Spooky Spider for this Halloween season

spiders

Para quem gosta de celebrar o Halloween, recebendo nessa noite os amigos em casa , deixo-vos uma sugestão de entrada bem assustadora. Ao serão, poderão presentear as crianças que vos baterem à porta  com este salgadinho “Treat or Trick”. Se apagarem as luzes e colocarem as aranhas numa bandeja com umas velinhas iluminadas verão o quão horripilantes irão parecer.

spider

Ingredientes

ovos cozidos

maionese

azeitonas pretas descaroçadas

spiders

Modo de Preparação

1. Cozem-se os ovos. Descascam-se e deixam-se arrefecer antes de serem cortados ao meio.

2. Escorrem-se as azeitonas e secam-se em papel de cozinha.

3. Dispõem-se os ovos num tabuleiro com a gema virada para cima.

4. Coloca-se uma colherzinha de café de maionese no centro do ovo.

5. Corta-se a azeitona para fazer o corpo da aranha e com metade da azeitona vão-se cortando as pernas de maneira a que a parte que ficar junto à aranha seja mais quadradinha e o outro extremo seja em ponta bicuda para simbolizar as unhas.

6. Dispõem-se as pernas (quatro de cada lado) junto ao corpo da aranha, “colando-as” na maionese.

spiders

Sopa à lavrador num sábado chuvoso

É sábado. O dia amanheceu chuvoso, cinzento e frio. Um típico dia de outono. A casa permanece silenciosa. Ainda dorme. É cedo. Ligo a máquina do café e sento-me na cozinha a apreciar um chapéu de nuvens que cobre o Monte Brasil lá ao longe. Hoje não se vê o mar. Diluiu-se com o céu. Ao contrário das outras manhãs, os pássaros estão ainda recolhidos nos seus ninhos. Ouço uma máquina de ordenha. Pela primeira vez gostei do som destilado pelo vento. Ruído nos outros dias. Já com o café a fumegar na chávena, observo a relva que cresce como se fosse adubada todos os dias. Penso no passeio que fiz há dois sábados atrás à Grota do Medo, onde pude assistir a vestígios rochosos de um passado surpreendente, ainda por etiquetar. Observo o nosso castanheiro e verifico que pelo segundo ano consecutivo nos presenteia com castanhas. Ainda poucas. É pequenino. As tangerineiras e as goiabeiras estão viçosas. As laranjeiras da Baía também. A abacateira está cheia de folhas, mas precisa de ser enxertada. A fatia de pão salta da torradeira. Distrai-me. Volto. E começo já a fazer planos para o almoço. Hoje somos só os dois. Apetece-me sopa.

sopa à lavrador

Ingredientes e Preparação

batata

cenoura

abóbora

couve

brócolos

feijão

azeite

cebola

alho

sal

&

1. Numa panela faz-se um leve refogado com cebola e alho a gosto.

2. Cortam-se as cenouras, a batata, a abóbora aos cubinhos. Reserva-se.

3. Corta-se a couve às tirinhas. Reserva-se.

4. Lavam-se os brócolos e destacam-se os raminhos.

5. Quando a cebola e o alho estiverem levemente dourados adiciona-se os legumes aos cubinhos e deixa-se refogar um bocadinho.

6. Junta-se a água que se achar necessária, a calda da lata de feijão e as couves.  Deixa-se ferver. Tempera-se de sal.

7. Quando os legumes estiverem quase cozidos, adicionam-se os brócolos  e o feijão enlatado.

Obs. A sopa poderá ser feita com feijão seco, mas ter-se-á que demolhá-lo de véspera e cozê-lo previamente.

sopa à lavrador

Rigatoni com pesto e nozes

Neste dia mundial das massas, partilho convosco esta receita que é muito rápida e fácil de fazer, quer seja preparada para uma pessoa, quatro ou mais. Optei por fazer o molho pesto em casa. Poderão, no entanto, preferir comprá-lo já pronto a servir. Para além da massa, todos os outros ingredientes vão depender do que existir na despensa. As combinações são múltiplas.

