Batido ou Sobremesa de Araçá?!

Os araçaleiros – ou araçazeiros- do pomar dos meus pais estão a produzir este ano como nunca o fizeram. É certo que no ano anterior também foram alvo de uma necessária poda, o que concorreu, segundo o senhor Manel, compadre de meu pai, e quem todos os anos trata das árvores de fruto, para a produção de muita fruta. De entre a folhagem verde, veem-se grandes esferas de tonalidades várias: os verdes, os amarelos e os vermelhos, segundo o seu processo de maturação. Neste pomar também existe  araçás de cor apenas amarela, com um sabor ligeiramente diferente, específico dessa variante, mas continuo a preferir os encarnados.

Desde a minha infância que a minha avó e bisavó faziam esta receita com araçá. Comíamo-la como sobremesa ou ao lanche, mas vendo bem as coisas, as fotos transparecem mais um ar e uma consistência de batido. Independentemente da designação que lhe quisermos atribuir, da mistura dos reduzidos ingredientes constantes da receita surge um paladar indecifrável. Exótico. Viciante.

 

Esta receita na versão da Elvira e na da Manuela. Gostei muito de ambos os posts. Um abraço às duas.

Uma ótima semana!

Anúncios

15 thoughts on “Batido ou Sobremesa de Araçá?!

  1. Graça

    Este ano tive azar com os araçás. O mau tempo queimou-os e não pude provar muitos. Prefiro os amarelos, mas também gosto de comê-los com leite e açúcar. A única diferença é que não trituro os araçás. Excelente bebida!

    Gostar

  2. Maria

    Não sabia da existência de “araçais” vermelhos… que lindos! Cá em casa tenho três árvores, mas dos amarelos. Não é que seja grande apreciadora, mas de vez em quando sabe bem comer alguns. Além disso, nesta fase em que estou a usar aparelho ortodôncico… tenho-os evitado.
    A forma mais habitual de os comermos cá em casa, é na versão de “salada de fruta”: partidos em quartos e salpicados com açúcar. Ficam muito bons 😉
    Um beijinho para ti e boa semana.
    Maria

    Gostar

    • foodwithameaning

      De facto araçás e aparelho não devem combinar muito bem. Também costumo utilizá-los em salada de fruta, sempre com uns pozinhos de açúcar pois é uma fruta pouco doce e algo ácida.
      Beijos para os três.
      E obrigada pela visita.

      Gostar

  3. panelasemdepressao

    Olá Patrícia

    No continente não são muito conhecidos. Mas eu tive a sorte dos meus pais irem aos Açores e trazerem um rebento. Por isso, este ano no jardim lá de casa, há araçás. E nós todos adoramos. A mim, o sabor lembra-me um pouco o maracujá. Tenho pensado fazer um crumble com eles, ou uns muffins. Mas depois vou comendo ao natural e nunca aplico num cozinhado. Quem sabe vira batido?!
    Um abraço
    Guida

    Gostar

    • foodwithameaning

      Olá Guida. Que curioso os araçás conseguirem crescer por esses lados. Muitas pessoas aí do continente nunca ouviram falar neste fruto. Que sorte a árvore ter vingado e dado fruto. De que variante tens? Dos vermelhos ou dos amarelos?
      Experimenta o batido. É mesmo bom, especialmente se deixares no frigorífico 24 horas. A pectina do fruto espessa o batido e intensifica o sabor, o que se traduz num paladar muito exótico.
      Um abraço para ti e para os teus.

      Gostar

      • panelasemdepressao

        Pelo que tenho observado, o pedaço de terra dos meus pais é muito fértil. (quase) tudo sobrevive lá. A variante é a vermelha. Nunca experimentaste em crumble? Parece que me sinto tentada!
        Também trouxeram outro fruta, de que agora não me lembro o nome. No aspeto é semelhante ao abacate, mas bem mais pequeno. O interior é branco, com poucas sementes e um sabor anisado. Adoooooooooro!
        Abraço
        Guida

        Gostar

      • foodwithameaning

        Agora fiquei muito curiosa em relação a esse fruto. Será anona ou coração negro como dizemos cá na ilha? Tem umas sementes pretas? Se for adoro! Já publiquei aqui um batido com anona e meloa. Vê lá se é o mesmo e depois diz-me, ok?
        Vou mesmo experimentar em crumble, mas se calhar convém retirar as grainhas.

        Adorei esta interação. Aproveito os intervalos das aulas para espreitar o blogue, pois as conversas na sala de profs. tornam-se aborrecidas de tão repetitivas. Tenho de visitar alguns cantinhos. Infelizmente ,não tenho tido esse hábito e, pelos vistos, andas parecida comigo. Também acho que não vale a pena comentar apenas por comentar. As receitas ou as imagens têm de significar algo para nós. Não é assim?
        Outro abraço.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s