O melhor lugar do mundo

O melhor lugar do mundo é a nossa casa, vi ainda há pouco num outdoor enquanto conduzia em direção a uma zona balnear. Concordei. É a nossa casa. Acrescentei: se ela se situar no sítio certo. E quando o sítio certo é uma ilha, ou ilhota, no meio do atlântico, esta aceção torna-se para muitos algo incompreensível. E sê-lo há. E respeito tais opiniões, pois aceito alguns dos fundamentos. Desde logo, vem à tona a insularidade e os preços mais elevados em quase tudo. Estes são factos relevantes, pois bastam algumas visitas ao continente português ou a sites online para chegarmos a essa conclusão. Ficarmos longe da confusão e do consumismo e estarmos com um pé no mar e outro no campo são para mim a razão pela qual escolhemos este lugar como o melhor do mundo. As empresas de turismo não se cansam de enaltecer os Açores como destino de eleição, apesar de para muitos estrangeiros e até para os cidadãos do continente português ficar mais em conta visitas a países mais longínquos do que à nossa região. São os voos low-cost e as estadias em resorts e hotéis de gabarito apregoados pelas agências que fazem divergir muitos turistas das nossas ilhas. Mas nós estamos aqui sempre com um sorriso hospitaleiro para quem nos visita. Nós criamos memórias felizes. Estejam certos disto.
Hoje não há receita mas uma mostra de produtos regionais em forma de arte, uma iniciativa singular há semanas exposta no Hotel Terceira Mar, aqui na cidade de Angra do Heroísmo.

Apreciem o que o artista decidiu distinguir de cada ilha recorrendo a molduras de madeira e decorando o interior com produtos de produção regional.

Diapositivo10

Diapositivo6Diapositivo19

Diapositivo15Diapositivo17Diapositivo7Diapositivo12Diapositivo15Diapositivo17Diapositivo16 Diapositivo1Diapositivo13Diapositivo18Diapositivo14Diapositivo2Diapositivo1Diapositivo2Diapositivo3Diapositivo5Diapositivo12Diapositivo4Diapositivo10Diapositivo13Diapositivo14Diapositivo11Diapositivo8Diapositivo3Diapositivo4Diapositivo5Diapositivo6Diapositivo8Diapositivo9Diapositivo9Diapositivo11

Bolo de curgette em dia de piquenique

Com a primavera começa o desejo por piqueniques. Com o verão esta ânsia acaba por se concretizar. Sem grande planeamento, e com o contributo de todos os convivas, a mesa do parque foi sendo preenchida com o que cada um trouxe na cesta. Foi um dia sem muito sol mas bastante agradável à sombra das árvores. Escolhemos novamente este ano os Viveiros da Falca, um lugar cuidado por mãos sábias onde a natureza é respeitada em todos os seus cursos.

Viveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da FalcaViveiros da Falca

Viveiros da Falca

E como não pode haver piquenique sem bolo, eu fiz um bolo muito simples de chocolate e courgette sem cobertura, daqueles que não exigem prato. Corta-se uma fatia e saboreia-se até à última migalha sem que as mãos fiquem sujas de cremes.

Bolo de Chocolate e Courgette

Ingredientes

4 ovos médios

meio pacote de cacau em pó

300 g de courgette raspada às tirinhas

300 g de açúcar

400 g de farinha com fermento

1 colher de chá de fermento

1 colher de café de bicarbonato

1 colher de chá de aroma de baunilha

1 pitada de sal

Bolo de cholocate e courgette

Preparação

1. Batem-se as gemas com o açúcar muito bem.

2. Junta-se a courgette e bate-se até se obter um preparado aveludado.

3. Adiciona-se o cacau e o aroma de baunilha.

4. Peneira-se a farinha, o fermento e o bicarbonato para a tigela com o preparado anterior.

5. Batem-se as claras em castelo  com uma pitada de sal.

6. Unta-se e enfarinha-se uma forma e leva-se a cozer em forno pré-aquecido durante 30 minutos ou até o palito vir seco.

Bolo de cholocate e courgetteBolo de cholocate e courgette

Levem um bolo para o piquenique e sejam felizes ao ar livre!

