Uma entrada em 2014

Decidi entrar em 2014 com uma sugestão mais salgada como contraposição ao desfile de sobremesas dos últimos posts. Da mesa da passagem de ano constam este ano apenas e somente petiscos. Foi esta a regra estabelecida entre os convivas. Coisas salgadas. Mas em segredo fiz uma doçura: uma mousse de chocolate com vinho do porto, que aparecerá apenas na hora certa e à qual, penso, ninguém vai torcer o nariz.

Este paté de ricotta e tomilho dará o mote acompanhado de tostas e de Lambrusco.

paté de ricotta com atum, picles e azeironas verdes

paté de ricotta com atum, picles e azeironas verdes

Ingredientes

1 embalagem de ricotta
1 lata de atum
20 azeitonas verdes recheadas
2 pedacinhos de couve-flor em curtume
4 rodelas de pepino em curtume
meia cebola pequena
um raminho de tomilho fresco
sal de mesa

Modo de Preparação

1. Mistura-se o queijo com o atum escorrido.
2. Adiciona-se as azeitonas, a cebola, a couve-flor e o pepino cortados aos pedacinhos.
3. Tempera-se com sal de mesa.
4. Juntam-se umas folhas de tomilho, reservando um raminho para decorar.

paté de ricotta com atum, picles e azeironas verdes

paté de ricotta com atum, picles e azeironas verdes

Votos de um ano novo pleno de felicidade!

Patrícia

Anúncios

Pavlova de ananás e romã para a mesa da passagem de ano

Desde que fiz a minha primeira pavlova, considero-me uma pessoa verdadeiramente apreciadora desta sobremesa. O leve crocante da camada exterior de suspiro conjugado com o seu interior espumoso com sabor a marshmellow contrasta muito bem com a cobertura de natas, levemente adocicadas, e com o topping ácido do ananás e fresco da romã.

Deixo-vos então aqui esta sugestão de sobremesa para a mesa da passagem de ano.
pavlova de ananás e romã_foodwithameaning

pavlova de ananás e romã_foodwithame

Ingredientes para o merengue

6 claras

350 g de açúcar confeiteiro

1 pitada de sal

1 colher de sopa de amido de milho

1 colher de sopa de vinagre de vinho branco

papel vegetal

Ingredientes para o creme

200 ml de natas

4 colheres de açúcar confeiteiro

1 colher de chá de extrato de baunilha

Ingredientes para a cobertura

3 rodelas de ananás

bagos de 1 romã grande

Modo de Preparação

1. Bater as claras com uma pitada de sal durante um minuto.

2. Adicionar o açúcar e continuar a bater com a batedeira até engrossar.

3. Juntar o amido de milho e o vinagre. Bater novamente durante mais um minuto.

4. Colocar papel vegetal num tabuleiro. Verter para o centro do tabuleiro o merengue e alisar de modo a não ficar um alto no meio.

5. Pré-aquecer o forno a 150ºC e levar ao forno durante 10 minutos a 130ºC e depois mais 65 minutos a 100ºC. Nunca abrir o forno durante este tempo.

6. Deixar que a pavlova arrefeça dentro do forno.

7. Bater as natas, que deverão estar frescas, até estarem aguentadas. Adicionar as 4 colheres de sopa de açúcar confeiteiro e a essência de baunilha e continuar a bater até o creme estar homogéneo.

8. Com ou sem recurso a um saco de pasteleiro, colocar as natas em cima da pavlova,  já fria, e decorar com o ananás picado e com os bagos de romã.

9. Levar a pavlova ao frigorífico até à hora de servir.
pavlova de ananás e romã_foodwithame

O ananás e a romã combinaram na perfeição com o suspiro e com as natas, equilibrando o doce. A repetir, sem dúvida.

Bolo de Mel com Frutos secos e Especiarias

Da mesa de Natal fez parte este ano o bolo de mel com frutos secos. É a alternativa para quem não aprecia o tradicional bolo inglês, com frutas cristalizadas. Faço-o a pensar nos amigos que nos visitam por esta altura do ano que não são fãs da doçura um pouco exagerada do bolo de natal. Costumo fazer para este bolo uma cobertura de caramelo com nozes, mas, desta vez, optei por um coberto de creme de ovos e amêndoa torrada. Uma delícia, posso garantir-vos.

