Madalenas de domingo

Os domingos querem-se caseirinhos e calmos, de preferência na companhia da família e no sofá com mantinha. Por vezes, também representam tempo para lanches demorados. Estas madalenas suculentas, feitas com laranjas do nosso pomar, foram o nosso lanche de domingo, acompanhadas com um chá delicioso, que me foi oferecido recentemente. São as pequenas coisas, os pequenos momentos que transformam a vida em algo grandioso. Aproveitemos então as bênçãos da vida!

Madalenas de Laranja

1

2

Ingredientes

  • 4 ovos médios
  • 140 g de manteiga com sal
  • 300 g de açúcar
  • 350 g de farinha com fermento
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 colher de café (rasa) de bicarbonato de sódio
  • sumo e raspa de duas laranjas grandes

Preparação

  1. Bata o açúcar com a manteiga até obter um preparado cremoso.
  2. Adicione um ovo de cada vez, batendo entre cada adição.
  3. Junte a raspa e o sumo das laranjas.
  4. Numa taça, misture a farinha com o fermento e o bicarbonato e peneire. Adicione ao preparado anterior e envolva.
  5. Coloque colheres de massa em formas de alumínio preenchidas com forminhas de papel.
  6. Leve a cozer a 180ºC ,em forno previamente aquecido, durante 15 a 20 minutos. (não deixe secar demasiado)

5

4

Glühwein

diapositivo3

Qualquer pessoa que tenha visitado um mercado alemão ou austríaco na época do Natal conhece o Glühwein. Caracteriza-se por ser um vinho quente aromatizado com laranja e especiarias . A sua origem está associada a países com invernos muito rigorosos sendo, por vezes,  confundido com bebidas como o mulled wine, a versão inglesa e a bebida preferida das festas da Inglaterra Vitoriana, o glogg , um preparado sueco à base de vinho aquecido com açúcar e bebidas destiladas, servido em copos com amêndoas e uvas passas e o eggnog  ou posset também originário de Inglaterra. Este último começou a se consumido no século XIV e ganhou popularidade quando a receita foi levada pelos Pilgrims para as colónias americanas, passando a ser considerado como a bebida das classes populares.  O mesmo aconteceu com o mulled wine.

Se no passado a utilização no vinho de especiarias e de açúcar em excesso  servia, por vezes, para disfarçar um vinho de menor qualidade, hoje estes ingredientes conferem vida e perfume a estas bebidas. 

Sirva o Glühwein num dia frio e, de preferência, partilhe-o com amigos.

Glühwein

diapositivo1

Ingredientes

  • 3/4 chávena (180 ml) de água
  • 3/4 chávena (150 g) de açúcar
  • 1 canela em pau
  • 3 sementes de cardamomo
  • 1 laranja ou 4 tangerinas
  • 8 cravos-da-índia inteiros
  • 3 estrelas de anis
  • 1 (750 ml) garrafa de vinho tinto de qualidade (utilizei Mula Velha)
  • 2 cálices de vinho do Porto (facultativo)
  1. Numa panela, misture a água, o açúcar e o pau de canela. Leve a ferver, diminua o lume e mantenha a água fervendo em lume baixo.
  2. Corte a laranja ao meio e esprema o sumo sobre a água enquanto esta ferve. Fure a casca da laranja com os cravos-da-índia e coloque a laranja com os cravo na água em ebulição. Mantenha a panela ao lume  até que a água esteja com a consistência de uma calda doce.
  3. Misture o vinho, aumente o lume, mas não deixe o vinho ferver.
  4. Retire do lume e deixe descansar durante 1 hora.
  5. Coe  e sirva o Glühwein em canecas ou em copos pré-aquecidos.