Patrícia

Gelado de limão e abacaxi com lemon curd

A Olá lançou este verão um corneto de limão que é uma verdadeira explosão de frescura. Inspirada nesse gelado, de edição limitada à estação, decidi reproduzir um semelhante. A diferença prende-se com a adição de abacaxi para conferir estrutura  e  limão para intensificar o sabor. O curd de limão surgiu porque pensei que o gelado estava a precisar de um toque mais amarelinho. Achei bem. Para além disso, este creme contribuiu, com a sua consistência aveludada, para contrastar com a textura do gelado.

Recomendo vivamente.

 gelado de limão e abacaxi com lemon curd

Ingredientes para o gelado

300 g de abacaxi

2 iogurtes gregos naturais ou de aroma de ananás

sumo de um limão

250 g de açúcar em pó

2 claras

Modo de preparação

1. No liquidificador tradicional, ou no copo da Bimby, triturar o abacaxi já sem casca e centro.
2. Adicionar o açúcar em pó.
3. Juntar o iogurte e inserir a borboleta (Bimby) marcando 2 Minutos, Vel. 3,5.
4. Juntar as claras e o sumo de limão e voltar a bater(com a borboleta) cerca de 3 minutos.
5. Colocar a mistura no congelador num recipiente com tampa.
Passadas duas horas, retirei o gelado do congelador e mexi-o com uma colher de pau para destruir os cristais de gelo. Voltei a colocá-lo no congelador. Repeti este procedimento novamente duas horas depois.

gelado de abacaxi e limãogelado de limão e abacaxi

Ingredientes para o lemon curd

160 g de açúcar

2 limões

60 g de manteiga

2 ovos

Preparação na Bimby

Coloque no copo o açúcar e pulverize 20 Seg/Vel. 9

Junte as cascas de limão (só a parte amarela) e rale 15 Seg/Vel.9.

Adicione a manteiga, o sumo dos limões e marque 1Minuto/Vel.2.

Junte os ovos e misture 10 Seg/Vel.4.

De seguida, programe 7 Minutos/80ºC/Vel.2. Retire, deixe arrefecer e guarde em frascos esterilizados, no frigorífico.

Nota. A quantidade de curd desta receita é suficiente para rechear uma torta, cobrir um bolo ou um cheesecake. Rendeu dois frascos pequenos.

lemon curd

A combinação deste gelado com o curd de limão é fenomenal.
Têm de experimentar!

gelado de limão e abacaxi

Limonada ou limanada?

Os dias têm estado bastante quentes e a humidade faz com que se traduzam em dias abafados. Só se está bem em casa com o ar condicionado ligado, no alpendre nas espreguiçadeiras ou dentro de água, de preferência salgada. Dias assim pedem pratos leves e refrescos. O que fazer com um limão e duas limas? Limanada.

limanada ou limonada

limanada ou limonada

Ingredientes

1 limão

2 limas

150  a 200 g de açúcar

1 cuvete com pedras de gelo

1 litro de água

um raminho de menta

 

Preparação na Bimby

1. Lavar os citrinos e cortá-los em quatro partes. Colocar no copo do robô de cozinha.

2. Adicionar metade da água e disferir uns golpes de Turbo. Juntar a restante água e marcar mais dois golpes de Turbo.

3. Colocar o cesto dentro do copo e coar para um jarro. Adoçar com o açúcar e mexer até dissolver. Juntar folhas de menta ou um único raminho, como desejar.

Servir de imediato.

limanada ou limonada

Dica: Se pretender servir a limonada mais tarde, deverá retirar a casca do limão e da lima sem a parte branca interior e incluir  os gomos dos citrinos antes de triturar. Este processo é mais trabalhoso, mas deverá ser feito se quiser deixar o refresco feito umas horas antes de servir. Evitará que se sinta o travo amargo que aos poucos se vai apoderando da limonada.

Para beber de imediato, e sem querer ter muito trabalho, a preparação acima é a solução.

limanada ou limonada

 

Tiras de lula “gigante” na brasa e salada de batata

tiras de lula na brasa e salada de batata

Quando compramos lulas “gigantes” costumamos guisá-las com batata. Fica um estufado muito saboroso e com uma textura macia. Desta vez, a lula foi cortada às tirinhas e saltou para a brasa para nos presentear com este grelhado a saber a mar. Um par de pimentos fez companhia às lulas, enquanto o molho era preparado.

tiras de lula na brasa e salada de batata

Acompanhámos as lulas com uma salada de batata viciante.

