Compota de tomate-uva

Surgiram assim. Espontaneamente. Junto a um dos nossos muro de pedra.  Expandiram-se com a ajuda do sol e da chuva. Totalmente autónomos. Agarraram-se a outras plantas, que utilizaram como suporte para os seus cachos, de tomate-uva.


Reservei alguns para salada. Com os restantes, fiz esta compota de tomate-uva.


Lavei os tomates e triturei-os mesmo com casca e sementes, por serem pequenos. Recorri a um coador e, com a ajuda de uma colher de pau, separei as cascas e as sementes da polpa.

Pesei a polpa e e coloquei-a numa panela de boca larga.

Adicionei metade do peso da polpa em açúcar.

Juntei um pau de canela e 2 ou 3 cravinhos.

Mexi e deixei ferver em lume baixo até fazer ponto estrada.

Nota: O doce tem tendência a verter,  para fora do tacho,  na primeira meia-hora,  pelo que deverá manter-se alguma vigilância e ir-se mexendo com uma colher de pau com alguma frequência.

Continuação de um ótimo verão.

Patrícia

Anúncios