Um padrão florido…

Diapositivo5

Dou muito valor a quem acredita na agricultura biológica, pois estas pessoas sabem que estão a investir na sua saúde e na de quem adquire os seus produtos. É o caso da Quinta BioFontinhas, de Avelino Ormonde, que tem uma postura inovadora no contexto da agricultura regional.

No sábado passado, tive a oportunidade de adquirir as famosas saladas do Avelino e de conversar um pouco com este mestre da arte do equilíbrio através das plantas. Deste encontro, surgiu esta salada colorida e outra receita que publicarei em breve com um ingrediente muito sui generis, uma gentil oferta do Avelino.

Esta salada é muito simples de confecionar porque quando os ingredientes são de qualidade não há necessidade de se juntar muitos mais.

 

Diapositivo2

salada de baby-leaf com tomate seco, cajus e flores

Salada baby-leaf com tomate seco, caju e flores

  • Mix de folhas-bebé para saladas Biofontinhas (alface, rúcula, agrião, acelga…)
  • tomate seco conservado em azeite
  • Caju
  • flores comestíveis (chagas); poderão substituir por amores-perfeitos
  • Orégãos frescos
  • molho (1 parte de sumo de lima para 3 de azeite; 1 colher de sobremesa de mel; tomilho fresco)
  • sal de mesa

Disponha numa saladeira, ou numa travessa, a mistura de folhas para saladas. Corte pequenas tiras de tomate seco e junte às folhas. Tempere com sal.  Decore com cajus torrados salgados. Regue com o molho. Polvilhe a salada com orégãos frescos. Disponha as flores. Sirva de imediato.

Diapositivo1Diapositivo4

Chocolate, Moscatel e Mascarpone combinam?

A resposta é sim. A prova está à vista. Da combinação do chocolate, do vinho moscatel e do queijo mascasporne resultou este bolo de consistência fofa, que foi feito a pensar nos lanches de fim de semana. Será que chega a domingo?

bolo de chocolate, moscatel e mascarpone

O apontamento encarnado que as cerejas de calda imprimiram na decoração foi inspirado no vermelho das papoilas que se apoderaram de parte do meu jardim. Não as apanho para as minhas jarras. Gosto de apreciá-las em toda a sua pujança de cor.

papoilas

Ingredientes para o bolo

4 ovos grandes

180 g de açúcar

200 g de queijo mascarpone

200 g de cacau em pó

100 ml de vinho moscatel

300 g de farinha

1 colher de chá de fermento para bolos

manteiga para untar a forma

farinha para polvilhar a forma

Ingredientes para a cobertura

1 tablete de chocolate branco (200 g)

1 pacote de natas (200 ml)

raspas de chocolate de culinária para a decoração

cerejas em calda

 

Preparação do bolo

1. Pré-aqueça o forno a 180ºC.

2. Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma de bolo de chaminé

3. Bata as gemas com o açúcar durante 3 minutos.

4. Junte o queijo mascarpone e  bata mais 1 minuto.

5. Adicione o cacau e o vinho moscatel e misture.

6. Junte a farinha peneirada e o fermento.

7. Bata as claras em castelo e envolva no preparado.

8. Deite na forma e leve ao forno a 180ºC cerca de 40 minutos ( o tempo vai depender do forno).

9. Desenforme e deixe arrefecer totalmente sobre uma rede antes de decorar.

Preparação da cobertura

1. Em banho-maria, derreter o chocolate branco e, depois juntar as natas e mexer muito bem. Poderão derreter o chocolate no micro-ondas, partido numa tigela, com intervalos de 30 segundos, mexendo sempre entre sessões.

Obs. Se gostarem de uma cobertura mais fluída como a que utilizei, tipo calda, levem a ganache de chocolate branco ao microondas, cerca de 15 segundos.

bolo de chocolate, moscatel e mascarponebolo de chocolate, moscatel e mascarponebolo de chocolate, moscatel e mascarponebolo de chocolate, moscatel e mascarpone

Workshop_ Saladas Alternativas_

cartaz

A maior parte das pessoas que cozinham diz-me que mais difícil do que cozinhar é pensar no que se vai fazer. O mesmo acontece no tópico saladas. Apesar de existirem infindáveis versões, quando se pensa em salada visualiza-se a alface, o tomate e a cebola. Este workshop serviu para abrir horizontes neste campo das saladas, porque há imensas alternativas aos ingredientes habituais. Apenas temos de aprender a conjugar ingredientes.