diapositivo2

Gallete des Rois pour mes amis

Cá nos Açores, nós temos a tradição do “menino-mija”, da qual já falei aqui. A expressão é estranha e até um pouco grosseira para quem a ouve pela primeira vez. No entanto, entre o dia 25 de dezembro e o dia de Reis, este ano prolongado pelo fim de semana, todas as famílias açorianas recebem em suas casas amigos, os quais são brindados com as bebidas e as doçuras típicas da época. Esta galette fez parte da mesa num destes convívios natalícios.
Galette des Rois de Chocolate Negro e Frutos Secos
diapositivo1
Ingredientes
  • 2 bases de massa folhada
  • 150 g de chocolate de culinária
  • 120 g de manteiga
  • 95 g de avelãs grosseiramente trituradas
  • 100 g de açúcar em pó
  • 2 ovos
  • 85 g de farinha de noz
  • 1 gema
  • 1 c. (sopa) de leite
Preparação
1. Leve as avelãs a torrar com ou sem pele. Utilizei uma frigideira para o efeito, mas poderá utilizar o forno. Mexa de vez enquanto. Retire a pele. Deixe arrefecer e triture-as grosseiramente. Reserve.
2. Parta o chocolate de culinária em pedaços e leve a derreter no microondas (1 minuto e 10 segundos- 900watts) ou em banho-maria. Junte a manteiga e mexa até esta se fundir no chocolate.
3. Junte a farinha de noz, as avelãs e o açúcar em pó. Envolva.
4. Adicione os ovos inteiros à mistura anterior e envolva bem.
5. Coloque esta mistura no frigorífico por 15-20 minutos para ganhar consistência.
6. Pré-aqueça o forno a 200ºC.
7. Forre um tabuleiro com papel vegetal e reserve.
8. Bata a gema com o leite e reserve.
9. Disponha uma das bases de massa folhada sobre o papel vegetal e com uma faca corte em toda a volta até formar um circulo perfeito com cerca de 28 cm de diâmetro (poderá usar uma forma de bolo para cortar o círculo de massa). Descarte a massa que sobra.
10. Pincele o rebordo da massa com a gema de ovo, em toda a volta e com uma margem de 2cm.
11. Disponha o creme de chocolate e frutos secos sobre a massa folhada e espalhe, alisando a superfície com uma espátula e deixando cerca de 1-2 cm de massa livre em toda a volta (onde pincelou com a gema).
12. Coloque a outra base de massa folhada sobre o creme, alise bem com as mãos e sele as extremidades pressionando ligeiramente com as pontas dos dedos.
13. Corte novamente o excedente de massa fazendo um círculo perfeito.
14. Pincele a superfície da galette com a gema de ovo e use a ponta de uma faca para desenhar algumas riscas sem perfurar a massa.
15. Com um palito faça alguns furos para que o ar saia e a massa folhe de maneira uniforme.
16. Leve a galette ao forno durante 30-35 minutos.
17. Retire do forno e sirva ainda morna ou fria.
diapositivo2
 diapositivo3
Receita e texto da mesma adaptados daqui.
diapositivo1
Votos de um ano de 2017 muito feliz para todos os leitores do Food With a Meaning.

The sweetest Christmas tree

Quando existem crianças pequenas em casa, temos de mantê-las ocupadas com atividades interessantes, de preferência que não envolvam o contacto com tecnologias, porque neste campo os estímulos são vários. Por isso, sempre que posso, gosto de lançar-lhes desafios que impliquem algum trabalho manual, atenção e criatividade. Lembrei-me de fazer uma árvore de natal feita de bolachas, que tinha visto, o ano passado, elaborada pelo Célio Cruz neste post. O autor do blogue Sweet Gula, por sua vez, adaptou a receita de Jamie Oliver, publicada na revista Jamie Magazine issue #53 de Novembro de 2014. Construir esta árvore acabou por ser mesmo um desafio, que implicou várias etapas e um exercício de paciência aquando da montagem da árvore, com a colocação das bolachinhas.

Boas Festas!

