No Knead Bread em Dia Mundial do Pão

Hoje celebra-se o Dia Mundial do Pão. Esta celebração iniciou-se em 2006  quando a kochtopf criou um evento denominado de  WBD – World Bread Day.  Todos os anos é, assim, lançado um desafio a todos os foodbloggers de todo o mundo: a confeção de pão.
Nesta ordem de ideias, resolvi trazer-vos o pão mais básico que existe: o Pão de Água, através de uma receita que quase nem nos obriga a sujar as mãos e que não recorre a máquinas de pão ou a robôs de cozinha de espécie alguma. Intrigados? Então, sigam-me.

Esta é a receita do “No Knead Bread ou Pão sem Amassar, a minha receita base de pão. Poderá adaptá-la a outras farinhas, mais ou menos integrais, e adicionar diferentes sementes.

A receita original vem de Jim Lahey, da Sullivan Street Bakery, em Nova York. Segundo ele, qualquer pessoa consegue fazer pão grande, fofinho e com crosta estaladiça, desde que respeite quatro procedimentos importantes:

  • 1. Basta envolver todos os ingredientes gentilmente com uma colher, apenas o suficiente para a farinha absorver toda a água, o que fará com que a massa fique com ar no seu interior. Não é preciso amassar nada!
  • 2. A levedura, 1 a 2 horas.
  • 3. O forno deve estar bem quente.
  • 4. A massa deve ser cozida dentro de um tacho fechado e previamente aquecido, de preferência de ferro fundido ou barro, porque são criadas as condições de humidade ideais para que o pão cresça bastante e fique bem fofinho.

5

IMG_2097.JPG

1.JPG

2.JPG

3

0.JPG

000

World-Bread-Day-2017-featured

Ingredientes para cada pão de água 

  • 500g de farinha de trigo
 sem fermento (T65)
  • 400g de água morna
  • 1 colher de chá de sal integral
  • 12g de fermento de padeiro fresco

Preparação

  1. Num recipiente grande coloque a farinha.

2. Misture a água morna com o sal e o fermento. Mexa bem até diluir o fermento e o sal. De  seguida acrescente ao recipiente da farinha.

3. Envolva tudo com uma colher de pão. Não misture demasiado. Apenas misture até que a farinha absorva toda a água.

4. Cubra com um pano e deixe levedar 1 a 2 horas.

5. Pré-aqueça o forno a 200ºC, juntamente com a panela onde vai cozer o pão.

6. Polvilhe a bancada com um pouco de farinha e coloque a massa em cima. Dobre a massa ao meio e novamente ao meio.

7. Polvilhe o fundo do tacho com um pouco de farinha e coloque a massa lá dentro com a dobra para baixo.

8. Faça um corte superficial na parte superior da massa usando uma faca afiada.

9. Feche o tacho e leve ao forno durante 25  a 30 minutos. No final desse tempo, retire a tampa e deixe cozer mais 15 a 20 minutos para criar uma boa crosta.

Deixar arrefecer antes de cortar.

receita adaptada daqui

Anúncios

Peras caramelizadas com molho de romã

As Romãs são muito benéficas para o nosso organismo.  Estas excelentes fontes de vitamina A, C, E e ácido folico são conhecidas principalmente por ajudarem na diminuição das doenças coronárias, mantendo uma boa circulação do fluxo sanguíneo, protegendo contra a formação de coágulos e diminuindo o nível de colesterol; por auxiliarem os ossos, protegendo contra a osteoporose e osteoartrites; por possuírem poder anti-bacteriano e antiviral,  reduzindo a placa bacteriana, combatendo doenças da cavidade bucal; por terem poder antioxidante, protegendo o organismo contra o aparecimento de doenças oncológicas, e ajudando no combate à reprodução das células cancerígenas.

Como vêem, existem só vantagens ao consumirmos romãs.

A receita de hoje combina duas frutas das quais gosto muito: as peras e as romãs. Mas desenganem-se se acham que a pera é a rainha da festa. Nada disso. Esta apenas permite que a romã mostre o seu glamour!

Aceitei o desafio da Marta Dionísio, autora do blogue Intrusa na Cozinha, e dediquei o desafio do mês de outubro à romã.

Peras caramelizadas com molho de romã

1.JPG

4.JPG

Ingredientes

  • 4 peras
  • 1 romã (bagos)
  • 1 chávena de sumo de romã
  • 1/2 chávena de vinagre
  • 1/4 chávena de manteiga
  • 1/2 chávena de açúcar
  • pitada de sal
  • 8 folhas de menta ou ou de hortelã para guarnecer

Preparação do Molho

Em lume brando cozinhe o sumo de romã com o vinagre até engrossar.

