Peixe “porque”

Como já afirmei aqui, nós temos o hábito de ir ao mercado municipal aos sábados de manhã. Vamos essencialmente pela fruta local, pela carne do talho, que é de confiança, e pelo peixe fresquíssimo. Agora vamos também pelas bolachinhas, mas este assunto aparecerá em outro post. Poder dialogar com os produtores  e vendedores não tem preço. Saímos sempre deste espaço mais enriquecidos e sabemos que estamos a contribuir para a economia local.

Diapositivo1

Somos sempre bem recebidos com Bons Dias genuínos.

Diapositivo2

Entramos sempre na peixaria. Passamos uma primeira vistoria a todas as bancas. Depois decidimo-nos pelo que nos agrada. Neste dia, íamos com intenção de comprar lírio para grelhar na brasa, mas ao contrário do pretendido comprámos abrótea fresquinha e peixe-porco (ou “porque”, como quiserem chamar. O mercado é um ambiente imune a acordos ortográficos e,  por isso, igual a si mesmo.Todas as grafias e pronúncias são aceites. Aqui a genuinidade prevalece à falta de instrução. E depois de passarmos nos vendedores de costume chegamos à conclusão que na área deles os menos instruídos somos nós.

Diapositivo3
Comprámos então belos exemplares de peixe-porco e saímos da peixaria com filetes prontos a cozinhar.
Diapositivo1

&

Depois de temperados e cozinhados ficaram assim:
filetes de peixe-porco

Ingredientes

8 filetes de peixe-porco

4 dentes de alho

mistura de cinco pimentas

massa de malagueta

vinagre

água

sal

farinha de milho

ovos (2 ou 3)

salsa

Preparação

Numa taça de vidro com tampa coloca-se um copo de água, meio copo de vinagre, 1 colher de sopa de massa de malagueta, os alhos laminados, um pouco das pimentas acima referidas e sal suficiente para temperar os filetes. Mexe-se tudo com uma colher e envolvem-se os filetes nesta marinada. Tapa-se a taça e deixam-se os filetes a tomar gosto cerca de uma hora.

Secam-se os filetes com papel de cozinha envolvem-se primeiro em farinha de milho e depois em ovos batidos e fritam-se de ambos os lados em óleo (sem estarem submersos). Secam-se novamente com papel de cozinha e polvilham-se com salsa.
Acompanham-se com batatas cozidas ou arroz.

&

Ao vivo, e no seu meio aquático, o peixe-porco é assim:

Diapositivo1

Diapositivo2

Fonte destas duas imagens: nomarprofundo.blogspot.com

Advertisements

5 thoughts on “Peixe “porque”

    • foodwithameaning

      Olá Ana. Bem-vinda ao blogue. Não sei se o peixe-porco existe aí pelo continente. Ele por aqui é bastante comum e saboroso nesta versão de filetes. Acho que é basicamente assim que todos os açorianos confecionam este peixe. Quanto ao peixe-espada em filetes, como nunca o preparei assim não sei se ficaria bem. É que no caso do peixe-porco é retirada a espinha e é um peixe carnudo. Só mesmo experimentando. beijinhos

      Gostar

  1. Lia

    SIm, também gosto de mercados pela genuinidade e simplicidade, além da frescura e das outras razões óbvias.
    Ainda bem que os mercados e vendedores, na sua ingenuidade, não aderiram ao acordo ortográfico, pois eu também não!!
    Belíssimo peixe o que trouxeste para casa e a forma como o cozinhaste até faz crescer água na boca!
    Beijinhos,
    Lia.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s