tiras de lula na brasa e salada de batata

Ingredientes
1 lula grande

2 pimentos encarnados

1 quilo de batata

maionese a gosto

azeitonas recheadas

2 colheres de sopa de manteiga

1 colher de chá de alho em pó

1 colher de café de massa de malagueta

sumo de lima

mistura de cinco pimentas

gengibre fresco a gosto

noz moscada

azeite

salsa

sal

Preparação

1. Lavar a lula, retirar-lhe a tripa e cortá-la às tiras com a largura aproximada de dois centímetros.

2. Preparar as brasas ou ligar o grelhador eléctrico.

3. Colocar as tiras de lula na grelha para peixe, apenas temperadas com umas pedrinhas de sal. Virar a grelha do outro lado para que a outra face da tira também fique grelhada.  Este é um processo relativamente rápido, já que se a lula ficar demasiado tempo na grelha poderá ficar rija e seca.

4. Coloque os pimentos inteiros em cima da brasa e vá os virando até que assem de todos os lados. Coloque-os dentro de um saco de plástico e deixe-os suar. Assim será mais fácil retirar-lhes a pele. Em alternativa, poderá passá-los por água fria, mas, no meu entender, retira-lhes um pouco o sabor. Corte-os às tiras finas. Tempere com azeite, sal e alho em pó.

5. Prepare um molho com a manteiga, o sumo de lima (1 colher de sopa), a massa de malagueta, o alho em pó, o gengibre e uns pozinhos de mistura de cinco pimentas. Leve numa taça ao micro-ondas até começar a ferver. Pique salsa para a taça do molho, mexa e reserve.

6. Disponha as tiras de lulas numa travessa. Decore com a salada de pimentos e verta por cima de tudo o molho preparado.

7. Coza as batatas aos pedaços em água temperada com sal e um pouco de noz moscada. Escorra-as e junte-lhes azeitonas recheadas picadas. Envolva a salada em maionese  e finalize com salsa picada.

Com esta receita de lula na brasa participo na Edição de Julho de Dia Um…Na Cozinha.

logotipo julho

 

Bolo de fécula com coração de chantilly e cerejas

Já devem ter reparado que ando apaixonada pelos bolos de fécula e pelas cerejas. Ambos têm tido algum destaque nos últimos post. A fécula confere uma leveza especial ao bolo. A quantidade de ovos utilizada também concorre para este facto. Neste bolo em particular, resolvi retirar-lhe o centro e preenchê-lo com chantilly caseiro pouco adoçado. As cerejas, essas, conferiram ainda mais frescura à sobremesa. Combinaram muito bem com o bolo de fécula e com as natas abaunilhadas.

Bolo de Fécula  (o genuíno)

bolo de fécula

bolo de fécula

Ingredientes

8 ovos
250 g de açúcar
160 g de fécula de batata

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 180º C.
2. Untar com manteiga e forrar com papel vegetal uma forma com fundo amovível.
3. Bater as gemas com o açúcar até que tenham triplicado de volume e estejam esbranquiçadas.
4. Bater as claras em castelo.
5. Misturar um 1/3 das claras nas gemas, batendo até que esteja homogéneo.
Misturar as claras restantes, com cuidado, usando uma espátula.
6. Peneirar a fécula sobre a massa, aos poucos, misturando suavemente.
7. Cozer durante 40 minutos ou até que um palito inserido no centro do bolo venha seco.
8. Retirar do forno e deixar arrefecer completamente sobre uma grade de pastelaria antes de desenformar.

Ingredientes para o chantilly

2 pacotes de natas para bater  refrigeradas (400 ml)

3 colheres de sopa de açúcar em pó

1 colher de café de extrato de baunilha

Preparação

1. Bater as natas até formarem picos.

2. Juntar o açúcar e o extrato de baunilha e bater novamente.

bolo de fécula

Depois do bolo ter arrefecido completamente, desenformei-o e retirei-lhe o centro. Preenchi o espaço com o chantilly caseiro e finalizei com as cerejas.

Sirvam-se!

Receita adaptada daqui.

