Maçã Assada com Vinho do Porto, Canela e Gengibre

Esta é mesmo a minha sobremesa favorita, definitivamente. Desta vez coloquei em cima das maçãs uns pozinhos de gengibre. A combinação da maçã com o vinho do porto e com as especiarias faz com que esta seja uma sobremesa muito perfumada. É também, sem dúvida, uma receita muito saudável porque muito pouco calórica. Se a maçã for bem docinha pode-se dispensar perfeitamente a utilização de açúcar.
Então, fiz assim. Comprei seis maçãs Canada Gris, lavei-as muito bem, descaroçei-as e coloquei-as na Actifry (podem fazer o mesmo procedimento e assá-las no forno num tabuleiro, mas mesmo em forno pré-aquecido demorarão mais de 15 minutos a assar (o tempo que levam na Actifry). De seguida, preparei uma mistura de canela e açúcar e enchi cada buraquinho de maçã até meio com este preparado. Reguei as maçãs com vinho do porto, a gosto. Polvilhei com gengibre em pó.

Depois foi só marcar 15 minutos e esperar que as maçãs arrefecessem.

Podem acompanhar esta sobremesa com uma bola de gelado de baunilha, se gostarem. Eu prefiro apreciá-la na sua simplicidade de fruto.

Anúncios

Compota de Goiaba

Todos os anos fazemos compota de goiaba. Já é tradição na minha família. Confesso que não é das mais rápidas de fazer no que diz respeito à preparação do fruto. Mas pior do que a compota de goiaba é mesmo a de uva em que temos de ter a paciência de abrir cada bago a meio e retirar todas as grainhas. Com a goiaba é quase a mesma coisa. Cortamos o fruto a meio e com uma colher retiramos-lhe toda a polpa que se encontra envolvida pelas sementes. Não é nada agradável encontrar-se uma semente de goiaba enquanto se saboreia o doce, garanto-vos. Há quem descasque o fruto, mas nós não o fazemos. Apenas o lavamos muito bem e retiramos a parte cimeira. Depois de se retirar a polpa, ficamos com umas tigelinhas de goiaba. Cortamo-las em quatro e pesâmo-las. Cá em casa usamos a mesma quantidade de açúcar para o peso da fruta porque a goiaba é um fruto não muito doce que comporta um travo resinoso (não sei descrevê-lo de outra forma), logo não costumamos reduzir no açúcar. Podem, no entanto, fazê-lo, se preferirem uma compota menos doce.
Numa panela colocamos o açúcar e o fruto e deixamos que ambos destilem.
Sempre em lume brando, vamos vigiando o doce, mexendo com uma colher de pau.
Quando estiver quase pronto, trituramo-lo com a varinha mágica para que fique suave e lustroso.

Trança como agradecimento

Há pessoas que existem na nossa vida e que nos ajudam todos os dias sem pedirem nada em troca. Umas são assim porque nos geraram, outras porque nos criaram e ainda outras porque as fomos encontrando ao longo da nossa existência e se transformaram em nossos amigos. São pessoas que se destacam porque têm o altruísmo como uma das suas maiores qualidades.
Esta trança concretizou um gesto singelo de retribuição e reconhecimento de valor, nesta época onde há pouco tempo para agradecermos os cuidados que os outros têm connosco.

Ingredientes
250 g de leite
100 g de margarina
50 g de açúcar
1 saqueta de fermento seco
2 ovos
700 g de farinha
1 colher (de chá) de sal
1 gema de ovo para pincelar
cereja cristalizada

Preparação
Colocar no copo o leite, a margarina, o açúcar e programar 2 minutos/ 37 graus / velocidade 2.
Juntar o femento, os ovos e programar 10 segundos/ velocidade 6.
De seguida, adicionar a farinha, o sal e programar 3 minutos/ velocidade espiga.
Deixar levedar durante 20 minutos, num local morno.
Fazer três rolos iguais e formar uma trança. Pincelar com gema de ovo, fazer montinhos com o açúcar humidificado e decorar com cerejas cristalizadas.
Levar ao forno pré-aquecido a 50 graus até que dobre de volume, em seguida aumentar a temperatura para 180 graus cerca de 25 minutos.

receita adaptada do livro básico da Bimby

Bolo de Noz

Ontem para o primeiro aniversário do receitas ao desafio, a minha outra casa, publiquei um bolo de caramelo com cobertura de noz. Hoje, e ainda aproveitando este fruto seco, resolvi incorporar a noz no bolo. Como cobertura decorei o bolo com caracóis ondulados de nozes e fios de mel. O resultado foi este.

Ingredientes

4 ovos
300g de açúcar
150g de manteiga à temperatura ambiente ou margarina
200 gr de miolo de noz triturado na Bimby ou na picadora
300g de farinha com fermento
80 g de farinha de custard
1 colher de chá de fermento

1 chávena de leite (250 ml)
mel e nozes para a decoração

Modo de Confeção

Bati as claras em castelo com a batedeira elétrica. Reservei.
Piquei 100 g de nozes na Bimby (ou na picadora), 30 seg velocidade 6. Reservei-as. As outras 100 g parti-as mesmo com as mãos para ficarem maiores (adoro encontrá-las no bolo)
No copo da Bimby, sem o lavar, coloquei as gemas, o açúcar e a manteiga. Posicionei a borboleta e marquei 2 minutos velocidade 4.
Adicionei as farinhas e o fermento aos poucos, intercalando com o leite. Juntei as nozes ao preparado. Marquei 1 minuto vel. 3
Verti a massa para uma tigela grande e incorporei as claras batidas em castelo.
Levei a cozer em forno previamente aquecido durante 60 minutos numa forma retangular.