Tenham a coragem de arriscar!

rigatoni com pesto e nozes

Ingredientes

massa rigatoni
atum
molho pesto
ervilhas
milho doce
nozes
sal
mistura de cinco pimentas

Preparação

1. Coze-se a massa com sal e uma colher de óleo até que fique al dente.

2. Junta-se à massa atum, ervilhas, milho doce.

3. Tempera-se com mistura de cinco pimentas.

4. Envolve-se a massa no molho pesto e decora-se com nozes.

Diapositivo2

Ingredientes e preparação do molho pesto 

25 g de queijo parmesão ralado

1 dente de alho

3/4 chávena de folhas frescas de manjericão

1/4 chávena de azeite

1/4 chávena de pinhões torrados

sal

1. Coloquei o manjericão e o alho no almofariz e esmaguei.

2. Juntei  o sal e metade da medida de azeite. Voltei a esmagar até obter uma massa uniforme.

3. Adicionei os pinhões e o restante azeite, e voltei a esmagar até os pinhões ficarem em pedacinhos.

4. Juntei o queijo parmesão e misturei bem.

rigatoni com pesto e nozes

Jello and c+c+c+c (cookies, chocolate, coffee and cream)

jello, chocolate, cookies and cream

Quando me perguntam se tenho preferência por doces ou por salgados, fico sempre sem saber o que responder. Na verdade, gosto tanto de ambos! Apesar de todos os dias confecionar salgados, pois almoçamos e jantamos sempre em casa, gosto de uma ou duas vezes por semana fazer uma sobremesa para a família.

Esta sugestão de hoje é ideal para convívios com muita gente, pois carateriza-se por ser uma sobremesa que ocupa uma travessa de ponta a ponta. Por poder ser preparada de véspera, aparece subitamente, depois do segundo prato ser levantado da mesa, sem que a dona de casa tenha de aprimorar retoques finais, como acontece com outras sobremesas.

É verdade que é um pouco calórica, mas se a fizermos apenas para festas, as calorias acabam por ser divididas por todos.

Ingredientes

3 pacotes de jell-o (utilizo de pistácio, de morango e de chocolate)

600 ml de natas (+100ml para a cobertura)

600 ml de leite

café puro

bolacha tostada

1 tablete de chocolate de culinária (200 g)

jello

jell-ofonte

 

 

Preparação

1. Bater cada pacote de jell-o separadamente com 200 ml de natas e 200 ml de leite.

2. Preparar café puro e passar as bolachas uma de cada vez pelo molho de café quente, evitando que ensopem demasiado.

3. Montar um retângulo com camadas de bolacha e preparado de jell-o, alternando as cores. Cada cor deverá aparecer pelo menos duas vezes.

4. Num tacho, levar a derreter a tablete de chocolate com 100 ml de natas. Cobrir a sobremesa com a ganache de chocolate, decorando a gosto.

5. Levar ao frigorífico pelo menos 8 horas antes de servir.

jello, chocolate, cookies and cream

Infelizmente, e com o decorrer do jantar, esqueci-me de tirar uma foto ao interior da sobremesa. Quando a fizer novamente  prometo que tiro uma foto ao interior e edito a publicação.

Uma doce semana!

Se preferirem um salgado, deixei no Receitas ao Desafio uma receita de Rodeão de Novilho com Alecrim.

Espadarte grelhado com camarão e mexilhões

Continuamos em modo grelhados e voltámos a eleger o peixe. Desta vez o ator principal foi o espadarte. O camarão e o mexilhão foram os atores secundários. Ambos desempenharam os seus papéis com primor e conjuntamente com as ervas aromáticas concorreram para a performance do peixe de hoje.  Um verdadeiro “um por todos e todos por um”.

Enjoy!

espadarte grelhado com camarões e mexilhões

Ingredientes para o peixe

4 postas espadarte

sumo de meia lima

1 raminho de tomilho

1 raminho de salsa

azeite

2 colheres de manteiga

3 dentes de alho

1/2 colher de café de piri-piri em pó

sal

Modo de preparação do peixe

1. Temperei o peixe com sal  e sumo de lima. Reservei.

2. Preparei um molho com manteiga, alho, salsa e tomilho (picadinhos).

3. Levei ao micro-ondas até ferver.

4. Coloquei o peixe na grelha quente  e reguei-o com o molho, de ambos os lados.

Ingredientes para a o acompanhamento de marisco

3 mexilhões por pessoa

3 camarões por pessoa

2 colheres de manteiga

2 dentes de alho esmagados

meia lima

3 colheres de sopa de whisky

pimenta branca

sal

tomilho

Modo de preparação

Numa frigideira coloquei a manteiga, o whisky, o sumo de lima, os alhos e a pimenta branca.  Deixei levantar fervura e inseri o marisco. Temperei com sal e tomilho e deixei cozinhar com tampa.

Depois do marisco estar cozinhado, retirei a tampa da frigideira e deixei que o molho reduzisse.