Uma entrada que se confunde com sobremesa

Quando começa a época dos morangos e das cerejas, nós costumamos comprá-los às caixas. Eu sou fã de morangos e o meu marido de cerejas, por isso, nunca são demais. Sendo assim, há que aproveitá-los muito bem enquanto existem. Eu tenho rentabilizado estes frutos em sugestões diversas. Como há sempre soluções deliciosas para as frutas que se vão tornando menos viçosas e apetecíveis (isto acontece imenso com as maçãs e as bananas na fruteira), selecionei as cerejas machucadinhas devido ao transporte e acondicionamento, e resolvi confecionar um coulis de cereja como topping de gelado.  Já assim é uma perdição, mas experimentei acompanhar um queijinho fresco com este coulis. Um verdadeiro impacto ao jeito Romeu e Julieta (queijo com marmelada). Estou certa que o coulis de cereja com queijo curado saberá ainda melhor, mas, convenhamos, será muito menos light do que esta sugestão.

queijo fresco com coulis de cereja

Ingredientes para o coulis de cereja

300 g de cerejas descaroçadas

100 g de açúcar amarelo

1 colher de sopa de sumo de lima

Preparação do coulis

1. Num tacho, coloquei as cerejas e o açúcar. Deixei caramelizar e transformar-se numa consistência entre o xarope e a compota, mexendo de vez enquando. A meio deste processo, adicionei a colher com o sumo de lima.
2. Após atingir a consistência acima descrita, deixei arrefecer o coulis e, na hora de servir, verti-o sobre o queijo fresco.

Poderá servi-lo à parte num pratinho com uma colher.

queijo fresco com coulis de cereja

Outra receita de coulis (de frutos silvestres com gelatina) aqui. Nesta receita o coulis também faz parte do interior do gelado. Uma perdição!

queijo fresco com coulis de cerejas

 

Gelado de Cereja…Silky and Smooth

Agora que o verão se aproxima, não me canso de transformar a receita de espuma de morangos, de ananás e de cereja em sedosos e suaves gelados. Este é um exemplo disso.

Deliciem-se!

gelado de cereja com clarasgelado de cereja com claras

Ingredientes

300 g de cerejas congeladas

180 g de açúcar em pó

3 colheres de sopa de sumo de limão

2 claras

Acessórios

Borboleta

gelado de cereja com claras

Preparação na Bimby

1. Pulverizar o açúcar iniciando na vel 5 até à 9

2. Adicionar as cerejas congeladas e triturar 30 seg. na vel. 5

3. Sem retirar o preparado do copo, colocar a borboleta e bater as claras  com o sumo de limão  durante 3 minutos na velocidade 3 1/2, até que obtenha uma espuma tipo merengue.

4. Colocar num recipiente com tampa e colocar no congelador de um dia para o outro.

5. Servir com raspa de lima ou de limão ou com coulis de cereja.

gelado de cereja com claras

90 anos com o coração entre a terra e o mar

Bolo de fécula e limão

Este fim de semana, a minha avó materna completou noventa anos de idade. A mãe tinha vivido até aos noventa e cinco, a irmã aos noventa e dois e o pai aos cento e um. Gente de durar. Nasceu e foi criada na ilha do Pico. Sentiu a dureza do trabalho do campo. Casou nova. Por amor, diz-se. Coisa rara naquele tempo em que todos os casamentos eram definidos pelos pais. Viu tios e primos a emigrarem para as Américas, muitos deles para o Brasil. Teve uma filha, a minha mãe, a quem nunca nada faltou mas que sabia que só se comia carne em dias de festa. Tinha a agricultura e o gado, pouco, à sua conta nos dias em que o marido passava no mar. Era caçador de baleias. Pertenceu à última geração destes lobos do mar. Isabel, como se chama, passava os dias com o coração entre o mar e a terra. Nunca foi dada a rendas e bordados. Apenas se instruiu nas camisolas e meias de lã que fazia para o marido levar para o mar. Sentia em terra o silêncio tenebroso do frio do mar e a dura espera. Para que a filha conseguisse prosseguir estudos, envia-a, aos doze anos, para um colégio interno na ilha do Faial, onde completa o sétimo ano (atual 11º ano) e conclui o curso do magistério primário. Vem para a ilha Terceira com o marido onde este acaba por falecer em pouco tempo de insuficiência renal, apenas com cinquenta e poucos anos. Vive com os meus pais desde então mas sempre com o pensamento nas memórias que ficaram  na terra e no mar da ilha do Pico.

Este bolo foi feito para celebrar em família esta data muito especial. Afinal, não são muitos os que chegam aos 90 anos.