As saladas confecionadas ontem foram as seguintes:

  • Salada Coleslaw com camarão e delícias do mar
  • Salada de Quinoa com cogumelos selvagens e queijo parmesão
  • Salada de Lentilhas com bacalhau
  • Salada Baby-Leaf com salmão fumado, amêndoa e queijo feta
  • Salada Marroquina de Cuscuz

Hoje, partilharei convosco a salada de Quinoa com Cogumelos Selvagens e Queijo Parmesão, uma vez que foi uma das favorita. A quinoa é uma semente de uma planta originária do peru. É conhecida como o grão de ouro. É um dos alimentos mais completos que existem por conter  proteínas, carboidratos, ferro, fósforo, cálcio e fibras. Para além disso, a quinoa não contém glúten e é extremamente baixa em calorias, sendo, assim, ótima para regimes alimentares de emagrecimento.

salada de quinoa

Salada de quinoa com bacon, cogumelos selvagens e lascas de parmesão

Ingredientes

  • 1 chávena de quinoa
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 embalagem de bacon aos pedacinhos (marca Continente)
  • 1 embalagem de presunto aos cubinhos (marca Continente)
  • Flocos de chili
  • 1 dente de alho
  • Cogumelos selvagens
  • ( frescos ou congelados)
  • 1 colher de chá de tomilho fresco
  • Lascas de queijo parmesão para guarnecer

Preparação

Num tacho, coza a quinoa , em  duas chávenas de água a ferver com  sal, durante 10 a 15 minutos até ficar tenra. Numa frigideira, coloque o azeite e o alho picado. Deixe alourar o alho e adicione  os pedacinhos de bacon. Junte os cogumelos e os flocos de chili. Tempere com sal, pimenta e tomilho. Misture este preparado com a quinoa cozida e guarneça com lascas de queijo parmesão.

salada de quinoa

Se estiverem interessados (as) em verem as fotos do workshop, nomeadamente as outras saladas confecionadas, poderão clicar abaixo.

link

Uma Boa Semana!

Patrícia

The world is too much with us

Gosto muito de flores e conseguir tê-las em vários cantos da casa é motivo de cor e de felicidade. Apenso a este gosto está o de jarras e jarrinhas, vasos e vasinhos. Tenho uma predileção especial por flores selvagens, talvez por viver rodeada do contraste entre a natureza cuidada e a selvagem. Com um pequeno passo saio do conforto do relvado domesticado e começo uma aventura entre arvóres, plantas e ervas que nunca foram domadas. Este último é o meu jardim favorito. Dele saíram estas flores de cor lilás que enchem de luz o vaso branco. Lá, percebo o verdadeiro poder da natureza. Lá, lembro-me, muita vez, do poema “The world is too much with us”, do poeta inglês William Wordsworth, e penso no  afastamento e na falta de sintonia entre o Homem e a Natureza. E esta natureza consegue ser tão apaziguadora. O meu jardim selvagem contrasta, assim,  com o frenesim tecnológico da nossa sociedade, cada vez mais voltada para valores superficiais, interessada apenas em acumular riquezas para depois gastá-las em bens materiais. Neste poema, o sujeito poético refere que seria menos infeliz se pudesse ter o tipo de relacionamento com a natureza que os homens da Antiguidade tiveram com Proteus e Tritão. Aqui, William Wordsworth lamenta esse afastamento, que sentia em finais do século XVIII. Tão atual esta realidade!

Agora percebo porque trago estes apontamentos de mundo selvagem para o meu mundo “civilizado”.

The World is too much with us

 

The world is too much with us; late and soon,

Getting and spending, we lay waste our powers;

Little we see in Nature that is ours;

We have given our hearts away, a sordid boon!

