhamento.

Anúncios

Just a bowl of soup…

Deliciosa, cremosa, consistente, reconfortante e completa. Estes são os adjetivos que ilustram esta sopa de fava. Cada vez mais, opto por utilizar as leguminosas secas para, depois de pulverizadas, fazerem parte da base de algumas sopas. Evito, assim, o recurso aos enlatados e realço o sabor genuíno das leguminosas. A diferença é tão avassaladora como a que existe entre uma feijoada feita com feijão de lata e outra confecionada com feijão demolhado e cozido em casa. Os raminhos de funcho acrescentaram à sopa de fava um toque subtil e aromático. Recomendo, portanto.

Sopa de Fava e Funcho

Diapositivo1

Ingredientes

100 g de fava seca

200 g de fava bebé fresca ou congelada

1 batata doce

2 cenouras médias

1 couve coração pequena

meia cebola pequena

raminhos de funcho

2 litros de água

azeite q.b.

sal q.b.

Modo de Preparação na Bimby

1. Com o copo totalmente seco e limpo, pesa-se 1oo g de fava seca, sem casca, e pulveriza-se durante 1 minuto até a fava se transformar numa farinha. Reserva-se.

2. Sem lavar o copo, coloca-se meia cebola dentro e marca-se 5 Seg. Vel. 6. Rega-se a cebola com azeite e marca-se 100ºC, 5 minutos, Vel. 2.

3. Junta-se uma cenoura e a batata doce aos pedaços. Enche-se o copo com água até ao limite estipulado (capacidade total de 2 litros). Fecha-se a tampa e marca-se 10 minutos, 100 ºC, vel. 2.

4. Adiciona-se a fava pulverizada e tempera-se com sal. Marca-se Vel. 3 durante 1 minuto para misturar os ingredientes.

5. Fecha-se o copo sem a tampa de medida e encaixa-se a Varoma. No tabuleiro inferior da varoma colocam-se as favas frescas ou congeladas e polvilha-se com uns grãozinhos de sal. No tabuleiro superior dispõe-se a cenoura cortada aos quartos e muito finamente e por cima a couve-coração finamente cortada e uns raminhos de funcho. Marca-se 35 minutos, Vel,2; Varoma.

6. Assim que terminar o tempo, retira-se a varoma, coloca-se o copo medidor na tampa e procede-se à trituração da sopa, marcando progressivamente Vel. 5-6-7-8-9 durante o tempo necessário até se obter a consistência da base desejada.

7. Retiram-se as cascas às favas.

8. Junta-se à sopa os legumes e as favas cozidas a vapor. Verifica-se a consistência da sopa. Acrescentei nesta fase 500 ml de água fervida e mexi a sopa com uma colher. Esta sopa tende a engrossar devido ao facto da fava pulverizada absorver muito a água.

***

Com esta sugestão saudável desejo-vos um excelente fim de semana!

Nem só de pão…

Diapositivo1Diapositivo2

Apesar de nem só de pão viver o Homem, este alimento acompanha a evolução da humanidade há 6000 anos. O pão levedado foi inventado no Egito. Foi aí descoberto o segredo do pão: a fermentação. Reza a história que se uma massa (sem qualquer fermento adicionado) for deixada ao ar, ela irá levedar. Em função das condições de temperatura e humidade, o tempo necessário para a fermentação natural pode variar de entre 4 a 8 horas, mas a massa acabará por levedar. Se antes de cozer a massa se retirar uma porção da massa levedada, obtém-se o fermento para a próxima fornada. A esta forma de fermentação chama-se fermentação natural ou “massa velha”. O pão fermentado com massa velha fica com um sabor e aroma caraterísticos, às vezes com um ligeiro travo ácido ou avinagrado. Em Portugal, ainda se produz muito “pão de massa velha”. O “pão alentejano” e muitas “broas minhotas” são exemplos disso.  No entanto, a industrialização trouxe formas mais rápidas de produzir pão. O fermento de padeiro, que, na grande maioria, é utilizado para a fermentação do nosso pão, é um concentrado de leveduras (Saccharomyces cerevisiae). Como concentrado que é, torna a fermentação mais rápida e mais intensa.

Curiosidades/Dicas

1. O pão é muito simples de fazer. Podem utilizar-se as seguintes proporções básicas: 40% de peso em água; 58% de peso em farinha (este pode-se desdobrar em 75% de farinha de trigo+25% de farinha integral à escolha); 1% de peso em fermento de padeiro; e 1% de peso em sal. Amassa-se tudo e deixa-se levedar durante 2 a 3 horas num local ameno, coberta com um pano, e vai ao forno.