 

Bolo de fécula e limão

Bolo de fécula e limão

Ingredientes 

8 ovos

250 g de manteiga amolecida

600 g de açúcar

300 g de fécula de batata

300 g de farinha (usei Branca de Neve)

1 colher de sopa rasa de fermento para bolos

raspa e sumo de dois limões médios

 

Preparação dos bolos

1. Bater as gemas com o açúcar e a manteiga durante quinze minutos.

2. Adicionar o sumo e a raspa de limão. Voltar a bater mais um minuto.

3. Misturar a farinha, a fécula e o fermento numa tigela e peneirar estes ingredientes secos para dentro da tigela com o preparado anterior.

4. Bater as claras em castelo e adicioná-las aos poucos, com uma espátula, à massa do bolo.

5. Untar com manteiga uma forma redonda de fundo amovível. Enfarinhar.

6. Verter apenas metade do preparado. Levar a cozer em forno pré-aquecido a 200ºC. (Ligo o forno quando começo a fazer o bolo). Coze em 30 minutos. Deixar arrefecer durante 15 minutos antes de desenformar.

7. Verter a restante metade do preparado para uma forma igual, também untada e enfarinhada. Repetir o passo 6 para o segundo bolo.

8. Quando os bolos estiverem frios, cortar ao meio e rechear as diferentes camadas ( 4 de bolo e 3 de recheio respetivamente)

Ingredientes para o recheio

2 latas de leite condensado cozido (usei Nestlé)

1 pacote de amêndoa aos pedacinhos ( mesmo assim, ainda a triturei mais um pouco na picadora, evitando, no entanto, que a amêndoa se transforme em farinha).

leite q.b.

Preparação do recheio

1. Torrar a amêndoa ligeiramente para que liberte os óleos, sem queimar.

2. Juntá-la mesmo quente ao leite condensado e misturar com uma colher.

3. Adicionar leite aos poucos até que fique com uma consistência fácil de barrar.

4. Rechear as diferentes camadas.

 

Ingredientes para a cobertura

200 g de queijo creme

800 g de açúcar confeiteiro

sumo de 1 limão (vá adicionando e vendo a consistência e o sabor)

 

Preparação da cobertura

Bata o queijo creme com uma vara de arames ou com a batedeira e misture o açúcar  e o sumo de limão aos poucos até obter a consistência desejada.

Barre o bolo. Alise-o molhando a espátula em água as vezes que forem necessárias.

Bolo de fécula e limão

A toalha da foto foi feita pela Teté, a irmã da minha avó, que faleceu há dez meses. Das mãos dela saíram muitas toalhas de renda e outras tantas bordadas em vários pontos. Era jeitosa de mãos, como se diz por aqui.

Bolo de fécula e limão

Este bolo ficou com um interior muito saboroso. Deixo-vos a tradicional foto da fatia.
Bolo de fécula e limão

Pêssegos sublimes

Esta é a época do ano em que existe mais diversidade de frutos. Temos os morangos, as cerejas, os pêssegos e as nectarinas que nos seduzem diretamente das cestas, como se de um piscar de olhos se tratasse. E é difícil resistir-lhes por tudo o que têm de bom, de suculento e pela variedade de hipóteses de confeção que apresentam. Estes pêssegos foram a assar e transformaram-se numa sobremesa muito apetecível e parca de complexidade. Genuína, portanto.

© foodwithameaning

© foodwithameaning

Ingredientes

pêssegos

açúcar amarelo

mel

canela

sumo de meio limão

queijo ricotta

amêndoa laminada

Preparação

1. Lavam-se os pêssegos sem retirar a pele. Cortam-se às metades e descaroçam-se.

2. Forra-se um tabuleiro com papel vegetal e dispõem-se os pêssegos com o meio virado para cima. Polvilham-se com açúcar amarelo e decoram-se com a amêndoa laminada.  Levam-se ao forno cerca de 15 minutos a 180 ºC.

3. Entretanto, numa tigela mistura-se mel, canela e sumo de limão.

4. Verte-se este preparado em cima de cada pêssego e leva-se novamente ao forno cerca de 10 minutos.

Acompanham-se os pêssegos ainda mornos com queijo ricotta. A combinação de ambos é maravilhosa. Poderá também optar por gelado em substituição do queijo. Nesse caso, aconselho o clássico gelado de baunilha.

© foodwithameaning