A ilha está em festa

A ilha Terceira está em festa. Angra do Heroísmo, cidade património mundial, encontra-se no apogeu das festas Sanjoaninas, das quais já falei aqui e aqui.

A noite de ontem, sábado, foi a escolhida para um jantar típico de tasca. Descemos as artérias da cidade, enveredámos  por diversas travessas, já engalanadas a adivinhar S. João, e chegámos ao célebre Pátio da Alfândega onde decidimos abancar para um serão repleto de petiscos locais e de outras paragens. O que mais aprecio nestas festas é a confluência de aromas que se propagam no ar, somente existentes nesta época do ano.

Para a nossa mesa vieram a linguiça e a morcela, acompanhadas com pão de milho, as bifanas, os célebres caracóis, da tasca “O Rei dos Caracóis”, as favas escoadas e a sangria.

Que é que pode haver melhor do que isto?

Deixo-vos então o programa deste Mar de Emoções, caso queiram passar por cá.

&

Devido aos excessos da noite passada, hoje o almoço foi este caldo de sargo e delícias.

caldo de peixe e delícias

caldo de sargo e delícias

Ingredientes

1 sargo médio

1/2 pacote de delícias do mar

3 colher de sopa de tomate triturado

Sal

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola pequena

2 dentes de alho inteiros

1 generoso ramo de salsa.

1 colher de café de pimentão doce

1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto

cotovelinhos de massa

Preparação do caldo

1. Escama-se o peixe, limpa-se as entranhas e lava-se.

2. Enche-se um tacho com água suficiente para cozer o peixe e a massa. Deixa-se ferver.

3. Coloca-se o peixe, o sal, a cebola, os alhos inteiros e o ramo de salsa. Deixa-se cozer.

4. Quando o peixe estiver cozido, retira-se do caldo e reserva-se.

5. Coa-se esse caldo para outro tacho e acrescentam-se os restantes ingredientes, com exceção das delícias do mar.

6. Desfiam-se as delícias às tirinhas. Sem que descongelem, demolham-se em água fria e, ainda consistentes, esfregam-se entre as duas mãos; começarão a desfiar-se.

7. Quando a massa estiver praticamente cozida, inserem-se no caldo as tiras de delícias do mar.

Serve-se quentinho.

A água da cozedura do peixe converteu-se assim no caldo. O peixe, depois de limpo de espinhas e peles, destinou-se a uma salada de verão.

Despeço-me partilhando convosco esta excerto de Mia Couto.

“Cozinhar não é serviço, meu neto”, disse ela. Cozinhar é um modo de amar os outros.”

in O Fio das Missangas

Anúncios

4 thoughts on “A ilha está em festa

  1. Gisela

    Nada melhor que uma bela sopa para depois de um dia de excessos, só dispenso as delicias que não sou apreciadora, de resto é perfeita.
    Um beijinho e boa semana

    Gostar

  2. blogduchocolate

    Olá Patricia,

    Esse caldinho deixou-me com água na boca, levezinho e certamente delicioso ! 🙂
    Que bom que se divertiram, aqui em Lisboa não há a tradição do São João, esse programa parecido com o teu foi feito pelo Santo António ! 🙂

    Beijinhos

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s