2. As condições ideais para fermentar a massa são 26 °C (24 a 27 °C) de temperatura e uma humidade relativa do ar entre 70 a 75%. Com ar mais seco, forma-se uma crosta sobre a massa fermentada prejudicando a fermentação e reduzindo a qualidade do pão.

3. A temperatura de referência para cozer pão é de 240 °C. No entanto, a temperatura deverá ser ajustada em função do tamanho dos pães a cozer. Pães grandes com temperaturas altas irão formar uma côdea espessa antes de cozer o interior. Uma temperatura mais baixa (200 °C) permite cozer mais uniformemente. Pães pequenos com temperaturas altas perdem toda a água e o pão fica seco como as “carcaças”.

texto adaptado

Broa de Milho

Diapositivo1

Ingredientes

300 g de farinha de milho amarela

200 g de farinha da trigo normal

1 pacote de fermento fermipan (11 g)

250 ml de água morna

50 ml de azeite

sal q.b.

Preparação na Bimby

1. Coloque no copo a água, o azeite, o sal e o fermento e marque 1 minuto, 37 ºC, Vel. 2.

2. Adicione a farinha de milho e envolva 1 minuto/Vel. 3.

3. Junte a farinha de trigo e programe 4 Minutos/ Vel. Espiga.

4. Retire a massa do copo e coloque-a numa tupperware grande com tampa para que levede durante 1 a 2 horas. Envolva com um cobertor.

5. Numa superfície enfarinhada, e sem manobrar muito a massa, molde a massa com o formato de broa. Polvilhe com farinha de trigo

6. Forre um tabuleiro com papel vegetal e coloque a massa no centro.

7. Leve a cozer, em forno pré-aquecido, a 200ºC  entre 50 a 60 minutos. O tempo de cozedura pode, no entanto, variar de acordo com o forno.

Dicas:

1. Para verificar se o pão está cozido, depois dos primeiros 45 minutos bata com os nós dos dedos na base do pão. Se soar a oco, está pronto.

2. Se achar que o pão está ainda com pouca cor, ligue a resistência superior do forno, mas vá vigiando a coloração. 

Preparação tradicional

1. Amorne a água e junte-lhe o fermento, mexendo com as mãos para o dissolver. Adicione o sal e o azeite.

2. Vá juntando as farinhas aos poucos e mexendo com as mãos até todos os ingredientes estarem bem ligados.

Prossiga com as etapas 4, 5,6 e 7 acima descritas.

Estão prontos para o lanchinho. Já fui buscar o salpicão para acompanhar.

Diapositivo2Diapositivo3

Éclairs e Profiteroles para um lanche de amigas

O dia de amigas é celebrado há muitos anos aqui nos Açores. É costume juntarem-se vários grupos de amigas para confraternizar. Curiosamente, este dia coincidiu com a passagem de uma tempestade aqui na região que obrigou ao encerramento das escolas e ao cancelamento de muitos jantares já calendarizados para esse dia. A força das circunstâncias levou-nos a adiar um jantar para esta semana. O lanche com outro grupo de amigas aconteceu sábado passado, já depois do turbulento dia de quinta-feira.

É tão bom ter amigas verdadeiras e poder ter momentos para celebrar essa amizade.

Para o lanche presenteei as minhas amigas com éclairs e profiteroles.
Diapositivo1

Entre bolos, bolinhos, salgados e bolachinhas, nós divertimo-nos muito e até já começámos a delinear os planos da viagem que pretendemos fazer em conjunto. Já temos destino; só nos falta um mealheiro mais recheado.

Diapositivo1

Ingredientes para a massa choux

160 g de farinha
250 ml de água
100 g de manteiga (usei com sal
1 colher de chá de sal
1 colher de sopa de açúcar (1 pitada na receita original)
4 ovos médios

Preparação na Bimby

( receita do livro Bimby, As Receitas Essenciais, página 60)

1. Pese a farinha e reserve.
2. No copo, coloque a água, a manteiga, o sal, o açúcar e programe 5 minutos/100 graus/Vel. 1
3. Junte a farinha de uma só vez e programe 15 segundos/Vel.4. Retire o copo da base e deixe a massa arrefecer 20 minutos.
4. Bata os ovos à parte e com a Bimby em funcionamento na Vel. 4. adicione-os através do bocal da tampa até todos os ingredientes se mostrarem bem ligados.
5.Coloque a massa dentro de um saco de pasteleiro e deixe repousar durante 30 minutos.
6. Pré-aqueça o forno a 180 graus. Num tabuleiro forrado com papel vegetal desenhe os profiteroles e os éclairs com a ajuda do saco de pasteleiro, separando-os uns dos outros.
7. Reduza a temperatura para 160 graus e leve ao forno cerca de 30 a 40 minutos ou até que fiquem dourados.