This Sea that bares her bosom to the moon,

The winds that will be howling at all hours,

And are up-gathered now like sleeping flowers,

For this, for everything, we are out of tune;

It moves us not.–Great God! I’d rather be

A Pagan suckled in a creed outworn;

So might I, standing on this pleasant lea,

Have glimpses that would make me less forlorn;

Have sight of Proteus rising from the sea;

Or hear old Triton blow his wreathed horn.

 

William Wordsworth

flores selvagens

Chego a casa com o meu braçado de flores selvagens e ajeito-as num vaso. De seguida, penso que devo partilhar a sua beleza singela com o mundo e alertar para a falta de sintonia que existe em tantos aspetos das nossas vidas.  De que melhor forma posso chamar a vossa atenção se não com a imagem de uma tarte tentadora? Desculpem-me a estratégia publicitária. Afinal, vivo num mundo tecnológico.

tarte de amendoimtarte de amendoim

Quem gostar de tartes com bases de bolacha, esta é a ideal. O interior contempla ovos, manteiga de amendoim e leite condensado.Os amendoins salgados terminam a tarte, envolvidos num delicioso creme de caramelo.

Ingredientes para a massa

2 pacotes de bolacha maria

80 g de manteiga

aroma de baunilha (duas colheres de chá)

1 cálice de angelica(vinho licoroso açoriano)

manteiga para untar a tarteira

folha de papel vegetal

 

Ingredientes para o recheio

2 ovos grandes

1 lata de leite condensado

sumo de uma lima

2 colheres de sopa de manteiga de amendoim

 

Preparação da massa e do recheio

1. Tritura-se a bolacha num robo de cozinha ou na picadora 1,2,3.

2. Mistura-se a manteiga, o aroma de baunilha e a angelica com  as mãos ou  num robô de cozinha.

3. Unta-se uma tarteira com manteiga. Forra-se o fundo com um círculo de papel vegetal.

4. Espalha-se  massa na tarteira, calcando-a.

5. Numa tigela, batem-se os ovos com o leite condensado. Junta-se a manteiga de amendoim e o sumo de lima. Verte-se por cima da bolacha.

6. Vai a cozer, em forno pré-aquecido,  durante 2o a 25 minutos (200 ºC).

 

Ingredientes para a cobertura

150 g de açúcar

8 colheres de sopa de leite

1 colher de sopa de manteiga

1 pacote de amendoins (200 g)

 

Preparação da cobertura

1. Leva-se o açúcar a caramelizar num tacho ou na frigideira.

2. Adiciona-se o leite e a manteiga. Deixa-se ferver até o caramelo estar todo diluído.

3. Juntam-se os amendoins. Mexe-se e verte-se por cima da tarte. Ajeitam-se os amendoins com uma ponta de faca de forma a que fiquem uniformes.

 

 

tarte de amendoim

Sirvam a tarte e deliciem-se com o sabor a caramelo e com o crocante dos amendoins salgados.

tarte de amendoim

Fiquem bem!

Em época de nêsperas…

Foi por mero acaso que encontrei este poema, em formato de declamação por Mário Viegas, enquanto viajava pelo You Tube. É um poema simples, mas repleto de substância no conteúdo, tal como este doce de nêspera que vos trago hoje. Conjuguei o poema às nêsperas, que se encontravam deitadas e muito caladas na minha fruteira.

 

RIFÃO QUOTIDIANO

“Uma nêspera

estava na cama

deitada

muito calada

a ver o que acontecia

 

chegou a Velha

e disse

olha uma nêspera!

e zás, comeu-a

 

é o que acontece

às nêsperas

que ficam deitadas

caladas

a esperar o que acontece.”

 

in “Novos Contos do Gin” de Mário-Henrique Leiria

doce de nêspera

Estamos no tempo das nêsperas e este frasco de doce resultou da segunda ronda de compotas feitas com este fruto. Nunca faço muita quantidade. Por norma, o doce rende dois ou três frasquinhos, que se conservam no frigorífico e se consomem na mesma estação. Esta versão ficou pouco doce, porque as nêsperas eram ligeiramente mais ácidas e também porque intencionalmente não quis acrescentar muito açúcar.

