Porque quando se trata de salada de fruta não há regras

salada de fruta

Ingredientes para a salada de fruta

  • 1/2 abacaxi
  • 4 laranjas
  • sumo de 4 laranjas
  • 4 fatias de melão
  • 4 fatias de meloa
  • 4 kiwis
  • 3 nectarinas
  • polpa de 6 maracujás
  • 4 bananas
  • 3 maçãs
  • 1 cacho de uvas Red Globe
  • meia romã
  • amoras
  • raspa e sumo de meio limão ou de lima
  • folhas de menta
  • 2 colheres de sopa de mel (facultativo)

Descasque o abacaxi, as laranjas, as bananas,as maçãs e parta-as em pedaços. Retire as grainhas às uvas e os bagos à romã. Junte os pedaços de  nectarina, de melão e de meloa. Coloque as frutas numa taça grande, adicione o sumo de laranja, a raspa e o sumo de limão, as folhas de hortelã-pimenta e adoce com o mel. Envolva a fruta cuidadosamente. Decore com rodelas de kiwi, amoras e bagos de romã. Leve ao frigorífico pelo menos uma hora antes de servir ou refrigere a fruta antes de fazer a salada.salada de fruta

Uma entrada surpreendente…flores de hóstias com salmão

As Prawn Crackers são um aperitivo chinês muito apreciado. Este consiste em camarão sob a forma de rodelas duras e translúcidas, parcialmente cozidas a vapor e secas no forno, fabricadas a partir de amido, água, sal, açúcar (cerca de 4 %), camarões (cerca de 5 %) e intensificadores de sabor. Costuma ser presença obrigatória nos restaurantes chineses, servindo de acompanhamento. Com o intuito de utilizar as hóstias como entrada, uma das sugestões do workshop que dinamizei sobre Tapas Gourmet, conferi-lhes outra roupagem, através da sua combinação com salmão fumado e queijo creme. Ninguém resistiu à junção dos diferentes elementos, nesta entrada que para além de fácil e saborosa recebeu desta forma um toque mais gourmet.

Hóstias de camarão com salmão fumado

Hóstias de Camarão com queijo creme, truta salmonada e cuca melon (micro pepino da Quinta do Ti Canoa)

Ingredientes:

  • Hóstias de camarão (1 embalagem de Prawn Crackers)
  • Óleo para fritura (de pref. de amendoim)
  • Salmão fumado
  • Ovas de salmão ou de esturjão (caviar)
  • 1 embalagem de queijo creme
  • Raspa e sumo de lima
  • Rama de funcho ou de endro
  • Cebolinho 

Coloque uma quantidade considerável de óleo de amendoim ou de girassol no wok ou na fritadeira e aqueça-o  até atingir 170ºC.

Insira as rodelas de prawn crackers no óleo quente e quando elas vierem à superfície (já crescidas e brancas) retire. Se demorarem muito tempo no fundo da fritadeira é sinal que o óleo não registava a temperatura adequada.

Coloque as hóstias sob papel absorvente e sirva de seguida. Se utilizar as prawn crackers como base para tapa, como acontece nesta receita, deixe-as arrefecer ligeiramente antes de as rechear.

 

Recheio:

Sugestão 1.

Misture uma embalagem de queijo creme com raspa e sumo de lima a gosto. (Se adicionar uma colher de sopa de queijo creme de alho e ervas enriquecerá o sabor).

Coloque uma colher de chá de recheio no centro da hóstia e faça assentar no centro rolinhos de salmão fumado, abrindo ligeiramente o rolinho para simular uma rosa. Termine com um raminho de funcho ou de endro.

ou

Sugestão 2.

Coloque o recheio num saco de pasteleiro com bico redondo. Corte tiras de salmão fumado e recheie-as em todo o comprimento com o creme de queijo. Enrole e dê um nó com cebolinho. Assente um rolinho em cada hóstia de camarão e termine com um raminho de funcho ou de endro.