Notas:
1. Deixe os éclairs e os profiteroles arrefecerem dentro do forno com a porta entre-aberta.
2. Se não tiver um saco de pasteleiro, utilize um saco de congelação de alimentos e corte a ponta com uma tesoura.

Ingredientes e preparação do recheio
500 ml de natas
1 colher de café de aroma de baunilha
açúcar q.b (de preferência confeiteiro)

Batem-se as natas até ficarem com boa consistência, adiciona-se o açúcar e o aroma de baunilha e bate-se tudo mais um pouco.
Colocam-se as natas num saco de pasteleiro e recheiam-se os éclairs e os profiteroles.

Ingredientes e preparação do topping de chocolate
1 tablete de chocolate negro
2 ou 3 colheres de chá bem cheias do recheio anterior

Derrete-se, em banho-maria, o chocolate e adiciona-se as colheres de nata batida com açúcar mexendo vigorosamente até o chocolate se mostrar uniforme e lustroso.
Barram-se os éclairs com parte do chocolate. Com o restante, riscam-se os profiteroles.

&&&

Se em vez destes docinhos preferirem uns queques de banana com coração de chocolate, poderão encontrar a receita aqui.

Diapositivo1

Costela-de-adão em dia de São Valentim

Diapositivo1Diapositivo2Diapositivo3

Diapositivo5

costela-de-adão é uma planta da família das aráceas que tem folhas grandes, cordiformes e perfuradas.  É uma planta essencialmente ornamental com folhas cujo design  lembra costelas humanas, como se representasse a forma dos ossos da nossa caixa torácica e no  seu conjunto  o formato de um coração. Apesar das suas folhas e  caule segregarem um látex que é tóxico e que pode trazer náuseas, vómitos e cólicas, o seu fruto é comestível e bastante saboroso, fazendo lembrar o ananás.

Neste dia dos namorados trouxe-vos uma sobremesa em jeito de pecado original.  Provém do fruto da costela-de-adão e chama-se figo-do-mato. Existe conceito mais selvagem para celebrar este dia? Acho que não. Neste post preponderá o verde em vez do vermelho e os corações só mesmo os provenientes do formato da folha da costela-de-adão. Temos de reinventar o Dia de São Valentim, não acham?

Apanha-se o fruto quando este estiver cilindricamente robusto ( isto está a correr bem; interpretem como quiserem), deixa-se amadurecer ao abrigo da luz e quando começar a descascar, ou seja, a largar a cobertura de peças verdes hexagonais que o cobre está pronto a ser saboreado. Utiliza-se um garfo para retirar a polpa do fruto. Tem a consistência do ananás maduro e sabor algo idêntico.

Diapositivo4
Diapositivo6
Diapositivo7
Diapositivo8

Legumes assados com funcho e tomilho

Diapositivo2

A alimentação quer-se saudável. E se existem dias para alcatras e sobremesas, outros devem ser dedicados aos legumes, às saladas e às frutas. Estes legumes assados serviram de acompanhamento a peixe grelhado. Com tanta cor e riqueza de sabor, não houve necessidade de incluir hidratos de carbono na refeição. As batatas e o arroz  ficarão assim guardados para próximas receitas. Comer de tudo, mas com equilíbrio nas doses é o meu primeiro lema. O segundo pressuposto é confecionar e distribuir.

Comprei estas couves roxas na feira que costumamos visitar ao domingo e, ao chegar a casa, imaginei-as, de seguida num assado com outros legumes, igualmente cheios de cor. Aromatizei o assado com rama de funcho e tomilho frescos e deixei que o forno fizesse o resto.