Abra a romã e retire-lhes os bagos. Reserve.

Pré-aqueça o forno a 200ºC.

Lave as peras, corte-as no sentido longitudinal e retire-lhe o caroço. Descascá-las é facultativo. Cubra-as com água para que não escureçam.

Enquanto o molho engrossa, coloque numa frigideira de ferro fundido (ou outra que possa ir ao forno ( toda em inox, sem cabos de madeira), a manteiga, o açúcar e o sal. Deixe que ferva, mexa até que o açúcar caramelize.

Coloque na frigideira as oito metades de pera com a face lisa para baixo e regue-as com o açúcar caramelizado. Tape e leve leve ao forno 30 minutos ou até as peras estarem cozinhadas.

Retire do forno e deixe assentar durante 10 minutos.

Sirva morno, regando as peras com o açúcar caramelizado e o molho de romã.

Guarneça com folhas de menta ou de hortelã.

3

5

Outras receitas com romã:

Cheesecake

https://foodwithameaning.wordpress.com/2012/01/09/cheesecake-de-roma/

Salada de fruta 1

https://foodwithameaning.wordpress.com/2016/09/25/porque-quando-se-trata-de-salada-de-fruta-nao-ha-regras/

Salada de fruta 2

https://foodwithameaning.wordpress.com/2016/01/29/salada-de-fruta-com-lemon-curd/

Água aromatizada

https://foodwithameaning.wordpress.com/2016/01/11/e-o-1o-workshop-deborla-deste-ano-foi-assim/

Bolo

https://foodwithameaning.wordpress.com/2014/12/30/bolo-d-amelia-para-a-tradicao-do-menino-mija/

Pavlova

https://foodwithameaning.wordpress.com/2013/12/30/pavlova-de-ananas-e-roma-para-a-mesa-da-passagem-de-ano/

Salada verde

https://foodwithameaning.wordpress.com/2013/01/25/o-cozinheiro-de-breaking-bad-e-uma-salada-colorida/

 

 

Pãezinhos de Queijo com Polvilho Doce

Existe uma grande variedade de produtos feitos a partir da mandioca, sendo um deles o polvilho. Tanto o polvilho doce como o azedo são fécula de mandioca. Como permanecem algumas dúvidas quanto a estes ingredientes, resolvi proceder a alguns esclarecimentos que poderão ajudar na interpretação de algumas receitas.

  • Fécula: quando proveniente de partes subterrâneas das plantas(tubérculos, raízes e rizomas)..
  • Amido: extraído das partes aéreas comestíveis das plantas (grãos, sementes)
  • Fécula de mandiocaGoma e Polvilho doce são sinónimos. Porém, o termo técnico correto é: fécula de mandioca.
  • Fécula de mandioca (polvilho doce) e polvilho azedo: a diferença está na fermentação que o azedo passa, o doce não é fermentado.
  • Polvilho Azedo: produto diferente, tem como base a fécula de mandioca. Fermentado por 15-40 dias por ação de microrganismos e acidez deve chegar a 5%.
  • Goma de mandioca: fécula de mandioca humidificada.
  • Glúten: a mandioca não tem glúten naturalmente. Logo, os polvilhos também não devem ter.
  • Calorias: Cerca de 100g tem 340kcal

Informações recolhidas e adaptadas daqui

E agora apresento-vos os nossos Pãezinhos de Queijo com Polvilho Doce

1.JPG

Ingredientes

  • 500 g de polvilho (fécula de mandioca) doce
  • 1/2 chávena de leite (120ml aprox.)
  • 1/2 chávena de água
  • 1/2 chávena de óleo
  • 2 ovos
  • 200g de queijo ralado (3/4 de queijo tipo ilha – S. Jorge+1/4 de queijo flamengo)
  • sal a gosto (1 colher de café)

Preparação

  1. Ferva o leite e a água com o óleo e o sal, e escalde o polvilho, mexendo com uma colher de pau.
  2. Deixe arrefecer.
  3. Acrescente os outros ingredientes e amasse bem.
  4. Faça bolinhas e leve a cozer em forno previamente aquecido (200ºC) durante 30 minutos.

2.jpg

4.JPG

 

E já cá canta mais um ano!

