Sumo detox de manga, chocolate e água de côco

Os sumos detox são uma combinação fácil de vários alimentos tais como frutas, verduras, sementes e raízes, especialmente escolhidos por serem ricos em fibras, vitaminas, minerais e detentores de propriedades antioxidantes e desintoxicantes.

Apesar de os sumos detox possuírem alto valor nutritivo, estes não devem substituir as refeições. Deverão ser tomados em jejum ou ao lanche. É importante que o exercício físico e uma alimentação rica e equilibrada continuem como prioridade.

Ingredientes ricos em clorofila: couve, agrião, espinafres, salsa e hortelã, etc.

Ingredientes ricos em fibras e vitaminas: maçã, laranja, limão, morango, maracujá, abacaxi, kiwi, cenoura, beterraba, etc.

Ingredientes termogénicos: gengibre; canela; cafeína; pimenta; chá verde, etc.

Ingredientes ricos em minerais, fibras e proteínas: sementes (linhaça; chia; girassol; quinoa; papoila, etc.).

Líquidos para a base do sumo: água mineral, água de coco e chás diversos.

Sumo Detox Energético de Manga, Chocolate e água de côco

workshop Supersumos_Foodwithameaning

Este sumo é ideal quer para o pré  ou o pós treino, uma vez que é rico em energia.

Ingredientes

– 1 Manga, 1 Banana, 200 ml água de côco, 1 quadrado de chocolate preto (70%), 2 a 3 avelãs ou nozes, 1 colher de sopa de farelo de trigo ou muesli.

Para preparar o sumo, triture os ingredientes num liquidificador ou num robô de cozinha. Se a água de coco ou os chás estiverem presentes na receita, elimine o uso de água. Açúcares e adoçantes também devem ser evitados.

Com este sumo detox, participo nesta edição de agosto de Dia Um…Na Cozinha, subordinada ao tema: Sumos Detox.Logotipo Dia Um... Na Cozinha Agosto2015

Um petisco açoriano…

A craca é uma formação calcária incrustada na rocha dos litorais marinhos. Existe em todas as ilhas do arquipélago dos Açores. É apanhada em mergulho de apneia, entre os três e os dez metros de profundidade, com recurso a pequenos machados metálicos, para separar a formação calcária do crustáceo da rocha de residência, onde vivem em formações do tipo colónia ou isoladamente. No âmbito da gastronomia, caracteriza-se por ser um petisco que é servido na carta de mariscos de muitos restaurantes. A sua confeção é simples e o segredo está em cozinhá-la com água do mar.

Cracas dos Açores

Cracas dos Açores

Ingredientes

Cracas, alho, pimenta malagueta, salsa e água do mar.

Preparação

Devem ser cozidas em água do mar para que mantenham o verdadeiro sabor.

Numa panela, cobrem-se as cracas de água, junta-se alho, salsa e pimenta malagueta q.b.; ferve 15 minutos. Retira-se para uma travessa e deixa-se arrefecer.

Na degustação, após remover o crustáceo do interior do habitat, o que se faz utilizando um pequeno gancho, tipo espeto, aconselha-se beber a água do interior do nicho onde se encontrava o crustáceo.

Uma delícia!

Cracas dos Açores

As cracas não são vendidas aos peso mas aos bicos. Por isso, convém escolher os crustáceos maiores. O preço difere se as comprarmos cruas ou cozidas, mas caracteriza-se por ser acessível.

Com esta receita, um petisco tipicamente açoriano, participo no passatempo do blogue Cozinha100segredos.

Bom apetite!

Gelado de iogurte e lemon curd

No verão, os gelados são presença habitual, por serem frescos e cheios de sabor. Apesar de este mês me encontrar a aproveitar dias de descanso junto da família, e de a cozinha estar, por esse motivo, a meio-gás, apeteceu-me um gelado refrescante e cremoso, que faz lembrar, segundo a minha filha, o Corneto de Limão da Olá. Para isso, contribuíram, sem dúvida, o limão e o iogurte.

3

Ingredientes para o gelado

4 iogurtes naturais

2 iogurtes de aroma de limão

2 pacotes de natas

300 g de açúcar em pó

Modo de preparação

1. Numa taça, bater as natas até estarem consistentes.
2. Adicionar o açúcar em pó.
3. Juntar os iogurtes e bater tudo com a batedeira.
4. Fazer uma camada de gelado, outra de lemon curd, outra de gelado e terminar com lemon curd.

Utilizar apenas metade do lemon curd.Guardar o restante no frigorífico num frasco para utilizar como topping na altura de servir.