5

1

2
3
Ingredientes
250 g de manteiga c/ sal
200 g de açúcar mascavado
4 c. (sopa) de golden syrup
4 c. (sopa) de maple syrup
600 g de farinha s/ fermento
2 c. (chá) de bicarbonato de sódio
4 c. (chá) de gengibre em pó
2 c. (chá) de canela em pó

raspa e sumo de 1 laranja

1 clara de ovo
250 g de açúcar em pó

Método Tradicional
Num tacho pequeno, derreta a manteiga juntamente com o açúcar, o golden e o maple syrup. Reserve.
Numa taça misture a farinha, o bicarbonato de sódio, as especiarias e a raspa de 1 laranja.
Adicione a mistura de manteiga derretida e comece a amassar, ao mesmo tempo que vai adicionando aos poucos o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.

Retire e deixe arrefecer numa grelha.

Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. Bata as claras em castelo até formarem picos.
Sem deixar de bater adicione o açúcar aos poucos e bata até obter um merengue brilhante e bem espesso.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Método Thermomix – Bimby
Coloque no copo, a manteiga, o açúcar, o golden e o maple syrup e programe (2min/37ºC/vel2).
Adicione a farinha, o bicarbonato, as especiarias e a raspa de 1 laranja. Programe (15seg/vel6).
Retire a massa para uma bancada e acabe de trabalhá-la. Com as mãos amasse um pouco, ao mesmo tempo que adiciona o sumo de laranja, até obter uma massa homogénea e moldável.
Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frio no mínimo por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Forre com papel vegetal 2 tabuleiros de forno.
Polvilhe uma bancada com farinha e estenda a massa, até atingir uma espessura de cerca de 2mm.
Com os cortadores em forma de estrela, corte as bolachas e coloque-as nos tabuleiros.
Leve ao forno cerca de 8 -10 minutos, ou até que comecem a ficar douradas.
Retire e deixe arrefecer numa grelha.
Prepare o merengue que vai ser a sua “cola”. No copo limpo e seco coloque a borboleta, adicione a clara do ovo e programe (2min/vel3,5). Nos últimos 30seg. adicione o açúcar aos poucos pelo bocal.
Com uma cartolina, de preferência de cor escura, forme um cone com cerca de 50 cm de altura.
Forre o cone com película aderente e coloque sobre um prato.
Usando o merengue como “cola”, comece a cobrir o cone com as bolachas, usando as maiores na base e as mais pequenas no topo. Decore a gosto e deixe secar algumas horas.
Nota: Poderá cobrir algumas bolachinhas com glace.
4

Aletria para a Mesa de Natal…um clássico

A palavra aletria provém do árabe hispanizado alaṭríyya ou aliṭríyya, e do árabe clássico iṭriyah. É uma massa alimentícia, de fios finos, utilizada para fazer sopas e doces. A palavra “aletria” é equivalente à italiana ou francesa “vermicelle”.

O Llibre de Sent Soví, um conjunto de dois manuscritos do século XIV, em catalão, contém a compilação de 200 receitas, entre as quais existem duas com “alatria”. A aletria provavelmente foi trazida para a Península Ibérica pelos mouros, no século VIII ou IX. Manteve-se em Portugal e foi incorporada na culinária portuguesa, passando a designar a massa de fios muito finos, com a qual se prepara um doce típico de Natal, presente em quase todas as regiões do país, mas com variações na receita: com mais ou menos massa, com ou sem gemas, mais consistente e compacta, para se poder cortar à fatia, ou mais cremosa, para ser saboreada à colher. Também no Brasil, a aletria é usada em doces e sopas, sendo também conhecida como “macarrão cabelo de anjo”. Aqui nos Açores, a aletria não é um doce típico do Natal, por isso, apenas está presente nas mesas dos habitantes do continente português.

Tradicionalmente, a aletria é servida em travessas ou em pratos individuais, como o arroz doce, mas desta vez resolvi apresentá-la  em copo de martíni ou de cocktail, como exige a elegância desta época festiva.