Os aniversários são sempre motivos de comemoração, mesmo quando já somos adultos e perdemos algum entusiasmo e euforia presente nos aniversários infantis. Mas, se pensarmos com mais algum cuidado, cada vez que celebramos mais uma aniversário é-nos dada a regalia de nos vermos envelhecer. E isso é positivo. Em primeira análise, poderão achar esta observação estranha, mas poder contar muitos anos nem sempre é  privilégio para algumas pessoas. Que este aniversário seja mais um incentivo para que eu continue a encarar a vida como um copo “meio cheio” e não meio vazio, como um mundo de aprendizagem e de novas possibilidades.  Fazer anos é sempre uma contagem crescente em sabedoria, maturidade e gratidão.
Partilho, então convosco a sobremesa do meu aniversário.
Cheesecake de Figo
 
1
Ingredientes  para a base (forma de 20 cm de diâmetro)
  • 300 g Bolachas Digestivas
  • 4 colheres Manteiga Amolecida
  • licor de figo
Ingredientes para o recheio
  • 400 g Queijo Quark
  • 400 ml Natas vegetais
  • 5 folhas Gelatina Hidratadas
  • 2 c. sopa Sumo de Limão
  • 4 c. sopa bem cheias de Açúcar 
  • 2 c. chá Essência de Baunilha
Ingrediente para a cobertura
  • compota de figo com canela e cardamomo
Preparação
1. Pique bolachas digestivas no processador, junte a manteiga, um cálice de licor de figo e amasse tudo. 
2. Unte a forma de aro amovível com manteiga, no fundo e nas laterais.
3. Forre a forma com esta base de bolacha e leve ao frio enquanto prepara o recheio.
4. Numa taça, leve ao micro-ondas as folhas de gelatina hidratadas num pouco de água e misturadas com sumo de limão. Deixe dissolver durante cerca de 10 segundos, mexa e reserve.
5. Coloque o queijo quark numa taça, junte as 2 colheres de açúcar e a essência de baunilha, bata tudo e acrescente depois a gelatina dissolvida. Envolva bem e reserve.
6. Numa taça, bata as natas,  até começarem a armar. Nessa altura, aromatize com umas gotas de sumo de limão, adoce com duas  colheres de açúcar, e continue a bater.
7. Quando estiverem prontas, junte as natas ao preparado de queijo e envolva-os na perfeição. Verta por cima da base de bolacha, alise e leve ao frigorífico durante um mínimo de 4 horas.
8.  Retire agora a forma do frigorífico e preencha o cimo de cheesecake com compota de figo, nivelando para que fique uniforme.
9. Leve de novo ao frio e desenforme apenas na altura de servir. Decore com figos frescos.
2
4

Espuma de uva…em Dia Um…Na Cozinha

Nesta edição de “Dia Um… na Cozinha”, o desafio pretendia contemplar o Outono e uma das frutas prodígio desta estação: AS UVAS ! Entre doces e salgados, surgiu a ideia de uma espuma, leve e tentadora. Uma quase nuvem de algodão, que se desfaz no paladar, e nos leva a pensar que estamos a saborear uma mousse.

2

1

Ingredientes para 4 pessoas

  • 150 g de uva preta congelada sem a semente
  • 100 g de açúcar branco granulado ou em pó
  • 1 colher de sopa de sumo de limão
  • 1 clara

 

Preparação no robô de cozinha- Bimby

1. Pulverize o açúcar iniciando na vel 5 até à 9, ou utilize o açúcar em pó (de compra)

2. Adicione as uvas congeladas e triture 30seg. na vel. 5.

3. Sem retirar o preparado do copo, coloque a borboleta e bata as claras  com o sumo de limão  durante 3 minutos na velocidade 3 1/2, até que obtenha uma espuma tipo merengue.

Sirva de imediato.

Se sobrar, guarde no congelador e sirva como gelado.

3

Logotipo Dia Um... Na Cozinha Outubro de 2017

Os lanches sabem melhor quando somos muitos

00.JPG

A pergunta de ordem feita à rapaziada foi:

-” O que vos apetece para o lanche?”- questionei.

E surgiram várias sugestões em catadupa. Foram atendidos dois desejos. A pequenada ficou feliz e nem reparou que com a mesma massa confecionei as waffles e os crepes. 

Afinal, é tão fácil contentar a miudagem!