Diapositivo5

Diapositivo4

Diapositivo2

Ingredientes para uma assadeira grande

2 couves-flor roxa
3 cenouras
2 cebola roxa
2 courgette médias
3 dentes de alho
10 cubinhos de abóbora
2 tomates
azeite aromatizado com orégãos
funcho em rama
tomilho fresco
sal
pimenta branca

Diapositivo5

Modo de Preparação

1. Descasquei as cenouras e as cebolas. Cortei as cenouras às tiras com a largura de um dedo e a cebola aos quartos.
2. Lavei as curgetes e cortei-as às rodelas.
3. Lavei os tomates e cortei-os aos quartos.
4. Lavei a couve-roxa e preparei-a em raminhos.
5. Numa assadeira, coloquei todos os legumes, os alhos esmagados com casca, e reguei-os com azeite aromatizado. Temperei com sal e pimenta. Dispus raminhos de funcho e de tomilho. Envolvi tudo com as mãos.
6. Cobri a assadeira com folha de alumínio e levei ao forno até os legumes estarem assados. Um pouco antes de estarem cozinhados, retirei-lhes a folha de alumínio e deixei alourar levemente.
Diapositivo3

Diapositivo1

E quando é de amor que se trata…

O dia dos namorados é uma data comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais. Neste dia, é comum a troca de cartões com mensagens românticas e de presentes, tais como as tradicionais caixas de bombons e as rosas vermelhas. É o que está instituído, como a lista de Dias Nacionais, Mundiais  e Internacionais que resolvi incluir abaixo. No entanto, apesar de compreender que a maioria dos dias estabelecidos são sensibilizações para causas humanas, doenças, tradições profanas e religiosas., lamento terem de existir estes dias para que as pessoas, alertadas pelos meios de comunicação social, sejam mais solidárias e atentas ao que as rodeia. Nestes dias, o amor também se encontra contemplado e são várias as iniciativas que nos fazem lembrar estereótipos do amor, quase todos associados ao consumismo. Distanciando-se desta intenção comercial, a 5ª Edição da Bundtmania, dinamizada pelo blogue As Aventuras de uma mamã, pretendeu celebrar o amor de forma doce e, de preferência, reunindo todos à mesa.  Cozinhar “é um modo de amar os outros”, como afirma Mia Couto. Assim, resolvi mimar os que me são mais próximos com este bolo que se destaca pelos sabores do melaço e da canela.

Bundt Cake de Melaço e Canela

Diapositivo1Diapositivo2Diapositivo3

Ingredientes

250 g de açúcar amarelo

3 ovos

100 g de manteiga

300 g de farinha

1 colher de chá de fermento

1 colher de chá de canela

2 colheres de sopa de melaço

1 colher de sopa de caramelo líquido

2 cálices de vinho moscatel

1 pitada de sal

Modo de Preparação

1. Bater as claras em castelo com uma pitada de sal. Reservar.

2. Numa tigela, bater as gemas, com a manteiga e com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada.

3. Adicionar o melaço, a canela e o caramelo. Bater.

4. Juntar o vinho moscatel. Bater.

5. Ir adicionando a farinha peneirada e o fermento. Bater.

6. Envolver as claras no preparado com uma colher de pau.

7. Untar uma forma de bundt com manteiga e enfarinhar de seguida.

8. Verter a massa para a forma e colocar no forno, pré-aquecido durante 20 minutos a 180 ºC, entre 30 a 40 minutos.

Ingredientes para a cobertura glacê

220 g de açúcar em pó

1 clara de ovo

1 colher de café de sumo de limão

Modo de Preparação da Cobertura

Numa tigela, misturar muito bem com uma colher de pau os ingredientes até ficarem ligados. Barrar de imediato o bolo.

Depois de barrar o bolo com a glace branca, risquei-o com fios de melaço. O contraste do açúcar com o sabor do melaço combinou na perfeição com o interior do bolo.

***

E como é condição essencial deste passatempo a partilha de uma mensagem de amor, escolhi este pensamento profundo de Augustina Bessa-Luís:

“Que é amar senão inventar-se a gente noutros gostos e vontades? Perder o sentimento de existir e ser com delícia a condição de outro, com seus erros que nos convencem mais do que a perfeição?”

***     ***    ***    ***    ***   ***

1 de Janeiro – Dia de Ano Novo e Dia Mundial da Paz.

4 de Janeiro – Dia Mundial do Braille.

6 de Janeiro – Dia dos Reis Magos.

23 de Janeiro – Dia Mundial da Liberdade.

27 de Janeiro – Dia do Holocausto/

Último domingo de janeiro – Dia Mundial dos Leprosos

2 de Fevereiro – Dia Mundial das Zonas Húmidas.

11 de Fevereiro – Dia Mundial do Doente.

14 de Fevereiro – Dia dos Namorados.

