Nadine e o fim do verão

Cinzentos têm sido os dias de setembro. O verão acabou assim muito cedo, no início do mês. A parafernália da praia esperava ter tido mais uso este ano. As toalhas, as braçadeiras, as bóias, os baldes, as pás e o material de mergulho permaneceram fiéis, na prateleira da arrecadação, aguardando sempre uma oportunidade, que nunca mais mereceram.

São 19.00. O céu pinta-se de um tom cinzento ainda mais escuro do que o habitual. As folhas das árvores que rodeiam a nossa casa libertam-se dos ramos e viajam pelo ar numa dança sem destino. Sabe bem estar em casa, no conforto. Lá fora, o contraste de um ambiente agreste. A  tempestade tropical Nadine avisa assim que se está a aproximar. De súbito, decide carimbar os céus com uma tinta feita de ventos alucinantes e chuvas copiosas, oficializando de forma abrupta o  início do outono. Enquanto o vento assobia lá fora, a trovoada  faz-se ouvir cada vez mais perto.  A chuva escorre pelos vidros dos janelões, riscando circuitos labirínticos que desaparecem para logo darem lugar a outros. Os altos eucaliptos  e as frondosas faias inclinam-se e obedecem a um bailado sem regra. Um dos eucaliptos, já sem força para resistir, cede e cai. Do outro lado do jardim, uma faia solidária deita-se também sobre a terra e sobre o muro de pedra. A idade avançada não lhe permitiu continuar a luta. Cada vez mais se sente o pulsar gradativo da tempestade, como se fosse uma entidade em fúria.  Pensamos no trabalho que nos espera quando amanhecer. E, temerosos, assistimos a tudo do outro lado da vidraça.  É hora de jantar. Estamos os quatro na cozinha. Do tacho sai um vapor colorido, de um creme que contrasta propositadamente com o mau tempo que se faz sentir no exterior. Cá dentro, a luz e o calor. Lá fora, a escuridão da noite e o frio húmido.

Creme de Beterraba e Hortelã

 

Ingredientes

1 beterraba pequena

1 courgette média

3 cenouras

1 cebola

 3 folhas de hortelã

azeite

sal

Modo de preparação na Bimby

1. Coloca-se no copo a cebola, cortada em pedaços, e o azeite.
2. Refoga-se 5 minutos, a 100 graus.
3. Junta-se a beterraba, a courgette e a cenoura, cortadas em pedaços.
4. Tempera-se tempera-se com sal e cobre-se com água.
5. Programa-se 25 minutos, velocidade 1, 100 graus.
6. A faltar 5 minutos, introduz-se pelo bocal do copo as folhas de hortelã.
7. Retiram-se as folhas de hortelã antes de triturar os legumes (velocidade 5-9, progressivamente)
 
Modo de preparação tradicional
 
1. Corta-se a cebola em pedaços e refoga-se no azeite. 
2. Junta-se a courgette, a cenoura e a beterraba abóbora aos pedaços.
3. Tempera-se com sal e cobre-se com água. Deixa-se cozer, em lume brando. 
4. A faltar 5 minutos do fim da cozedura, adicionam-se as folhas de hortelã.
5. Retiram-se as folhas de hortelã antes de triturar os legumes com a varinha mágica.
 

Hoje de manhã, o cenário cá em casa era este:

Anúncios

6 thoughts on “Nadine e o fim do verão

  1. Ondina Maria

    Um, que belo creme de beterraba! Por cá o fim do verão chegou no dia anunciado pelo calendário: na minha caminhada matinal para o trabalho fui apanhada de supresa por um chuva que começou miúdinha e acabou bem graúdinha.

    Conforme já tinha dito à Su do Suvelle Cuisine, ofereço colónias do meu kefir com todo o gosto: sempre mas ofereceram e, desde que elas cresçam, ofereço também. A minha única questão prende-se com o envio. Não sei se posso enviar o kefir assim dentro de um frasco (mesmo em água ele vai libertando “gás” e convém não o deixar totalmente fechado pois senão quando o abrires será uma pequenina bomba de kefir. Vou tentar encontrar um forma segura de to enviar e quando tiver colónias crescidas aviso-te. És a 3ª da minha lista de ofertas 🙂

    Gostar

    • foodwithameaning

      Envia-me uma morada para onde eu possa mandar um frasquinho com o curtume para experimentarem. Depois, esperarei ansiosamente pela minha vez de receber o kefir. Os antigos dizem que quem espera sempre alcança. Com o avançar da idade dou-lhes cada vez mais razão.
      Um beijinho.
      Agora vou apanhar ramos caídos.Os troncos das árvores que vieram a baixo ficam a cargo da minha cara-metade.

      Gostar

      • Quinta Vinagreira

        Olá Patriícia,

        Não desfazendo do Kefir da Ondina, se quiseres posso-te arranjar um pouco do meu e sempre não teria de passar o mar e a Ondina poderia dar a outra pessoa, porque pelo que parece tem uma longa lista de encomendas. Se quiseres arranjo-te aqui um pouco do kefir de São Bartolomeu.
        Aqui a Nadine tambem anda a fazer estragos, a vista cá de casa ampliou com a quantidade de árvores caídas.
        Abraço
        Cecília

        Gostar

      • foodwithameaning

        Obrigada Cecília. Sendo assim, agradeço-te. E tens razão, não terá de atravessar o mar. Assustei-me com os gases de que a Ondina me falou. Já me estava a imaginar a abrir o frasco e a assistir a uma explosão de kefir por toda a parte. Já tive kefir há alguns anos e nunca me apercebi deste pormenor.Aqui em Entre Muros, a tempestade também ampliou a vista cá de casa. Infelizmente.
        Diz-me então quando tens disponibilidade que vou ao encontro do kefir.
        Mais uma vez obrigada.
        Patrícia

        Gostar

  2. gisela

    Uma sopa muito bonita, fiz uma há poucos dias e não ficou com essa cor linda, a minha beterraba devia ser falsa, lol
    O que se vê nas tuas fotos é uma tristeza, os temporais são terriveis, mas o que interessa é que ninguém se magoou.
    Um beijo e boa semana

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s