5. Colocar a mistura no congelador num recipiente com tampa.
Passadas duas horas, retirei o gelado do congelador e mexi-o com uma colher de pau para destruir os cristais de gelo. Voltei a colocá-lo no congelador. Repeti este procedimento novamente duas horas depois.

 

Ingredientes para o lemon curd

160 g de açúcar

2 limões

60 g de manteiga

2 ovos

Preparação na Bimby

Coloque no copo o açúcar e pulverize 20 Seg/Vel. 9

Junte as cascas de limão (só a parte amarela) e rale 15 Seg/Vel.9.

Adicione a manteiga, o sumo dos limões e marque 1Minuto/Vel.2.

Junte os ovos e misture 10 Seg/Vel.4.

De seguida, programe 7 Minutos/80ºC/Vel.2. Retire, deixe arrefecer e guarde em frascos esterilizados, no frigorífico.

gelado de limão com lemon curd

Salada de baby-leaf, salmão fumado, feta e amêndoa

Este é um exemplo de uma salada que por si só é uma refeição completa, que se enquadra em todos os contextos e ambientes. Para além disso, é de fácil preparação. Por ser muito fresca, é ideal para dias de verão, altura em que as ementas se querem rápidas e despretensiosas. Afinal, há que aproveitar uns dias de descanso, sol, campo e mar. Se esse não for o caso, esta salada é igualmente uma ótima sugestão para levar na marmita para o trabalho.

Experimentem-na e digam se a salada também vos surpreendeu!

17


Salada Baby-leaf com salmão fumado, nozes e queijo feta

Ingredientes

  • Mistura de folhas para saladas (alface, rúcula, agrião, acelga…)
  • Salmão fumado
  • Gomos de laranja
  • Amêndoa torrada
  • Sementes de abóbora tostadas
  • Queijo feta
  • Orégãos

Confeção

Disponha numa saladeira a mistura de folhas para saladas. Corte pequenas tiras de salmão fumado e junte às folhas. Descasque gomos de laranja e adicione. Termine com amêndoas torradas, sementes de abóbora e cubinhos de queijo feta. Regue com azeite e sumo de lima. Polvilhe a salada com orégãos ou com raminhos de funcho fresco.

Ice wine… o vinho mais caro do mundo

Ice wine_foodwithameaning

O icewine, ou o vinho que veio do gelo, é considerado uma obra-prima da vitivinicultura. Um néctar cujo rendimento é tão baixo que uma videira chega a produzir apenas uma garrafa. Por isso, o seu sabor é tão recheado de aromas e, muitas vezes, é bebido como sobremesa ele próprio. Também por isso, é o vinho mais caro do mundo.

O ‘vinho do gelo’ terá surgido de forma acidental na Alemanha no final do século XVIII (entre 1774 e 1794). Conta a estória que o proprietário alemão de uma vinha esteve afastado da vinha em negócios e quando voltou a casa no tempo da colheita as uvas estavam congeladas na vinha. Mesmo assim ele apanhou-as e fez o processamento normal, dando origem ao que chamou o vinho de Inverno. Foi um acidente feliz.

O eiswein manteve-se durante muito tempo um segredo alemão, sendo consumido principalmente no país. Só na década de 1960 é que a produção se começou a espalhar por toda a Europa.

No Canadá, um imigrante alemão Walter Hainle terá produzido o primeiro ice wine também ‘sem querer’ e depois em 1984 a Inniskillin lançou o primeiro icewine com intenção comercial.

Ice wine_foodwithameaningIce wine_foodwithameaning

Globalmente, o ice wine tem de ser produzido a partir de uvas que foram deixadas na videira muito para além da época normal, congelando devido às baixas temperaturas que se fazem sentir no Inverno nessas regiões. Os açúcares e outros sólidos dissolvidos não congelam, mas a água sim, permitindo um mosto mais concentrado já que é prensado a partir das uvas ainda congeladas. Os cristais de água ficam na prensa resultando numa menor quantidade de vinho mas mais concentrado, muito doce e com elevada acidez. No ice wine o congelamento acontece assim antes da fermentação e não depois.

A vindima do ice wine é feita normalmente em Dezembro e até Janeiro (mas não pode iniciar-se antes de 15 de Novembro) colhendo-se manualmente as uvas congeladas e que deverão ser prensadas num processo contínuo sempre a temperaturas de -8° Celsius ou menores. Por isso, a vindima é feita muitas vezes durante a noite para garantir a temperatura necessária, que anda normalmente entre os -10° e os -13° Celsius para se conseguir o açúcar e sabor ideais.

fonte do texto

Ice wine_foodwithameaning

A garrafa de ice wine foi trazida do Canadá, numa das nossas viagens a este país, que ainda tem tanto para nos mostrar. Ter tido a oportunidade de visitar uma das quintas que produz estas vinhas e de ter comprado a garrafa diretamente ao produtor foi um dos pontos altos altos da viagem.

