Pezinhos com batata a murro e couve salteada – Transmontanices

Com um transmontano em casa é difícil não estar atenta ao que se vai passando por Trás-os-Montes, apesar de reconhecer a dimensão imensa da região atrás referida. A aldeia do meu marido, Gimonde, que pertence a Bragança, é muitas vezes motivo de notícia nos meios de comunicação social, mas especialmente na televisão. As razões são várias: ora para entrevistar o dono do restaurante D. Roberto e conhecer os produtos de charcutaria regional “Bísaro” dos quais se destacam as suas alheiras, salpicões e butelos, ora porque o rio, que é atravessado por uma ponte romana lindíssima, gelou, ora para fotografar os ninhos altaneiros das cegonhas, ora para conhecer o dia-a-dia do último pastor que cruza a aldeia com o seu rebanho tilintante de ovelhas.
Por questões familiares tudo o que diga respeito a esta região nos desperta interesse. Há alguns meses, numa livraria, deparámo-nos com o livro Transmontanices, Causas de Comer, da autoria de Virgílio Gomes e comprámo-lo instintivamente mesmo sem primeiro o folhearmos.

Consiste em um conjunto de crónicas de fácil e empolgante leitura sobre a gastronomia transmontana e a cozinha contemporânea. Um livro onde se faz a apologia da cozinha contemporânea de raízes regionais.

Termina o livro assim:

“Continuarei a escrever, indisciplinado, mas a esforçar-me pelos produtos qualificados transmontanos e por algumas tradições culinárias locais. Para que saltem da região.”

Preparei então este prato imaginando que estava na aldeia. Recorri à simplicidade na escolha e confeção dos ingredientes. Um regresso à essência portanto.

Pezinhos de Porco com Batata a Murro e Couve Salteada

Ingredientes

1 pezinho de porco (podem eliminar a extremidade. Eu utilizo apenas a carne que envolve a barriga da perna)
1 cebola
4 dentes de alho
1 ramo de salsa
1 folha de louro
piri-piri
pimentão doce
sal
água
batata nova
couves
azeite para saltear a couve

Preparação

Numa panela coloca-se o pé de porco cortado às rodelas (já o trago cortado do talho). Coloca-se a cebola cortada grosseiramente, os dentes de alho previamente esmagados com uma faca, o louro, o piri-piri, o pimentão doce, o ramo de salsa e o sal.
Cobre-se com água a carne e deixa-se cozinhar em lume brando.
Quando a carne estiver cozida, retira-e a carne para um recipiente e tapa-se para não secar. Nessa água da cozedura da carne coze-se a couve cortada grosseiramente.
Quando a couve estiver cozida, escorre-se e leva-se a saltear em azeite numa frigideira.
Lavam-se as batatas, sem as descascar, e envolvem-se em sal. Colocam-se num tabuleiro e levam-se ao forno até assarem. Quando estiverem quase prontas, retiram-se do forno, dá-se um murro em cada uma e voltam-se a colocar no forno mais uns minutos.

Serve-se este cozido bem regado com azeite, de preferência transmontano.

Hoje no receitas ao desafio publiquei outra sugestão, também com carne de porco.

Advertisements

16 thoughts on “Pezinhos com batata a murro e couve salteada – Transmontanices

    • foodwithameaning

      É um livro de crónicas de leitura rápida para quem gosta de cozinha e de questionar as modificações que se têm vindo a operar em pratos dantes tradicionais mas que agora foram adaptados ou adulterados à contemporaneidade.
      um abraço

      Gostar

    • foodwithameaning

      E sim, têm mesmo de ir comer ao D. Roberto. Não há lá nada que o restaurante sirva que não seja muito bom. E fica mesmo ali, à entrada da aldeia. Se preferirem experimentar a posta sugiro então que vão ao Abel, um restaurante que fica um pouco antes do D. Roberto. Eu não sou nada fã de posta (ou de coisas ensanguentadas) mas segundo o meu marido é paragem obrigatória.
      Um abraço

      Gostar

  1. Deliciart

    Apesar de pertencer ao Porto vivo com um pé no Porto e outro em Trás-os-Montes que me acolheu durane alguns anos e no qual fui provando a gastronomia que apesar de ser calórica quanto basta considero das mais ricas de Portugal por tudo o que sai das cozinhas transmontanas ser bem do meu agrado. Pezinhos cá em casa minha mãe faz algumas vezes e adoro, então com as batatainhas e a couve acompanhar nada melhor para uma refeição na companhia de pessoas que gostamos. Fiquei curiosa pelo livro que não conhecia..beijinho

    Gostar

    • foodwithameaning

      Aí está uma Portuense fã de Trás-os-Montes! Também gosto imenso do Porto. O meu marido tem tios e primos que vivem uns no Porto e outros em Matosinhos e por norma todos os anos passamos uns dias na capital do Norte que eu adoro, e em especial a genuinidade das pessoas.
      um abraço

      Gostar

  2. Ginja

    Adoro estes pezinhos, é bom promover o que temos de nosso, tão bom. Trás-os -Montes está cheio de comida boa, que me agrada e muito.
    Uma refeição de conforto à portuguesa.
    Um abraço.

    Gostar

  3. Alice

    Gosto muito de comida regional portuguesa, há qualquer coisa de reconfortante num prato desses, assim bem composto e bem temperado! Esses pezinhos estão fantásticos, então com as batatinhas a murro e a couve fazem uma refeição maravilhosa! Gostei da receita e gostei do livro, que não conhecia 🙂
    Um grande beijinho e obrigada pelas palavras tão cheias de amizade que me deixou 🙂

    Gostar

  4. frango do campo

    a minha família paterna é transmontana e eu apesar de ter nascido no litoral, a uns valentes kilómetros, tenho um bocadinho de transmontana 🙂 todos os anos vamos buscar azeite, azeitonas e deliciar com aquele pão tão característico! não conhecia o livro mas é sem dúvida uma região a divulgar, porque come-se muito bem 🙂

    Gostar

  5. La Chef

    Como o mundo é pequeno e este Portugalito ainda mais. Apenas quis dizer que conheço o Abel, digamos que a última posta fazia lembrar um naco de carne dos tempos primitivos. Estive 3 anos sem voltar a comer, não conseguia. E, claro também conheço o D.Roberto, os seus enchidos, o rio de Gimonde, o pão, as casas de pedra e o bailarico de Verão. E, conheço a cidade, e outras aldeias mais mas prefiro estar perto do mar, ter o céu como horizonte 🙂
    Mas pelos posts lá mais para trás já deu para perceber o carinho pelas gentes da terra 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s