No último workshop DeBorla, com a temática Finger Food, partilhei este doce conjugando-o com tostas melba e queijo de ovelha curado. Sem dúvida, uma ideia para a sua utilização  para além da convencional com pão.

doce de nêspera

doce de nêspera

Para esta receita, dei-me ao trabalho de retirar a pele às nêsperas todas, o que se caracterizou por um trabalho cansativo e desnecessário. Nem imaginam o que eu barafustei.
Passemos então à receita!

Ingredientes

1300 g de fruta descascada e descaroçada, cortada a meio
500 g de açúcar
1 pau de canela

Preparação
Misturar todos os ingredientes numa panela alta, para evitar salpicos, e deixar que o açúcar derreta e ferva conjuntamente com a fruta.
Em lume médio, e mexendo de vez enquanto, deixa-se o doce encorpar e apurar.
Estará pronto, quando colocado numa colher, e já frio, escorrer ligeiramente.

doce de nêspera

Mimos para a Mãe

Como vos disse no post anterior, o passado sábado foi dia de workshop no DeBorla-Terceira. Desta vez, esta iniciativa foi inteiramente dedicada às mães. Estiveram presentes algumas pessoas que conheci em workshops anteriores, e que têm repetido a experiência, e outras pessoas que tive o prazer de encontrar pela primeira vez. Como já vem sendo hábito, todas as participantes inscritas, e não inscritas, participaram no workshop de diversas formas: seguindo atentamente as instruções, ajudando na preparação das receitas, colocando questões, trocando impressões comigo e com as amigas que as acompanharam. Foi um fim de tarde de partilha de saberes e experiências na cozinha.

As sugestões de prendas para a mãe foram as seguintes:

Bombons de morango

bombons de morangobombons de morango

Bombons de morango

(100 g de chocolate rendem cerca de 12 bombons)

Partir uma tablete de chocolate branco aos pedaços; colocar o chocolate numa taça de vidro e levar a derreter em banho-maria ou no micro-ondas. Se optar por derreter o chocolate no micro-ondas, deverá respeitar intervalos de 30 segundos, mexendo sempre vigorosamente entre as sessões (3 no máximo)

Adicionar ao chocolate corante em gel e mexer até se obter cor uniforme.

Colocar a mistura em formas de silicone. Encher até 2/3. Colocar 2 ou 3 pedacinhos muito pequenos de morango fresco. Acabar de encher a forma. Agitar ligeiramente os bordos da forma para o chocolate assentar e serem libertadas possíveis bolhas de ar que tornarão o chocolate inestético.

Açúcar aromatizado

açúcar aromatizado com canela e cardamomo

Açúcar aromatizado com canela e cardamomo

Juntar 10 partes de açúcar para uma do aromatizante (baunilha, canela, cardamomo, anis, alfazema, etc.)

Pisar o produto aromatizante num almofariz (neste caso a canela e o cardamomo, este último já sem casca);  peneirar e guardar em frascos, em lugar seco, cerca de 10 dias antes da primeira utilização.

&

Beijinhos de amêndoa e côco

Beijinhos de amêndoa e côcoBeijinhos de amêndoa e côcoBeijinhos de amêndoa e côco

Beijinhos de amêndoa e côco

180 g de côco

140 g de amêndoa picada torrada

1 lata de leite condensado

Torrar a amêndoa ligeiramente (no forno ou na frigideira); deixar arrefecer totalmente.

Triturar a amêndoa no 1,2,3 ou no robô de cozinha até ficar em pó.

Misturar o côco, a amêndoa e o leite condensado muito bem.

Fazer bolinhas e envolvê-las em côco ralado simples ou colorido.

 

Dica:

Como colorir côco ralado em poucos minutos?

Colocar o côco dentro de um frasco, juntar um pouco de corante em gel, fechar o frasco e agitar muito bem até que a cor fique uniforme.