Resolvi servir este vinho precioso em copos de gelo, recorrendo para isso a uma forma de silicone. Os nossos amigos adoraram a ideia e sentiram-se privilegiados por terem tido a oportunidade de degustar este néctar raro. Este é daqueles vinhos que só devem ser servidos a pessoas muito especiais.

Mousse de lima para as amigas

Ainda me lembro da pior sobremesa que fiz como se tivesse sido hoje. Foi uma mousse de Kiwi. O nome até é ao mesmo tempo sugestivo e intrigante, mas no amadorismo da altura, não levantei fervura aos kiwis e o ácido destes destruiu por completo o que para mim era uma inovação e uma sobremesa a apreciar pela sua invulgaridade. Enfim, saiu algo completamente intragável, sem textura definida. Acabou por ser também uma autêntica deceção coletiva porque foi uma sobremesa que levei para um jantar de amigos, em casa da Paula, quando vivíamos todos na ilha do Faial.
Devem estar a pensar neste momento o que é que o relato do meu desastre culinário tem a ver com a receita de hoje. Pouco. Toda esta história serviu para vos dizer que foi esta minha amiga Paula que me deu a receita desta mousse de lima que, no meu entender, é fantástica.

É importante referir que qualquer pessoa que goste de citrinos irá apaixonar-se por esta mousse.

mousse de lima_foodwithameaning

Também é relevante mencionar que qualquer pessoa que não aprecie sobremesas muito doces ficará igualmente apaixonada por esta receita. Foi o que aconteceu há dias atrás quando a confecionei para levar para um almoço de amigas.

mousse de lima_foodwithameaningmousse de lima_foodwithameaning

Deliciem-se, então, com a receita.

Ingredientes para 6 pessoa

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 pacotes de natas
  • 3 limas
  • 3 folhas de gelatina

Modo de confecionar
1. Raspar a casca das três limas para um pratinho. Reservar.
2. Misturar no leite condensado o sumo das três limas e mexer com a batedeira.
3. Bater as natas frias sem adicionar açúcar até ficarem consistentes.
4. Dissolver a gelatina  em pouca água morna e juntá-la às natas.
5. Juntar as natas batidas à mistura de leite condensado e sumo de lima e bater com a batedeira.
6. Colocar numa taça grande ou em taças individuais e decorar com a raspa da lima.

mousse de lima_foodwithameaning

Bom fim de semana!

Chocolate and Moka Dessert in a jar

Esta é a receita ideal para aproveitamento de bolo de chocolate. De forma rápida e simples, construímos uma sobremesa que pode ser consumida de imediato ou refrigerada uma ou duas horas. Como se trata de uma sobremesa em camadas, convém utilizar uma taça transparente. Eu optei pelos frascos, porque facilitam a arrumação no frigorífico e na mala térmica, se a intenção for levar uma sobremesa deliciosa para um piquenique. Denominei-a de Chocolate and Moka Dessert in a jar, porque quando pensei nesta sequência de ingredientes foi em língua inglesa que me surgiu o nome. Ser professora de inglês “obriga-me” a estas coisas. O próprio nome do blogue, Foodwithameaning,  é também prova de que esta minha segunda língua gosta de marcar presença no meu dia-a-dia.

Partilho, então, convosco, esta tentação!

Workshop_Piquenique

Sobremesa de chocolate e moka em frasco

Ingredientes

  • bolo de chocolate ( 5 ou 6 fatias)
  • 2 pacotes de natas (utilizei Novaçores)
  • 1 lata de leite condensado cozido
  • 1 ou 2 colheres de sopa de café solúvel granulado
  • 1 colher de café de aroma de baunilha
  • bolachas digestivas
  • 1 pacote de frutos secos salgados (marca continente)*

*este pacote para além de amendoins, caju, amêndoas e nozes, contém também, sultanas e alperces.

Preparação

1. Fazer, comprar ou aproveitar 5 ou 6 fatias de um bolo de chocolate;

2. Esfarelar parte do bolo para uma tigela;

3. Bater natas (previamente refrigeradas) até ficarem consistentes; adoçar com açúcar em pó a gosto e juntar uma colher de café de aroma de baunilha e uma ou duas colheres de sopa de café solúvel granulado; bater até formar o chantilly moka.