Bolo de frutos secos e especiarias_foodwithameaning

Bolo de frutos secos e especiarias_foodwithameaning

Ingredientes para o bolo

4 ovos

200 g de açúcar

180 g de manteiga

100 ml de mel

300 g de farinha

2 colheres de chá de fermento

1 colher de café de bicarbonato

2 cálices de Moscatel

6 colheres de sopa de caramelo líquido

frutos secos ( uma mão de nozes, outra de amêndoas, outra de pistácios)

canela, noz-moscada, gengibre e cravinho (a gosto)

Modo de Preparação

1. Bate-se a manteiga com o açúcar e as gemas até fazer creme.

2. Junta-se o caramelo, o vinho moscatel, o mel, a farinha, aos poucos, o fermento e o bicarbonato. Bate-se muito bem.

3. Por fim, adicionam-se os frutos secos e envolvem-se as claras em castelo.

4. Unta-se uma forma redonda sem buraco. Utilizei uma com fundo amovível. Forra-se o fundo com papel vegetal. Unta-se o papel e enfarinha-se todo o interior.

5. O bolo coze em cerca de 45 minutos,  a uma temperatura de 180 graus (com utilização de ambas as resistências e o sistema de ventilação do forno).

Ingredientes para a cobertura (creme de ovos)

3 ovos

6 colheres de açúcar

amêndoa laminada tostada

Modo de Preparação

Num tacho pequeno, mistura-se os ovos inteiros com o açúcar e mexe-se sempre até ferver e engrossar.

Junta-se a amêndoa tostada e envolve-se. Cobre-se o bolo de imediato.

Obs. Deve deixar-se arrefecer o bolo antes de ser colocada a cobertura.

Obs. Este creme de ovos é delicioso para rechear bolos. Utilizem-no simples ou com amêndoa triturada.

Continuação de Festas Felizes!
Bolo de frutos secos e especiarias_foodwithameaning

O nosso Tronco de Natal

Este ano, a prata dava o mote à festa. O tronco de Natal, uma das iguarias escolhidas, embelezava a mesa com pérolas prateadas e um raminho repleto de brilhantes. Os marcadores dos pratos e os anéis dos guardanapos emitiam uma luz metálica quente que se refletia na loiça branca e se prolongava nos copos de cristal. Os apontamentos trazidos pelas velas ampliavam a atmosfera de louvor ao Menino, placidamente deitado na sua alcofa, acolchoada de cetim azul claro, que ocupava o centro da mesa.

tronco de natal_foodwithameaningtronco de natal_foodwithameaning

tronco de natal_foodwithameaning

Ingredientes

Para a torta

200 g de amêndoa com casca
6 ovos
100gr de açúcar em pó
100gr de manteiga
100gr de farinha
1 colher de café de fermento

Para o recheio (creme de café)

150 g de açúcar em pó
150 g de manteiga (ligeiramente amolecida)
3/4 de chávena de chá com café expresso

Para a cobertura

1 tablete de chocolate negro

1 colher de sopa de manteiga

1 cálice de moscatel

Modo de Preparação

1.  Untar um tabuleiro com manteiga e forrar com papel vegetal. Utilizei o tabuleiro do forno.

2. Colocar as amêndoas na picadora e triturá-las o mais possível.

3. Numa tigela, bater o açúcar com a manteiga, que deve estar à temperatura ambiente, até obter um creme esbranquiçado.

4. Adicionar as gemas e bater muito bem.

5. Juntar a amêndoa triturada (quase em farinha).

6. Bater as claras em castelo.

7. Aos poucos vá adicionando a farinha (previamente misturada com o fermento) e envolva as claras cuidadosamente, sem bater.

8. Verta o preparado no tabuleiro e leve ao forno pré aquecido a 180ºC, aproximadamente 20 minutos. Usei ambas as resistências do forno conjuntamente com a ventilação.

9. Desenformar a torta sobre um pano polvilhado com açúcar ou utilizar o próprio papel vegetal da cozedura para enrolar a torta (achei mais facilitador)

Obs. Quando queremos rechear uma torta, convém deixá-la arrefecer antes de colocar o recheio, para evitar que este derreta.

Obs. Após 15 minutos de cozedura, convém espreitar a torta e fazer o teste do palito no centro. Se a torta ficar demasiado cozida poderá tornar-se quebradiça, o que é de evitar.