Hóstias de Camarão com queijo creme, truta salmonada e cuca melon (micro pepino da Quinta do Ti Canoa)

(da apresentação também fazem parte metades de micro-pepino cuca melon)

Trouxas de veja, linguiça e alho francês… e um pano lindo pintado à mão pela minha madrinha

Desde que me iniciei no mundo dos blogues de culinária, comecei a ser fã de props, ou seja, de loiças, talheres, panos de cozinha, toalhas, entre outras coisas para as quais vou encontrando utilidade na preparação do cenário das fotos. Por este motivo, a família, os amigos, e até algumas pessoas que conheço há pouco tempo, me têm presenteado com diversos mimos que para mim estão revestido de grande valor. Esta receita pretende enaltecer o gesto da minha madrinha, e a arte que desde cedo saiu das suas mãos, de uma funcionária pública e costureira dedicada, que criou para mim e para a minha irmã inúmeros conjuntos exclusivos, os quais revemos com carinho através dos álbuns de outros tempos. Para além da costura, a minha madrinha domina também a renda, o ponto cruz, a técnica do guardanapo, a técnica da areia em tela, a pintura em pano,vidro e a óleo. É uma pessoa dedicada à família e com um coração enorme! Obrigada madrinha por este pano lindo, a tua estreia em pintura em pano, que por este motivo encerra ainda mais valor.

A travessa tem a assinatura DeBORLA! É linda, não é?
trouxas de veja com linguiça e alho francês

Trouxas de veja, linguiça e alho francês

Ingredientes

  • 1 quilo filetes de veja
  • 1 limão (sumo)
  • 1 rama de alho francês
  • 2 cenouras
  • 1 linguiça
  • 200 dl de molho de tomate de compra
  • 1 copo de água
  • 1 raminho de salsa
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • sal e pimenta q.b.

Preparação

  1. Coloque os filetes dentro de um recipiente e tempere com o sumo de limão, sal e pimenta. Reserve.
  2. Corte a rama de alho francês e a cenoura em rodelas. Usei uma mandolina para criar um efeito ondulado na cenoura. Leve ambos a saltear em azeite e alho durante três minutos.
  3. Corte a linguiça em fatias e leve a fritar na frigideira ligeiramente sem adicionar gordura.
  4. Ligue o forno a 180° C.
  5. Recheie os filetes com os legumes e a linguiça, fazendo camadas, ate com fio de cozinha e disponha dentro de um tabuleiro.
  6. Verta o molho de tomate e o molho de soja em volta e leve ao forno durante 20 minutos. Retire o fio de cozinha, corte ao meio e sirva de imediato.

Sugestão: Acompanhe com legumes cozidos.

trouxas de veja com linguiça e alho francês

trouxas de veja com linguiça e alho francês

Bom apetite!

Receita adaptada daqui

Mud Cake with Salted Caramel

Já devem ter percebido que gosto de desafios. Quem não testa as suas capacidades, não sabe até onde consegue ir. Cada workshop acaba por exigir bastante de mim, uma vez que sou autodidata e tenho de conjugar esta atividade com a minha profissão de professora.  Por isso, preciso de preparar-me bastante, de pensar em todos os pormenores e nuances das receitas, na apresentação final das mesmas e até nas possíveis questões que me venham a ser colocadas pelos participantes.

Montagem e decoração de Naked Cakes foi o tema escolhido para o workshop deste mês na loja DeBORLA da Terceira. Foram selecionadas três receitas de bolos diferentes: bolo de limão com lemon curd, bolo de especiarias com buttercream e bolo de chocolate com caramelo salgado. Partilho hoje convosco, e em primeiro lugar, a receita deste último, bem como a sugestão de apresentação do mesmo, uma vez que fui contactada por algumas pessoas que manifestaram interesse na receita.