&

Esfoliante de açúcar mascavado, mel e lima

esfoliante de açúcar mascavado mel e lima

Esfoliantes

  • Esfoliante facial e corporal de açúcar, mel e lima

Misture 2 colheres de sopa de mel com 2 colheres de sopa de açúcar  e raspa de meia lima.
Passe sobre o rosto e/ou no corpo massajando com movimentos circulares.
Deixe agir por alguns minutos e enxague com água fria.

 

  • Esfoliante corporal de açúcar mascavado e azeite

Misture duas colheres de sopa de açúcar mascavado, duas colheres de sobremesa de  farelo de trigo, sumo de meio limão e duas colheres de sopa de mel ou de azeite.
Aplique no corpo com movimentos suaves e circulares massajando por 1 minuto. Enxague com água fria.

 

&

Sal aromatizado

sal aromatizadosal aromatizadosais e azeite aromatizados

Sais aromatizados

– Preparação em robô de cozinha

Receita 1.

No copo de um robô de cozinha, colocar 50gr de sal grosso, 1 colher de chá de piripiri, 1 colher de chá de pimenta preta moída ou em bagas, 2 folhas de louro, sem o veio central, grãos de mostarda, duas colheres de sobremesa de pólen, duas colheres de sopa de alho em pó e dois cravinhos. Pressionar o turbo três vezes e retirar do copo. Juntar 250gr de sal grosso e envolver. Colocar em frascos e guardar.

 

Receita 2.

No copo de um robô de cozinha, colocar 50gr de sal grosso, 1 colher de chá de pimenta rosa, 1 ramo de alecrim e outro de tomilho. Pressionar o turbo três vezes e retirar do copo. Juntar 250gr de sal grosso e envolver. Colocar em frascos e guardar.


– Modo tradicional
(em almofariz): esmagar as especiarias no almofariz; reservar; esmagar o sal até que fique  com a consistência desejada. Juntar tudo e envolver. Colocar em frascos e guardar.

 

Dica: poderão apenas triturar todos os ingredientes com os 50 g de sal inicial e não juntar o restante sal. Ficarão com um mix muito aromático para temperar carnes várias. Será então necessário conferir o tempero de sal posteriormente, quando estiverem a desenvolver a vossa receita.

&

Azeite aromatizado

azeite aromatizado

Azeites aromatizados

Receita 1.

Coloque dentro de cada frasco um dente de alho esmagado, uma folha de louro, uma colher de sopa de pimenta rosa, dois cravinhos e um pé de rosmaninho. Encha os frascos com azeite e deixa repousar umas 2 ou 3 semanas para incorporar melhor os aromas.

Receita 2.

Coloque dentro de cada frasco um dente de alho esmagado, uma folha de louro, malaguetas (piripiri), pimenta da Jamaica e folhas de manjericão. Encha os frascos com azeite e deixa repousar umas 2 ou 3 semanas para incorporar melhor os aromas.

 

Nota. Os recipientes para os sais, azeites e esfoliantes poderão ser decorados com fitas de cetim em forma de laço e com rótulos decorativos com a descrição do conteúdo dos frascos. Os bombons e os beijinhos poderão ser oferecidos em pequenas caixinhas decoradas com um laço de cetim.

 

Votos de uma Excelente Semana!

Patrícia

Workshop “Mimos para a Mãe”

O dia amanheceu radioso e cheio de luz. De facto, há muitos dias que o sol fazia falta. Por este e outros motivos, tudo indica que o workshop de hoje à tarde tem a atmosfera necessária para ser muito agradável. As receitas estão escolhidas, os ingredientes e os utensílios encontram-se selecionados. Não vão faltar também ideias para prendinhas para as queridas mães.

Amanhã, conto-vos tudo!

Para já, deixo-vos o cartaz.

Workshop_MimosParaMãe_Terceira_2Maio_ cartaz

Quiche de carne, cogumelos, pimento e tomilho

Os dias chuvosos pedem sofás com mantinhas e fornos com comida de conforto a fumegar. Hoje, nesta 24ª Edição do Dia Um… Na Cozinha, em que o tema proposto é “quiches e tartes salgadas”, trago para o desfile uma tarte na qual o ingrediente principal são as sobras de carne assada . Acompanhámos a quiche com uma salada verde. Uma delícia reconfortante saboreada num dia frio e chuvoso.