Deixei arrefecer e decorei com nozes e lustrei com fios de mel.

Pimentos recheados e In Time

Ter tempo. Chegar a tempo. Lutar contra o tempo. Ganhar tempo. Gastar tempo.
Estas são expressões que se encaixam na perfeição no conceito de tempo veiculado no filme In Time. Apesar de não ser fã de Justin Timberlake, apreciei o seu desempenho como actor. Mostra de forma exemplar a pressão que o tempo exerce no ser humano em diferentes realidades sociais.

Um filme para se saborear com tempo assim como esta receita, que também exige algum tempo.

Ingredientes

4 pimentos (utilizei verdes e encarnados)
1 chávena e meia de arroz
1 cebola
3 ou 4 dentes de alho
azeitonas
4 latas de atum
tomate pelado triturado ou frito
1 lata pequena de milho
1 lata pequena de feijão rolo
1 lata pequena de cogumelos laminados
azeitonas
temperos a gosto (louro, mistura de pimentas, piri-piri)
azeite
sal

Modo de Confeccionar

Coze-se o arroz em sal com 3 chávenas de água.
Lavam-se os pimentos, abre-se-lhes uma tampa e retiram-se-lhes as sementes.
Faz-se um refogado com a cebola, o alho e o azeite. Junta-se um folha de louro (facultativo). Quando estiver pronto, junta-se o tomate triturado e, depois deste fervilhar, o atum e os cogumelos. Adicionam-se as azeitonas recheadas e picadas.
Mistura-se o arroz cozido a este preparado e recheiam-se de seguida os pimentos.
Leva-se ao forno numa assadeira regada com azeite até estarem assados. Há necessidade de vigiá-los e de os ir virando para ficarem homogeneamente assados.
Eu prefiro assá-los na Actifry. Assam em menos de metade do tempo e não há cheiros pela casa. Na Actifry também há necessidade de os ir virando.
Faço-os como prato principal, mas pode ser um ótimo acompanhamento se forem recheados só com legumes.

Chili

As comidas condimentadas são muito apreciadas cá em casa. Por vezes e tendo em conta as crianças temperamos os pratos de forma mais moderada, sem muito picante nem sal. Mas chili que se preze tem de ser minimamente ardente e este destacou-se também por este aspeto. Nesse dia as crianças tiveram direito a outra ementa.Teve de ser.

Ingredientes para o Chili

carne picada (vaca ou porco) – cerca de 500 gr
1 lata de feijão preto (usei encarnado)
4 dentes de alho
1/2 pimento vermelho
1 chili média (malagueta)
1 lata pequena de tomate frito
1 copo de vinho tinto
1 copo de água
oregãos, cominhos e pimentão doce
azeite e sal q.b

Coloquei azeite numa frigideira e levei a refogar a cebola , o alho, e o pimento até alourarem.
Juntei a carne ao refogado da cebola e fritei-a até ganhar uma cor esbranquiçada. Adicionei o tomate, as malaguetas, as restantes especiarias, o vinho e o sal.
Deixei cozinhar em lume brando durante cerca de 20 minutos. Adicionei a água. Deixei levantar fervura novamente.
Provei. Retifiquei os temperos.
Recheei fajitas de trigo que enrolei e servi.

E teletransportámo-nos até ao México.

Refrescámo-nos com um copo de sangria caseira. Segui esta receita que publiquei há tempos no receitasaodesafio, a minha outra casa.

Ingredientes para um jarro de 2 litros

frutos silvestres frescos ou congelados ( 1 copo cheio para um jarro) Compro da marca Dujardin – mistura de frutos silvestres
1 embalagem de sumo Compal Vital frutos vermelhos (1 litro)
1 lata de 7up
1 limão (picado aos pedacinhos)
1 lima (picada aos pedacinhos)
1 colher de sopa de açúcar mascavado
2 paus de canela
folhas de hortelã a gosto
Juntei todos os ingredientes num jarro. Costumo colocar no congelador a embalagem de sumo e a lata de 7up cerca de uma hora antes de fazer a sangria para ficar bem fresquinha, mas também pode-se adicionar gelo à sangria.

Patrícia

Millet com diospiro, kiwi, beterraba e mel, só para quem é muito alternativo

1 diospiro
2 kiwis
1 beterraba
sultanas
mel
millet

Coze-se o millet conforme as instruções da embalagem.Escorre-se e deixa-se arrefecer. Leva-se ao frigorífico para refrigerar.
Descasca-se o diospiro, os kiwis e a beterraba. Cortam-se aos pedacinhos. Adicionam-se ao millet. Juntam-se umas sultanas.
Envolve-se tudo com mel.

Quem não apreciar o millet poderá sempre fazer esta combinação apenas com os frutos, a beterraba e o mel.