Mud Cake with Salted Caramel

Mud naked cake

Ingredientes (para duas camadas)

  • 150 g manteiga amolecida
  • 100 g  de chocolate 70% picado
  • 300 g açúcar
  • 50g de cacau em pó
  • 180 ml Baileys Irish Cream Whiskey ou de leite
  • 280 g farinha
  • 1 ½ colher de chá fermento em pó
  • ½ colher de chá de bicarbonato
  • ½ colher de chá de sal
  • 3 ovos à temperatura ambiente

 

  1. Pré aqueça o forno a 180 ºC.
  2. Forre o fundo e a lateral de um forma de 22 cm com papel manteiga.
  3. Numa panela com fogo baixo coloque a manteiga, o chocolate, o açúcar, o licor ou leite e o cacau. Quando o chocolate e a manteiga derreterem retire do fogo e misture bem com um fouet até ficar bem liso. Deixe arrefecer um pouco.
  4. De seguida adicione os ovos desmanchados misturando bem com o fouet.
  5. Peneire juntos e sobre a massa a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal. Vá envolvendo com uma espátula.
  6. Coloque numa forma de alumínio de 18 cm sem buraco, untada e enfarinhada, e leve ao forno, a 180ºC, em forno previamente aquecido, entre 40-45 minutos. Não deixe cozer demais. Teste com um palito que ainda deve ter algumas migalhas agarradas.
  7. Deixe arrefecer e desenforme.

 

Notas Muito Importantes:

-Terá de fazer a receita a dobrar para formar um bolo com quatro camadas.

-Poderá forrar o fundo da forma com um círculo de papel vegetal, também untado e enfarinhado, para evitar que o bolo queim

– Se o bolo crescer mais no centro terá de cortar essa parte com o objetivo de nivelar a camada.

– Cada  bolo terá de ser cortado ao meio formando duas partes com a mesma altura. Use uma serrilha de corte em vez faca para obter um corte mais perfeito.

– Coloque um pouco de ganache em cima da base onde vai colocar o bolo, que funcionará como cola para a primeira camada.

– Recheie cada camada com ganache. Pincele as laterais do bolo com xarope de açúcar ou com mel diluído em licor para que ao barrar evite que migalhas se misturem com o creme.

– Leve ao frigorífico entre 30 a 60 minutos antes de barrar o exterior do bolo para que este estabilize ou insira no bolo uma coluna estabilizadora da Wilton ou, na falta, um ou dois palitos de espetada.

– Use a ganache que sobrar nas laterais do bolo e no cimo. Retire o excedente com uma espátula ou lâmina. (Usei uma lâmina dentada da Tescoma e uma base de decoração giratória para obter o efeito riscado).

mud naked cake

Cobertura e Recheio

Ganache de Chocolate (ou cobertura de chocolate de compra)

  • 200g  chocolate meio amargo picado
  • 100ml natas
  • 100ml Baileys Irish Cream
  • ¼ de colher de chá de sal
  1. Coloque o chocolate picado numa tigela de vidro.
  2. Leve as natas, o licor e o sal ao lume até começar a borbulhar nas laterais.
  3. Despeje sobre o chocolate e misture bem.
  4. Espere que arrefeça até ficar com uma consistência adequada para espalhar sobre o bolo.

 

Decore o bolo com chocolates vários e placas de caramelo. Termine com o delicioso caramelo salgado.

 

Caramelo Salgado

Ingredientes

  • 2 chávenas de açúcar
  • 1/2 chávena de chá de água
  • 170g de manteiga
  • 1 chávena de chá de natas
  • 1 colher de café de flor de sal
  1. Na panela, fora do lume, coloque o açúcar e 1/2 chávena de chá de água. Misture para incorporar o açúcar. Retire a colher. Ligue o lume médio e deixe a panela lá. NUNCA mexa! Se o fizer cristaliza a calda e não obterá o caramelo.
  2. Observe a calda de açúcar a até obter a  cor âmbar.  Junte a manteiga e misture com a colher. Assim que a manteiga estiver derretida retire a calda do lume. Prepare-se porque irá borbulhar bastante.
  3. Fora do lume, adicione as natas e o sal.
  4. Deixe arrefecer durante alguns minutos e depois transfira para um frasco de vidro.
  5. Guarde no frigorífico apenas quando o caramelo já estiver à temperatura ambiente.