4. Desfazer bolachas digestivas com as mãos. Reservar.

5. Colocar o bolo esfarelado no fundo de um frasco;

6. Dispor umas colheres de leite condensado cozido, batido previamente numa tigela, até se ver a camada;

7. Colocar uma camada de bolacha esfarelada;

8. Dispor uma camada de bolo;

9. Colocar uma camada de chantilly de moka;

10. Terminar com um topping de frutos secos salgados, triturados grosseiramente.

 

Nota. Poderão repetir camadas, alterar-lhes a ordem ou optar por fazê-las mais altas.

Workshop_Piquenique

E o ponto alto (e quente) do workshop foram os S’Mores

Fazer S’mores não é difícil, mas requer alguma atenção para se evitarem queimaduras. A receita de S’mores é transmitida ao longo dos anos no seio das famílias norte-americanas e nos acampamentos de escuteiros. Nestes, o centro do universo caracteriza-se por ser mesmo a fogueira. Onde há fogueira e churrasco existem então S’mores. Não há melhor maneira de começar uma noite do que com a família e amigos reunidos ao redor da fogueira, cada um a preparar o seu S’more.

A fim de apreciar devidamente esta combinação de bolacha, chocolate e marshmallow, considerem terem histórias prontas para contar, quer elas sejam heróicas, de fantasmas ou cómicas. A diversão proporcionada pela confeção do S’More dará o mote a tudo o resto. Não se apresse na experiência. Desfrute da companhia de todos, rindo de si e dos outros tentando comer esta sanduíche pegajosa e deliciosa ao mesmo tempo.

No workshop de sábado, o ambiente foi assim. De comer e pedir mais (some more=s’more).

Workshop_Piquenique_S'MoresWorkshop_PiqueniqueWorkshop_Piquenique
Picnic S’mores

Ingredientes

  • Bolachas Crackers (água e sal)- da receita tradicional constam as Graham Crackers
  • Quadrados de chocolate (de leite, negro ou com frutos secos)
  • 1 embalagem de marshmallows grandes

Preparação

  • Dispor as bolachas numa travessa;
  • Colocar um quadrado de chocolate em cima de cada bolacha;
  • Dourar os marshmallows numa chama, espetados num garfo, até obterem cor uniforme, evitando queimar; utilizei um recipiente de confecionar chouriço-à-bombeiro, álcool e um acendedor elétrico.
  • Colocar os marshmallows quentes em cima do chocolate e terminar com outra metade de bolacha.
  • Servir assim que o chocolate comece a derreter.

Os S’mores podem ser feitos no micro-ondas.

Aqueça os seus marshmallows NO MICROONDAS. Este não os irá tostar como o fogo, mas irá torná-los quentes e moles.

Tenha cuidado porque o microondas faz com que o interior do marshmallow fique muito quente. E também poderá fazê-lo explodir. Supervisione o aquecimento.

Workshop_Piquenique_ S´Mores

Lembrem-se sempre do seguinte: os S’mores são destinados a serem divertidos e saborosos!

Estou mesmo a precisar de sumos detox…

Na minha cidade, Angra do Heroísmo, estão a decorrer as festas Sanjoaninas. Por este motivo, muitos têm sido os excessos cometidos nestes dias. Em consequência disso, esta semana, resolvi introduzir na minha rotina  alguns sumos detox, todos tomados pela manhã em jejum. O corpo agradece.

A receita que partilho hoje convosco tem na sua composição chá de hibisco. Este chá é preparado com o cálice do botão seco da flor chamada Hibiscus Sabdariffa, que não é aquela espécie de hibisco normalmente encontrada nos nossos jardins. Devido a esta planta, a bebida é rica em substâncias antioxidantes e ácidos orgânicos. Estes nutrientes comportam muitos efeitos benéficos, entre eles, a ação diurética, impedindo a retenção de líquidos, e a capacidade de evitar a acumulação de gorduras, principalmente na região da barriga e ancas. O consumo deste chá ajuda também a aumentar o colesterol conhecido como bom, HDL, diminuir o colesterol mau, LDL, triglicerídeos e a pressão arterial. Resolvi, por estes motivos todos, incluí-lo neste sumo detox.

workshop Supersumos_Foodwithameaning

Em cima, na foto, chá de hibisco e flor de hibisco cristalizada.

workshop Supersumos_Foodwithameaning

Sumo detox de morango e hibisco

Ingredientes

200g de frutos vermelhos congelados (utilizei morangos frescos)
sumo de 1 laranja
1 colher de sopa de gengibre (usei fresco)
1 colher de sopa de sementes de girassol
2 folhas de hortelã (usei 4)
1 colher de sopa de sultanas
200 ml de chá de hibisco

Preparação

Juntar todos os ingredientes no copo do liquidificador ou num robô de cozinha e triturar cerca de 2 minutos.
Servir o sumo com cubos de gelo.