Ingredientes

  • 1 litro de leite 
  • 6 ovos médios (4 XL)
  • 50 g de manteiga
  • 1 colher de sobremesa de aroma de baunilha
  • 1 colher de café de sal
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • um toque de raspa de limão ou de laranja ( faz toda a diferença)
  • 300 g de farinha com fermento
  • 100 g de farinha de aveia

Preparação

1. Leve a manteiga a derreter no micro-ondas, na tigela onde irá preparar a massa. 
2. Junte os ovos e o açúcar e bata-os com uma vara de arames.
3. Adicione o aroma de baunilha, o sal e 1/3 da farinha. Vá batendo.

4. Vá juntado a farinha e o leite aos poucos até estes terminarem.

5. Para os crepes, aqueça uma frigideira anti-aderente em lume médio.
6. Pincele-a com um pouco de manteiga ou óleo e, com uma concha, colocar massa suficiente para cobrir todo o fundo da frigideira de forma homogénea.
8. Assim que o crepe começar a revirar os bordos deve virar-se para o dourar do outro lado.

9. Para as waffles, aqueça as máquinas (apresento dois formatos diferentes), pincele ambos os lados das placas com manteiga ou use óleo em spray (mais prático) e encha a base da máquina com a massa, de acordo com as instruções da mesma. Deixe cozinhar cerca de 2 minutos e retire.

 

Acompanhe com o que mais apetecer: fruta, manteiga,compota, gelado, molhos de chocolate, morango ou caramelo, etc. 

Polvilhe com açúcar em pó para um toque final mais apetitoso.

3

2

Pudim light de ananás

Há sobremesas que simplesmente não conseguimos parar de comer. É o caso desta que vos trago hoje. Fi-la pela primeira vez há muitos anos, quando vivia na ilha do Faial, e andava com a mania das dietas e do ginásio, e contava as calorias a toda a hora. Foram os 30. Os 40 trouxeram-me outra serenidade, apesar de continuar preocupada em apresentar refeições saudáveis. Voltando à receita, esta sobremesa é um pudim de ananás que foi confecionado imensas vezes e que, de um momento para o outro, caiu no esquecimento, porque outras sobremesas se foram impondo, fruto do gostar de experimentar novas propostas. E enganem-se se pensam que contém leite condensado ou natas. Nada disso. Usei leite evaporado. Trata-se de um tipo de leite concentrado, desidratado, do qual foi retirado mais de metade de água, cerca de 60%, por intermédio da evaporação. Ao contrário do leite condensado, este não contém açúcar, nem tem uma textura tão espessa e cremosa. O leite evaporado surgiu da necessidade de facilitar o transporte e o armazenamento do leite. Foi o norte-americano Gail Borden que, tentando desidratá-lo, descobriu que, antes de transformar-se em leite em pó, o produto se tranformava em leite condensado. A invenção de Borden, patenteada em 1856, só foi valorizada quando estourou a Guerra Civil Americana, quatro anos depois. Ele transportou para as tropas leite em pó e leite vaporizado  – e depois colocou esses produtos no mercado, enriquecendo à custa disso.

Histórias à parte, apresento-vos o pudim de ananás mais fácil e rápido do mundo. Faz-se em apenas oito a  dez minutos, sem contar com o tempo de refrigeração, claro.

IMG_8956 - Cópia

Ingredientes

  • 1 lata de leite evaporado
  • 1 lata de ananás aos pedaços ou às rodelas ou ananás natural
  • 1 saqueta de gelatina de ananás normal ou 0% açúcar (light)

 

Preparação no robot de cozinha

Coloque o sumo da lata do ananás (300 ml) no copo da Bimby e marque 4 minutos, Varoma. Quando o sumo estiver quase a ferver, junte-lhe o pó da gelatina de ananás. Marque 1 minuto, velocidade 4. Adicione o leite evaporado e marque 1 minuto, velocidade 4. Verta para uma taça. No copo da máquina, coloque o ananás e triture-o até ficar com a consistência de desfiado. Vá verificando. Junte o conteúdo da taça ao copo e marque 1 minuto, velocidade 3. De seguida, passe a feiticeira, da Tupperware, por água e verta o pudim para a forma. Tape e leve a refrigerar entre 3 a 4 horas, até solidificar.

Preparação tradicional

Coloque num tacho o sumo da lata de ananás  e leve a ferver. Adicione o pó da gelatina e mexa até dissolver. Junte o leite evaporado mexa e reserve.

Numa picadora, triture o ananás até ficar com a consistência desfiada. Junte ao preparado anterior e envolva.

De seguida, passe a feiticeira, da Tupperware, por água e verta o pudim para a forma. Tape e leve a refrigerar entre 3 a 4 horas, até solidificar.

IMG_8951