Perrejil em curtume…um ritual

Não deixo passar um ano sem fazer este curtume. É uma tradição familiar, portanto. Assim, e apenas no mês de julho, quando o perrejil está verde e viçoso, dedico umas horas do meu dia  à apanha da planta e à preparação do curtume. O ano passado, publiquei a receita no Receitas ao Desafio. Este ano resolvi enriquecê-la com cebolas, pimentos, feijão verde e tomates da minha horta. Adicionei ainda uma folha de louro, uns dentes de alho e umas bagas de pimenta rosa em cada frasco.

Três semanas depois está pronto a comer.

Ficou uma delícia esta versão de 2012.

O curtume de perrejil faz parte de uma tradição açoriana que, infelizmente, se está a perder. Poucas pessoas da nova geração conhecem a planta e são por isso poucos os que lhe dão utilidade.
Este curtume não costuma estar disponível para venda ao público. Apenas algumas mercearias das freguesias junto à costa o vendem e em poucas quantidades por ser um produto artesanal. Recentemente, na freguesia dos Biscoitos, no norte da ilha, da qual já falei aqui, encontrei o curtume à venda numa banca de produtos regionais junto à zona balnear.

Poderão encontrar as restantes sugestões para a elaboração da receita no link Receitas ao Desafio, já referido, bem como algumas fotos da planta no seu habitat natural.

Este curtume acompanha peixe e moluscos na perfeição, como no caso destas lulas recheadas que publiquei o ano passado no Receitas ao Desafio.

Um bom fim de semana.