 10. Barrar a torta com o creme de café. Para se obter este creme,  bater o açúcar com a manteiga  até ficar homogéneo. Ir acrescentando o café para facilitar a consistência. Se preferir pode adicionar mais açúcar em pó. Bater bem até obter um creme pronto a barrar.

11. Para a cobertura, partir o chocolate negro em pedaços e derreter em banho-maria com a manteiga. Se preferir utilizar o micro-ondas, derreta o chocolate marcando um período inicial de 30 segundos, mexa com uma colher e volte mais uns segundos. Convém ir observando o evoluir pelo vidro do micro-ondas. O chocolate nunca deve ferver ou fica inutilizado.

12. Barrar a torta com a ganache de chocolate e com as costas da colher fazer movimentos com o chocolate por forma a imitar os sulcos da casca  de um tronco de árvore. Poderá também fazer os sulcos com um garfo em todo o comprimento do tronco.

13. Decorar a gosto com montinhos de côco e cerejas em calda ou com símbolos do natal. Eu optei por decorar com missangas e com um raminho prateado.

tronco de natal_foodwithameaningtronco de natal_foodwithameaning

Bolo Rainha e um adeus

Este Natal,  o Bolo Rainha foi o eleito. O Bolo Rei ficará para o Dia de Reis. Depois de confecionar o Bolo de Frutas, tradicional desta época, resolvi compor a mesa com um bolo que não contemplasse frutas cristalizadas. O Bolo Rainha. Em todos os Natais estão, também, presentes o bolo invertido de ananás e cerejas, o bolo de figo e o bolo de caramelo com cobertura de nozes. Parece um pouco exagerado este desfile de bolos, mas entre a família combinamos para que não se repitam nas mesmas casas. Conseguimos, assim, deliciarmo-nos com uma (ou duas) fatias dos diferentes bolos quando nos visitamos nesta quadra.

Que as vossas Festas sejam Felizes!

A cozinha vai estar em agitação nesta quadra, por isso, durante alguns dias, o blogue fará uma pausa. Deixo-vos, então,  com um Adeus!

Bolo Rainha

O Bolo Rainha antes de ir para o forno:

Bolo Rainha

Ingredientes para um bolo grande ou dois  pequenos

250 g de leite
120 g de manteiga
180 g de açúcar
1 saqueta de fermento seco (11 g)
3 ovos
700 g de farinha
raspa de limão ou de laranja
1 colher (de chá) de sal
1 colher de café rasa de noz-moscada
1 colher de café rasa de canela
1 colher de café de essência de baunilha
1 punhado de nozes picadas
1 punhado de pistácios
1 punhado de amêndoas laminadas
sultanas a gosto embebidas num cálice de vinho do Porto e aquecidas
1 gema de ovo para pincelar
açúcar em pó para decorar
frutos secos para decorar

Bolo Rainha

Preparação na Bimby

1. Colocar no copo o leite, a margarina, o açúcar e programar 2 minutos/ 37 graus / velocidade 2.
2. Juntar o fermento, os ovos e programar 10 segundos/ velocidade 6.

3. De seguida, adicionar a farinha, o sal, as especiarias, a raspa de laranja ou de limão e programar 2 minutos/ velocidade espiga.

4. Adicionar os frutos secos e as sultanas e programar 2 minutos/velocidade espiga.

5. Deixar levedar durante 20 minutos, num local morno.

6. Colocar farinha na bancada, fazer um rolo com a massa, dando a forma de coroa.

7. Pincelar com gema de ovo, fazer montinhos com o açúcar em pó e decorar com frutos secos.

8. Colocar uma forma metálica no meio da coroa, para evitar que a massa se une.

9. Levar ao forno pré-aquecido a 50 graus até que dobre de volume. Em seguida, aumentar a temperatura para 180 graus cerca de 25 minutos.

Bolo Rainha

Caramelos de Chocolate na mesa de Natal

caramelos de chocolate

caramelos de chocolate

Ingredientes

1 quilo de açúcar

1/2 litro de leite

125 g de manteiga

4 colheres de sopa de cacau

manteiga para untar o tabuleiro

 

Modo de Preparação

1. Num tacho largo e alto coloca-se o leite e o açúcar. É importante que o açúcar seja dissolvido ao máximo para que o caramelo não fique com o açúcar granulado na sua textura.

2. Liga-se o lume e adiciona-se a manteiga amolecida e as colheres de cacau. Mexe-se muito bem até todos os ingredientes estarem bem dissolvidos.