21 de Fevereiro – Dia Internacional da Língua Materna.

22 de Fevereiro – Dia Europeu da Vítima.

8 de Março – Dia Internacional da Mulher.

11 de Março – Dia Europeu Pelas Vitimas do Terrorismo. .

15 de Março – Dia Mundial dos Direitos do Consumidor.

19 de Março – Dia do Pai.

21 de Março – Dia Mundial da Floresta (dia da árvore).

21 de Março – Dia Mundial do Sono.

21 de Março – Dia Internacional da Eliminação da Discriminação Racial.

21 de Março – Dia Mundial da Poesia.

22 de Março – Dia Mundial da Água. .

23 de Março – Dia Mundial da Meteorologia.

24 de Março – Dia do Estudante.

24 de Março – Dia Mundial da Tuberculose.

26 de Março – Dia do Livro Português.

27 de Março – Dia Mundial do Teatro

27 de Março – Dia Nacional do Dador de Sangue.

28 de Março – Dia Mundial da Juventude.

28 de Março – Dia Nacional dos Centros Históricos.

1 de Abril – Dia dos Enganos.

2 de Abril – Dia Internacional do Livro infantil.

7 de Abril – Dia Mundial da Saúde.

8 de Abril – Dia Mundial da Luta Contra o Cancro.

8 de Abril – Dia Mundial da Astronomia.

12 de Abril – Dia do Cosmonauta.

13 de Abril – Dia Mundial da Imprensa.

13 de Abril – Dia Mundial do Beijo.

14 de Abril – Dia Internacional do Café.

17 de Abril – Dia Internacional da Luta Camponesa.

18 de Abril – Dia Mundial do Radio Amador.

22 de Abril – Dia Mundial da Terra.

23 de Abril – Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor.

23 de Abril – Dia Mundial do Escuteiro.

23 de Abril – Dia Nacional da Educação de Surdos.

25 de Abril – Dia da Liberdade.

26 de Abril – Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

28 de Abril – Dia Mundial da Prevenção e Segurança no Trabalho.

29 de Abril – Dia Mundial da Dança.

1º Domingo de Maio – Dia da Mãe.

1 de Maio – Dia do Trabalhador –

3 de Maio – Dia Internacional da Liberdade de Imprensa.

3 de Maio – Dia Internacional do Sol.

4 de Maio – Dia Internacional do Bombeiro.

5 de Maio – Dia Mundial do Trânsito.

6 de Maio – Dia Mundial de Oração pelas Vocações.

8 de Maio – Dia Nacional da Segurança Social.

9 de Maio – Dia da Europa.

10 de Maio – Dia Mundial do Doente de Lúpus.

12 de Maio – Dia Mundial do Enfermeiro.

13 de Maio – Dia Europeu do Melanoma.

15 de Maio – Dia Internacional da Família

15 de Maio – Dia Internacional da Latinidade.

17 de Maio – Dia Mundial das Telecomunicações.

18 de Maio – Dia Internacional dos Museus.

20 de Maio – Dia da Marinha.

21 de Maio – Dia Mundial para o Desenvolvimento Cultural.

22 de Maio – Dia do Autor Português.

22 de Maio – Dia Mundial para a Diversidade Biológica.

24 de Maio – Dia Europeu dos Parques Naturais.

25 de Maio – Dia da África.

27 de Maio – Dia Europeu do Vizinho.

29 de Maio – Dia Mundial da Energia.

29 de Maio – Dia Internacional das Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas.

31 de Maio – Dia do Pescador.

31 de Maio – Dia Mundial Sem Fumo.

1 de Junho – Dia Mundial da Criança.

2 de Junho – Dia da União Europeia.

4 de Junho – Dia Internacional das Crianças vítimas inocentes de agressão.

5 de Junho – Dia Mundial do Ambiente.

8 de Junho – Dia Mundial dos Oceanos.

10 de Junho – Dia de Portugal

13 de Junho – Festa de Santo António.

16 de Junho – Dia da Criança Africana.

17 de Junho – Dia Mundial de Luta contra a Desertificação e a Seca.

20 de Junho – Dia Mundial dos Refugiados.

21 de Junho – Dia Europeu da Musica.

23 de Junho – Dia Olímpico.

24 de Junho – Festa de São João Baptista.

24 de Junho – Dia Nacional dos Ciganos.

26 de Junho – Dia Mundial de Luta Contra a Droga.

26 de Junho – Dia Internacional das Nações Unidas de Apoio às Vítimas de Tortura.