Boas Festas!

aletria_foodwithameaning

aletria_foodwithameaning

Ingredientes para oito copos/doses

  • 250 g açúcar+1 colher de chá de açúcar
  • 4 c. sopa de açúcar baunilhado
  • 1,2 l leite
  • 200 g de aletria
  • 4 gemas
  • 2 c. sopa de manteiga
  • 1 pau de canela
  • cascas de limão sem a parte branca (usei de laranja)
  • Canela em pó para polvilhar

Preparação tradicional

1. Deite o leite num tacho, juntamente com a manteiga, a casca de limão ou de laranja, o pau de canela e o açúcar.
2. Vá mexendo. Quando começar a ferver, junte a aletria.
3. Envolva e deixe cozer entre 5 a 7 minutos. Retire do lume e deixe amornar.
4. Bata as gemas numa tigela, adicione-as à aletria, envolva e leve novamente ao lume para cozinhar, mexendo energicamente, até obter uma mistura cremosa.
5. Deite num prato ou travessa, retirando a casca de limão/laranja e o pau de canela.
6. Quando a aletria estiver fria, polvilhe com canela em pó.
Preparação em robô de cozinha (Bimby)
1. Insira a borboleta. Coloque o leite, os açúcares, as cascas do limão/laranja e o pau de canela e programe 10 min/90°C/Counter-clockwise operation/vel Gentle stir setting
2. Adicione a aletria partida em pedaços, envolva com a espátula e programe programe 25 min/90°C/Counter-clockwise operation/vel Gentle stir setting
3. Bata as gemas numa tigela com uma colher de chá de açúcar e reserve.
4. Programe 5 min/90°C/Counter-clockwise operation/vel Gentle stir setting e vá incorporando as gemas, através do bocal da tampa. Deite o preparado numa travessa, retire as cascas, o pau de canela e deixe arrefecer. Polvilhe com canela em pó.
aletria_foodwithameaning
aletria_foodwithameaning+
aletria_foodwithameaning
Poderá encontrar estes copos de martíni na loja DeBORLA mais perto de si.

Decoração de Mesas de Natal…MESA 2

Como vos tinha prometido no último post, apresentar-vos-ei algumas ideias para a decoração da vossa mesa de Natal.
Para a elaboração desta mesa foram utilizados na totalidade produtos que pertencem ao catálogo de Natal das lojas DeBORLA.

Esta mesa, montada no workshop do mês passado “Decoração de Mesas de Natal”, elegeu os tons cinza (nos atoalhados e em parte da loiça) conjugados com apontamentos vermelhos. O castiçal prateado, com cinco braços e velas brancas, tornou imponente o centro da mesa. Ao torno deste foram dispostos elementos vermelhos, que lembram as bagas festivas de azevinho. Os copos, de água e de vinho, de modelos e cores diferentes, registam um estilo moderno e eclético.

mesa de natal_foodwithameaning

mesa de natal_foodwithameaning

mesa de natal_foodwithameaning

mesa de natal_foodwithameaning

Boas Festas!

Brincando às mesas de natal…

Uma das coisas que mais aprecio é pôr uma mesa, especialmente quando se trata de um jantar temático. Há pouco tempo, tive a oportunidade de partilhar algumas dicas no âmbito das mesas de jantares formais, através de um workshop que ministrei na loja DeBORLA aqui da ilha Terceira. Para o efeito concorreu a informação aprendida numa formação que frequentei o ano passado sobre Mesas de Honra e Regras de Protocolo, dinamizada pelo formador Paulo Pires, uma iniciativa do Serviço Educativo do Museu de Angra do Heroísmo. Nos próximos dias partilharei aqui no blogue fotos de mesas de natal. Esta, de hoje, foi preparada cá em casa, para servir de mote às restantes.

Fica aqui a mesa 1. O arranjo de mesa (feito por mim com adereços  vários) e a loiça são da Loja DeBORLA.

Loiça e arranjos DEBORLA

Loiça e arranjos DEBORLA

Loiça e arranjos DEBORLA

Loiça e arranjos DEBORLA

Loiça e arranjos DEBORLA

Prometo trazer-vos mais sugestões para as mesas de Natal em breve.