Acompanhei o espadarte com o marisco e com batatas cozidas.

espadarte grelhado com camarões e mexilhões

Os últimos. Galette de figos e uva-da-serra

Eram apenas oito e pequenos. Os últimos.

Juntaram-se com bagas da uva-da-serra, o mirtilo açoriano de que já falei aqui e aqui, com umas colheradas de compota e compuseram esta galette tão simples de se fazer, especialmente se preferirem comprar a massa areada pronta a desenrolar e a aplicar os ingredientes.

Por ser cada vez mais apreciadora dos sabores genuínos e rústicos, deixo-vos esta sugestão de sobremesa para o fim de semana.

galette de figos e uva-da-serra

galette de figos e uva-da-serra

Se optarem por comprar a massa já feita, retirem-na do frigorífico e desenrolem-na sobre uma superfície ligeiramente enfarinhada.

Ingredientes

8 figos pequenos

2oo g de uva-da serra ou mirtilos

farinha de trigo para envolver os mirtilos

6 colheres de sopa de compota de figo (usei da que fiz com a variante pingo de mel)

1 embalagem de massa areada

1 gema de ovo para pincelar

1/2. colher de chá de sal

2 colheres de sopa de açúcar  para polvilhar a massa

Preparação

1. Estenda a massa.

2. Transfira a massa para um prato grande de piza de ir ao forno, previamente enfarinhado, ou num tabuleiro forrado com papel vegetal.

3. No centro da massa coloque  figos cortados em gomos e os mirtilos, estes últimos previamente envoltos na farinha de milho.

4. Coloque por cima colheradas de doce de figo.

5. Vire para cima da tarte os rebordos de massa. Comece numa ponta da tarte e vá dobrando a massa até chegar ao outro extremo.

6. Pincele os rebordos com  com gema de ovo. Polvilhe os rebordos com açúcar.

7. Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus, até a massa estar cozida e dourada.

Nota. Convém utilizar um doce consistente. São de evitar as geleias pois liquidificar-se-iam demasiado.

galette de figos e uva-da-serragalette de figos e uva-da-serra

São servidos de uma fatia?

galette de figos e uva-da-serra

galette de figos e uva-da-serra

Outra sugestão de galette aqui.

World Bread Day…Pão Branco com Sementes

Continua a ser algo terapêutico o ritual de se fazer pão em casa. Há qualquer coisa de ancestral nos atos envolvidos de ir agregando, de ir amassando, mesmo que hoje as máquinas de fazer pão e os robôs de cozinham já muito auxiliem. O aroma que se espalha pela casa do pão acabado de cozer apenas consegue competir com o cheiro de lençóis acabadinhos de engomar. São perfumes revigorantes que comprovam a existência de vida numa casa.

Hoje, para comemorar o World Bread Day, saiu um “loaf” de farinha de trigo e de arroz, rusticamente salpicado por sementes de sésamo e de papoila, que quase sozinhas atiraram foguetes e fizeram a festa.

A acompanhar este pão, a delicada compota de melão e cidreira Santa Gula. Ambos formaram o casamento perfeito.

pão branco com sementes_santa gula

pão branco com sementes

Ingredientes

300 g de farinha de trigo tipo 65

100 g de farinha de arroz

200 ml de água

50 ml de óleo

2 colheres de sopa de açúcar

manteiga para untar

papel vegetal

1 colher de chá rasa de sal

1 colher de chá rasa de fermento granulado

sementes de sésamo

sementes de papoila

Preparação na Bimby

1. Coloquei no copo  a água, o óleo e o fermento.
2. Marquei 37 graus, 1 Min, Vel. 2
3. Adicionei os restantes ingredientes, guardando algumas sementes para a cobertura.
4. Marquei 2 Minutos.Vel. Espiga.
5. Deixei a massa levedar num tupperware fechado.
6. Quando dobrou de volume, despejei a massa para uma forma de bolo inglês forrada e untada com manteiga.

7. Salpiquei o cimo do pão com as restantes sementes. Poder-se-á, antes de colocar as sementes barrar o cimo da massa com gema de ovo ou leite. Utilizei manteiga para o efeito.

8. Levei a cozer em forno previamente aquecido cerca de 20 minutos.

Nota: O tempo de cozedura do pão pode variar de forno para forno.
Dica: Quando o pão já tiver crescido e ganho cor, podemos verificar se o interior deste está cozido batendo com os nós dos dedos na lateral ou no cimo do pão. Se o som for oco, o pão está pronto.

pão branco com sementes_santa gula

Esta receita resultou num pão muito leve, fofo e próspero em migalhas. A compota operou o resto do milagre.
pão branco com sementes_ santa gula