Mud naked cake

Fizz de Figo e Bourbon…porque há figos e ainda é verão

Simplesmente porque há figos e porque temos sido abençoados por dias quentes de verão (furacão Gaston à parte, que felizmente mal se sentiu) tenho tido mais vontade de preparar bebidas do que propriamente pratos elaborados. Assim sendo, surgiu este fizz refrescante e pouco doce, apesar da presença do figo. Fiz uma versão virgin e uma com whisky (pouco) para mim. A idade leva-nos a apreciar estes pequenos prazeres!

Já agora, para quem não sabe, o whisky é classificado da seguinte maneira: Se é escocês é Scotch, se feito nos Estados Unidos é Bourbon, se inglês é whisky e se irlandês é whiskey (ou irish whiskey).

Vamos então à receita!

 

Fizz de Figo e Bourbon

fizz de figo e bourbon

Ingredientes (para dois copos)

  • 1 figo sem casca
  • 2 a 3 folhas de menta
  • 2 cubos de açúcar mascavado
  • 1/4 chávena de chá de bourbon
  • cubos de gelo
  • 1/2 chávena de chá de ginger ale (fresco)

 

Preparação

Triture o figo e as folhas de menta, com a varinha mágica. Coloque este puré num cocktail shaker. Adicione os cubos de açúcar. Feche o shaker e mexa energicamente. Acrescente o whisky e cubos de gelo suficientes para encher o shaker (cerca de uma chávena). Feche novamente e mexa vigorosamente cerca de 30 segundos. Verta para um copo alto, previamente com 3/4 da capacidade de cubos de gelo. Acrescente  o ginger ale fresquinho. Decore o copo com meio figo ou com folhas de menta e sirva de imediato.

figo pingo mel

fizz de figo e bourbon

Gin and tonic…A Vida No Campo… em fim de tarde

gin com cuca melon, pimenta rosa e anis estrelado

gin com cuca melon, pimenta rosa e anis estrelado

gin com cuca melon, pimenta rosa e anis estrelado

O gin, bebida  desenvolvida através da baga de zimbro, foi criado na Holanda pelo médico De La Boe, por volta do século XVII e pretendia apenas servir objetivos medicinais. No início do século XVIII, com a ameaça dos destilados holandeses e dos vinhos franceses,  a Coroa Britânica começa a restringir as importações, com o intuito de proteger a produção inglesa. Esta medida deu origem ao aumento da produção do gin britânico, fazendo dele o gin mais famoso do mundo.

Existem imensas marcas de gin, para todos os paladares e bolsos: Hendrick’s, Bulldog, Gordon’s, Bosford, Tanqueray, Beeffeater, Nordés, Sharish, Opihr, nº3, Jodhpur, Plymouth, Bombay. A lista é infindável. Até já temos gin made in Açores, o Azor Gin.

Os entendidos na preparação do gin seguem uma série de regras de ouro:

  • Torcer uma tira de casca de limão por cima ou no rebordo do copo e adicioná-la à bebida. A ideia não é deixar o gin a saber a sumo de limão, por isso não convém colocar a rodela inteira do citrino, mas apenas uma tira de casca sem a parte branca. Para além disso, o sumo de limão torna o gás da água tónica mais fraco.
  • Tendo em conta que o gás é elemento fundamental do gin tónico, ao preparar-se o gin deve-se verter  a água tónica por cima de uma colher torcida. Também não de deve mexer o gin tónico depois de pronto, apenas dar uma volta ao copo com a colher e muito lentamente.
  • Para evitar que os cubos de gelo derretam rapidamente e deixem o gin aguado, devem usar-se  cubos de gelo grandes e consistentes. Convém também acabar de se beber o gin antes de o gelo derreter.
  • Da mesma forma que o gin não tem de ser apenas de origem inglesa, a água tónica não tem de ser Schweppes. Existe a opção Fever Tree, que é surpreendente.
  • Quanto ao tipo de copo a utilizar,  o gin tónico não deve ser bebido num copo alto mas sim num copo de balão porque tem uma boca mais larga e quando se saboreia sentem-se melhor os aromas que estão no copo. Mas o que é certo é que os Ingleses continuam a servir os gins em copos altos.