3. Continua-se a mexer até fazer ponto estrada.

4. Unta-se um tabuleiro com manteiga e verte-se o conteúdo do tacho para o tabuleiro. É importante ter atenção ao tamanho do tabuleiro para que os caramelos fiquem com a altura desejada, evitando ficar muito altos ou muito baixinhos. Deixa-se arrefecer.

5. Cerca de meia hora depois, tenta-se cortar os caramelos. Estão prontos a cortar quando se mete a faca e não esfarela o caramelo. Devem-se cortar evitando levantar a faca, ou seja, cortar a direito, levantando apenas a faca no fim de cada linha de corte.

Nota muito importante: nunca fazer esta receita com vento Leste, pois, já dizia a minha bisavó, “com vento leste nunca fica nada que preste”.

Diapositivo2

Rosas do Egito na Mesa do Natal

Ao folhear o caderno de receitas da minha mãe, fui encontrar a receita de Rosas do Egito. Quis logo por em prática esta sobremesa de massa frita tão crocante. Estas filhós de forma costumam-se fazer cá nos Açores por altura do carnaval, mas o que é certo é que não quis esperar por essa altura. Muito determinada, pedi,  à mãezinha, emprestados os ferros com os moldes e decidi que haveria Rosas do Egito na mesa deste Natal. Com algum receio de algo correr menos bem, já que esta receita encerra alguns truques, quis testá-la uns dias antes da ceia de Natal. A primeira tentativa foi uma desilusão total. Nada estava a correr bem. Pensava eu que era devido ao facto de a massa ser demasiado líquida. Descobri, à segunda tentativa, tudo no mesmo dia,  depois de passar alguns minutos a desencrostar a massa que tinha ficado pegada aos ferros enquanto barafustava para comigo própria, que alguns requisitos não estavam a ser seguidos. Não podia desistir. Estive quase. E o marido é testemunha. Mas como gosto de receitas que “dão luta”, comecei tudo do zero. Afinal o óleo não estava a 190º C nem eu tinha pré-aquecido os ferros da primeira vez, truques que a minha mãe fazia por intuição mas que estavam omitidos na receita. Como inicialmente pensava que o problema estava na consistência da massa acrescentei mais duas colheres de sopa de farinha. Desnecessário. Acabei por terminá-las com sucesso, mas não totalmente satisfeita com o produto final. Não desisti. Dois dias depois, voltava a fazê-las, desta vez destinadas à mesa do almoço de natal de professores e funcionários da escola onde trabalho. Ficaram no ponto. Douradinhas, crocantes e ligeiramente adocicadas pelo açúcar e aromatizadas pela canela.

Rosas do Egito

Rosas do Egito

Ingredientes para  25 Rosas

1 ovo

1 colher de chá de açúcar

1/2 colher de chá de extrato de baunilha

1/2 chávena  de leite (120ml)

1/2 chávena  de farinha de trigo

1 pitada de sal

óleo para fritar

açúcar e canela para polvilhar

 Modo de Preparação

1. Numa tigela de vidro triturei com a varinha mágica os primeiros seis ingredientes. A massa fica com a consistência de massa de crepe, bem líquida. Tapei a tigela com película aderente e e coloquei no frigorífico cerca de duas horas para obter um resultado mais crocante.

2. Aqueci o óleo num tacho pequeno e fundo. É importante usar uma quantidade de óleo suficiente para que o molde fique totalmente imerso, sem que a massa toque no fundo do tacho.

3. A temperatura do óleo deverá ser de aproximadamente 190°C.

4. Pré-aqueci o molde imerso no óleo.

5. Escorri o excesso de óleo do molde e encostei-o em papel de cozinha.

6. Mergulhei o molde na massa apenas até a borda superior. Nunca deverá  ultrapassar a parte superior porque se isso acontecer será praticamente impossível retirar a rosa do molde sem a desmanchar.

7. Fritei cada rosa durante 30 segundos.

8. Retirei o molde do óleo e deixei escorrer um pouco. Com a ajuda de um garfo, descolei a rosa do molde e coloquei-a a escorrer em papel de cozinha, de ambos os lados.

9. No fim da fritura de todas as rosas, coloquei num prato de sopa açúcar e canela e passei cada rosa pela mistura. Dispus as rosas numa travessa. Servi.

Rosas do EgitoRosas do Egito