29 de Junho – Festa de São Pedro e São Paulo.

Primeiro Sábado de Julho –Dia Internacional das Cooperativas.

Primeiro Domingo de Julho – Dia Mundial do Salvamento.

1 de Julho – Dia da Biblioteca.

1 de Julho – Dia da Força Aérea.

2 de Julho – Dia da Polícia de Segurança Pública.

11 de Julho – Dia Mundial da População.

12 de Julho – Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

26 de Julho – Dia Mundial dos Avós.

28 de Julho – Dia Nacional da Conservação da Natureza.

9 de Agosto – Dia Internacional as Populações Indígenas.

12 de Agosto – Dia Internacional da Juventude.

15 de Agosto – Assunção de Maria

19 de Agosto – Dia Mundial da Fotografia.

28 de Agosto – Dia Mundial do Software.

31 de Agosto – Dia Internacional da Solidariedade.

3 de Setembro – Dia da Herança Europeia do Concelho da Europa.

8 de Setembro – Dia Mundial da Alfabetização.

Dia da Solidariedade das Cidades Património Mundial
.

16 de Setembro – Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozono.

21 de Setembro – Dia Mundial da Doença de Alzheimer.

22 de Setembro – Dia Europeu sem carros.

26 de Setembro – Dia Europeu das Línguas.

27 de Setembro – Dia Mundial do Turismo.

28 de Setembro – Dia Mundial do Coração.

Última semana de Setembro – Dia Mundial do Mar.

Primeira segunda feira de Outubro – Dia Mundial da Arquitectura.

Primeira segunda feira de Outubro – Dia Mundial do Habitat.

Segunda quarta feira de Outubro – Dia Internacional da Prevenção das Catástrofes Naturais.

1 de Outubro – Dia Mundial dos Idosos.

3 de Outubro – Dia da Infância.

4 de Outubro – Dia Mundial dos Animais.

5 de Outubro – Implantação da República/ Dia Mundial do Professor.

7 de Outubro – Dia Nacional dos Castelos.

9 de Outubro – Dia Mundial dos Correios.

10 de Outubro – Dia Mundial da Saúde Mental.

11 de Outubro – Dia Mundial Contra a Dor.

15 de Outubro – Dia da Bengala Branca.

16 de Outubro – Dia Mundial da Alimentação.

17 de Outubro Dia Mundial Contra a Pobreza e a Exclusão Social.

24 de Outubro – Dia das Nações Unidas.

24 de Outubro – Dia Mundial da Informação sobre o Desenvolvimento.

25 de Outubro – Dia Europeu da Justiça Civil.

31 de Outubro – Dia Mundial da Poupança.

1 de Novembro – Dia de Todos os Santos.

2 de Novembro – Dia de Finados.

6 de Novembro – Dia Internacional para Prevenção da Exploração do Meio Ambiente na Guerra e em Conflitos Armados.

9 de Novembro – Dia Internacional contra o Fascismo e o Anti-Semitismo. Este dia comemorativo foi instituído pelo Parlamento Europeu, no ãmbito da luta contra o racismo e a xenofobia na União Europeia.

10 de Novembro – Dia Mundial da Ciência ao Serviço da Paz e do Desenvolvimento.

11 de Novembro – Dia de São Martinho.

14 de Novembro – Dia Mundial dos Diabetes.

16 de Novembro – Dia Internacional da Tolerância.

17 de Novembro – Dia Mundial do Não Fumador.

20 de Novembro – Dia dos Direitos Internacionais das Crianças.

20 de Novembro – Dia da Industrialização de África.

Terceira Quinta-feira de Novembro – Dia Mundial da Filosofia

21 de Novembro – Dia Mundial da Televisão.

21 de Novembro – Dia Mundial da Saudação.

25 de Novembro – Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher.

29 de Novembro – Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano.

1 de Dezembro – Restauração da Independência.

1 de Dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Sida.

2 de Dezembro – Dia Internacional para a Abolição da Escravatura.

3 de Dezembro – Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

5 de Dezembro – Dia Internacional dos Voluntários para o Desenvolvimento Económico e Social.

7 de Dezembro – Dia Internacional da Aviação Civil.

7 de Dezembro – Dia de Timor-Leste.

8 de Dezembro – Imaculada Conceição.

10 de Dezembro – Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

11 de Dezembro – Dia Internacional das Montanhas.

18 de Dezembro – Dia Internacional dos Migrantes.

25 de Dezembro – Dia de Natal.

fonte