Como esta semana se tem mostrado muito quente e solarenga, o gin tem sido apreciado ao fim de tarde e na companhia do mais recente livro de Joel Neto, A Vida no Campo. Natureza, sossego, boas leituras e um copo de gin são excelentes companheiros!

Esta minha versão de gin não tem a presença de citrinos, mas de micro pepino e de especiarias. Ora vejam!

gin com cuca melon, pimenta rosa e anis estrelado

 

Gin com Cuca Melon, Pimenta Rosa e Anis Estrelado

 

Ingredientes

Para cada copo:

  • 4 ou 5 cubos de gelo (quanto maiores os cubos melhor)
  • 2  a 3 micro pepinos (cuca melon) – originários da Quinta Biológica do Ti Canoa
  • 2 bagas de zimbro
  • 1 estrela de anis, pimenta rosa
  • 5 cl de Gin
  • 20 cl de água tónica

Preparação

Inserir no copo as pedras de gelo.

Dar uma volta com uma colher de bar para arrefecer as paredes do copo de balão ou utilizar um copo previamente arrefecido 

Verter 5 cl de gin através de uma colher de bar. Se não tiver este tipo de colher retorcida, incline o copo e deixe que o gin deslize lentamente. A quantidade máxima de gin deve ser 6,5 cl. A cima disso, a bebida saberá muito a gin. Abaixo disso, saberá muito a água tónica.

Colocar rodelas de pepino (utilizei micro pepinos cuca melon).

Colocar as bagas de zimbro, ligeiramente apertadas entre os dedos para libertarem sabor, uma estrela de anis e uns grãos de pimenta rosa.

Adicionar 20 cl de água tónica neutra. (A água tónica, à semelhança do gin, é um mundo. Há águas mais e menos amargas e há, inclusive, tónicas com sabores)

Saboreie de imediato!

 

Bom fim de semana!

 

E do velho se fez novo… Falafel com Atum


Os Falafel são bolinhos vegetarianos originários do Medio Oriente, cujo ingrediente principal é o grão-de-bico. Fi-los para o workshop ‘Tapas Gourmet’, que dinamizei este mês de agosto na Loja DEBORLA da ilha Terceira, como poderão ver aqui. Hoje, trago uma versão diferente, com atum, como aproveitamento de dois lombos de atum que assei no forno, cujo tempero seguiu esta receita de cavala, que se encontra sempre no top ten das receitas mais visualizadas do blogue. No frigorífico havia também sobras de grão e de batata, de uma refeição de bacalhau-com-todos. E porque sou totalmente contra o desperdício, do velho se fez novo!

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Falafel com Atum

Poderão encontrar esta e outras ardósias de servir nas lojas DeBORLA.

Micro pepinos originários da Quinta Biológica do TiCanoa

 

Falafel de Atum com Cuca Melon

Ingredientes

  • 2 lombos de atum assado no forno (300 g aprox.)
  • 200 g de grão de bico cozido
  • 200 g de batata cozida
  • 150 g de farinha T65 + para polvilhar as mãos
  • 1 colher de chá de fermento Royal
  • 1 cenoura raspada
  • 1 ovo
  • 1 cebola média
  • moinho de 5 pimentas
  • sal
  • salsa picada
  • cebolinho picado
  • óleo ou azeite para fritar

Preparação

  1. Coloque a cebola num robot de cozinha e triture finamente.
  2. Junte as postas de atum, o grão e a batata cozida e triture bem.
  3. Adicione o ovo, a cenoura raspada, a farinha, o fermento e misture bem.
  4. Termine com a salsa, o cebolinho, o sal e a pimenta. Envolva bem.
  5. Polvilhe as mãos com farinha e faça os falafel de atum do tamanho que entender.
  6. Leve a fritar em óleo quente.
  7. Sirva com maionese e com salada. (Servi com pequenos pepinos crocantes, denominados Cuca Melon).

Falafel com Atum

Falafel com Atum