Diapositivo1

Diapositivo3

Ingredientes

(para 6 tarteletes e uma quiche com 20m cm de diâmetro)

Sobras de carne de vaca assada (desfiada)

8 ovos

1 pacote de natas

1 colher de café de sal grosso

mistura de cinco pimentas

mistura de especiarias barbecue (Lidl)

chili flakes (Lidl)

1/2 pimento encarnado

3 cogumelos frescos

tomilho fresco

1 base retangular de massa folhada

Preparação

1. Desfia-se a carne de vaca assada. Reserva-se.

2. Laminam-se os cogumelos e o pimento. Reservam-se.

3. Batem-se os ovos e adicionam-se as natas, o sal, a mistura de cinco pimentas e a mistura de especiarias para barbecue.

4. Junta-se a carne e os pimentos ao preparado anterior, reservando algumas tiras de pimentos para a decoração.

5. Desenrola-se a base de massa folhada e com as formas das tarteletes cortam-se seis unidades. Amassa-se e estende-se a massa folhada que sobrou e faz-se um círculo de massa do tamanho do tarteira de vidro (a minha tinha 20 cm de diâmetro).

6. Pincelam-se as formas e a tarteira com azeite e forram-se com a massa folhada.

7. Enchem-se com o preparado e decoram-se com os cogumelos.

8. Polvilham-se as tarteletes e a quiche com chili flakes e folhinhas frescas de tomilho.

9. Leva-se ao forno, pré-aquecido a 200 ºC, (apenas com a resistência inferior) durante 30 minutos as tarteletes e 40 minutos a quiche.

Diapositivo5

Bom apetite!

logo maio (1)

Victoria Sponge Cake em data feliz

E volto com o tema da comemoração de uma data feliz. Como todos nós sabemos, quando há festa de aniversário, o bolo é presença obrigatória. Este ano, a minha menina desejou que o bolo tivesse uma princesa. Pedido aceite. O desafio de fazer este bolo foi concretizado por esta mãe que colocou todo o seu empenho na elaboração do projeto. O melhor prémio foi ver a reação da filhota ao bolo dizendo: – Mãe, tu conseguiste! Está ainda mais bonito  do que o bolo que imaginei!

A festa com os amiguinhos foi um sucesso, muito à conta da presença de lollipops, cupcakes, bombons,  marshmellows e aperitivos. Quase já nem vale ter o trabalho de fazer sandes, mini-pizas e as tradicionais gelatinas. O que a miudagem deseja mesmo é brincar muito e, nos intervalos, comer guloseimas e beber muitos copos de refresco para retemperar as forças, que nunca lhes parecem faltar.

&

Já há muito tempo que queria confecionar o tradicional Victoria Sponge. Tinha até guardada para o efeito a receita da Rachel Allen. Nada melhor do que a data feliz da minha filha (que curiosamente também se chama Vitória) para concretizar este propósito. Um dois em um, portanto.

Victoria Sponge Princess Cake

Diapositivo3

Ingredientes

(fiz a receita por duas vezes)

  • 175 g de manteiga, amolecida (mais alguma para untar a forma)
  • 175 g de açúcar em pó
  • 3 ovos
  • 175 g de farinha sem fermento (mais alguma para polvilhar a forma)
  • 1 colher de chá de fermento para bolos
  • 1 colher de sopa de leite
  • 1 tigela com 18 cm de diâmetro
  • 1 forma redonda com 18 cm de diâmetro e fundo amovível
  • disco de papel vegetal para a forma redonda.
  • natas e compota de framboesa, morango ou mirtilo para o recheio do bolo
  • cobertura de baunilha (Betty Crocker vanilla frosting)
  • cobertura de morango  (Betty Crocker strawberry frosting)
  • bico de pasteleiro (1M da Wilton- para as rosas do vestido)
  • bico de pasteleiro (18 da Wilton- para os pormenores do peito do vestido)
  • uma boneca
  • um laço
  • pérolas rosa
Preparação

  1. Aquecer o forno a 180°C , untar a tigela e a base da forma redonda com manteiga; colocar o disco de papel vegetal na base da forma redonda.
  2. Bater muito bem a manteiga . Juntar o açúcar e continuar a bater até a mistura estar fofa e esbranquiçada.
  3. Em outra tigela, bater muito bem os ovos. Adicioná-los gradualmente ao primeiro preparado. Acrescentar a farinha e o fermento. Juntar o leite e incorporar tudo muito bem sem bater.
  4. Colocar na tigela e na forma untadas e enfarinhadas.
  5. Levar a cozer. Após meia hora, verificar a cozedura com um palito. Se sair seco, o bolo está cozido. Deixar arrefecer nas formas pelo menos 10 minutos, passar uma faca nos rebordos dos bolos e remover para uma rede de arrefecimento até estar completamente frio.
  6. Cortar a meio o bolo feito na forma redonda. Cortar em três partes o bolo feito na tigela.
  7. Rechear cada camada com 3 ou 4 colheres de sopa de compota, seguida de uma camada de natas batidas bem firmes.
  8. Para montar o bolo, colocar na base o bolo feito na forma redonda. Em cima deste, colocar as camadas de bolo cozinhadas na tigela. Abrir um buraco a meio, inserir a boneca, previamente despida e enrolada numa proteção de película aderente. Escolhi uma das Princesas da Disney da minha filha e como a boneca não se destina a este tipo de bolos era um pouco mais comprida do que o buraco feito no bolo. Sendo assim, e para cobrir a boneca com bolo até perto da cintura, coloquei um queque invertido no topo do bolo, obtendo assim a altura desejada. Desenhei rosas em parte do vestido. Na parte de baixo deste fiz uma barra branca. O peito do vestido foi igualmente decorado com branco.

fonte da receita

Diapositivo2

What’s for brunch? Ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa

Os sábados sabem bem se começarem de forma preguiçosa. Por norma não são assim. Caracterizam-se por ser madrugadores e rentabilizadores, mas hoje, feriado, e dia em que se comemora a liberdade, quisemos que a manhã começasse de forma lânguida, e sem planos. Não houve pequeno-almoço, mas um brunch delicioso feito nas minhas sertãs de ferro-fundido, objetos dos quais já não passo sem. A comida feita nelas é impressa de sabor a ruralidade e antiguidade. Assim, enquanto numa delas as fatias de bacon destilavam e crepitavam, na outra  os ovos mexidos, aromatizados com pimentas variadas, cebolinho e salsa, eram  confecionados. Esta refeição, preparada com ovos caseiros de galinhas felizes, fez  para nós todo o sentido.

ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos caseirosovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa

Ingredientes

8 ovos

1 embalagem de bacon fatiado (Continente)

cebolinho

salsa

chili flakes

mistura de cinco pimentas

sal q.b.

azeite

Preparação

Numa taça, batem-se os ovos inteiros com recurso a uma vara de arames. Pica-se o cebolinho e a salsa e adiciona-se aos ovos. Tempera-se com sal, mistura de cinco pimentas e um pouco de chili flakes para conferir um toque ligeiramente picante.

Verte-se este preparado para uma frigideira quente, à qual se adicionou um fio de azeite, e espera-se que os ovos comecem a cozinhar. Mexe-se constantemente com uma colher de pau até que os ovos estejam prontos e ainda ligeiramente húmidos.

Abre-se a embalagem do bacon e corta-se o comprimento das fatias de bacon em quatro partes iguais. Descolam-se os pedacinhos de bacon um a um e adicionam-se à frigideira. Deixam-se destilar e tostar sem deixar secar demasiado.

Misturam-se os pedacinhos de bacon aos ovos e serve-se em cima de fatias de pão caseiro.

ovos mexidos com bacon, cebolinho e salsaovos mexidos com bacon, cebolinho e salsa